A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA. A Revolução científica: contexto Ascensão social da burguesia valorização social dos artesãos Desenvolvimento do Capitalismo mercantil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA. A Revolução científica: contexto Ascensão social da burguesia valorização social dos artesãos Desenvolvimento do Capitalismo mercantil."— Transcrição da apresentação:

1 A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA

2 A Revolução científica: contexto Ascensão social da burguesia valorização social dos artesãos Desenvolvimento do Capitalismo mercantil como principal modo de produção Reforma Protestante (Lutero, Calvino, ~ ): valorização do trabalho; Sagradas Escrituras são a única fonte do saber (rejeição à tradição da Igreja (interpretações)); a Natureza espelha o Plano do Criador.

3 A Revolução científica: contexto Reação: Contra-reforma Católica (Tribunais da Inquisição; Jesuítas e Dominicanos) Combate ao Animismo (= Paganismo) e Antropomorfismo (= simpatias) separação progressiva entre Homem e Mundo natural Legitimidade de investigação do Plano de Deus

4 A Revolução científica Todo o conhecimento e, especialmente, o da Filosofia Natural tende grandemente para o enaltecimento da glória de Deus no seu poder, providência e benefícios, aparentes e gravados nas suas obras, as quais, sem esse conhecimento, só serão contempladas através de um véu. (Francis Bacon)

5 A Revolução científica: características EXPERIÊNCIA supera a RAZÃO (a razão subordina-se à experiência) (experimentalismo) Matematização da natureza = atitude realista substitui atitude instrumentalista no uso das Matemáticas (p/ Copérnico, a Terra deveria mover-se porque a Matemática o exige) ensino ministrado pelos jesuítas valorizava grandemente a Matemática (ensinavam-na nos últimos anos da universidade, em paralelo à Física e à Metafísica)

6 A Revolução científica: características Influência importante da tradição da magia natural (= manipulação de propriedades/ poderes ocultos naturais dos objetos) casamento da filosofia natural e magia natural em nossa moderna visão científica do mundo. Filosofia mecânica e o Mecanicismo: primazia dos conceitos de forma, tamanho, quantidade e movimento (mensuráveis) sobre conceitos qualitativos (odor, sabor, finalidade, etc.).

7 A Revolução científica: características

8 Galileu Galilei ( )

9 Nasceu em Pisa, filho de um compositor e musicólogo; estudos básicos com os jesuítas; estudou Medicina (sem entusiasmo) na Universidade de Pisa (não obteve o diploma); passou a dedicar-se mais intensamente à Matemática, Mecânica e Hidrostática; 1588 ocupou a cadeira de Matemática na Univ. de Pisa (35 anos); estudos s/ plano inclinado, atrito, queda livre;

10 Galileu Galilei ( ) 1591 conseguiu uma cadeira de Filosofia Natural na Univ. de Pádua (ambiente acadêmico aberto - universidade estatal); fez pesquisas sobre balística (projéteis) e montou uma oficina de instrumentos científicos em sua casa; construiu um telescópio a partir de informações de terceiros (1609); 1610 publicou Siderius Nuncius, relatando observações astronômicas feitas através do telescópio.

11 Galileu Galilei ( ) Em 1610 mudou-se para Florença (filósofo e matemático do grão-duque da Toscana, Cosimo de Medici); ambiente onde a Igreja exercia poderosa influência; sermões (de dominicanos) condenam os matemáticos e o copernicanismo; Galileu é advertido; em 1623 publica O ensaiador, livro sarcástico dedicado ao novo Papa, atacando um livro sobre os cometas (escrito por um jesuíta);

12 Galileu Galilei ( ) Galileu conseguiu permissão para escrever sobre os sistemas ptolomaico e copernicano, o que resulta no Diálogo sobre os dois principais sistemas do mundo, publicado em 1632; processo de Galileu em 1633: retratação, prisão domiciliar; 1638 publicou (em Leiden) os Discursos referentes a duas novas ciências...

13 Francis Bacon ( )

14 Nascido na Inglaterra, exerceu importante papel junto ao governo. fortíssimo crítico de Aristóteles, apreciava obras de filósofos gregos pré-socráticos (metáfora sobre tesouros e madeira num naufrágio). em 1620 publicou Novum Organum, em que lança as bases de uma nova História Natural [ formigas (exclusivamente empíricos), aranhas (dogmáticos) e abelhas (verdadeiros filósofos naturais)]. ênfase no indutivismo, utilitarismo e empirismo.

15 Francis Bacon ( ) New Atlantis (1627): Casa de Salomão = Royal Society a indução leva a novos conhecimentos, mediante: coleção sistemática de informações s/ um fenômeno; eliminação de possibilidades não relacionadas ao fenômeno; inferências (indutivas e dedutivas); objetivo final era o domínio completo da natureza pela descoberta de seus princípios e leis.

16 René Descartes ( )

17 Nascido na França, filho de advogado, fez os estudos básicos numa escola jesuíta e diplomou-se em Direito na Universidade de Poitiers; na Guerra dos 30 anos ( ) envolveu-se em negócios militares, mas em 1628 demitiu-se de seu posto e mudou-se para os Países Baixos, onde permaneceu 21 anos formulando um novo esquema geral de conhecimentos e escrevendo suas obras;

18 René Descartes ( ) em 1637 publicou O Discurso do Método ; em 1644 publicou Princípios de Filosofia: o Universo deve ser infinito; a matéria é divisível; rejeição ao vácuo; Deus sempre conserva a mesma quantidade de matéria e de movimento (e se nenhuma força agir sobre ele, um corpo se moverá sempre na mesma direção, com a mesma velocidade, indefinidamente); em 1649 mudou-se para a Suécia a convite da Rainha Cristina, e morreu em 1650 de pneumonia.

19 Outros cientistas importantes Johannes Kepler ( ): órbitas elípticas (1609) e leis dos movimentos planetários William Harvey ( ): circulação do sangue (discípulos de Vessalius em Pádua) William Gilbert ( ): bússolas e magnetismo terrestre (alma magnética)


Carregar ppt "A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA. A Revolução científica: contexto Ascensão social da burguesia valorização social dos artesãos Desenvolvimento do Capitalismo mercantil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google