A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prepared by: Fernando Quijano and Yvonn Quijano 19 C A P Í T U L O © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard O Mercado de Bens.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prepared by: Fernando Quijano and Yvonn Quijano 19 C A P Í T U L O © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard O Mercado de Bens."— Transcrição da apresentação:

1 Prepared by: Fernando Quijano and Yvonn Quijano 19 C A P Í T U L O © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard O Mercado de Bens em uma Economia Aberta

2 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta A Relação IS na Economia Aberta 19-1 Demanda por Bens Internos Em uma economia aberta, a demanda por bens internos é dada por: Em uma economia aberta, a demanda por bens internos é dada por: Em uma economia aberta, a demanda interna por bens e a demanda por bens internos são diferentes. Em uma economia aberta, a demanda interna por bens e a demanda por bens internos são diferentes. Ξ

3 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Demanda por Bens Internos Os Determinantes de C, I e G: A taxa real de câmbio afeta a composição dos gastos de consumo e investimento, mas não o nível geral desses agregados. A taxa real de câmbio afeta a composição dos gastos de consumo e investimento, mas não o nível geral desses agregados.

4 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Demanda por Bens Internos Os Determinantes das Importações Uma taxa real de câmbio mais alta torna os bens externos relativamente mais caros levando a uma queda nas importações. Uma taxa real de câmbio mais alta torna os bens externos relativamente mais caros levando a uma queda nas importações.

5 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Demanda por Bens Internos Os Determinantes das Exportações Um aumento em Y*, ou do produto externo, aumenta as exportações dos EUA. Um aumento em, o preço relativo dos bens externos em relação aos bens internos, também leva a um aumento das exportações. Um aumento em Y*, ou do produto externo, aumenta as exportações dos EUA. Um aumento em, o preço relativo dos bens externos em relação aos bens internos, também leva a um aumento das exportações.

6 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Demanda por Bens Internos Demanda por bens internos e exportações líquidas A demanda interna por bens, DD, é uma função crescente da renda. Para obter a demanda por bens internos, AA, devemos subtrair o valor das importações da demanda interna.

7 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Demanda por Bens Internos Demanda por bens internos e exportações líquidas Somando as exportações à demanda interna por bens internos, AA, obtemos a demanda por bens internos, ZZ. O balanço comercial é uma função decrescente do produto. Y TB é o valor do produto que corresponde ao balanço comercial.

8 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Produto de Equilíbrio e Balanço Comercial Produto de equilíbrio e exportações líquidas O mercado de bens está em equilíbrio quando o produto é igual à demanda por bens internos. No nível de equilíbrio do produto, o balanço comercial pode registrar déficit ou superávit.

9 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Aumentos da Demanda Interna ou Externa Efeitos de um aumento dos gastos do governo Um aumento nos gastos do governo leva a um aumento do produto e a um déficit comercial O efeito dos gastos do governo na economia aberta é menor o multiplicador é menor do que seria em uma economia fechada, pois parte da demanda recairá sobre importações.

10 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Aumentos da Demanda Externa Efeitos de um aumento da demanda externa O aumento do demanda externa leva ao aumento do produto e a um superávit comercial. O balanço comercial melhora porque o aumento nas importações não anula o crescimento das exportações.

11 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta O Jogo de que os Países Participam Aumentos tanto na demanda interna quanto na externa conduzem ao aumento do produto, entretanto, produzem efeitos opostos sobre a situação comercial de um país. Aumentos tanto na demanda interna quanto na externa conduzem ao aumento do produto, entretanto, produzem efeitos opostos sobre a situação comercial de um país. Um aumento na demanda externa é preferível ao aumento na demanda interna porque melhora o balanço comercial. Um aumento na demanda externa é preferível ao aumento na demanda interna porque melhora o balanço comercial.

12 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta O Jogo de que os Países Participam Em tempos de recessão, países com alto déficit comercial podem esperar que a demanda externa estimule a economia. Em tempos de recessão, países com alto déficit comercial podem esperar que a demanda externa estimule a economia. A coordenação entre países, tais como entre as sete maiores potências econômicas do mundo, ou G7, é uma tentativa de adotar políticas macroeconômicas compatíveis. A coordenação entre países, tais como entre as sete maiores potências econômicas do mundo, ou G7, é uma tentativa de adotar políticas macroeconômicas compatíveis.

13 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Depreciação, Balanço Comercial e Produto 19-3 A condição Marshall-Lerner é a condição sob a qual uma depreciação (um aumento A condição Marshall-Lerner é a condição sob a qual uma depreciação (um aumento em ) leva a um aumento das exportações líquidas. Ξ Ξ

14 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Os Efeitos da Depreciação Os efeitos da depreciação A depreciação real leva a um aumento do produto e a uma melhora do balanço comercial. A depreciação funciona tornando os bens externos relativamente mais caros.

15 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Combinando as Políticas Cambial e Fiscal Reduzindo o déficit comercial sem alterar o produto Para reduzir o déficit comercial sem alterar o produto, o governo deve promover uma depreciação e diminuir seus gastos. A depreciação aumentará o produto, enquanto a redução dos gastos governamentais diminuirá o produto.

16 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Combinando as Políticas Cambial e Fiscal Produto elevado Produto baixo Combinações de políticas cambial e fiscal Tabela 19-1 ?G ?G G? G? ?G ?G Déficit comercialSuperávit comercial Condições iniciais

17 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Déficit Comercial dos EUA: Origens e Implicações 1,5 0,8 1,1 1,8 3,5 2,0 Taxa de crescimento, Japão (%) 3,3 2,6 2,8 2,6 1,6 1,8 Taxa de crescimento, UE (%) 4,1 4,2 4,4 3,6 2,3 Taxa de crescimento, EUA (%) ,86 2,5 1, ,85 3,6 2,7 0,80 4,5 3, Tabela 19-3 Déficit comercial e em conta corrente dos EUA, taxa real de câmbio dos EUA e taxa de crescimento dos EUA, da União Européia e do Japão 0,92 1,00 0,97 Taxa de câmbio real (1996:1=1) 1,7 1,6 1,0 Déficit em conta corrente (% do PIB) 1,1 0,9 Déficit comercial (% do PIB) (média)

18 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Examinando a Dinâmica: a Curva J A depreciação pode levar a uma deterioração inicial do balanço comercial; aumenta, mas nem X nem M se ajustam muito a princípio. A depreciação pode levar a uma deterioração inicial do balanço comercial; aumenta, mas nem X nem M se ajustam muito a princípio Com o tempo, as exportações e as importações respondem e a depreciação leva a uma melhora do balanço comercial. Com o tempo, as exportações e as importações respondem e a depreciação leva a uma melhora do balanço comercial.,

19 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Examinando a Dinâmica: a Curva J A curva J A depreciação real leva inicialmente a uma deterioração do balanço comercial, mas, em seguida, a uma melhora.

20 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Examinando a Dinâmica: a Curva J A taxa real de câmbio e a participação das exportações líquidas no PIB: Estados Unidos, A apreciação e a depreciação reais do dólar na década de 1980 refletiram-se em um aumento seguido de uma queda do déficit comercial. Mas houve grande defasagem nos efeitos da taxa real de câmbio sobre o balanço comercial.

21 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Poupança, Investimento e a Balança Comercial A forma alternativa de ver o equilíbrio sob a condição de que o investimento é igual à poupança tem um significado importante: A forma alternativa de ver o equilíbrio sob a condição de que o investimento é igual à poupança tem um significado importante: 19-5 Ξ

22 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Poupança, Investimento e a Balança Comercial Pela equação acima, concluímos que o superávit comercial corresponde ao excesso de poupança em relação ao investimento e vice-versa. Pela equação acima, concluímos que o superávit comercial corresponde ao excesso de poupança em relação ao investimento e vice-versa. Se a poupança permanecer constante, um aumento no investimento resulta na deterioração do balanço comercial. Se a poupança permanecer constante, um aumento no investimento resulta na deterioração do balanço comercial. Um aumento no déficit orçamentário leva à deterioração do balanço comercial. Um aumento no déficit orçamentário leva à deterioração do balanço comercial.

23 © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard Capítulo 19: O Mercado de Bens em uma Economia Aberta Termos-Chave demanda por bens internos demanda por bens internos demanda interna por bens demanda interna por bens coordenação, G-7 coordenação, G-7 condição Marshall-Lerner condição Marshall-Lerner curva J curva J


Carregar ppt "Prepared by: Fernando Quijano and Yvonn Quijano 19 C A P Í T U L O © 2004 by Pearson EducationMacroeconomia, 3ª ediçãoOlivier Blanchard O Mercado de Bens."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google