A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue: investigação de óbitos e diagnósticos diferenciais 09 a 11 de novembro de 2010 Salvador-Ba.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue: investigação de óbitos e diagnósticos diferenciais 09 a 11 de novembro de 2010 Salvador-Ba."— Transcrição da apresentação:

1 Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue: investigação de óbitos e diagnósticos diferenciais 09 a 11 de novembro de 2010 Salvador-Ba

2 Considerações sobre as Investigações de Dengue
Grave

3 Rotinas da VE - Dengue Objetivos:
Evitar a ocorrência das infecções pelo vírus do dengue em áreas livres de circulação Detectar precocemente e controlar epidemias Reduzir a transmissão nas áreas endêmicas Reduzir a letalidade por FHD 3

4 Rotinas da VE - Dengue Períodos não epidêmicos:
Investigar todos os casos suspeitos de dengue Dengue clássico Dengue com complicações FHD Óbitos Encerrar casos por critério laboratorial 4

5 Rotinas da VE - Dengue Períodos epidêmicos:
Opção de preencher somente a notificação dos casos de Dengue Clássico Realizar sorologia em uma amostra de pacientes com Dengue Clássico

6 Rotinas da VE - Dengue Períodos epidêmicos:
Notificar e investigar oportunamente os casos suspeitos de FHD, dengue com complicação e óbitos, gestantes, menores de 15 anos e casos com manifestação clínica não usual Exame laboratorial é prioritário para FHD e dengue com complicação

7 Rotinas da VE - Dengue Dengue grave
Investigar oportunamente todos os casos suspeitos de FHD/SCD Oportuno: durante o período da internação Óbitos Investigar oportunamente todos os casos de óbitos suspeitos de serem causados por dengue Oportuno: imediatamente após o óbito * Informar imediatamente o caso para SES

8 Caso confirmado: é o caso confirmado laboratorialmente
Dengue Clássico Definição de caso suspeito: Paciente com doença febril aguda (máximo 7 dias), acompanhada de pelo menos 2 dos seguintes sintomas: cefaléia, dor retroorbitária, mialgia, artralgia, prostração, exantema. Presença nos últimos quinze dias em área onde esteja ocorrendo transmissão de Dengue ou tenha presença de Aedes aegypti. Caso confirmado: é o caso confirmado laboratorialmente

9 Importante No curso de epidemia, a confirmação pode ser feita através do critério clínico epidemiológico, exceto nos primeiros casos da área, que devem ter confirmação laboratorial

10 - prova do laço positiva - hematêmese, melena e outros.
Dengue grave Febre hemorrágica da Dengue, Síndrome do Choque da Dengue, Dengue com Complicações Suspeito: é todo caso suspeito de Dengue que também apresente tendências hemorrágicas (e/ou sinais de alerta). - prova do laço positiva - hematêmese, melena e outros. manifestações hemorrágicas + sinais e sintomas de choque cardiovascular (pulso arterial fino e rápido ou ausente, diminuição ou ausência de pressão arterial, pele fria e úmida, agitação), levam à suspeita de síndrome de choque

11 FHD – todos os critérios abaixo (OMS, 1975)
Dengue grave - Confirmação FHD – todos os critérios abaixo (OMS, 1975) Trombocitopenia abaixo de / mm³; Tendências hemorrágicas ; Extravasamento de plasma evidenciado por: hemoconcentração (variação de 20%), derrame cavitário ou hipoalbuminemia; Confirmação laboratorial específica.

12 Vigilância da Dengue - Definição de Caso
Extravasamento de plasma devido ao aumento de permeabilidade capilar hematócrito apresentando um aumento de 20% sobre o basal; ou queda do hematócrito em 20%, após o tratamento; ou presença de derrame pleural, ascite e hipoproteinemia

13 Dengue com complicações:
Dengue grave - Confirmação Dengue com complicações: Caso suspeito de Dengue grave que não possui todos os critérios; Presença de uma das alterações abaixo: alteração neurológica disfunção cárdio-respiratória insuficiência hepática plaquetopenia <20.000/mm³ hemorragia digestiva importante (volumosa) derrames cavitários leucometria< 1.000/mm³ - Óbito suspeito de Dengue que não possui todos os critérios de FHD

14 Subconjuntos da morbimortalidade
G D I E P O

15 P – Base Populacional do Risco
E – Sub-conjunto de Exposição I – Sub-conjunto de Infectados D – Subconjunto da Doença G – Subconjunto de casos Graves O – Subconjuntos de Óbitos

16 Rotinas da VE - Dengue Analisar completitude e consistência dos dados
Encerrar adequadamente os casos no sistema de informação Analisar indicadores epidemiológicos

17 Sistemas de Informação Planilha paralela de Dengue grave
SINAN Planilha paralela de Dengue grave SIH SIM SUREM

18 SINAN: Acompanhamento e análise dos casos encerrados como DCC (2) FHD(3) SCD (4)

19 O que temos observado? Melhora da oportunidade Melhora no encerramento dos casos

20 O que temos observado? Investigações incompletas Classificação final não coerente com os critérios de encerramento Informações inconsistentes Duplicidades

21 Sinan 2010 – Completitude dos dados
Hospitalização Class. Final Ign/Branco Sim Não Total Dengue com complicações 32 624 29 685 Febre Hemorrágica do Dengue 74 112 5 191 Síndrome do Choque do Dengue 16 1 2 19 122 737 36 895

22 Sinan 2010 - Completitude dos dados
evolucao Class. Final Ign/ branco Cura Óbito pelo agravo notificado Óbito por outra causa Total Dengue com complicações 177 493 13 2 685 Febre Hemorrágica do Dengue 170 8 191 Síndrome do Choque do Dengue 14 5 19 190 677 26 895

23

24 Sinan 2010 - Classificação final não coerente com os critérios de encerramento
manifestação hemorrágica Class. Final Ign/Branco Sim Não Total Febre Hemorrágica do Dengue 2 181 8 191

25 Sinan 2010 - Classificação final não coerente com os critérios de encerramento
extravasamento plasmático Class. Final Ign/Branco Sim Não Total Febre Hemorrágica do Dengue 18 151 22 191 Síndrome do Choque do Dengue 5 9 19 23 156 31 210

26 Sinan – Consistência dos dados
Sorotipo 2007 2008 2009 2010 Ign/Branco 14.898 50.749 50.616 DEN 1 33 81 95 255 DEN 2 4 46 108 136 DEN 3 24 34 6 7 DEN 4 2 42 12 110

27 Sinan 2010 – Consistência dos dados
LACEN sorotipo Ign/Branco 50.287 DEN 1 255 DEN 2 136 DEN 3 7 DEN 4 110 sorotipo DEN 1 348 DEN 2 398 DEN 3 19 DEN 4 00

28 Campo Alegre de Lourdes
Sinan 2010 – Consistência dos dados Mun Resid BA DEN 4 Santo Estêvão 74 Salvador 4 Camaçari 3 Simões Filho Campo Alegre de Lourdes 2 Casa Nova Dom Basílio Lauro de Freitas Teixeira de Freitas Botuporã 1 Caetité Feira de Santana Ibiassucê Ilhéus Ipirá Itamaraju Itanhém Jaguarari Monte Santo Pojuca Rio Real Santa Rita de Cássia São Francisco do Conde Serra Dourada

29 Sinan – revela fragilidades do sistema de VE
Complicações 2007 2008 2009 2010 Total Ign/Branco 1 4 21 10 36 Alterações neurológicas 3 37 7 48 Disfunção cardiorrespiratória 8 25 42 Insuficiência hepática 14 16 Plaquetas < mm3 178 1.225 371 1.781 Hemorragia digestiva 2 11 112 141 Derrames cavitários 13 82 74 169 Leucometria < 1000 Não se enquadra em FHD 30 76 332 182 620 45 297 1.851 685 2.878

30 Problemas inerentes ao sistema
Sinan Problemas inerentes ao sistema Problemas no fluxo de retorno Falta de crítica do sistema (não vincula campos) Class. Final Ign/Branco Laboratórial Clínico-epidemiológico Total Dengue com complicações 1 423 261 685 Febre Hemorrágica do Dengue 190 191 Síndrome do Choque do Dengue 19 632 262 895

31 Sinan - duplicidade

32 Planilha paralela de Dengue Grave
Instrumento adicional para acompanhamento dos casos graves Permite acompanhar os casos com maior oportunidade Permite identificar as inconsistências para orientar as alterações

33 Óbito pelo agravo notificado
Óbitos 2010 Sinan Evolução Freqüência Ign/Branco 22.671 Cura 28.397 Óbito pelo agravo notificado 26 Óbito por outra causa 27 Total 51.121

34 Óbitos 2010 Planilha paralela 34 óbitos confirmados
8 óbitos confirmados não estão encerrados no Sinan 12 óbitos com o protocolo de investigação preenchido

35 Cenário atual Aumento expressivo das formas graves
Faixa etária mais atingida – menores de 15 anos Circulação viral intensa (3 sorotipos + altos IIP), com aumento expressivo do DENV 1 Prolongamento do período de maior ocorrência Recente introdução do sorotipo DENV4 no Estado de Roraima

36 Necessidades urgentes
Intensificação e qualificação da VE e Controle vetorial Integração entre vig. epidemiológica, vig. entomológica, vig. laboratorial e assistência Elaboração de plano de contingência para enfrentamento de epidemias

37 O amor A inteligência sem amor te faz prepotente A humildade sem amor te faz hipócrita A pobreza sem amor te faz orgulhoso A justiça sem amor te faz implacável A autoridade sem amor te faz tirano O trabalho sem amor te faz escravo A docilidade sem amor te faz servil O êxito sem amor te faz arrogante A política sem amor te faz egoísta A riqueza sem amor te faz ávaro A oração sem amor te faz falso A lei sem amor te faz perverso A beleza sem amor te faz fútil A fé sem amor te faz fanático A cruz sem amor se converte em tortura A vida sem amor, não tem sentido...


Carregar ppt "Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue: investigação de óbitos e diagnósticos diferenciais 09 a 11 de novembro de 2010 Salvador-Ba."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google