A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETOS BÁSICO E EXECUTIVO DE ENGENHARIA PARA RESTAURAÇÃO DE RODOVIA (C.R.E.M.A. - 2ª ETAPA) Rodovia: BR 242/BA Trecho: Entr. BR-420(A) (São Roque do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETOS BÁSICO E EXECUTIVO DE ENGENHARIA PARA RESTAURAÇÃO DE RODOVIA (C.R.E.M.A. - 2ª ETAPA) Rodovia: BR 242/BA Trecho: Entr. BR-420(A) (São Roque do."— Transcrição da apresentação:

1 PROJETOS BÁSICO E EXECUTIVO DE ENGENHARIA PARA RESTAURAÇÃO DE RODOVIA (C.R.E.M.A. - 2ª ETAPA) Rodovia: BR 242/BA Trecho: Entr. BR-420(A) (São Roque do Paraguaçu) – Entr. BR-020/242 (Contorno de Barreiras) Subtrecho: Entr. BA-120(A)/493 (Castro Alves) – Entr. BA-156 (B) Segmento: Km 112,50 – Km 516,70 Extensão: 404,20 Km Código do PNV: 242BBA0060 ao 242BBA0210 Lote: 02

2 MAPA DE SITUAÇÃO BR-242/BA (LOTE-2) Segmento 01 – Entr. BR-116 / BA-120 (B) (p/ Paraguaçu) - Entr. BA-488(Itaberaba), (Est. 0 – Est ,10) Extensão = 86,85 Km. Segmento 02 – Entr. BA-046 / BA-488(Itaberaba) - Entr. BA-850(p/ Lençóis), (Est. 0 – Est ,10) Extensão = 130,67 Km. Segmento 03 – Entr. BA-850(p/Lençóis) - Entr. BA-156(B), (Est. 0 – Est ,90) Extensão = 181,30 Km.

3 RODOVIA BR-242/BA (CREMA) Topografia e Cadastro da Rodovia Estudos de Tráfego Projeto Geométrico (Interseções) Projeto de Drenagem Projeto de Pavimentação Projeto de Sinalização Projeto de Obras Complementares Componente Ambiental Cadastro de Obras de Arte Especiais Orçamento

4 TOPOGRAFIA E CADASTRO DA RODOVIA

5 Estaqueamento à Trena pela Borda da Pista com Georeferenciamento Cadastro da Drenagem Superficial Cadastro das Obras de Arte Correntes Cadastro de Drenagem Profunda Cadastro da Sinalização Horizontal e Vertical Cadastro da Pista e Acostamento (larguras- desníveis) Cadastro das OAE´S Serviços Executados TOPOGRAFIA E CADASTRO DA RODOVIA

6 ESTUDOS DE TRÁFEGO

7 Desenvolvido com base na Instrução de Serviço nº 5 de 09/123/05 e Manual de Estudos de Tráfego (Publicação IPR – 723 de 2006). Objetivo - Definir os elementos necessários à avaliação da demanda de tráfego na rodovia BR-242, durante o período de projeto e projeção para o ano horizonte de 10 anos. Com base nos dados coletados e processados chegou-se ao número de repetições do eixo padrão de 8,2 tf (número N), elemento fundamental no dimensionamento dos pavimentos. Considerações Iniciais ESTUDOS DE TRÁFEGO

8 Foi realizada Pesquisa Volumétrica e Classificatória de Veículos, na BR -242, em 11 postos de contagem: Postos de Contagem ESTUDOS DE TRÁFEGO Posto P1 Itaberaba (Entr. BA. 488) Posto T1 BR.242/Entr. Boa Vista do Tupim Posto T2 BR.242/Entr. Rui Barbosa Posto T3 BR.242/Entr. Ibiquera Posto T4 BR.242/Entr. Wagner Posto T5 BR.242/Entr. Lençóis Posto T6 BR.242/Entr. Souto Soares Posto T7 BR.242/Seabra Posto T8 BR.242/Entr. Boninal Posto T9 BR.242/Entr. Ibitiara Posto T10 BR.242/Entr. Oliveira dos Brejinhos

9 Resumo do VMD 2009 ESTUDOS DE TRÁFEGO 6 - Entr. Wagner – Entr. Lençóis Entr. Lençóis – Entr.Palmeiras – Entr. Ibiquera – Entr. Wagner SUBTRECHOS Autos Ônibus Caminhões Total 1 – Paraguaçu - Itaberaba – Entr. BA.130 (Boa Vista do Tupim) – Entr. Rui Barbosa – Itaberaba – Entr. BA.130 (Boa Vista do Tupim) – Entr. Rui Barbosa – Entr. Ibiquera 2.720

10 Resumo do VMD 2009 ESTUDOS DE TRÁFEGO 11 - Entr. Boninal – Entr. Ibitiara – Entr. Ibitiara – Entr. Brotas de Macaúbas Entr.Brotas de Macaúbas – Entr.Oliveira dos Brejinhos SUBTRECHOS Autos Ônibus Caminhões Total 8 - Entr. Palmeiras – Entr. Souto Soares Entr. Souto Soares - Seabra Seabra – Entr. Boninal

11 Resumo do Número N ESTUDOS DE TRÁFEGO 6 - Entr. Wagner – Entr. Lençóis 7,73E+05 8,86E+06 3,27E+06 3,75E Entr. Lençóis – Entr.Palmeiras 8,68E+05 9,95E+06 4,38E ,90E+06 2,50E+06 5 – Entr. Ibiquera – Entr. Wagner 8,29E+05 9,50E+06 6,02E+05 3,90E+07 SUBTRECHOS 1 – Paraguaçu - Itaberaba 6,15E+057,05E+06 2,55E+06 2,92E ,40E+05 7,34E+06 2,62E+06 3,00E+07 3 – Entr. BA.130 (Boa Vista do Tupim) – Entr. Rui Barbosa 5,71E+05 6,54E+06 2,64E+07 2,30E+06 3,40E+06 3,82E+06 – Itaberaba – Entr. BA.130 (Boa Vista do Tupim) – Entr. Rui Barbosa – Entr. Ibiquera 2,86E USACE Segmento AASHT Taxa de crescimento anual de tráfego: 3% ao ano Taxa de ocupação de carga: 73% dos veículos carregados e 27% descarregados.

12 Resumo do Número N ESTUDOS DE TRÁFEGO 13- Entr. Brotas de Macaúbas – Entr. Oliveira dos Brejinhos 6,06E+05 7,98E+06 2,94E+06 3,37E ,70E+06 2,88E – Entr. Ibitiara – Entr. Brotas de Macaúbas 6,58E+05 7,54E+06 6,72E+05 3,21E+07 SUBTRECHOS 8 – Entr. Palmeiras – Entr. Souto Soares 1.04E+061,19E+07 3,91E+06 4,48E ,06E+05 8,09E+06 2,70E+06 3,10E – Seabra – Entr. Boninal 6,45E+05 7,40E+06 3,07E+07 2,68E+06 2,80E+06 – Entr. Souto Soares - Seabra – Entr. Boninal – Entr. Ibitiara 3,30E+07 Segmento USACE AASHT Taxa de crescimento anual de tráfego: 3% ao ano Taxa de ocupação de carga: 73% dos veículos carregados e 27% descarregados.

13 PROJETO GEOMÉTRICO INTERSEÇÕES

14 PROJETO GEOMÉTRICO DAS INTERSEÇÕES Estão sendo analisados melhoramentos em 19 interseções ao longo do trecho da Rodovia BR – 242. Melhoramentos, em Fase de Análise CORTEATERRO Interseção para Argoim1.126,7439,98 Interseção para Itaberaba1.412,580,72 Interseção para Ibiquera405, ,19 Interseção para Andaraí1.583,8691,02 VOLUMES (m³) MELHORAMENTOS Interseção para Itaguaçu 1764,36280,46 Interseção para Itaguaçu 2690,8688,63 Interseção para Itaguaçu ,3622,81 Interseção para Itaguaçu ,9790,03

15 CORTEATERRO Interseção para Lajedinho959,89639,05 Interseção para Wagner1.280,17169,52 Interseção para Lençóis2.266,14147,36 Interseção para Palmeiras2.353, ,89 VOLUMES (m³) MELHORAMENTOS Interseção para Irecê1.991,3114,92 Interseção para Barra do Mendes1.423,250,35 Interseção para Brotas de Macaúbas1.211,54640,25 Interseção para Boninal677,4367,87 PROJETO GEOMÉTRICO DAS INTERSEÇÕES Melhoramentos, em Fase de Análise

16 CORTEATERRO Interseção para Ibitiara1.416,442,82 Interseção para Boa Vista do Tupim923,64365,84 Interseção para Oliveira dos Brejinhos1.828,603,31 VOLUMES (m³) MELHORAMENTOS PROJETO GEOMÉTRICO DAS INTERSEÇÕES Melhoramentos, em Fase de Análise

17 PROJETO DE DRENAGEM

18 ITEMCÓDIGODISCRIMINAÇÃOESP. SERVIÇOSUNID.QUANTIDADE 3.0 DRENAGEM * * * 3.1 Drenagem Superficial * * * S Meio-fio de concreto MFC 08 BCDNER-ES-290m 1.587, S Sarjeta triangular de concreto STC 02 BCDNER-ES-288.m 5.371, S Descida d'água tipo rap.canal retang. DAR 02 BCDNER-ES-291m 397, S Entrada d'água EDA 01 BCDNER-ES-291und 39, S Entrada d'água EDA 02 BCDNER-ES-291und 1, S Dissipador de energia DED 01 BCDNER-ES-287.und 19, S Dissipador de energia DES 01 PCDNER-ES-287und 10, S Dissipador de energia DES 02 PCDNER-ES-287.und 47, S Dissipador de energia DES 04 PCDNER-ES-287.und 12, S Valeta prot.de cortes c/revest.concr.VPC 03 BCDNER-ES-288.m 1.758, Drenagem Profunda *** S Boca de saída p/dreno longit. prof. BSD 01 BCDNER-ES-292m 64, S Caixa de ligação e passagem CLP 04 BCDNER-ES-287.und 80, S Dreno longit.prof. p/corte em solo DPS 07 BCDNER-ES-292m 8.142, S Dreno longit.prof. p/corte em rocha DPR 02 BCDNER-ES-292m 1.603, S Demolição de dispositivos de concreto simples--m3 534,98 Quantidades PROJETO DE DRENAGEM

19 PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

20 - Levantamento das condições estruturais do pavimento com Equipamento F.W.D. Falling Weight Deflectometer(DNER-PRO 273/96 e DNER ME 024/94) com medidas de 20 m em 20 m alternadamente, em relação ao eixo da pista compatibilizadas para as deflexões da Viga Benkelman de acordo com o Manual de Restauração de Pavimentos Asfálticos DNIT IPR Levantamento funcional com perfilômetro a laser (IRI) obedecendo Norma DNER PRO 182/94, onde foram realizadas medidas continuas em todo o trecho em ambas as faixas. - Avaliação Objetiva do pavimento de acordo com a norma DNIT 006/2003-PRO e DNIT PRO 007/ Poços de Sondagem com coleta de amostras deformadas para realização de Ensaios Geotécnicos ao longo do segmento, Jazidas, areais conforme instruções de apresentação de Projetos do Tipo Crema Estudos Geotécnicos PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

21

22 Determinação dos Segmentos homogêneos com base no Numero N, deflexões recuperáveis, IRI, tipo e Inventario da Superfície do pavimento (DNIT 06/2003- PRO) Dimensionamento dos reforços com base na metodologia preconizada pelo DNER-PRO 011/79, juntamente ao Catálogo de Soluções proposto na Instrução de Apresentação de Projeto CREMA – 2ª Etapa. Dimensionamento PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

23 Descritivo das Soluções de Restauração da Pista PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO F4(20%)+H4 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 20% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 4,00 cm, faixa C (DNIT). F4(20%)+H6 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 20% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 6,00 cm, faixa C (DNIT). F4(30%)+REP+Micro Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 30% da área + Reperfimalento com massa fina de C.A.U.Q. (e = 2 cm) + Microrrevestimento asfáltico. F4(5%)+H3 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 3,00 cm, faixa C (DNIT). F4(5%)+H4 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 4,00 cm, faixa C (DNIT). F4(5%)+H5 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 5,00 cm, faixa C (DNIT). F4(5%)+H6 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 6,00 cm, faixa C (DNIT). F4(5%)+H7 Fresagem de 4,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 7,00 cm, sendo 4,00 cm de Bindere 3,00 cm em C.A.U.Q. faixa C (DNIT). F5(20%)+H4 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 20% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 4,00 cm, faixa C (DNIT). F5(20%)+H5 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 20% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 5,00 cm, faixa C (DNIT).

24 PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO F5(20%)+H6 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 20% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 6,00 cm, faixa C (DNIT). F5(20%)+Micro Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 20% da área + Microrrevestimento asfáltico. F5(5%)+H3 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 3,00 cm, faixa C (DNIT). F5(5%)+H4 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 4,00 cm, faixa C (DNIT). F5(5%)+H5 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 5,00 cm, faixa C (DNIT). F5(5%)+H6 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 6,00 cm, faixa C (DNIT). F5(5%)+H7 Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + camada de C.A.U.Q. com espessura de 7,00 cm, sendo 4,00 cm de Bindere 3,00 cm em C.A.U.Q. faixa C (DNIT). F5(5%)+LG Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + Lama Grossa. F5(5%)+Micro Fresagem de 5,00 cm, com recomposição, em 5% da área + Microrrevestimento asfáltico. FR4+TSDpol+H5,5 Fresagem de 4,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, faixa C (DNIT) com 5,5 cm de espessura. FR4+TSDpol+H6,5 Fresagem de 4,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, faixa C (DNIT) com 6,5 cm de espessura. Descritivo das Soluções de Restauração da Pista

25 PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO FR4+TSDpol+H7,5 Fresagem de 4,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, com 7,5 cm de espessura, sendo 4,00 cm de Binder e 3,50 cm de C.A.U.Q. faixa C (DNIT). FR4+TSDpol+H8,5 Fresagem de 4,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, com 8,5 cm de espessura, sendo 5,00 cm de Binder e 3,50 cm de C.A.U.Q. faixa C (DNIT). FR5+TSDpol+H3,5 Fresagem de 5,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, faixa C (DNIT) com 3,5 cm de espessura. FR5+TSDpol+H5,5 Fresagem de 5,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, faixa C (DNIT) com 5,5 cm de espessura. FR5+TSDpol+H6,5 Fresagem de 5,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, faixa C (DNIT) com 6,5 cm de espessura. FR5+TSDpol+H7,5 Fresagem de 5,00 cm, sem reposição + TSD com polímeros + capa em C.A.U.Q, com 7,5 cm de espessura, sendo 4,00 cm de Binder e 3,50 cm de C.A.U.Q. faixa C (DNIT). REC10 Reconstrução através de reciclagem da base com adição de brita e= 15,00 cm + capa em C.A.U.Q, com 10,00 cm de espessura, sendo 5,00 cm de Binder e 5,00 cm de C.A.U.Q. faixa C (DNIT). RECtotal Reconstrução total, envolvedo a remoção integral do pavimento e execução de camada drenante de 20,00 cm, assente sobre o substrato rochoso. Acima desta camanda virá à sub-base em solo (ISC 20%) com e= 15,00 cm, sobre esta a base de brita graduada com 15,00 cm, e capa de C.A.U.Q. com 10,00 cm de espessura, sendo 5,00 cm de Binder e 5,00 cm de C.A.U.Q. faixa C (DNIT). RV+REC10 Reconstrução através da remoção do revestimento betuminoso com uma reciclagem da base com adição de brita e= 15,00 cm + capa em C.A.U.Q, com 10,00 cm de espessura, sendo 5,00 cm de Binder e 5,00 cm de C.A.U.Q. faixa C (DNIT). Descritivo das Soluções de Restauração da Pista

26 PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO Descritivo das Soluções de Restauração do Acostamento PMQ3 Revestimento em pré-misturado a quente com e= 3,00 cm. REC+PMQ5 Reconstrução com uma reciclagem da base com adição de brita e= 15,00 cm + capa de pré-misturado a quente com e= 5,00 cm. PMQ4 Revestimento em pré-misturado a quente com e= 4,00 cm. PMQ5 Revestimento em pré-misturado a quente com e= 5,00 cm. PMQ6 Revestimento em pré-misturado a quente com e= 6,00 cm. RECtotal+PMQ5 Reconstrução total, envolvedo a remoção integral do pavimento e execução de camada drenante de 20,00 cm, assente sobre o substrato rochoso. Acima desta camanda virá à sub-base em solo (ISC 20%) com e= 15,00 cm, sobre esta a base de brita graduada com 15,00 cm, e capa de pré-misturado a quente com e= 5,00 cm.

27 PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO SEG. Nº EST. INICIAL EST. FINAL EXT. (m) IRI Conceito IGG Conceito DEFLEXÕES N Soluções de Pista Catálogo Valor de He Soluções de Pista Adotadas Sol. de Acost. Adotadas FWDVIGA BENKELMAN DEFLEX. CARACT. DEFLEX. ADM ,26Regular116Ruim73,9384, ,92E+07F5(20%)+H98,589,00 FR5+TSDpol+H7, ,11Bom34Bom50,8869, ,92E+07F5(5%)+H55,265,00 F5(5%)+H ,94Bom83Ruim70,2582, ,92E+07F5(5%)+H88,168,00 FR5+TSDpol+H6, ,45Bom86Ruim51,8770, ,92E+07F5(5%)+H55,455,00 F5(5%)+H5PMQ ,18Bom55Regular46,8566, ,92E+07F5(5%)+H44,444,00 F5(5%)+H ,72Bom87Ruim95,19114, ,92E+07F5(5%)+H1413,8914,00 REC 10 REC+ PMQ ,12Bom73Regular50,1769, ,92E+07F5(5%)+H55,125,00 F5(5%)+H ,05Bom74Regular53,1471, ,92E+07F5(5%)+H65,686,00 F5(5%)+H6PMQ ,71Bom46Regular29,3046, ,92E+07F5(5%)+LG-1,63-2,00 F5(5%)+LG ,98Bom60Regular47,5066, ,92E+07F5(5%)+H54,585,00 F5(5%)+H ,90Bom50Regular46,0565, ,92E+07F5(5%)+H44,264,00 F5(5%)+H ,75Bom48Regular50,7569, ,92E+07F5(5%)+H55,245,00 F5(5%)+H ,21Bom119Ruim65,9079, ,92E+07F5(5%)+H87,618,00 FR5+TSDpol+H6, ,46Bom21Bom94,06111, ,92E+07F5(5%)+H1313,4813,00 REC 10 REC+ PMQ5 subtrecho: Entr. BR-116 / BA-120 (B) (p/ Paraguaçu) - Entr. BA-488(Itaberaba), – Definidos 27 segmentos homogêneos. subtrecho: Entr. BA-046 / BA-488(Itaberaba) - Entr. BA-850(p/ Lençóis), – Definidos 99 segmentos homogêneos. subtrecho: Entr. BA-850(p/Lençóis) - Entr. BA-156(B), – Definidos 43 segmentos homogêneos.

28 Seção do Pavimento Existente PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

29 Seção da Solução de Restauração PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

30 Soluções de Restauração - Pista PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO Soluções de Pista Adotadas Total (m)(%) F4(20%)+H41.640,000,41% F4(20%)+H62.180,000,55% F4(30%)+REP+Micro800,000,20% F4(5%)+H35.120,001,28% F4(5%)+H4680,000,17% F4(5%)+H ,106,26% F4(5%)+H69.240,002,31% F4(5%)+H74.860,001,22% F5(20%)+H44.280,001,07% F5(20%)+H ,003,90% F5(20%)+H ,003,77% F5(20%)+Micro16.980,004,25% F5(5%)+H39.860,002,47% F5(5%)+H ,0010,56% F5(5%)+H ,0011,56% F5(5%)+H ,006,33% F5(5%)+H77.840,001,96% F5(5%)+LG7.540,001,89% F5(5%)+Micro17.520,004,38%

31 Soluções de Restauração - Pista PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO Soluções de Pista Adotadas Total (m)(%) FR4+TSDpol+H5, ,005,38% FR4+TSDpol+H6,56.340,001,59% FR4+TSDpol+H7, ,005,39% FR4+TSDpol+H8,51.360,000,34% FR5+TSDpol+H3,54.320,001,08% FR5+TSDpol+H5, ,003,93% FR5+TSDpol+H6,58.780,002,20% FR5+TSDpol+H7, ,005,40% REC ,008,50% RECTOTAL680,000,17% RV+ REC ,001,52%

32 Soluções de Restauração - Acostamentos PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO Soluções de Acostamentos Adotadas Total (m)(%) PMQ ,0072,76% PMQ ,002,95% PMQ5900,000,11% PMQ67.380,000,92% PMQ7940,000,12% REC + PMQ ,001,28% REC + PMQ ,003,97% REC+ PMQ51.520,000,19% RECTOTAL680,000,09%

33 PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO Linear das Soluções de Restauração

34 PROJETO DE SINALIZAÇÃO

35 Resumo da Sinalização Vertical PROJETO DE SINALIZAÇÃO

36 PLACAS IMPLANTAR (Unid.) PLACAS REMANEJAR PLACAS REMOVER PLACAS SUBSTITUIR Trecho Segmento ,55 m² ,64 m² ,28 m² Sinalização Vertical QUANTIDADES PLACAS IMPLANTAR (m².) Trecho Segmento 02 Trecho Segmento Pintura de faixa de bordo e eixo Trecho Segmento ,02 m² Sinalização Horizontal QUANTIDADES Trecho Segmento 02 Trecho Segmento ,80 m² ,94 m²

37 Quantidades PROJETO DE SINALIZAÇÃO ITEMCÓDIGODISCRIMINAÇÃOESP. SERVIÇOSUNID.QUANTIDADE 4.0 SINALIZAÇÃO * * * 4.1 Sinalização Horizontal * * * S Pintura faixa c/termoplástico 3 anos (p/ aspersão)DNER-EM-372/00.m , S Forn. e colocação de tacha reflet. monodirecionalDNER-339.und900, S Forn. e colocação de tacha reflet. bidirecionalDNER-339.und , Sinalização Vertical * * * S Confecção suporte e travessa p/placa sinaliz.DNER-340.und487, S Forn. e implantação placa sinaliz. tot.refletivaDNER-340.m2497, S Defensa semi-maleável simples (forn./ impl.)DNER-144/ 85m4.076, S Ancoragem defensa semi-maleável simples (forn./ impl.)DNER-144/ 85m136,00

38 PROJETO DE OBRAS COMPLEMENTARES

39 PLACAS Pintura de faixa de bordo e eixo Sinalização Horizontal QUANTIDADES CERCAS IMPLANTAR DEFENSA IMPLANTAR RODOVIA QUANTIDADES (m) MELHORAMENTOS

40 COMPONENTE AMBIENTAL

41 Localização dos Agregados COMPONENTE AMBIENTAL Pedreira Calcário Rio Preto (Comercial) – Localização Km 361,74 da BR-242, Pedreira Serra Negra (Comercial) – Localização Km 428,82 da BR-242, Pedreira Corcovado Granitos (Comercial) – Localização Km 242,93 da BR-242, Areal Rio Capivari – Localizado Km 161,80 da BR-242, Areal Rio Paramirim – Localizado Km 511,32 da BR-242.

42 Passivo Ambiental COMPONENTE AMBIENTAL

43 Passivo Ambiental COMPONENTE AMBIENTAL

44 Lay Out do Canteiro e Local de Armazenamento do Material Fresado COMPONENTE AMBIENTAL Segmento 1 (Entr. BR 116/BA-120(B) p/ Paraguaçu – Entr. BA-488 (Itaberaba) Canteiro localizado no Km 131,68. Segmento 2 (Entr. BA-046 / BA – 488 (Itaberaba) – Entr. BA-850 (P/Lençóis) Canteiro localizado no Km 221,73. Segmento 3 ( Entr. BA-850 (P/Lençóis) – Entr. BA-156 (B) Canteiro localizado no Km 363,20. Áreas já utilizadas como canteiros.

45 Solução de destinação do Material Fresado COMPONENTE AMBIENTAL

46 CADASTRO OAE´S

47 Obras de Arte Especiais Seg -1 CADASTRO 0AE´S PONTES E VIADUTOS Segmento 1 NOME LOCALIZAÇÃOEXTENSÃOLARGURA Estaca inicialEstaca final(m) Ponte KM , ,759,7510,04 Ponte KM , ,507,5010,12 Ponte KM , ,4079,4010,10 Ponte KM , ,52 10,04 Ponte KM , ,5816,5810,04 Ponte KM , ,6015,6010,04 Ponte KM , ,60 10,05 Ponte KM , ,7151,7110,08 Ponte KM , ,50 5,509,96 Ponte KM , ,3620,369,94 Ponte KM , ,4230,429,96 Total = 21 OAEs

48 Obras de Arte Especiais Seg - 2 CADASTRO 0AE´S PONTES E VIADUTOS Segmento 2 NOME LOCALIZAÇÃOEXTENSÃOLARGURA Estaca inicialEstaca final(m) Ponte KM , ,446,4410,45 Viaduto KM , ,0436,049,95 Ponte KM , ,485,4810,45 Ponte KM , ,4420,4410,50 Ponte KM , ,329,509,32 Ponte KM , ,4524,459,98 Ponte KM , ,7770,7710,61 Total = 7 OAEs

49 Obras de Arte Especiais Seg - 3 CADASTRO 0AE´S PONTES E VIADUTOS Segmento 3 NOME LOCALIZAÇÃOEXTENSÃOLARGURA Estaca inicialEstaca final(m) Ponte KM , ,2587,258,45 Ponte KM , ,3765,378,24 Ponte KM , ,9069,908,32 Ponte KM , ,0030,008,23 Ponte KM , ,0045,000,00 Ponte KM , ,5010,509,62 Ponte KM , ,606,6010,00 Ponte KM , ,55 10,02 Ponte KM , ,3520,3510,00 Ponte KM , ,1236,1210,00 Ponte KM , ,24124,2410,05 Total = 11 OAEs

50 ORÇAMENTO

51 Quadro Resumo ORÇAMENTO QUADRO RESUMO DO ORÇAMENTO ITEMDISCRIMINAÇÃO%VALORES (R$) 1.0MANUTENÇÃO5,91% ,30 2.0RESTAURAÇÃO58,13% ,27 3.0DRENAGEM0,96% ,88 4.0SINALIZAÇÃO4,69% ,80 5.0SERVIÇOS DE MELHORAMENTOS2,46% ,29 6.0INTERVENCOES DE RECUPERACÃO AMBIENTAL4,16% ,22 7.0ACESSOS0,35% ,52 8.0OBRAS D´ARTES ESPECIAIS0,72% ,65 9.0SERRA PAI INÁCIO0,42% , FORNECIMENTO DE MATERIAIS BETUMINOSOS18,51% , TRANSPORTE DE MATERIAIS BETUMINOSOS2,33% , CANTEIRO E MOBILIZAÇÃO1,35% ,19 TOTAL DA PROPOSTA100,00% ,66 RODOVIA:BR-242/BARESUMO DO ORÇAMENTO ENTR. BA-120(A)/493 (CASTRO ALVES) - ENTR.BA-156(B)DATA BASE março-10 Extensão do trecho 398,82 Km Valor por Km de pista R$ ,01

52


Carregar ppt "PROJETOS BÁSICO E EXECUTIVO DE ENGENHARIA PARA RESTAURAÇÃO DE RODOVIA (C.R.E.M.A. - 2ª ETAPA) Rodovia: BR 242/BA Trecho: Entr. BR-420(A) (São Roque do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google