A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Março de 2010 Panorama do Setor de Software e Serviços de TI do Paraná Relatório Final Apoio: Realização:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Março de 2010 Panorama do Setor de Software e Serviços de TI do Paraná Relatório Final Apoio: Realização:"— Transcrição da apresentação:

1 1 Março de 2010 Panorama do Setor de Software e Serviços de TI do Paraná Relatório Final Apoio: Realização:

2 2 Sumário 1 Introdução 04 Parte I - Caracterização das Empresas de Software no Brasil, Sul, Paraná e Pólos de Acordo com Estatísticas Oficiais 09 2 O Volume de Empresas no Setor no Brasil e Sua Evolução – O Volume de Empresas no Setor no Sul O Volume de Empresas no Setor no Paraná A Evolução dos Dados do Setor nas nos pólos de Curitiba, Campos Gerais, Oeste, Londrina, Sudoeste e Maringá A Relação do Desempenho das nos pólos Selecionadas com o Estado do Paraná A Participação do Subsetor do Software nos pólos de Curitiba, Campos Gerais, Oeste, Londrina, Sudoeste e Maringá Dados Gerais Agrupados Para os Diversos Indicadores no Brasil, Sul e Paraná 58 9 Considerações Finais da Primeira Etapa – Principais Dinâmicas Encontradas no Mercado 73 Parte II - Análise das Características e Desempenho das Empresas dos APLs de Software no Paraná Características das Empresas Perfil dos Sócios na Empresa Atuação no Mercado 114

3 3 Sumário 13 Resultados Financeiros Ferramentas de Gestão e Postura Associativa A Percepção do Grau de Concorrência do Segmento Avaliação da Atuação do Sebrae no Segmento de TI Considerações Finais Sobre a Evolução das Empresas dos APLs 179 Parte III - Censo com as Empresas do Paraná e sua Comparação com o Desempenho das Empresas do APL As Empresas do Segmento de TI no Paraná 184 Anexo I – Contribuições dos Empresários 212 Anexo II – Demandas Adicionais 218

4 Introdução O Estudo do Setor do Software no Paraná e o Panorama Proporcionado pelos Dados Secundários 1

5 5 Introdução Em 2008 o Sebrae realizou um estudo para investigar o panorama do setor de software no estado, que contemplou a análise de dados do setor como um todo, de forma comparativa com a região Sul e o Brasil, além de uma pesquisa específica com os participantes dos APLs do Software no estado. Ao reeditar este estudo no biênio de , o Sebrae incluiu um novo capítulo, que é a análise das demais empresas que compõe o segmento do Software no Paraná, procurando cadastrar e entender o maior número de empresas possível, para futuros trabalhos da instituição. A pesquisa com os participantes dos APLs e o tratamento de dados secundários foram mantidos, de forma a dar um aspecto de continuidade e comparabilidade ao estudo Nas páginas a seguir são apresentados os dados obtidos neste ano e as análises decorrentes deste cenário.

6 6 A Divisão do Estudo O estudo está dividido em três partes distintas, cada qual aplicando uma metodologia distinta. Parte I: análise dos dados de empresas do setor através do banco de dados da RAIS Na primeira parte é realizada uma análise de dados do setor no Brasil, Sul, Paraná e Pólos do Software no Paraná. Esta análise tem com fonte a Relação Anual das Informações Sociais fornecida pelo Ministério do Trabalho dos anos de 2007 e o foco principal é detectar as evoluções do segmento, usando números oficiais. Optou-se pela utilização dos estabelecimentos* que possuíam pelo menos um funcionário em dezembro de * Embora a RAIS utilize o termo estabelecimento no presente relatório utiliza-se o termo empresa, com o intuito de facilitar a leitura das informações.

7 7 A Divisão do Estudo Parte II: análise do desempenho das empresas dos APLs de Software no Paraná Os participantes dos APLs de Curitiba, Campos Gerais, Sudoeste, Oeste, Maringá e Londrina. Foi desenvolvido um questionário eletrônico, hospedado em site da Diferencial, e os participantes dos APLs receberam um link para acessar o questionário e preencher as informações. Além disto, a equipe de entrevistadores da Diferencial fez vários contatos com as empresas para incentivar a participação. Dos 235 participantes dos APLs, 165 responderam pelo menos um questionário reduzido, o que representa uma amostra de 4,2% de margem de erro e 95% de confiança. O questionário completo foi respondido por 113 empresas.

8 8 A Divisão do Estudo Parte III: Censo com as Empresas do Paraná Através de entrevistas diretas e sua comparação com o desempenho das empresas do APL Para complementar o estudo, a Diferencial fez um esforço de identificar o maior número possível de empresas do segmento de TI no Paraná. Para isto, foram utilizadas listas de participantes de cursos do Sebrae, listas adquiridas no mercado, lista da ASSESPRO, indicações, busca na internet, lista telefônica, anúncios de emprego para profissionais do setor entre outros esforços. Uma vez identificadas, foi aplicado um rápido questionário de caracterização destas empresas, através de entrevistas por telefone. O banco de dados final desta pesquisa possui 843 empresas cadastradas e caracterizadas, sendo que 165 são pertencentes aos APLs de Software no Paraná.

9 Volume de Empresas, Funcionários, Porte Médio, Mão de Obra Qualificada e Salário Médio Parte I Caracterização das Empresas de Software no Brasil, Sul, Paraná e Pólos de Acordo com Estatísticas Oficiais

10 O Volume de Empresas no Setor no Brasil e Sua Evolução – 2008 Considerando Empresas com Um Funcionário ou Mais 2

11 11 O Volume de Empresas no Setor no Brasil Fonte RAIS Para RAIS, são considerados funcionários aqueles que têm registro na Carteira de Trabalho. Setor de TISubsetor de Software 15 mil empresas 265 mil funcionários registrados 4 mil empresas 77 mil funcionários registrados 27% 29% 31% 98 mil funcionários com nível superior (37%) 36 mil funcionários com nível superior (47%) 38% Participação do Subsetor R$ 632 milhões de salários mensais pagos R$ 197 milhões de salários mensais pagos

12 12 O Volume de Empresas no Setor no Brasil *Fonte RAIS 2007 e Setor de TI – 2008* Setor de TI * % Evolução Subsetor de Software – 2008* Subsetor de Software – 2007* % Evolução empresas % empresas % funcionários registrados % funcionários registrados % R$ 632 milhões de salários mensais pagos R$ 509 milhões 24% R$ 197 milhões de salários mensais pagos R$ 143 milhões 38% funcionários com nível superior % funcionários com nível superior % Porte das empresas de 17,6 funcionários 16,8 5% Porte das empresas de 19,2 funcionários 18,8 2% O setor de TI evolui lentamente, com o aparente crescimento da empresas, com maior escolarização e renda, mas com especial destaque para o subsetor do Software que puxa este movimento vigoroso e positivo

13 13 Micro 36,7 % Média 4,9 % Pequena 57,5% Grande 0,8 % Desenvolvimento e Produção empresas 24 % Distribuição e Comercialização empresas 52 % A Estimativa da ABES Retirado de Mercado Brasileiro de Software - Panorama e Tendências Empresas Prestação de Serviços empresas 23 %

14 14 O Volume de Empresas no Setor no Brasil *Fonte RAIS Rendimento é a massa dos salários expressa em R$.

15 15 O Volume de Empresas no Setor no Brasil Número de Empresas por Porte* Grande – 100 ou mais funcionários Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Setor de TI Grande – 100 ou mais funcionários Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Subsetor de Software *Com base na classificação de porte do Sebrae. 2,3% 2,4% 95,3% 3,1% 3,5% 93,4%

16 16 O Volume de Empresas no Setor no Brasil Média de Funcionários por Segmento

17 17 O Volume de Empresas no Setor no Brasil Percentual de Funcionários com Nível Superior

18 18 O Volume de Empresas no Setor no Brasil Média de Salários Pagos por Segmento

19 19 O Volume de Empresas no Setor no Brasil As Características do Subsetor do Software O subsetor do Software é um destaque dentro da área de TI Cresce mais Gera mais empregos por CNPJ aberto Paga melhores salários, gera maior renda Atrai mão de obra mais qualificada

20 O Volume de Empresas no Setor no Sul Considerando Empresas com Um Funcionário ou Mais 3

21 21 Volume de Empresas no Sul Dados Agrupados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul 3,4 mil empresas 40,7 mil funcionários registrados R$ 70,2 milhões de salários mensais pagos 930 empresas 12,2 mil funcionários registrados R$ 25,7 milhões de salários mensais pagos 28% 30% 37% Setor de TISubsetor de Software 11,2 mil funcionários com nível superior (28%) 4,7 mil funcionários com nível superior (39%) 42% Participação do Subsetor

22 22 Volume de Empresas no Sul Dados Agrupados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul Setor de TI – 2008 Setor de TI % Evolução Subsetor de Software – 2008 Subsetor de Software – 2007 % Evolução empresas % 930 empresas780 19% funcionários registrados % funcionários registrados % R$ 70,2 milhões de salários mensais pagos R$ 53,6 milhões 31% R$ 25,7 milhões de salários mensais pagos R$ 17,6 milhões 46% funcionários com nível superior % funcionários com nível superior % Porte das empresas de 11,9 funcionários 11,2 6% Porte das empresas de 13,1 funcionários 12,8 2% O fenômeno nacional se repete no Sul onde o subsetor de software também evoluiu de uma forma mais expressiva que o setor de TI.

23 23 Volume de Empresas no Sul Dados Agrupados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

24 24 51 Grande – 100 ou mais funcionários O Volume de Empresas no Setor no Sul Número de Empresas por Porte Grande – 100 ou mais funcionários Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Setor de TI Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Subsetor de Software ,5% 1,6% 96,9% 2,4% 3,4% 94,2%

25 25 O Sul e o Brasil – Tamanho Médio das Empresas Dados Agrupados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul 17,6 Funcionários por Empresa 19,2 Funcionários por Empresa 13,1 Funcionários por Empresa -32% Setor de TI Subsetor de Software Brasil Sul 11,9 Funcionários por Empresa -32% ,8 11,2 - 33% ,8 12,8 - 32%

26 26 O Sul e o Brasil – Salário Médio Dados Agrupados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul R$ R$ R$ % Setor de TI Subsetor de Software Brasil Sul R$ % 2007 R$ % R$ R$ % R$ 1.765

27 27 O Sul e o Brasil – Percentual de Funcionários com Nível Superior Dados Agrupados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul 37% 47% 39% -9%* Setor de TISubsetor de Software Brasil Sul 28% -8% % - 10% 26% % - 9% 38% O sul se aproximou um pouco mais em 2008 do Brasil, no que diz respeito ao percentual de funcionários com nível superior no setor de TI. *Diferenças em pontos percentuais absolutos.

28 O Volume de Empresas no Setor no Paraná Considerando Empresas com Um Funcionário ou Mais 4

29 29 Volume de Empresas no Paraná ,2 mil empresas 12 mil funcionários registrados R$ 20,3 milhões de salários mensais pagos 274 empresas 2,8 mil funcionários registrados R$ 5,1 milhões de salários mensais pagos 23% 25% Setor de TI Subsetor de Software 3,9 mil funcionários com nível superior (33%) 1,2 mil funcionários com nível superior (45%) 31%

30 30 Volume de Empresas no Paraná Setor de TI – 2008 Setor de TI % Evolução Subsetor de Software – 2008 Subsetor de Software – 2007 % Evolução empresas % 274 empresas235 17% funcionários registrados % funcionários registrados % R$ 20,3 milhões de salários mensais pagos R$ 15 milhões 35% R$ 5,1 milhões de salários mensais pagos R$ 3,3 milhões 54% funcionários com nível superior % funcionários com nível superior % Porte das empresas de 10,1 funcionários 8,8 15% Porte das empresas de 10,3 funcionários 9,6 7% No Paraná o número de empresas do setor de TI estagnou de 2007 para 2008, no entanto, o porte das empresas continuou a crescer, mais do que o subsetor de software que continua expandindo o número de empresas.

31 31 Volume de Empresas no Paraná

32 32 14 O Volume de Empresas no Setor no Paraná Número de Empresas por Porte Grande – 100 ou mais funcionários Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Setor de TI Grande – 100 ou mais funcionários Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Subsetor de Software ,2% 1,3% 97,5% 1,5% 2,2% 96,4%

33 33 O Paraná e o Sul – Tamanho Médio das Empresas 11,9 Funcionários por Empresa 13,1 Funcionários por Empresa 10,3 Funcionários por Empresa -15% Setor de TI Subsetor de Software Sul Paraná 10,1 Funcionários por Empresa -21% ,2 8,8 - 21% ,8 9,6 - 25% Com a queda significativa dos percentuais nota-se um crescimento da média de funcionários por empresa no Paraná em 2008, o que o aproxima ainda mais com as médias do Sul, tanto para o setor de TI quando para o subsetor de software.

34 34 O Paraná e o Sul – Salário Médio R$ R$ R$ % Setor de TI Subsetor de Software Sul Paraná R$ % 2007 R$ % R$ R$ % R$ 1.453

35 35 O Paraná e o Sul – Percentual de Funcionários com Nível Superior 28% 39% 45% +5% Setor de TI Subsetor de Software Sul Paraná 33% +6% % + 4% 30% % + 3% 41% O percentual de funcionários com nível superior do Paraná em relação ao Sul se elevou, tanto para o setor de TI, quanto para o subsetor de software. Com isto, para o subsetor de software a média do Paraná aumentou ainda mais a diferença com relação ao Sul.

36 36 Evolução das Empresas no Paraná – 2007 a % Evolução Empresas do Setor de TI % Empresas do Subsetor de Software % Funcionários do Setor de TI % Funcionários do Subsetor de Software % % Funcionários com Nível Superior do Setor de TI. 30%33%3% % Funcionários com Nível Superior do Subsetor de Software 41%45%4% Tamanho Médio das Empresas do Setor de TI. 8,810,115% Tamanho Médio das Empresas do Subsetor de Software 9,610,37%

37 37 Grande – 100 ou mais funcionários O Volume de Empresas no Brasil, Sul e Paraná Número de Empresas por Porte – Setor de TI Média – 50 a 99 funcionários Micro ou pequena – 1 a 49 funcionários Brasil Sul Paraná %* 23%* 27%** 30%** 36%** *Participação do Sul no total de empresas do país ** Participação do Paraná no total de empresas do Sul *** Participação do Paraná no total de empresas do Brasil 0,4%*** 0,8%***

38 38 O Volume de Empresas no Brasil, Sul e Paraná Percentual de Empresas por Porte – Setor de TI BrasilSulParaná Total de Empresas % de empresas grandes (100 ou mais funcionários) 2,4%1,5%1,2% % de empresas médias (50 a 99 funcionários) 2,4%1,6%1,3% % de empresas micro e pequenas (1 a 49 funcionários) 95,2%96,9% 97,5%

39 39 O Volume de Empresas no Brasil, Sul e Paraná Número de Empresas por Porte – Subsetor de Software Grande – 100 ou mais funcionários Média – 50 a 99 funcionários Micro ou Pequena – 1 a 49 funcionários Brasil Sul Paraná % 23% 18% 19% 30% *Participação do Sul no total de empresas do país ** Participação do Paraná no total de empresas do Sul *** Participação do Paraná no total de empresas do Brasil 0,3%*** 0,4%*** 0,7%***

40 40 O Volume de Empresas no Brasil, Sul e Paraná Percentual de Empresas por Porte – Subsetor de Software BrasilSulParaná Total de Empresas % de empresas grandes (100 ou mais funcionários) 3,1%2,4%1,5% % de empresas médias (50 a 99 funcionários) 3,5%3,4%2,2% % de empresas micro e pequenas (1 a 49 funcionários) 93,4%94,2% 96,4%

41 A Evolução dos Dados do Setor nos Pólos de Curitiba, Campos Gerais, Oeste, Londrina, Sudoeste e Maringá Considerando Empresas com Um Funcionário ou Mais 5

42 42 As Regiões Pólos Analisados*: o agrupamento dos municípios para análise foi realizado a partir da abrangência dos APLs do setor dentro do estado do Paraná – Curitiba – Curitiba, Pinhais, São José dos Pinhais, Mandirituba, Colombo e Paranaguá. 2 – Campos Gerais – Ponta Grossa, Castro e Irati 3 – Londrina – Londrina, Apucarana, Arapongas, Cambé, Cornélio Procópio, Ibiporâ, Jandaia do Sul, Primeiro de Maio, Rolândia e Sabáudia. 4 – Maringá – Maringá, Campo Mourão, Paranavaí, Sarandi e Umuarama. 5 – Oeste– Cascavel, Capitão Leônidas Marques, Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Missal e Toledo. 6 – Sudoeste – Pato Branco, Francisco Beltrão e Dois Vizinhos. * Nomenclatura atribuída pelos próprios APLs.

43 43 Volume de Empresas nos Pólos Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Empresas do Setor de TI Empresas do Setor de TI % de Evolução 1% 0% 1%3%1% 22% 2% Empresas do Subsetor de Software Empresas do Subsetor de Software % de Evolução 12% 0% 29% 42% 15%12%16%

44 44 Número de Funcionários nos Pólos Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Funcionários do Setor de TI Funcionários do Setor de TI % de Evolução 17% -10% 8%6% 25% 9%16% Funcionários do Subsetor de Software Funcionários do Subsetor de Software % de Evolução 30% 13%11% 8% 23%16%25%

45 45 Tamanho Médio das Empresas nos Pólos Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Média de Funcionários por Empresas do Setor de TI ,94,2 5,57,16,78,610,5 Média de Funcionários por Empresas do Setor de TI ,04,75,16,95,49,79,2 % de Evolução 16%-10%7%3% 23%-11% 14% Média de Funcionários por Empresa do Subsetor de Software ,6 5,4 2,7 8,77,58,910,4 Média de Funcionários por Empresa do Subsetor de Software ,74,83,111,47,08,69,7 % de Evolução 17% 13%-14% -24% 7%4%8%

46 46 Número de Funcionários com Ensino Superior nos Pólos Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoesteTotal dos Pólos Funcionários com Nível Superior do Setor de TI Funcionários com Nível Superior do Setor de TI % de Evolução 27% -21%34% 10%39%-5%26% Funcionários com Nível Superior do Subsetor de Software Funcionários com Nível Superior do Subsetor de Software % de Evolução 48%-13% 44%5%28% -13% 38%

47 47 Massa Salarial nos Pólos Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Massa salarial do setor de TI. – 2008 R$ 16 milhões R$ 112 mil R$ 562 mil R$ 873 mil R$ 1,2 milhões R$ 302 mil R$ 19 milhões Massa salarial do setor de TI R$ 12,6 milhões R$ 134 mil R$ 486 mil R$ 711 mil R$ 914 mil R$ 229 mil R$ 15 milhões % de Evolução 27% -16% 16%23%31% 32% -27% Massa salarial do subsetor de software – 2008 R$ 3,8 milhões R$ 36 mil R$ 90 mil R$ 332 mil R$ 335 mil R$ 179 mil R$ 4,7 milhões Massa salarial do subsetor de software – 2007 R$ 2,5 milhões R$ 30 mil R$ 75 mil R$ 270 mil R$ 249 mil R$ 131 mil R$ 3,2 milhões % de Evolução 52%20% 23%34%37%47%

48 48 Salário Médio nos Pólos Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Salário médio por funcionários do setor de TI. – 2008 R$ 2.115R$ 802R$ 968R$ 1.078R$ 1.031R$ 1.061R$ Salário médio por funcionários do setor de TI R$ 1.951R$ 861R$ 906R$ 932R$ 926R$ 874R$ % de Evolução 8%-7%7%16%11%21%9% Salário médio por funcionário do subsetor de software – 2008 R$ 2.121R$ 1.332R$ 1.233R$ 1.413R$ 1.171R$ 1.058R$ Salário médio por funcionário do subsetor de software – 2007 R$ 1.797R$ 1.250R$ 1.142R$ 1.242R$ 1.073R$ 898R$ % de Evolução 18%7%8%14%9%18%

49 A Relação do Desempenho das Cidades Selecionadas com o Estado do Paraná Considerando Empresas com Um Funcionário ou Mais 6

50 50 Os Pólos e o Paraná – Tamanho Médio das Empresas Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Média de Funcionários por Empresas do Setor de TI. 13,94,25,57,16,78,610,5 Relação com Paraná 38%-58% -46%-30%-34%-15%4% Média de Funcionários por Empresa do Subsetor de Software 13,65,42,78,77,58,910,4 Relação com Paraná 32% -47% -74% -16%-27%-14%1%

51 51 Os Pólos e o Paraná - Salário Médio Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Média de Salário por Funcionário do setor de TI R$ R$ 802R$ 968 R$ R$ 1.031R$ 1.061R$ Relação com o Paraná 25%-53% -43%-37%-39%-38%6% Média de Salário por Funcionário do Subsetor de Software R$ R$ 1.332R$ R$ R$ 1.171R$ 1.058R$ Relação com Paraná 17% -26%-32%-22%-35% -42% 2%

52 52 Os Pólos e o Paraná – % de Funcionários com Nível Superior Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos % de Funcionários com Nível Superior do Setor de TI. 37%21%29%28%35%22%35% Relação com o Paraná 4%-12% -4%-5%2% -11% 2% % de Funcionários com Nível Superior do Subsetor de Software 49%26%36%44%47%17%45% Relação com o Paraná 4% -19%-9%-1%2% -28% 0%

53 A Participação do Subsetor do Software nos Pólos de Curitiba, Campos Gerais, Oeste, Londrina, Sudoeste e Maringá Considerando Empresas com Um Funcionário ou Mais 7

54 54 O Subsetor do Software nos Polos – 2008 Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Empresas do Setor de TI Empresas do Subsetor de Software % de Empresas do Subsetor de Software 25% 15% 25%24%21% 58% 25%

55 55 O Subsetor do Software nos Pólos – 2008 Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Funcionários do Setor de TI Funcionários do Subsetor de Software % de Funcionários do Subsetor de Software 24%19% 13% 29%23% 59% 25%

56 56 O Subsetor do Software nos Pólos – 2008 Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Funcionários com Nível Superior do Setor de TI Funcionários com Nível Superior do Subsetor de Software % de Funcionários com Nível Superior do Subsetor de Software 32%23% 15%46% 31% 45% 32%

57 57 O Subsetor do Software nos Pólos – 2008 Curitiba Campos Gerais OesteMaringáLondrinaSudoeste Total dos Pólos Massa Salarial Setor de TI. R$ 16 milhões R$ 112 mil R$ 562 mil R$ 873 mil R$ 1,2 milhões R$ 302 mil R$ 19 milhões Massa Salarial do Subsetor de Software R$ 3,8 milhões R$ 36 mil R$ 90 mil R$ 332 mil R$ 335 mil R$ 179 mil R$ 4,7 milhões % da Massa Salarial no Subsetor de Software 24%32% 16% 38%28% 59% 25%

58 Dados Gerais Agrupados para os Diversos Indicadores no Brasil, Sul e Paraná 8

59 59 Conclusões Neste capítulo final, são apresentados alguns dados que resumem várias informações apresentadas no decorrer do relatório, assim como é apresentada a posição do Paraná diante o sul do país e do Brasil como um todo neste setor.

60 60 Evolução por Porte das Empresas – Área de TI

61 61 Evolução por Porte das Empresas – Subsetor de Software

62 62 BrasilSulParaná Crescimento do número de empresas 4%3%1% Crescimento do número de funcionários registrados 10%12% 16% Crescimento do número de funcionários com nível superior 13%18% 26% % de funcionários com nível superior 37% 28%33% Crescimento da massa salarial 24%31% 35% Salário médio R$ R$ 1.725R$ Crescimento do salário médio 13%17% 18% Porte médio das empresas 17,6 11,910,1 Quadro de Resumo – Área de TI Setor de TI

63 63 BrasilSulParaná Micro e pequenas empresas R$ R$ 1.293R$ Médias empresas R$ R$ 2.208R$ Grandes empresa R$ R$ 2.097R$ BrasilSulParaná Micro e pequenas empresas 11%10% 14% Médias empresas 19%30% 43% Grandes empresa 7% -1%-5% Quadro de Resumo – Área de TI Setor de TI – Salário Médio por Porte Setor de TI – Crescimento do Salário Médio por Porte

64 64 BrasilSulParaná Crescimento das empresas 18% 19% 17% Crescimento do número de funcionários registrados 20% 22%26% Crescimento do número de funcionários com nível superior 20%24% 30% % de funcionários com nível superior 47% 39%45% Crescimento da massa salarial 38%46% 54% Salário médio R$ R$ 2.097R$ Crescimento do salário médio 15%19% 24% Porte médio das empresas 19,2 13,110,3 Quadro de Resumo – Subsetor do Software Subsetor de Software

65 65 Quadro de Resumo – Subsetor do Software BrasilSulParaná Micro e pequenas empresas R$ R$ 1.568R$ Médias empresas R$ R$ 2.181R$ Grandes empresa R$ R$ R$ BrasilSulParaná Micro e pequenas empresas 6%5% 12% Médias empresas 17%24% 87% Grandes empresa 8% -8%1% Subsetor de Software – Crescimento do Salário Médio por Porte Subsetor de Software – Salário Médio por Porte

66 66 A Participação do Subsetor do Software Dados Empresas Empregos 27% 29% 31% Mão de Obra com Nível Superior 38% Brasil 2008 Massa Salarial 27% 30% 37% 42% Região Sul % 25% 31% Paraná 2008

67 67 A Relação do Paraná com o Sul e Brasil -32% Menor Porte Médio das Empresas - 15% - 32% -21% (subsetor software)

68 68 A Relação do Paraná com o Sul e Brasil -28% Menor Salário Médio -2% -18% -14% (subsetor software)

69 69 A Relação do Paraná com o Sul e Brasil -9% Menor Proporção de Funcionários com Nível Superior, mas Superior ao Sul +1% -8% +6% (subsetor software)

70 70 A Relação do Paraná com o Sul e Brasil Região Salário MédioPorte Médio Mão de obra com Nível Superior TISSTISSTISS Brasil ,619,237%47% Sul ,913,128%39% Paraná ,110,333%45% Pólo Curitiba ,013,637%45% Pólos* ,510,435%45% * Inclusive Curitiba.

71 71 O Salário Médio em Algumas Regiões do País EstadosSalário Médio 2008 TI Salário Médio 2008 Subsetor do Software Rio de Janeiro São Paulo Santa Catarina Minas Gerais Paraná Pernambuco Rio Grande do Sul

72 72 O Salário Médio em Algumas Capitais do País EstadosSalário Médio 2008 TI Salário Médio 2008 Subsetor do Software Florianópolis Rio de Janeiro São Paulo Joinville Belo Horizonte Curitiba Porto Alegre Recife

73 Considerações Finais da Primeira Etapa – Principais Dinâmicas Encontradas no Mercado 9

74 74 Os Principais Movimentos do Mercado No Brasil, o setor de TI e Software como um todo apresentou um positivo crescimento de nos vários indicadores: volume de empresas, porte médio, salário médio, percentual de mão de obra qualificada. Este crescimento é moderado no setor de TI como um todo, mas vigoroso no subsetor do Software. De uma maneira geral, o Sul e o Paraná especificamente acompanham o movimento nacional, mas ainda mantendo uma distância proporcionalmente idêntica à apresentada no ano anterior nos diversos indicadores. Ou seja, o setor de TI no Brasil apresenta um desempenho mais virtuoso do que o setor no Sul, que por sua vez, em sua média, supera o Paraná nos mesmos indicadores. Tanto no Brasil como no Sul, Paraná e Pólos, a tônica é a presença de pequenas e micro empresas, com menos de 50 funcionários, perfazendo algo como 95% do total de empresas com um funcionário ou mais. No Sul e particularmente no Paraná, o volume de médias e grandes empresas é ligeiramente menor.

75 75 Os Principais Movimentos do Mercado Pólos Salário MédioPorte Médio Mão de obra com Nível Superior TISSTISSTISS Curitiba ,913,637 %45 % Campos Gerais ,2 5,4 21 % 26 % Oeste ,5 2,7 29 %36 % Maringá ,18,728 % 44 % Londrina ,77,5 35 %47 % Sudoeste ,68,9 22 %17 % Pólos ,510,435 %45%

76 76 Os Principais Movimentos do Mercado EvoluçõesCWBCGOESTEMARLONSUDOESTE PÓLO S Setor de TI Empresas1% - 3%1% 22% 2% Funcionários17% -10% 8%6% 25% 9%16% Porte médio16% -10% 7%3% 23%-11% 14% Salário médio8% -7% 7%16%11% 21% 9% MDO nível superior27% -21%34% 10%39%-5%26% Subsetor do Software Empresas12% -29% 42% 15%12%16% Funcionários 30% 13%11%8%23%16%25% Porte médio 17% 13% -14%-24% 7%4%8% Salário médio 18% 7%8%14%9% 18% MDO nível superior 48%-13%44% 5%28% -13%

77 77 Os Principais Movimentos do Mercado Área Geográfica Brasil Fenômeno O setor de TI evolui lentamente, com o aparente crescimento da empresas, com maior escolarização e renda, mas com especial destaque para o subsetor do Software que puxa este movimento vigoroso e positivo O subsetor do software apresenta a mesma participação em termos de empresas e empregos que a média nacional, mas gera proporcionalmente mais massa salarial e reúne proporcionalmente mais mão de obra qualificada. O setor de TI também apresenta evolução discreta em termos de número de empresas e emprego, com uma expressiva evolução da massa salarial, acima da média nacional. E assim como no mercado nacional, o dinamismo do subsetor do software é visível, pois apresenta evolução superior em todos os indicadores. Com relação à média nacional, ainda existe um gap entre salários e porte de empresas, mas pode estar havendo redução deste gap no subsetor do software Sul

78 78 Os Principais Movimentos do Mercado Área Geográfica Fenômeno O setor de TI no Paraná não apresentou evolução em número de empresas, mas superou o Sul e o Brasil em crescimento do número de funcionários e da massa salarial, reduzindo um pouco o gap que existia com relação ao sul e mercado nacional nestes indicadores. Já no subsetor do software houve crescimento em todos os indicadores, sendo que especificamente a massa salarial e o crescimento da mão-de-obra qualificada apresentam taxas mais robustas que no Sul e no Brasil. Estas taxas de evolução podem ser mais robustas porque no estado do Paraná as empresas ainda são menores, pagam um pouco menos, embora a mão de obra seja proporcionalmente mais qualificada do que no Sul como um todo, no setor de TI e particularmente no subsetor do software. De qualquer forma, a configuração média das empresas do Paraná aos poucos aproxima-se das configurações existentes no Sul e no Brasil como um todo. Paraná

79 79 Os Principais Movimentos do Mercado Pólo Fenômeno Trata-se do principal pólo do software do Paraná, com indicadores muito superiores aos demais pólos, denotando viver outra realidade. Neste sentido, é necessário compará-lo ao mercado do Sul e Brasil. Dentro dos diversos indicadores, Curitiba destaca-se do Sul do País, mas aproxima-se do cenário nacional apenas em termos de mão de obra com nível superior. É um pólo equilibrado em termos de desempenho e dinâmica do setor de TI e do subsetor do Software, mas no último ano os dados apontam que o subsetor do Software está vivendo um movimento virtuoso, em termos de elevação de empresas, funcionários, porte médio, mão de obra com nível superior e salário médio, afastando- se ainda mais dos demais pólos. Curitiba

80 80 Os Principais Movimentos do Mercado Pólo Fenômeno Baixa participação do subsetor do Software no setor de TI como um todo, o que faz com que muitos indicadores das empresas desta região apresentem desempenho inferior: salário médio, porte médio, percentual de mão de obra com nível superior. Além disto, o setor de TI como um todo mostra que vem passando por um movimento de redução no porte das empresas e estes cortes estão atingindo a mão de obra de nível superior e os maiores salários. Ainda assim, especificamente o subsetor do Software resiste a este movimento de encolhimento, tendo perdido apenas em participação da mão de obra de nível superior. Campos Gerais

81 81 Os Principais Movimentos do Mercado Pólo Fenômeno Neste pólo, embora haja uma participação relativa média no número de empresas do subsetor do Software, estas empresas apresentam menor porte, fazendo com que apenas 13% de todos os profissionais alocados estejam no subsetor do Software, percentual bastante afastado da média dos pólos e do Paraná. É o único segmento onde o porte médio das empresas do subsetor do Software é menor que a média geral das empresas do setor de TI. E este movimento tende a intensificar à medida que o porte médio das empresas do subsetor do Software está caindo. Nota-se ainda um virtuoso movimento de acolhimento da mão de obra de nível superior, tanto do setor de TI como um todo como no subsetor do Software. Oeste

82 82 Os Principais Movimentos do Mercado Pólo Fenômeno Em Maringá ocorreu um fenômeno interessante: a abertura de empresas do subsetor de software foi maior que a contratação, gerando como conseqüência a redução do tamanho das empresas. Neste sentido, aparentemente há criação de novos empreendimentos, que iniciarão sua escalada para crescer e evoluir no mercado. O subsetor do software em Maringá apresenta um bom desempenho dentro do segmento de TI, sendo proporcionalmente menos importante apenas que o subsetor do pólo Sudoeste. Destaque ainda para a bom percentual de mão de obra com nível superior no subsetor do Software. Maringá

83 83 Os Principais Movimentos do Mercado Pólo Fenômeno Em Londrina o crescimento do segmento de TI em volume de empresas foi de apenas 1%, mas o subsetor do software apresentou crescimento vigoroso. A contratação de mão de obra evoluiu e o porte médio das empresas de TI e do subsetor do software elevou-se, com destaque para o segmento como um todo. Eleva-se também a mão de obra de nível superior e o salário médio, mas com especial destaque para a área de TI como um todo. Ou seja, a exceto pelo volume de empresas, o segmento de TI como um todo evoluiu mais que o subsetor do software. Londrina

84 84 Os Principais Movimentos do Mercado Pólo Fenômeno Há concentração desproporcional das empresas no subsetor do Software, o que faz com que os indicadores das empresas de TI e subsetor do Software aproximem-se bastante, fenômeno só observado nesta região. Quase 60% dos funcionários do setor de TI estão alocados no subsetor do Software. Tanto a área de TI como o subsetor do software apresentaram evolução no volume de empresas, mas apenas no subsetor houve elevação do tamanho médio das empresas. É também neste pólo onde existe a menor utilização de mão de obra com nível superior, o que pode apontar a utilização de mão de obra de nível técnico, disponível na região, o que pode se converter em vantagem competitiva. Sudoeste

85 Características das Empresas, Avaliação do Ambiente Competitivo, Dinâmica de Mercado Parte II Análise das Características e Desempenho das Empresas dos APLs de Software no Paraná

86 Características das Empresas Principal Segmento de Atuação, Cidades Onde Estão Localizadas, Tempo de Atuação no Mercado, Número de Funcionários e Estrutura de Capital 10

87 87 Características das Empresas A partir deste capítulo são apresentadas as informações referentes aos respondentes da pesquisa com os APLs. Foram 165 respondentes, mas apenas 113 responderam através do site, ou seja, forneceram todas as informações previstas. A diferença se deve a 52 empresas que responderam um questionário reduzido por telefone, que continha as informações principais, como faturamento, tipo de atividade, funcionários, estimativa de crescimento entre outros. Portanto, a base de informações algumas vezes será de 165 respondentes e outras vezes de 113.

88 88 Características das Empresas Pólos* Onde Estão Localizadas as Empresas que Responderam a Pesquisa Completa * A nomenclatura utilizada é a atribuída pelos próprios APLs. Quantidade de Empresas por Pólo Base: 113 Base: 165

89 89 Características das Empresas Pólos Onde Estão Localizadas as Empresas Quantidade de Empresas por Pólo Base: 134 Base: 165

90 90 Características das Empresas Quantidade de Empresas Localizadas nas Cidades Base: 165 Curitiba – 35 Cascavel – 18 Ponta Grossa – 9 Pato Branco – 13 Londrina – 20 Maringá – 31 Continua...

91 91 Características das Empresas Quantidade de Empresas Localizadas nas Cidades Foz do Iguaçu – 5 Mal. Cândido Rondon – 6 Medianeira – 3 Francisco Beltrão – 7 Base: 165 Dois Vizinhos – 5 Continua Continuação Apucarana – 4

92 92 Características das Empresas Quantidade de Empresas Localizadas nas Cidades Arapongas – 2 Base: 165 Toledo – 3 Campo Mourão – 1... Continuação Jandaia do Sul – 1 Cornélio Procópio – 2

93 93 Características das Empresas Principal Segmento de Atuação da Empresa Base: 134 Base: 165

94 94 Ano de Fundação da Empresa Base: 165 Características das Empresas Idade Média das Empresas 11 anos A empresa mais velha possui 36 anos de existência Mediana: 11 anos Média Interna*: 10 anos A empresa mais nova possui 2 anos de existência * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos

95 95 Ano de Fundação da Empresa Características das Empresas Idade Média das Empresas – por Pólo Base: 9-35

96 96 Total de Pessoas que Trabalham na Empresa Características das Empresas Base: 150* Base: 109* Média 26 pessoas Média 26 pessoas Média 25 pessoas Média 25 pessoas Mediana 1513 Média interna** 1710 * Total de entrevistados que informaram a quantidade de pessoas que trabalham na empresa. ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos Além de registrar um crescimento médio de 4%, o porte das empresas que participam dos APLs é superior ao das empresas oficialmente registradas 4%

97 97 Total de Pessoas que Trabalham na Empresa Características das Empresas Média de Funcionários nas Empresas – por Pólo Base: 9-34

98 98 Previsão de Funcionários em 2010 Características das Empresas Base: 108* Média 32 funcionários Média 32 funcionários Mediana: 18 funcionários Média Interna**: 23 funcionários *Considerando as empresas que informaram sua previsão de funcionários para o ano de ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. Número representa uma evolução no porte médio das empresas, como acontece entre 2008 e Qual sua Previsão do Número de Pessoas que Trabalharão na Empresa em 2010?

99 99 Evolução no Número de Funcionários das Empresas – por Pólo Características das Empresas Pólos Número de Funcionários em 2009 Previsão de Funcionários em 2010 Taxa de Evolução Oeste % Curitiba % Londrina % Maringá % Sudoeste % Campos Gerais %

100 Sócios da Empresa Características das Empresas Média de 3 sócios ou proprietários Distribuição dos Sócios ou Proprietários Atuantes no Negócio Média de 3 sócios ou proprietários Base: 134 Base: 113

101 101 Características das Empresas Grau de Instrução das Pessoas Ocupadas na Empresa Base: 4164 pessoas que trabalham em 109 empresas * Considerando as empresas que informaram o grau de instrução de todos os seus funcionários. Crescimento da mão de obra com nível superior, em parte anulado pela queda de mão de obra com pós-graduação Base: 2556 pessoas que trabalham em 108 empresas*

102 102 Características das Empresas Estrutura da Empresa Base: 165 A Sua Empresa Possui Apenas Uma Unidade ou Faz Parte de Uma Organização Com Mais de Uma Unidade? 2 unidades – 6 citações 3 unidades – (2) 4 unidades – (2) 15 unidades – (1) A sua Unidade é Matriz ou Filial? Quantas Unidades sua Empresa Possui? Matriz – 9 citações

103 103 Características das Empresas Estrutura da Empresa Além da Sua Cidade, em Quais Outras Cidades Existem Unidades? Cascavel Curitiba/PR – 3 citações São Paulo/SP – 1 Londrina/PR – 1 São José/SC – 1 Campo Grande/MT - 1 Cafelândia/PR - 1 Porto Alegre/RS - 1 Curitiba/PR – 3 citações São Paulo/SP – 1 Londrina/PR – 1 São José/SC – 1 Campo Grande/MT - 1 Cafelândia/PR - 1 Porto Alegre/RS - 1 Curitiba São Paulo/SP – 2 citações Brasília/DF - 1 São Paulo/SP – 2 citações Brasília/DF - 1 Base: 3* Base: 2* * Total de entrevistados que possuem a empresa na respectiva cidade. Localização da Empresa Localização das filiais

104 104 Características das Empresas Estrutura da Empresa Além da Sua Cidade, em Quais Outras Cidades Existem Unidades? Dois Vizinhos Cascavel/PR– 1 citação Lucas do Rio Verde/MT - 1 Cascavel/PR– 1 citação Lucas do Rio Verde/MT - 1 Base: 1* Maringá Curitiba/PR – 1 citação Pitanga/PR – 1 São Paulo/SP – 1 Lucélia/SP – 1 Sarandi/PR – 1 Rio de Janeiro/RJ – 1 Cuiabá/MT – 1 Imperatriz/MA – 1 Cacoal/RO - 1 Curitiba/PR – 1 citação Pitanga/PR – 1 São Paulo/SP – 1 Lucélia/SP – 1 Sarandi/PR – 1 Rio de Janeiro/RJ – 1 Cuiabá/MT – 1 Imperatriz/MA – 1 Cacoal/RO - 1 Base: 2* * Total de entrevistados que possuem a empresa na respectiva cidade. Localização da Empresa Localização das filiais

105 105 Características das Empresas Estrutura da Empresa Qual a Estrutura de Capital da Empresa? Qual a Forma de Controle da Empresa? Em 2008 Capital aberto: 2% Capital fechado: 98% Em 2008 Familiar: 46% Grupo nacional: 51% Grupo estrangeiro: 3% Base: 113

106 Perfil dos Sócios da Empresa Idade, Gênero, Escolaridade e Área de Atuação na Empresa 11

107 107 Idade dos Proprietários ou Sócios Perfil dos Sócios da Empresa Base: 283* Média 38 anos Média 38 anos Mediana: 38 anos Média Interna**: 39 anos *Total de sócios que tiveram sua idade informada. ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. O sócio mais novo tem 19 anos O sócio mais velho tem 63 anos

108 108 Idade dos Proprietários ou Sócios Perfil dos Sócios da Empresa Base: 12-73* *Total de sócios que tiveram sua idade informada. Idade Média dos Proprietários ou Sócios – por Pólo

109 109 Perfil dos Sócios da Empresa Gênero dos Proprietários ou Sócios *Total de sócios que tiveram seu gênero informado. Base: 283*

110 110 Perfil dos Sócios da Empresa Função Desempenhada Pelos Proprietários ou Sócios Base: 283* *Total de sócios que tiveram a função desempenhada informada. Os sócios cuidam pouco da área comercial ou marketing, dedicando-se aos processos técnicos e da gestão interna. Se for considerado o percentual que se dedica a administração de vendas, cerca de 20% dos sócios de todas as empresas se dedicam a alguma atividade relacionada à geração de novos negócios.

111 111 Perfil dos Sócios da Empresa Função Desempenhada pelos Proprietários ou Sócios – Destaque por Segmentos Técnica 43% dos proprietários ou sócios desempenham a função Técnica na empresa Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 47% 43% dos proprietários ou sócios desempenham a função Técnica na empresa Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 47% Investidor 5% dos proprietários ou sócios desempenham a função de Investidor na empresa Entre as empresas mais novas – 9% 5% dos proprietários ou sócios desempenham a função de Investidor na empresa Entre as empresas mais novas – 9%

112 112 Perfil dos Sócios da Empresa Atividades Desenvolvidas nas Áreas Técnica e Administrativa Base: 97* Base: 95* Atividades Desenvolvidas na Área Administrativa Atividades Desenvolvidas na Área Técnica * Total de sócios que desenvolvem atividade na área.

113 113 Perfil dos Sócios da Empresa Escolaridade dos Proprietários ou Sócios Quais as áreas onde foram realizadas as Especializações, Mestrados e Doutorados? Base: 116* Base: 277* *Total de sócios que tiveram sua escolaridade e área de atuação, quando foi o caso, informados.

114 Atuação no Mercado Atuação no Mercado Externo, Fontes de Receita, Origem da Receita, Segmentos Atendidos, Serviços Prestados 12

115 115 Atuação da Empresa no Mercado Externo Base: 134 Atuação no Mercado A Empresa Exporta Atualmente? Base: 165 Ano 2008 Ano 2009 E.U.A – 7 Paraguai – 3 Espanha - 2 Para quais países? Paraguai – 4 E.U.A. – 5 Canadá – 2 Inglaterra – 2 Para quais países?

116 116 Atuação da Empresa no Mercado Externo Atuação no Mercado Percentual de Empresas que Exportam Atualmente - Por Segmentos Segmento de Atuação Porte da Empresa Tempo de Existência Faturamento Base: 31-82

117 117 Atuação da Empresa no Mercado Externo Atuação no Mercado Sua Empresa Exporta Atualmente? Tem Interesse em Exportar? Base: 134 Base: 113 Base: 121* Base: 109* Ano 2008 Ano 2009 * Total de entrevistados que não exportam atualmente. Elevação no interesse de exportar

118 118 Segmento de Atuação Porte da Empresa Tempo de Existência Faturamento Base: Atuação no Mercado Atuação da Empresa no Mercado Externo Percentual de Empresas que Têm Interesse em Exportar - Por Segmentos

119 119 Atuação no Mercado Atuação da Empresa no Mercado Externo Base: 34* Motivos Para Não Ter Interesse em Exportar * Total de entrevistados que não exportam atualmente e não tem interesse em exportar.

120 120 Atuação no Mercado Origem do Faturamento das Empresas Percentual de Receita da Empresa Oriundo de Determinadas Regiões Geográficas Base: 134Base: 113

121 121 Atuação no Mercado Origem do Faturamento das Empresas – Por Segmentos Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento Pólo Base: 7-82 Percentual de Receita Oriunda do Paraná

122 122 Atuação no Mercado Segmentos de Atuação das Empresas De Quais Segmentos São os Principais Clientes*? * Resposta múltipla, percentual superior a 100% Base: 134Base: 113

123 123 Atuação no Mercado Destaque dos Segmentos de Atuação das Empresas Serviços 61% dos clientes das empresas são do segmento Serviços Entre as empresas de Curitiba – 71% Entre as empresas mais novas – 70% Entre as empresas de porte maior– 70% Entre as empresas de menor faturamento – 68% Entre as empresas que atuam nas demais atividades de TI – 68% 61% dos clientes das empresas são do segmento Serviços Entre as empresas de Curitiba – 71% Entre as empresas mais novas – 70% Entre as empresas de porte maior– 70% Entre as empresas de menor faturamento – 68% Entre as empresas que atuam nas demais atividades de TI – 68% Comércio 53% dos clientes das empresas são do segmento Comércio Entre as empresas de menor faturamento – 58% 53% dos clientes das empresas são do segmento Comércio Entre as empresas de menor faturamento – 58% Indústria 46% dos clientes das empresas são do segmento Comércio Entre as empresas que atuam nas demais atividades de TI – 52% Entre as empresas mais antigas – 52% Entre as empresas de maior faturamento – 49% 46% dos clientes das empresas são do segmento Comércio Entre as empresas que atuam nas demais atividades de TI – 52% Entre as empresas mais antigas – 52% Entre as empresas de maior faturamento – 49% Agronegócios 22% dos clientes das empresas são do segmento Agronegócios Entre as empresas que atuam nas demais atividades de TI – 35% Entre as empresas mais antigas – 25% Entre as empresas de porte maior – 25% Entre as empresas de maior faturamento – 22% 22% dos clientes das empresas são do segmento Agronegócios Entre as empresas que atuam nas demais atividades de TI – 35% Entre as empresas mais antigas – 25% Entre as empresas de porte maior – 25% Entre as empresas de maior faturamento – 22%

124 124 Atuação no Mercado Setores da Indústria Com Maior Concentração de Clientes Base: 52* * Total de entrevistados que informaram que seus principais clientes são da Indústria.

125 125 Atuação no Mercado Atividades que Geram Receita Para as Empresas Percentual Médio da Receita Gerada Por Cada Atividade * Telecomunicações, câmeras de segurança, outsourcing e treinamento, comercialização de equipamento 2% 5% 8% 1% Crescimento das atividades de software em detrimento de serviços de informática Base: 134 Base: 113

126 126 Atuação no Mercado Atividades que Geram Receita Para as Empresas Percentual Médio da Receita Gerada Por Serviço de Software de Alto Valor Agregado Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento Pólo Base: 7-82

127 127 Atuação no Mercado Atividades que Geram Receita Para as Empresas Percentual Médio da Receita Gerada Por Serviços de Informática Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento Pólo Base: 7-82

128 128 Atuação no Mercado Aplicativos Desenvolvidos Pela Empresa * Total de entrevistados que informaram algum percentual de receita no serviço de software de alto ou baixo valor agregado ou desenvolvimento e comercialização de software. 45% Base: 165 Base: 117*

129 129 Atuação no Mercado Aplicativos Desenvolvidos Pela Empresa – Destaques dos Segmentos Gestão Integrada de Processos Organizacionais 71% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Gestão Integrada de Processos Organizacionais Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 60% 71% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Gestão Integrada de Processos Organizacionais Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 60% Administração de Serviços 31% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Administração de Serviços Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 33% 31% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Administração de Serviços Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 33%

130 130 Atuação no Mercado Aplicativos Desenvolvidos Pela Empresa – Destaques dos Segmentos Automação Comercial 30% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Automação Comercial Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 33% 30% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Automação Comercial Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 33% Contabilidade 21% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Contabilidade Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 20% 21% das empresas desenvolve como principal aplicativo a Contabilidade Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 20%

131 Atuação no Mercado Serviços Desenvolvidos Pela Empresa Base: 165 Base: 117* * Total de entrevistados que informaram algum percentual de receita no serviço de software de alto ou baixo valor agregado ou desenvolvimento e comercialização de software.

132 132 Atuação no Mercado Serviços Desenvolvidos Pela Empresa – Destaques dos Segmentos Desenvolvimento, Implantação e Manutenção de Sistemas 82% das empresas tem como serviço o Desenvolvimento, Implantação e Manutenção de Sistemas Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 79% 82% das empresas tem como serviço o Desenvolvimento, Implantação e Manutenção de Sistemas Entre as empresas que atuam no subsetor de software – 79%

133 Resultados Financeiros Faturamento Anual, Perspectivas de Crescimento ou Queda no Faturamento e seus Motivos 13

134 134 Faturamento Anual Resultados Financeiros Base: 97** Base: 100** Média R$ 1,47 mi Média R$ 1,47 mi Média R$ 1,10 mi Média R$ 1,10 mi Mediana R$ 0,6 miR$ 0,4 mi Média interna* R$ 0,5 mi * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. ** Total de entrevistados que informaram o faturamento anual. 34%

135 135 Faturamento Anual Resultados Financeiros Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Média de Faturamento (Milhões) - Por Segmentos

136 Faturamento Anual Resultados Financeiros Base: 6-23* * Total de entrevistados que informaram o faturamento anual. A base de Ponta é de 6 empresas, portanto os números devem ser analisados com cuidado Média de Faturamento (Milhões) - Por Pólo Base: 6-22* 19% 73% 13% 8% 17% 29%

137 137 Evolução do Faturamento Médio Anual das Empresas Resultados Financeiros Em Relação ao Faturamento de 2008, o Senhor diria que em 2009 sua Empresa Registrou: Base: 164* Percentual Médio de Crescimento: 35% Percentual Médio de Queda: 29% * Considerando empresas que informaram a sua expectativa quanto a evolução do Faturamento anual.

138 138 Evolução do Faturamento Médio Anual das Empresas Resultados Financeiros Em Relação ao Faturamento de 2009, o Senhor diria que em 2010 sua Empresa Registrará: Base: 113 Percentual Médio de Crescimento: 33% Percentual Médio de Queda: 23%

139 139 Resultados Financeiros Evolução do Faturamento Médio Anual das Empresas Total Segmento de Atua ç ão Tempo de Existência PorteFaturamento Subsetor de software Demais atividades de TI Mais antigas Mais Novas MenoresMaioresMenorMaior Crescimento94%93%97%95%92%93%95%98%96% Estagna ç ão5%6%3% 8%7%3% 4% Queda1% -2%--3%--

140 140 Resultados Financeiros Evolução do Faturamento Médio Anual das Empresas Motivos Para a Expectativa de Crescimento Base: 106* * Total de entrevistados que acreditam que seu faturamento irá crescer.

141 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento, Iniciativas no Campo da Propriedade Intelectual, Utilização de Financiamentos Oficiais, Certificações de Qualidade, Diferenciais da Empresa e da Região Onde Está Instalada, Participação de Associações e Entidades de Classe 14

142 142 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Principais Diferenciais da Empresa em Relação aos Concorrentes Base: 113 Quais Fatores Você Considera que Sejam Diferenciais da sua Empresa com Relação aos Concorrentes?

143 143 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Vantagens e Desvantagens que a Região Oferece Neste ponto, os entrevistados apontaram quais fatores se configuram como uma vantagem ou desvantagem na região onde ele está inserido. Foram propostos os seguintes elementos, e o entrevistado deveria apontar se ele considerava que isto se configurava em uma vantagem ou desvantagem da região. Programas governamentais de incentivo e fomento dirigidos à região Presença de Universidades e centros de pesquisa Presença de entidades setoriais dotadas de representatividade e capacidade de liderança Disponibilidade de serviços técnicos na região Custo de uso da infraestrutura Propensão à cooperação das empresas do setor Disponibilidade de fornecedores e equipamentos na região Proximidade ou distância dos clientes da empresa Oferta de mão de obra qualificada na região Custo da mão de obra na região Infraestrutura física e de serviços disponíveis

144 144 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Vantagens e Desvantagens que a Região Oferece Base: 113

145 145 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno A Empresa Investiu em P&D ou em Desenvolvimento Interno nos Anos de 2008 e 2009? Base: 113

146 146 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno Percentual de Empresas que Investiram em P&D ou em Desenvolvimento Interno nos Anos de 2008 e 2009 – Por Segmento Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento

147 147 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Iniciativas no Campo da Propriedade Intelectual A Empresa Possui Alguma Iniciativa no Campo da Propriedade Intelectual? Base: 113 Quais Tipos de Iniciativa? Base: 44* * Total de entrevistados que informaram possuir alguma iniciativa no Campo da Propriedade Intelectual.

148 148 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno Percentual de Empresas que Possuem Alguma Iniciativa no Campo da Propriedade Intelectual– Por Segmento Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento

149 149 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Iniciativas no Campo da Propriedade Intelectual Empresas que Possui % Base Total Empresas que não informaram a quantidade Média Pedidos de patentes depositados 1110%5526,1 Softwares efetivamente registrados 2219%4532,4 Pedidos de registro do software 1715%2131,5 Patentes efetivamente aprovadas 98%1211,5 Licenciamentos de tecnologia registrados 44%522,5

150 150 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Utilização de Fontes de Financiamento Oficiais Utiliza ou Já Utilizou Fontes de Financiamento Oficiais? Base: 113 De Qual Fonte Recebeu Financiamento? Fonte Valor Total Quantidade de empresas que informaram o valor financiado Valor Médio Financiado por Empresa FINEP milhões mil CNPQ 755 mil6126 mil BNDES 100 mil1 CODEL 48 mil1 Aproximadamente 4,6 milhões

151 151 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno Percentual de Empresas que Já Obtiveram Financiamento de Fontes Oficiais Ligadas ao Setor – Por Segmento Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento

152 152 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Certificações de Qualidade Base: 113

153 153 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Gerenciamento de Projetos de Desenvolvimento de Software Sua Empresa Possui Gerência Específica para Projetos de Desenvolvimento de Software? Base: 113 Os Gerentes Possuem Certificação PMP? Base: 51* ITIL (1 citação) MBA (1 citação) * Total de entrevistados que possuem gerência específica para projetos de desenvolvimento de software.

154 154 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno Percentual de Empresas que Possuem Gerência Específica para Projetos de Desenvolvimento de Software– Por Segmento Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento

155 155 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Desenvolvimento de Parcerias Base: 134 A Empresa Faz Parcerias? Base: 113 Ano 2008 Ano 2009

156 156 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno Percentual de Empresas que Fazem Parcerias – Por Segmento Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento

157 Desenvolvimento de Parcerias Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Quais Tipos de Parceria a Empresa Realiza? * Total de entrevistados que informaram possuir alguma tipo de parceria. Base: 107*Base: 74*

158 158 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Participação em Associações e Entidades de Classe Base: 134 A Empresa Participa de Alguma Associação ou Entidade de Classe? Base: 165 Ano 2008 Ano 2009

159 159 Participação em Associações e Entidades de Classe Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Entidades de Classe e Associações que a Empresa faz Parte Base: 165 Qual região? Maringá (24%) Cascavel (19%) Ponta Grossa (10%) Pato Branco (9%)

160 160 Participação em Associações e Entidades de Classe Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Quais Entidades de Classe ou Sindicatos Que Colaboradores Estão Vinculados? Base: 64* * Total de entrevistados que informaram possuir a empresa associada a alguma entidade de classe ou sindicato. Os Colaboradores Estão Vinculados a Algum Sindicato? Base: 113

161 161 Relacionamento com o Sebrae Ferramentas de Gestão e Postura Associativa A Sua Empresa Possui Algum Termo de Adesão ou Acordo Formal Firmado Com o APL da Sua Região? Base: 113

162 162 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Investimentos em P&D e Desenvolvimento Interno Percentual de Empresas que Possuem Algum Termo de Adesão ou Acordo Formal Firmado Com o APL da Sua Região – Por Segmento Base: Tempo de existência Segmento de atuação Porte Faturamento

163 A Percepção do Grau de Concorrência do Segmento Aplicação do Modelo de Porter para Detectar a Avaliação que os Empresários Fazem da Concorrência no Setor 15

164 164 Grau de Concorrência do Mercado Grau de Concorrência do Segmento Para avaliar a percepção dos empresários com relação ao grau de competitividade da concorrência no setor foi utilizado o modelo de Análise da Concorrência de Porter, no qual foram apresentados 5 pares de frases opostas que abordavam algumas características do mercado considerando as Cinco Forças de Porter: Cenário de Maior Concorrência Cenário de Menor Concorrência A avaliação foi feita utilizando a escala abaixo, considerando que quanto mais próximo o número estiver do cenário apresentado, maior será o grau de concordância do entrevistado com o mesmo. Possibilidade de Entrada de Novas Empresas Rivalidade Entre as Empresas Concorrentes Produtos Substitutos Poder de Negociação dos Clientes Poder de Negociação dos Fornecedores Possibilidade de Entrada de Novas Empresas Rivalidade Entre as Empresas Concorrentes Produtos Substitutos Poder de Negociação dos Clientes Poder de Negociação dos Fornecedores

165 165 Grau de Concorrência do Mercado - Cenários Grau de Concorrência do Segmento No mercado que a empresa atua é muito fácil um novo competidor entrar e elevar o grau de competição, já que não existem barreiras tecnológicas significativas, nem necessidades de muito capital financeiro ou conhecimento técnico específico. Além disto, os concorrentes atuais não reagem agressivamente à entrada de novas empresas. No mercado que a empresa atua é muito difícil um novo competidor entrar, pois são necessários aportes financeiros significativos, conhecimento específico ou acesso à tecnologia restrita, além do que as atuais empresas tendem a retaliar a entrada de um novo participante, de forma que neste sentido o grau de concorrência tende a permanecer estável No mercado onde a empresa atua a rivalidade entre os competidores é muito grande, pois existem muitas empresas que atuam basicamente no mesmo nicho e competem basicamente pelos mesmos clientes, ou seja, o crescimento de uma empresa depende em grande medida de conquistar fatias de mercado das rivais. No mercado que a empresa atua a rivalidade entre as empresas é baixa, pois são poucas empresas com atuação bastante segmentada, existem muitos clientes e o mercado é crescente de forma que há espaço para todos crescerem sem precisar conquistar mercado das demais empresas Possibilidade de Entrada de Novas Empresas Rivalidade Entre as Empresas Concorrentes

166 166 Grau de Concorrência do Mercado - Cenários Grau de Concorrência do Segmento No mercado onde a empresa atua os produtos são facilmente intercambiáveis, podendo haver mudança de um para outro sem grandes problemas de adaptação. Além disto, outros produtos de fora do setor podem ser utilizados em substituição aos produtos já existentes. No mercado que a empresa atua os produtos são bastante específicos e os clientes têm dificuldade de trocar de fornecedor. Além disto, produtos de fora do setor não cumprem as mesmas funções não podendo substituir os já existentes Produtos Substitutos Poder de Negociação dos Clientes Os clientes da empresa são grandes e poderosos, possuem grande importância na receita total da empresa e neste sentido possuem grande poder de barganha, negociando preços e prazos em condições favoráveis. Os clientes da empresa são numerosos ou então a compra individual de cada um não interfere de maneira significativa na receita da empresa de forma que eles não possuem grande poder de barganha, aceitando de forma geral os preços e prazos praticados pela empresa

167 167 Grau de Concorrência do Mercado - Cenários Grau de Concorrência do Segmento Os fornecedores da empresa são em geral maiores que ela e existem poucas alternativas para se obter os insumos necessários ao desenvolvimento da atividade, de forma que eles negociam seus preços e prazos em condições favoráveis a eles. Os fornecedores da empresa são em geral menores que a empresa, e os insumos que eles oferecem não afetam significativamente o produto da empresa, de forma que os mesmos não possuem grande poder de negociação nem interferem sobremaneira nos custos e na rentabilidade da empresa Poder de Negociação dos Fornecedores

168 168 Grau de Concorrência do Mercado Grau de Concorrência do Segmento Base: 113 É muito difícil um competidor entrar no mercado A rivalidade entre as empresas é pequena Os clientes da empresa são numerosos, a compra individual de cada um não interfere na receita da empresa Os fornecedores em geral são menores do que a própria empresa Os produtos são bastante específicos, difíceis de serem trocados

169 169 Grau de Concorrência do Mercado Grau de Concorrência do Segmento Base: 113 É muito difícil um competidor entrar no mercado A rivalidade entre as empresas é pequena Os clientes da empresa são numerosos, a compra individual de cada um não interfere na receita da empresa Os fornecedores em geral são menores do que a própria empresa Os produtos são bastante específicos, difíceis de serem trocados

170 170 Grau de Concorrência do Mercado Grau de Concorrência do Segmento Maiores Drivers de Elevação da Concorrência Rivalidade entre as empresas (54%) Poder de compra dos clientes (49%) Dificuldade de substituição de produtos (58%) Dificuldade de um competidor entrar no mercado (44%) Maiores Drivers de Redução da Concorrência

171 171 Grau de Concorrência do Mercado – COMÉRCIO* Grau de Concorrência do Segmento Base: 60 É muito difícil um competidor entrar no mercado A rivalidade entre as empresas é pequena Os clientes da empresa são numerosos, a compra individual de cada um não interfere na receita da empresa Os fornecedores em geral são menores do que a própria empresa Os produtos são bastante específicos, difíceis de serem trocados * Considerando os entrevistados que apontaram que os seus principais clientes estão neste setor.

172 172 Grau de Concorrência do Mercado – INDÚSTRIA* Grau de Concorrência do Segmento Base: 52 É muito difícil um competidor entrar no mercado A rivalidade entre as empresas é pequena Os clientes da empresa são numerosos, a compra individual de cada um não interfere na receita da empresa Os fornecedores em geral são menores do que a própria empresa Os produtos são bastante específicos, difíceis de serem trocados * Considerando os entrevistados que apontaram que os seus principais clientes estão neste setor.

173 173 Grau de Concorrência do Mercado – SERVIÇOS* Grau de Concorrência do Segmento Base: 69 É muito difícil um competidor entrar no mercado A rivalidade entre as empresas é pequena Os clientes da empresa são numerosos, a compra individual de cada um não interfere na receita da empresa Os fornecedores em geral são menores do que a própria empresa Os produtos são bastante específicos, difíceis de serem trocados * Considerando os entrevistados que apontaram que os seus principais clientes estão neste setor.

174 174 Grau de Concorrência do Mercado – Resumo Grau de Concorrência do Segmento Facilidade de entrada de novos competidores Elevada rivalidade entre os concorrentes Elevado poder de negociação dos compradores Elevado poder de negociação dos fornecedores Facilidade de substituir o produto ComércioIndústriaServiços Base: 60Base: 52 Base: 69

175 Avaliação da Atuação do Sebrae no Segmento de TI Satisfação com Diversos Indicadores 16

176 176 Satisfação com Diversos Indicadores Atuação do Sebrae Base: * Gostaria que o Senhor Avaliasse a Imagem e Atuação do Sebrae Dentro do Projeto e Também Pelo que o Senhor já Ouviu Falar, Em Cada uma Destas Dimensões: * Total de entrevistados que avaliaram os itens. Média dos Indicadores 8,5

177 177 Relacionamento com o Sebrae Ferramentas de Gestão e Postura Associativa *Total de entrevistados que avaliaram os atributos. ** Apesar do tamanho da base, foi mantida para possibilitar análise comparativa. P ó lo OesteMaring á CuritibaLondrinaSudoeste Campos Gerais Qualidade no atendimento ao cliente8,68,58,49,18,4 Liderança de mercado8,68,48,58,68,08,7 Preços competitivos, bons preços8,28,38,79,57,98,7 Eficácia dos conteúdos oferecidos8,38,58,18,38,08,9 Qualidade nas relações interpessoais8,98,88,99,38,49,4 Oferta de produtos7,67,47,67,9 7,5 Credibilidade9,3 9,09,18,99,3 Qualidade de suporte técnico8,48,17,98,58,68,0 Comunicação8,68,48,08,68,98,2 M é dia8,58,4 8,78,38,6 Base* **

178 178 Relacionamento com o Sebrae Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Base: 60-70*Base: 33-39* * Total de entrevistados que avaliaram o atributo. Menores empresasMaiores empresas Qualidade no atendimento ao cliente Liderança de mercado Preços competitivos, bons preços Eficácia dos conteúdos oferecidos Qualidade nas relações interpessoais Oferta de produtos Credibilidade Qualidade de suporte técnico Comunicação

179 Considerações Finais Sobre a Evolução das Empresas dos APLs Principais Idéias Trazidas por esta Etapa do Estudo 17

180 180 Evolução das Empresas dos APLs O perfil das empresas dos APLs mostra uma sensível diferença entre as empresas de Curitiba e os demais pólos em termos de porte, tempo de atuação no mercado e experiência dos empresários. Em Campos Gerais, as empresas do APL não fogem da tônica que ficou desenhada na etapa de avaliação de dados oficiais, sendo efetivamente muito menores que a média das demais empresas dos demais pólos. Como no passado, os sócios das empresas continuam se dedicando mais às tarefas técnicas, de desenvolvimento de sistemas e financeiras, do que propriamente a atividades de geração de negócios. Como consequência, ou não, desta postura, as empresas continuam a depender em demasia do mercado paranaense, especialmente aquelas localizadas no pólo de Campos Gerais. Assim como verificado na análise dos dados secundários, no pólo Oeste a importância dos serviços de informática é maior, e isto também ocorre em Campos Gerais.

181 181 Evolução das Empresas dos APLs As empresas apresentaram em média crescimento em seu faturamento, mas a distância do faturamento médio e do faturamento mediano e da própria média interna, que elimina os extremos, mostra que existe uma diferença muito elevada entre os diversos participantes dos APLs. Um ponto extremamente positivo é o índice de confiança das empresas para o ano de 2010, com 94% delas prevendo crescimento em seu faturamento, da mesma forma como prevêem o incremento do porte médio de suas empresas. A localização dos APLs apresenta como maior vantagem a presença de Instituições de Ensino Superior e centros de pesquisa, mas por outro lado, a oferta de mão de obra qualificada é a maior desvantagem percebida pelos empresários. As empresas dos APLs do setor de TI possuem um capital social diferenciado, à medida que seus sócios possuem formação acadêmica superior, excelente taxas de associativismo, realização de parcerias e sindicalização de funcionários.

182 182 Evolução das Empresas dos APLs Oportunidades para as diretrizes do projeto em 2010 Desenvolver esforços para que os empresários passem a dedicar mais tempo ao processo de geração de negócios em suas empresas Romper as fronteiras do Paraná e obter novos negócios, inclusive elevando a participação das exportações Aproximar as empresas dos centros de formação, elevando a capacitação da mão de obra de nível técnico e de nível superior Elevar as iniciativas no campo de propriedade intelectual, apoiando-se inclusive na elevação de utilização de fontes de financiamento do setor Elevar o percentual de empresas certificadas através de esforços em conjuntos, via APLs

183 Características das Empresas, Avaliação do Ambiente Competitivo, Dinâmica de Mercado Parte III Censo com as Empresas do Paraná e sua Comparação com o Desempenho das Empresas do APL

184 18 As Empresas do Segmento de TI no Paraná Resultados Obtidos a Partir do Censo com as Empresas do Segmento e a Comparação dos Resultados com as Empresas dos APLs

185 185 Características das Empresas Nesta etapa do estudo são apresentados os resultados obtidos a partir do Censo das empresas do setor de TI no Paraná. São ao todo 843 empresas que responderam um questionário mínimo de caracterização. As questões levantadas nestas empresas também foram abordadas na pesquisa completa realizada com as empresas dos APLs, e portanto, grande parte do foco desta etapa é entender como as empresas com as quais o Sebrae está trabalhando diferem do mercado como um todo. Para esta comparação foram usadas 165 empresas dos APLs, 113 que responderam a pesquisa completa mais 52 que concordaram em responder a dados básicos por telefone. A presença deste contingente a mais pode algumas vezes alterar um número ou outro da segunda parte do relatório, mas não muda o teor das informações. As empresas foram encaixadas dentro das regionais do Sebrae, para que se pudesse identificar oportunidades de trabalho em cada um dos escritórios.

186 186 Características das Empresas Empresas Levantadas em Cada Regional do Sebrae e a Participação das Empresas dos APLs Percentual de APLs em Cada Regional OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste %30%9%33%40% Empresas Cadastradas Participantes do APL Participação dos APLs no total de empresas cadastradas

187 187 Características das Empresas Estrutura das Empresas Base: 165 A Sua Empresa Possui Apenas Uma Unidade ou Faz Parte de Uma Organização Com Mais de Uma Unidade? APLNão APL Base: 678

188 188 Características das Empresas Estrutura das Empresas A Sua Empresa Possui Apenas Uma Unidade ou Faz Parte de Uma Organização Com Mais de Uma Unidade? Por Regionais OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste Uma unidade apenas 88%89%88%93%74% Faz Parte de Uma Rede 12% 7%26% Base

189 189 Principais Segmentos de Atuação Quantidade de Empresas APLParticipação Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis % Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda % Suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação % Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet. 5148% Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não customizáveis % Consultoria em tecnologia da informação % Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet. 3738% Características das Empresas Principal Segmento de Atuação da Empresa

190 190 Características das Empresas Principal Segmento de Atuação da Empresa Por Regionais OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis 35%54%37%46%47% Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 24%22%27%24%27% Suporte técnico, manutenção e outros serviços de tecnologia da informação 21%7%10%6%5% Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet 7%6% 7%3% Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não customizáveis 5%6%5%8%11% Base

191 191 Idade Média das Empresas 11 anos Idade Média das Empresas 11 anos Ano de Fundação da Empresa Base: 633** Características das Empresas * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos ** Considerando empresas que informaram seu ano de fundação. APLNão APL Mediana 11 anos9 anos Média interna* 10 anos Base: 159** Idade Média das Empresas 10 anos Idade Média das Empresas 10 anos

192 192 Total de Pessoas que Trabalham na Empresa Atualmente Características das Empresas Base: 150** Base: 526** Média 26 pessoas Média 26 pessoas Média 18 pessoas Média 18 pessoas APLNão APL Mediana 155 Média interna* 177 * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. ** Considerando empresas que informaram o número de pessoas que trabalham na empresa. 44%

193 193 Média de Pessoas que Trabalham na Empresa Atualmente Características das Empresas Por Regionais OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste Média do mercado APL Não APL Base Subsetor de Software Demais atividades de TI Média do mercado 2117 Base Segmento de Atuação

194 194 Sócios da Empresa Características das Empresas Média de 2 sócios ou proprietários Distribuição dos Sócios ou Proprietários Atuantes no Negócio Base: 650* Base: 164* Média de 3 sócios ou proprietários *Considerando as empresas que informaram o número de sócios ou proprietários. APLNão APL Mediana 22 Média interna 22

195 195 Perfil dos Sócios da Empresa Escolaridade dos Proprietários ou Sócios Base: 1336* *Total de sócios que tiveram sua escolaridade informada. Base: 428* APL: 39% Não APL: 18% Sócios com Pós- Graduação

196 196 Atuação da Empresa no Mercado Externo Base: 165 Atuação no Não APL A Empresa Exporta Atualmente? Base: 672* APL Não APL * Considerando empresas que informaram se exportam atualmente ou não.

197 197 Atuação da Empresa no Mercado Externo Base: 109* Atuação no Não APL Tem Interesse em Exportar? Base: 128* APL Não APL * Considerando empresas que não exportam e souberam informar se têm interesse em informar.

198 198 Atuação das Empresas no Mercado Externo Atuação no Não APL TotalAPL Segmento de Atua ç ãoPorte Quantidade de Empresas que... Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários Exportam atualmente Não exportam atualmente, mas têm interesse em exportar Por Segmentos Total Não APL Segmento de Atua ç ãoPorte Quantidade de Empresas que... Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários Exportam atualmente Não exportam atualmente, mas têm interesse em exportar APL Não APL

199 199 Principais Aplicativos Desenvolvidos Quantidade de Empresas APLParticipação Automação comercial % Administração de serviços % Gestão de processos organizacionais % Gestão integrada % Contabilidade % Automação industrial % Comércio eletrônico % Automação de escritórios % Administração de RH % Atuação no Não APL Aplicativos Desenvolvidos Pelas Empresas

200 200 Principais Serviços Desenvolvidos Quantidade de Empresas APLParticipação Desenvolvimento, implantação e manutenção de sistemas % Consultorias em geral % Desenvolvimento de páginas da Web % Cursos e treinamentos em geral % Instalação de redes (LAN, WAN etc.) % Implantação de intranets ou extranets % Atuação no Não APL Serviços Desenvolvidos Pelas Empresas

201 201 Faturamento Anual Resultados Financeiros Base: 118** Base: 97** Média R$ 1,10mi Média R$ 1,10mi Média R$ 0,61 mi Média R$ 0,61 mi APLNão APL Mediana R$ 0,4 miR$ 0,2 mi Média interna* R$ 0,5 miR$ 0,3 mi * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. ** Total de entrevistados que informaram o faturamento anual.

202 202 Faturamento Anual Resultados Financeiros Base: 135** Base: 100** Média R$ 1,47 mi Média R$ 1,47 mi Média R$ 0,70 mi Média R$ 0,70 mi APLNão APL Mediana R$ 0,6 miR$ 0,2 mi Média interna* R$ 0,5 miR$ 0,4 mi * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. ** Total de entrevistados que informaram o faturamento anual.

203 203 Evolução do Faturamento Médio Anual – 2008/2009 (em milhões R$) Resultados Financeiros TotalAPL Segmento de Atua ç ãoPorte Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários 20080,831,101,180,780,160,521, ,031,471,610,950,160,592,44 Δ 24%34%36%22%0%13%38% Por Segmentos Total Não APL Segmento de Atua ç ãoPorte Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários 20080,830,610,710,330,110,402, ,030,700,850,330,160,473,28 Δ 24%15%20%0%45%18%30% APL Não APL

204 204 Evolução do Faturamento Médio Anual – 2008/2009 (em milhões R$) Resultados Financeiros OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste 20080,351,290,480,630, ,381,670,520,760,33 Δ 9%29%8%21%-3% Por Regionais OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste 20080,521,511,501,200, ,611,792,491,290,76 Δ 17%19%66%8%29% APL Não APL

205 205 Expectativa de Evolução do Faturamento Médio Anual das Empresas Resultados Financeiros Base: 164* Percentual Médio de Crescimento: 33% Percentual Médio de Crescimento: 42% Percentual Médio de Queda: 23% Percentual Médio de Queda: 22% Base: 666* * Considerando empresas que informaram a sua expectativa quanto a evolução do Faturamento Médio Anual. Em Relação ao Faturamento de 2009, o Senhor diria que em 2010 sua Empresa Registrará:

206 206 Expectativa de Evolução do Faturamento Médio Anual das Empresas Resultados Financeiros Percentual de Empresas que Acreditam Que Seu Faturamento Irá Crescer Por Segmentos OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste 91%89% 92%95% Base TotalAPL Não APL Segmento de Atua ç ãoPorte Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários 90%92%89%91%88%85%90%97% Base

207 207 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Utilização de Fontes de Financiamento Oficiais APL Base: 164* * Considerando empresas que informaram se já utilizaram ou utilizam fontes de financiamento oficiais. Não APL Base: 658* Utiliza ou Já Utilizou Fontes de Financiamento Oficiais?

208 208 Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Utilização de Fontes de Financiamento Oficiais Percentual de Empresas que já Obtiveram Financiamento de Instituições Oficiais Ligadas ao Setor Por Segmentos OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste 17%23%12%13%8% Base TotalAPL Não APL Segmento de Atua ç ãoPorte Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários 14%24%12%15%12%5%16%33% Base

209 209 Participação em Associações e Entidades de Classe Ferramentas de Gestão e Postura Associativa * ASSESPRO – Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet Sua Empresa Faz Parte de Alguma Entidade de Classe ou Associação? APL Não APL Base: 165 Base: 678

210 210 Participação em Associações e Entidades de Classe Ferramentas de Gestão e Postura Associativa Percentual de Empresas que Fazem Parte de Alguma Entidade de Classe ou Associação OesteNoroesteCentro-SulNorteSudoeste 74%65%49%44%81% Base TotalAPL Não APL Segmento de Atua ç ãoPorte Subsetor de software Demais atividades de TI Até 4 funcionários De 5 a 15 funcionários Mais de 15 funcionários 56%78%50%57%54%41%62%81% Base

211 211 O estudo das empresas do mercado, através da realização do censo contribui para o aprofundamento da visão do setor e do próprio projeto do SEBRAE. Como é comum à atuação do SEBRAE em outros segmentos, a participação das empresas no APL da região Centro-Sul é inferior a dos demais pólos, e pelo seu peso relativo na região, a maior relevância dos APLs entre as empresas do setor encontra-se na regional Sudoeste. Confirma-se a vocação das empresas da regional Oeste de se dedicarem aos serviços de TI, e isto deve estar previsto no desenvolvimento de ações do projeto. Considerações Finais desta Etapa do Estudo O SEBRAE já atinge com seus projetos as maiores empresas, que são em média 44% maiores que as empresas que não fazem parte dos APLs. Entretanto, nota-se que esta distância, em relação ao porte, entre as empresas do APL para as demais no mercado é mais intensa no Centro-Sul. Os próprios sócios das empresas com as quais o SEBRAE trabalha possuem um nível de escolaridade bastante diferenciado, além de possuírem uma postura associativa mais intensa. Também as empresas dos APLs colheram melhores resultados financeiros que as demais empresas do mercado, e o maior resultado relativo foi obtido na regional Centro-Sul. Mas de forma geral, todas as empresas estão bastante otimistas para o ano de 2010, dentro e fora dos APLs.

212 Anexo I - Contribuições dos Empresários Elogios, Críticas e Sugestões. I

213 213 Contribuições dos Empresários Críticas, Elogios e Sugestões que o Sebrae Deveria Adotar ou Estimular Junto aos APLs e que Mais Favoreceriam as Empresas do Setor e Particularmente dos APLs Eventos para valorizar os grupos organizados, contribuindo para o reconhecimento das empresas que estão atuante no APL. Disponibilidade de recursos financeiros principalmente para as empresas que estão no início de suas atividades. Quanto aos treinamentos, são de ótima qualidade e têm nos atendido muito bem. As ações de uma forma geral estão ocorrendo em um bom nível e buscando atender as carências dos empresários e empresas, vejo que um banco de dados estatísticos atualizado e um mapa de informações e suas regiões ajudaria bastante na hora de realizar planejamentos. Atuamos ativamente junto ao APL e foi muito importante para o crescimento da empresa. Aproximar-se das empresas, colocar consultores dentro delas, sem custos relevantes, para traçar um perfil das necessidades e ajudá- los a levantar recursos e/ou organizar-se para desenvolver-se. A grande maioria das empresas está no mercado por estar, sem qualquer planejamento, sem saber para onde vão e nem como. Mas cada consultor que contratamos, querem tirar nosso couro, então prefiro pegar fora do Sebrae e fazer parceria de longo prazo. Os atuais consultores do Sebrae só estão aproveitando-se de sua estrutura para fazer negócios, não há retribuição social. Distribuir os eventos em diferentes cidades atendidas por cada SEBRAE regional. Consolidar a rede de APL de TIC do Paraná. Quero aproveitar e agradecer o apoio do Sebrae, sem o qual dificilmente teríamos superado os desafios encontrados na organização do setor, e alcançado as conquistas obtidas desde Trabalho direcionado para empresas não associadas. Intermediação de grandes projetos e projetos do governo beneficiando a APL. Conseguir mais recursos não retornáveis para estimular a qualificação das empresas. Missões para conhecer boas praticas internacionais.

214 214 Contribuições dos Empresários Continuar atuando na articulação com todas as APLs promovendo a troca de conhecimento. Realizar treinamento de técnicos com visão de gestores. Estimular mais as parcerias. Rodadas de negócios. Incentivar a discussão de melhores práticas nas áreas para nivelar as áreas de gestão, processos, atendimento etc. Incentivar a implantação de treinamentos de relacionamento internamente nas empresas e entre os gestores frequentadores dos APLs. Incentivar a implantação do PGQP. Penso que como é um grupo iniciante, o SEBRAE tem sido muito atencioso com nosso APL, vejo que se continuar dando a atenção que nos deu neste inicio já é de grande valia. Vejo como um grande parceiro. Desenvolver cursos como os que já possui, com foco para cada setor de atuação, fugindo do grande mal dos cursos do Sebrae de serem extremamente voltados para o comércio varejista, sendo que existem muitos setores que não compartilham as mesmas necessidades do comércio. Acredito que o Sebrae deveria atuar com consultores especializados na área de gestão de empresas de serviços de TI para auxiliar pequenos empresários na gestão de projetos de software. Colocar a disposições das empresas interessadas financiamento a logo prazo com juros zero. Divulgar junto com o APL oeste as empresas participantes do APL, porque realmente tem empresas boas com real condições de aparecer, software de boa qualidade, que é o caso da Mg Informática e outras mais, para que as empresas do comércio de nossa região não busquem softwares de empresas de fora, pois temos aqui mesmo. Diminuir o aporte de contra partida para as ações estipuladas no ano. Lamento que essa pesquisa cubra apenas as empresas de software, e não de TIC (Tecnologia de Informação e Comunicação) que é o escopo de nosso APL. Entendendo o APL como um ecosistema, as ações para a consolidação dos APL deveriam transcender ao apoio direcionado à área de desenvolvimento de software, abarcando os diversos entes que compõem o APL. A consolidação dos APL demanda a organização dos diversos atores da sociedade envolvidos direta ou indiretamente com as empresas de software, fornecedores, clientes, parceiros etc.

215 215 Contribuições dos Empresários Creio que o Sebrae vem desempenhando um brilhante papel junto aos APL de TI do Paraná, porém se houvessem orçamentos com mais volumes de recursos é provável que as empresas conseguiriam avançar mais, ou seja, evoluiriam mais rapidamente em competências de gestão, formação de mão de obra e capacitações. Percebemos que existe muita politicagem em nosso ambiente. O que precisa é fazer com que as empresas se direcionem ao fazer, ao colaborar sem demagogia. A ação dos APLs em buscar melhorar a vida do empreendedor de software é mais viável que buscar melhorar a vida dos empresários maduros do setor. Focar mais nas ações de marketing e vendas das empresas e na obtenção de recursos dos órgãos governamentais. Tenho dificuldade de sugerir alguma ação específica para o Sebrae, pois as sugestões que temos se aplicam para as empresas do próprio APL, que deveriam aumentar a sua oferta de softwares como serviço, facilitando desta forma a venda dos produtos que eles possuem. Organizar rodadas de negócios para públicos específicos. Promover mais eventos de treinamento para o corpo gerencial da empresa. A iniciativa de aproximar as Empresas de Varejo às de Informática através de rodadas de negociação são muito boas e certamente darão bons resultados para ambos os lados. Mais agilidade em pesquisas e criação de fóruns de comunicação pela internet. Não seria somente o SEBRAE, mas sim uma legislação com uma categoria específica para profissionais na área de Informática, tirando do mercado pessoas que não tem qualificação de nível superior e prejudicam o mercado. Auxílio na busca pela capacitação técnica do setor, treinamentos regionais em conjunto com as instituições locais. As notas que citei são para o SEBRAE de Curitiba, pois o SEBRAE de Ponta Grossa daria nota 1. Pois temos todo o apoio e aporte do SEBRAE de Curitiba e não o de nossa cidade.

216 216 Contribuições dos Empresários Continuar com o apoio às APL como vem acontecendo, facilitando os treinamentos e buscando apoiar as empresas no sentido de qualidade do software e da gestão administrativa. Fazer mais treinamentos de Marketing e Gestão voltados especificamente para o setor de Software / TI. Estimular a realização de negócios e parcerias entre as empresas pertencentes aos APLs. O SEBRAE é um grande parceiro do APL e das empresas de software da nossa região de Londrina. A única coisa que temos para melhorar é ofertarmos mais cursos sugeridos pelas empresas de software principalmente do APL. No entanto, a imagem do Sebrae é excelente. Acredito que todas as ações possíveis estão em andamento. Atrair mais empresas do setor dos APLs para que participem ativamente das ações promovidas. Capacitar as empresas em gestão de negócios. Fomentar visitas a locais onde há cases de sucesso para as empresas e para os APLs. Potencializar possíveis mesas redondas para trocas de experiências entre os participantes. Mais treinamentos regionalizados e facilitação a linhas de crédito de médios valores. Sugiro a disponibilização de uma ou mais salas nos locais onde o Sebrae possui sede para que o micro-empresário possa se reunir com um potencial cliente. Esta sala deveria ter uma mesa com computador ligado a um projetor e umas 5 cadeiras. Assim, um empresário que precisasse fazer uma demonstração para um grupo pequeno de clientes, poderia se utilizar dessa estrutura (mediante agendamento) a um custo acessível. Continuar agindo da mesma forma como tem feito nos últimos anos aqui na região sudoeste do Paraná. Consultoria para se obter financiamento a fundo perdido. Certificações. Ajudar em forma de parceria e representatividade na obtenção do condomínio empresarial do NTI/APL, cedendo espaço diferenciado e de grande visibilidade para empresas de Software da região.

217 217 Contribuições dos Empresários Cursos direcionados as necessidades das empresas da região. Gostaria primeiramente de sugerir que os questionários de pesquisa já ficassem pré registrados, de forma que ao entrarmos com nosso CNPJ, algumas informações, (como as cadastrais, financeiras e de RH), fosse disponibilizadas apenas para atualizações e complementações, está ficando muito maçante, pois todas as vezes temos que recorrer ao nosso contador para ver dados do ano anterior sendo que em outras épocas já respondemos isso no questionário. Nossa empresa além de ser associada a entidades locais, também o é em outras entidades nacionais, tal como o Polosul de Informática do Planalto Gaúcho, ABRAFE e outras, em nossa cidade somos também associados à Associação Comercial, mas o presente questionário está com vinculação, se marcar NTI, fica desmarcado Assoc. Comercial, acho que isso está errado. Em relação aos APLs, penso que precisamos desenvolver algumas ações regionais mais concretas com visão de médio - longo prazo, para agregarmos mais valor ao grupo, minha sugestão seria, ou criarmos a central de testes de software, uma entidade com vida própria e prestando serviços às empresas desenvolvedoras ou uma central de compras ou um centro de capacitação permanente para uso das empresas produtoras de software para reciclagem de seus colaboradores. Regional, Região Sul e até Brasil. Em relação ao APL ainda, precisamos melhorar e doutrinar nossas relações comerciais com nossos clientes através de modelos de contratos de licenciamento de Software bem como nossos registros de marcas e patentes, precisamos urgente intensificar nosso conhecimento a cerca dessas necessidades, pois estamos correndo um grande risco, não só a nível de clientes mas também com nossos agentes e representantes, precisamos rever toda essas relação comercial para que possamos padronizar através de contratos e estarmos assim um pouco mais seguros. Falando de contratos, também a nível interno, no que se refere a contratação de mão de obra para a empresa, precisamos definir muitas coisas que envolve a produção de software, como direitos autorais, termos e contratos que precisamos ter assinado com nosso colaboradores, como proceder na sua "entrada na empresa", e principalmente como proceder com a sua "saída da empresa". Como vemos Senhores, se quisermos continuar crescendo precisamos dar uma arrumada na casa, do contrário correremos sérios riscos.

218 Anexo II – Demandas Adicionais II

219 219 Ranking por Estados PosiçãoEstado Salário Médio (R$) TotalSSTI 1ºAmazonas ºRio de Janeiro º Distrito Federal ºSão Paulo ºPará ºAcre ºEspírito Santo º Rio Grande do Sul ºPernambuco ºCeará º Rio Grande do Norte ºBahia ºParaná ºMinas Gerais PosiçãoEstado Salário Médio (R$) TotalSSTI 15º Roraima º Amapá º Santa Catarina º Sergipe º Piauí º Paraíba º Maranhão º Alagoas º Goiás º Mato Grosso do Sul º Tocantins º Mato Grosso º Rondônia Fonte: RAIS

220 220 Ranking por Estados PosiçãoEstado Massa Salarial (em mil reais) TotalSSTI 1ºSão Paulo ºRio de Janeiro ºDistrito Federal ºMinas Gerais º Rio Grande do Sul ºSanta Catarina ºParaná ºBahia ºEspírito Santo ºPernambuco ºGoiás ºCeará ºPará º Rio Grande do Norte PosiçãoEstado Massa Salarial (em mil reais) TotalSSTI 15º Amazonas º Paraíba º Mato Grosso do Sul º Mato Grosso º Sergipe º Maranhão º Alagoas º Piauí º Acre º Rondônia º Tocantins º Amapá º Roraima55353 Fonte: RAIS

221 221 Ranking por Estados PosiçãoEstado Número de Empresas TotalSSTI 1ºSão Paulo ºMinas Gerais ºRio de Janeiro ºParaná º Rio Grande do Sul ºSanta Catarina ºBahia ºDistrito Federal ºGoiás ºPernambuco ºEspírito Santo ºCeará ºMato Grosso º Mato Grosso do Sul PosiçãoEstado Número de Empresas TotalSSTI 15º Rio Grande do Norte º Pará º Paraíba º Sergipe º Maranhão º Rondônia º Alagoas º Amazonas º Piauí º Tocantins º Acre100 26º Roraima826 27º Amapá826 Fonte: RAIS

222 222 Ranking por Estados PosiçãoEstado Número de funcionários TotalSSTI 1ºSão Paulo ºRio de Janeiro ºMinas Gerais ºDistrito Federal ºSanta Catarina º Rio Grande do Sul ºParaná ºBahia ºGoiás ºPernambuco ºEspírito Santo ºCeará º Rio Grande do Norte º Mato Grosso do Sul PosiçãoEstado Número de funcionários TotalSSTI 15º Mato Grosso º Pará º Paraíba º Sergipe º Amazonas º Maranhão º Alagoas º Rondônia º Piauí º Tocantins º Acre º Amapá º Roraima34628 Fonte: RAIS

223 223 Gráfico de Dispersão - Faturamento por Número de Pessoas Ocupadas Tendo em vista a quantidade de empresas abordadas pela pesquisa e o objetivo de mostrar um panorama sobre o setor de Software, o gráfico de dispersão a seguir mostra a distribuição do faturamento segundo a quantidade de pessoas ocupadas em cada empresa. Nele observa-se a concentração de micro e pequenas empresas com faturamento proporcional ao seu tamanho, como também casos de empresas que tem valores mais expressivos de funcionários ou faturamento. Em função destes últimos casos, recomenda-se cautela na leitura das informações da área destacada, onde foi necessário um corte na escala visando uma melhor apresentação.

224 224 Gráfico de Dispersão - Faturamento por Número de Pessoas Ocupadas R$ 0 R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ Número de Pessoas Ocupadas Faturamento


Carregar ppt "1 Março de 2010 Panorama do Setor de Software e Serviços de TI do Paraná Relatório Final Apoio: Realização:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google