A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

© 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 1. Robôs industriais 2. Classificação dos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "© 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 1. Robôs industriais 2. Classificação dos."— Transcrição da apresentação:

1 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 1. Robôs industriais 2. Classificação dos robôs industriais 3.Sensores 4.Acionamento e controle de robôs 5.Precisão e capacidade de repetição 6.Garras e ferramentas CAPÍTULO 8

2 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. O braço do robô executa movimentos no espaço, transferindo objetos e ferramentas de um ponto para outro, instruído pelo controlador e informado sobre o ambiente por sensores. Na extremidade do braço, existe um atuador usado na execução de suas tarefas. Todo braço de robô é composto de uma série de vínculos e juntas. É a junta que conecta dois vínculos e com isso permite o movimento relativo entre eles. 1. Robôs industriais

3 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Junta e vínculos em um braço de robô

4 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Juntas robóticas As juntas, também denominadas eixos, são o que permite a um robô se mover para várias posições e, assim, executar várias tarefas. O movimento da junta de um robô pode ser linear ou rotacional. O número de juntas determina os graus de liberdade do robô. A maior parte dos robôs possui de três a seis eixos, os quais podem ser divididos em duas classes: eixo do corpo e eixo da extremidade do robô. Os eixos da base do corpo, que permitem movimentar a ferramenta terminal para determinada posição no espaço, são denominados cintura, ombro e cotovelo.

5 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Tipos de junta Os braços robóticos podem ser constituídos por juntas: Deslizantes: permitem o movimento linear entre dois vínculos. Rotativas: sua conexão possibilita movimentos de rotação entre dois vínculos unidos por uma dobradiça comum. Bola-e-encaixe: conexão que se comporta como uma combinação de três juntas de rotação, permitindo movimentos de rotação em torno dos três eixos.

6 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Juntas deslizantes: robô cartesiano 3P

7 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Junta rotativa: robô industrial 6R

8 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Junta do tipo bola-e-encaixe

9 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 2. Classificação dos robôs industriais Os robôs industriais podem ser classificados de acordo com: – o número de juntas; – o tipo de controle; – o tipo de acionamento; – a geometria. As cinco classes ou geometrias principais de um robô (também chamadas de sistemas geométricos coordenados) são: – cartesiana; – cilíndrica; – esférica (ou polar); – de revolução (ou articulada); – Scara (Selective Compliant Articulated Robot for Assembly).

10 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Eixos de um robô cartesiano (prismático-prismático-prismático, PPP)

11 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Eixos de um robô de coordenadas cilíndricas (RPP)

12 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Eixos de um robô de coordenadas polares ou esféricas (RRP)

13 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Eixos de um robô de coordenadas de revolução ou articulado (RRR)

14 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Eixos de um robô Scara (RRP)

15 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Comparação da área de trabalho dos tipos de configuração de robôs

16 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Construção de vínculos Existem três fatores importantes na construção de vínculos: – carga suportada; – peso do braço; – grau de rigidez do braço. Um braço pesado necessita de um motor maior, o que torna o custo do robô mais elevado. Para aumentar a rigidez mecânica do braço sem aumentar seu peso, com freqüência é usada uma estrutura oca.

17 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Estruturas para a construção de vínculos

18 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 3. Sensores O uso de sensores permite que o robô obtenha informações sobre o próprio comportamento e sobre seu ambiente de atuação. Os sensores podem ser agrupados em duas categorias principais: – internos ou proprioceptivos; – externos ou exteroceptivos. A maior parte dos robôs utilizados é do tipo convencional, que necessita unicamente de sensores internos; esses sensores podem ser: – Codificadores ópticos (encoders) do tipo incremental ou absoluto, sincros, resolvers, potenciômetros multivoltas, tacômetros etc. Os codificadores ópticos incrementais estão entre os sensores mais usados.

19 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Encoders incrementais: princípio de funcionamento

20 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Encoders incrementais: princípio de funcionamento

21 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 4. Acionamento e controle de robôs Os eixos de um robô são acionados por atuadores, que podem ser: hidráulicos, pneumáticos e elétricos. O controle dos atuadores dos robôs em geral é efetuado mediante o uso de dois métodos: – servocontrolado; – não servocontrolado. Os robôs não servocontrolados utilizam chaves mecânicas no final do curso de cada junta. O posicionamento de cada eixo é controlado por paradas mecânicas ajustáveis, e não pelo controlador. Os robôs servocontrolados utilizam sensores internos e, assim, podem conhecer a posição inicial na qual se encontra cada eixo.

22 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Tipos de acionamento de um braço robótico Os drivers de acionamento de braços robóticos estão classificados genericamente: – pela forma de movimento, como drivers de rotação e de deslizamento; – pela forma de acionamento, como drivers elétrico, hidráulico e pneumático; – pela forma de conexão, como drivers direto e indireto. O sistema de acionamento de um braço robótico pode ser classificado, segundo a forma de movimento, em: – Driver de rotação: consiste em um motor que provoca no eixo uma resposta em forma de movimento de rotação. – Driver deslizante: consiste em um cilindro hidráulico ou pneumático.

23 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Formas de acionamento de um braço robótico O sistema de acionamento pode ser classificado em: – Elétrico: utiliza motores elétricos que podem ser de corrente contínua, de passo e de corrente alternada. – Hidráulico: utiliza uma unidade hidráulica composta de um motor de movimento rotativo e de um cilindro para a realização de movimentos deslizantes. Essa unidade provoca movimentos em pistões que comprimem o óleo. O controle é feito por válvulas que regulam a pressão do óleo nas duas partes do cilindro. – Pneumático: é composto de motores pneumáticos de movimento rotativo e cilindros pneumáticos de movimento deslizante.

24 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Sistema de acionamento elétrico de uma junta robótica

25 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Sistema de acionamento elétrico de uma junta robótica

26 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Unidade de acionamento hidráulico

27 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Unidade de acionamento hidráulico

28 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Quadro comparativo das formas de acionamento elétrico, hidráulico e pneumático

29 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 5. Precisão e capacidade de repetição Precisão: capacidade do robô de ir a uma posição desejada em um sistema de referência fixo. Capacidade de repetição: pode ser entendida como a capacidade do robô de, uma vez conhecida e alcançada uma posição e partindo sempre da mesma condição inicial, voltar à posição com um erro determinado.

30 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 6. Garras e ferramentas Os robôs são dotados de terminais do tipo: – Garras ou mãos mecânicas: com sujeição por pressão; com sujeição magnética; com sujeição a vácuo; com sujeição de peças a temperaturas elevadas; resistentes a produtos corrosivos/perigosos; com sensores etc. – Ferramentas especializadas: pistolas pulverizadoras; soldagem por resistência por pontos; soldagem por arco; dispositivos de furação; polidoras etc.

31 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. As garras podem ser classificadas em: – garra de dois dedos: é a mais comum e seus tipos diferem entre si pelo tamanho e/ou movimento dos dedos; – garra de três dedos: é similar à garra de dois dedos, porém permite a preensão mais firme de objetos de forma circular, triangular e irregular; – garra para a preensão de objetos cilíndricos: consiste em dois dedos com vários semicírculos chanfrados, que permitem segurar objetos cilíndricos de diâmetros diferentes; – garra para a preensão de objetos frágeis: é constituída de dois dedos flexíveis que se curvam para dentro; – garra articulada: projetada para agarrar objetos de diferentes tamanhos e formas; – garra a vácuo e eletromagnética: possui ventosas de sucção conectadas à bomba de ar comprimido que prendem superfícies como chapas metálicas e caixas de papelão; – adaptador automatizado de garras: permite que diferentes sistemas de preensão sejam rapidamente ligados ou removidos de um elemento terminal do robô.

32 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Formas de movimentação de garras

33 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Garra de três dedos

34 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Garra para a preensão de objetos cilíndricos

35 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Garra para a preensão de objetos frágeis

36 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Garra articulada

37 © 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. Garra a vácuo


Carregar ppt "© 2005 by Pearson Education Princípios de Mecatrônica – João Maurício Rosário – © 2005 Pearson Education, Inc. 1. Robôs industriais 2. Classificação dos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google