A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue:Investigação de Óbitos e Diagnóstico Diferencial GT Ampliado Dengue/SESAB Elisabeth França.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue:Investigação de Óbitos e Diagnóstico Diferencial GT Ampliado Dengue/SESAB Elisabeth França."— Transcrição da apresentação:

1 Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue:Investigação de Óbitos e Diagnóstico Diferencial GT Ampliado Dengue/SESAB Elisabeth França ASTEC/SUVISA Novembro- 2010

2 GT AMPLIADO DA DENGUE Estratégia de Gestão Integrada

3 Comunicação e Mobilização Social Vigilância Epidemiológica Vigilância Entomológica Atenção ao Paciente Vigilância Laboratorial Estratégia de Gestão Integrada Regulação do Acesso Aspectos administrativos, infra-estrutura e logística Políticas Públicas

4 1. Vigilância Epidemiológica 2. Combate ao vetor 3. Assistência aos pacientes 4. Integração com a Atenção Básica 5. Ações de Saneamento Ambiental 6. Ações Integradas de Educação em saúde, Comunicação e Mobilização Social 7. Capacitação de Recursos Humanos 8. Legislação 9. Sustentação Político-social 10. Acompanhamento e Avaliação AÇÕES DO PNCD

5 Onde encontrar os focos de Aedes aegypti ? Por quê da transmissão da Dengue? Quem sofre mais com a doença? Como prevenir e tratar a doença? Velocidade de transmissão? Questões

6 Paradigma Os macro fatores estão atuando com muito mais força sobre a transmissão da Dengue; Sua dimensão esbarra nos limites da SAÚDE; A área da Saúde não é a ÚNICA responsável pela Prevenção e Controle da Dengue; Para limitar os danos da magnitude da Transmissão, são necessários esforços de TODOS co-responsáveis: setores público, privado e sociedade civil.

7 CONTROLE DA DENGUE - Que as medidas não sejam efetivas ou - Que as medidas sejam inapropriadas ou - Que as medidas sejam aplicadas incorretamente ou -Que a população não se sente responsabilizada pelo problema. O quadro atual de incidência e da infestação de Aedes aegypti sugere

8 LIÇÕES APRENDIDAS: Prevenir ou reduzir a transmissão do vírus da dengue depende inteiramente do controle do mosquito ou na interrupção do contato homem/vetor A medida mais efetiva é a redução das fontes de proliferação do vetor. Diante da diversidade de fatores envolvidos na transmissão o controle deve ser integrado.(Caixa/Teia) Ações de Promoção da Saúde devem ser intensificadas. Estimular a participação da população para que ela atue de forma responsável nas ações de eliminação e tratamento dos criadouros em suas residências e no seu entorno. CONTROLE DA DENGUE

9

10

11 Projeto de Mobilização Social Baseada na experiência da Mobilização dos Servidor Público- Acordo tripartite (2008); Contrato com Fundação Luis Eduardo Magalhães – FLEM Período - junho 2010/julho 2011 Projeto de Mobilização Social para Prevenção e o Controle da Dengue em dez municípios selecionados do Estado; Produtos -Disponibilização de uma metodologia para atuar na mobilização social e um sistema de informações para acompanhamento e monitoramento das ações de mobilização social e comunicação Gestão do Contrato –SUVISA/Coordenação do GT AMPLIADO Apresentação da equipe do Grupo Executivo da Dengue-GET /FLEM

12 Elisabeth França ASTEC/SUVISA/GT AMPLIADO DENGUE/SESAB (71) / GTFAD/ SCDTV/DIVEP/ SUVISA/SESAB Tel. (71) CONTATOS


Carregar ppt "Oficina de Capacitação em Vigilância Epidemiológica da Dengue:Investigação de Óbitos e Diagnóstico Diferencial GT Ampliado Dengue/SESAB Elisabeth França."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google