A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Lic. María Cristina Plencovich FA-UBA Rompendo paradigmas II ENCONTRO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA UNIVERSIDAD FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE AGRONOMIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Lic. María Cristina Plencovich FA-UBA Rompendo paradigmas II ENCONTRO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA UNIVERSIDAD FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE AGRONOMIA."— Transcrição da apresentação:

1

2 Lic. María Cristina Plencovich FA-UBA Rompendo paradigmas II ENCONTRO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA UNIVERSIDAD FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE AGRONOMIA Programa de Psgraduação

3 Agenda Construção do conhecimento na epistemologia de Kuhn. Uso da palabra paradigma. Mudanças paradigmaticas na produção e transmissão do conhecimento. Paradigmas e o PPGA 3/4/2014Confidential2

4 Paradigmas Kuhn, A Estrutura das Revoluções Científicas Conjunto de regras e regulamentos que estabelecem limites e permitem resolver problemas

5 Contra qual teoria de ciência argumentava Kuhn? Na fundamentada na observação empírica y na racionalidade só. Na que achava á ciência como acúmulo de conhecimentos. A ciência baséia-se em paradigmas compartilhados, não nos métodos nem em conjuntos de fatos O progresso na ciência tem sido descontinuado e revolucionário, não incremental e progressivo

6

7 O fenômeno kuhniano A viagem intelectual do termo paradigma 3/4/2014Confidential6

8

9 Para Kuhn O conhecimento científico, como os outros tipos de atividades humanas, é um processo de construção social

10 Qué são os Paradigmas? São pré-requisitos e a base da ciência Desenham um mapa do mundo e fazem perguntas que podem se responder dentro dos limites do paradigma Os paradigmas definem os métodos que se usam para responder essas perguntas

11 Existem paradigmas na filosofia, na ciência, na técnica, na tecnologia, na vida comum...

12 11

13 3/4/ Javier Torres García

14 3/4/2014Confidential13

15 14

16 Exercicio

17 Ciências Sociais Ciências Naturais Locus epistemológico das escolas agropecuárias como lugar de construção de saberes Ciências Agropecuárias

18 Locus socioeconômico e cultural das escolas agropecuárias como lugar educativo, de construção da cidadania, de formação integral TERRITORIO Setor agropecuário Família, comunidade

19 Locus das escolas agropecuárias Ciências Agropecuárias TERRITORIO Ciências NaturaisCiências Sociais meio sociocultural família agricultura familiar setor agropecuário

20 19 IAASTD GLOBAL REPORT, 2009 Source: Plencovich, MC.; Dreyfus, F.; Petit, M. (coord) (2009), Chapter II, in Agriculture at the crossroads, Washington, D.C.

21 Paradigmas nas Ciências Agrícolas Conhecimentos tecnológicos e técnicos Abordagem reducionista Disciplinas únicas/soma de disciplinas Interesse focado na productividade Sistemas agropecuários como sistemas duros (hard systems) Conhecimientos tecnológicos, técnicos econômicos e socioculturais. Gestão de políticas Abordagem holística. Interdisciplinaridade, transdiciplinaridade Productividade, eqüidade na distribuição dos produtos e benefícios econômicos, sustentabilidade Sistemas brandos (soft systems)

22 Mutacões paradigmáticas no setor agropecúario Exemplo Agricultura convencional (com rotações) Agricultura contínua Características: Impossibilidade do paradigma para resolver: Poluição da água Erosão de solos Crise econômicas Toma de decisões baseadas em visões compatimentadas Concepção unidimensional das ciências Exemplo Agricultura convencional Agricultura contínua Características: Impossibilidade do paradigma para resolver: Poluição da água Erosão de solos Crise econômicas Toma de decisões baseadas em visões compartimentadas Concepção unidimensional das ciências

23 Exemplo Agricultura com baixo nível de insumos Características: Uso de corretivos de solo Controles naturais de pragas e doenças Análise sistêmica das explorações agropecuárias (Processos físicos, químicos, biológicos, socioeconômicos e culturais) Concepção interdisicplinar das ciências Mutacões paradigmáticas no setor agropecúario

24 Paradigma produtivista 23

25 Paradigmas nas Ciências Pedagógicas Desde práticas focadas no professor (magistrocentrismo) Os conteúdos se consomem Aprendizagem dominado pela teoría ou pela prática Curriculum disciplinar Se aprende de uma vez e para sempre As práticas focadas no aluno, com intervenção ativa do professor Os conteúdos se descobrem, se constroem Retroalimentação Desde a disciplina, a aprendizagem dirige-se a modelos interdisciplinares Aprender a aprender e aprender a empreender

26 Paradigmas nas Ciências Pedagógicas Desde práticas focadas no professor (magistrocentrismo) Os conteúdos se consomem Aprendizagem dominado pela teoría ou pela prática Curriculum disciplinar Se aprende de uma vez e para sempre As práticas focadas no aluno, com intervenção ativa do professor Os conteúdos se descobrem, se constroem Retroalimentação Desde a disciplina, a aprendizagem dirige-se a modelos interdisciplinares Aprender a aprender e aprender a empreender

27 Paradigmas nas Ciências Pedagógicas Habilidades geráis Competências individuáis Aulas magistráis, forma expositiva Avaliação focada em resultados baseada nos processos Competências estratégicas Competências institucionais Metodologías alternativas: método do projeto, método do caso, ABP, resolução de problemas Avaliação integral, uso de rúbricas

28 Magister dixit... Pagina em branco

29 Uma escola alternativa Porém... rápido !!!

30

31 30 Modo 2 (Gibbons) O novo cenário da produção de conhecimento

32 31 Modo1 Atributos principais (a) predominância de interesses acadêmicos; (b) contexto monodisciplinar; (c) homogeneidade de tendências na comunidade científica nacional ou regional; (d) organizações científicas hierarquizadas, pouco diversificadas, centralizadas e de caráter permanente; (e) predomínio do saber técnico; (f) relativa autonomia de cada área científica; (g) predomínio da disseminação científica, ou seja, a divulgação de resultados de pesquisa entre os próprios pares.

33 32 Modo 2 Atributos principais (a) predominância de interesses ligados ao contexto de aplicação; (b) interdisciplinaridade; (c) heterogeneidade de tendências mesmo no âmbito nacional ou regional; (d) organizações científicas diversificadas, descentralizadas e transitórias; (e) valorização do saber reflexivo; (f) ênfase à responsabilidade social da ciência; (g) maior valorização da divulgação científica, ou seja, a divulgação dos resultados de pesquisa não se limita ao circuito fechado (intrapares), atingindo ao grande público.

34 33 Esse novo modo requer ainda: heterogeneidade e diversidade organizacional, responsabilidades compartilhadas pelos diversos atores sociais envolvidos

35 34 O cientista deve construir e reconstruir constantemente o objeto do seu conhecimento que se amplia além do sistema natural e se dirige ao campo duma trama complexa de inter-relações, métodos, técnicas, distintas maneiras de legitimação dos conhecimentos, con interação de diversos atores.

36 3/4/2014Confidential35 Por que é difícil mudar de paradigma????? O novo sistema operativo Helpdesk

37 ? Quando se rompem os paradigmas? Que paradigmas se rompem?

38 Um paradigma perde sua eficácia se não pode fornecer soluções ou orientações suficientes para resolver situações

39 Exercicio

40 39 PARADIGMAS PPGA


Carregar ppt "Lic. María Cristina Plencovich FA-UBA Rompendo paradigmas II ENCONTRO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA UNIVERSIDAD FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE AGRONOMIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google