A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula A Primeira Revolução Industrial: transição para o capitalismo. Manufatura e Grande Indústria. O nascimento da fábrica Ciência, Tecnologia e Sociedade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula A Primeira Revolução Industrial: transição para o capitalismo. Manufatura e Grande Indústria. O nascimento da fábrica Ciência, Tecnologia e Sociedade."— Transcrição da apresentação:

1 Aula A Primeira Revolução Industrial: transição para o capitalismo. Manufatura e Grande Indústria. O nascimento da fábrica Ciência, Tecnologia e Sociedade

2 Desenvolver o tema de aula no contexto da disciplina, destacando sua importância histórica como marco fundamental de transformações sociais, técnicas e produtivas Objetivo

3 1- Posicionamento do tema (um quadro para se posicionar) Período e Local Meio de produção Forma de organização da produção Modo de produção Principais indústrias

4 2- A transição para o modo capitalista de produção e a acumulação primitiva do capital

5 O que é a acumulação primitiva -Separação entre os detentores e os não-detentores dos meios de produção -Acumulação primitiva é a história dessa separação. Uma vez estabelecida este modo de produção é mantido e reproduzido -O cerne do processo é a expropriação dos trabalhadores do campo - reorganização da base fundiária (processo longo, mais de dois séculos) -É a dissolução da estrutura feudal

6 O Processo de expropriação -Séc. XV a servidão já estava praticamente extinta na Inglaterra; camponeses livres -Início do Séc. XVI violenta expropriação por parte dos gdes proprietários de terra; recuperação pela nobreza de poder corroído: interessava posse de dinheiro e não apenas patrimônio e servos -Séc. XVI Reforma Protestante e secularização das terras da Igreja -Séc. XVII Rev. Gloriosa de 1688 apropriou-se de terras do Estado -Séc. XVIII os cercamentos ou enclousers -Termina com o clearing of Estates

7 Uma nova condição social -A produção agrícola passa a ser para o mercado -A ela se associa a produção manufatureira -Crescimento das cidades e nelas de mão-de-obra disponível para o trabalho assalariado -Maior interesse na valorização do dinheiro por meio da produção – novo status -Estímulo aos mercados interno e externo; estímulo à acumulacão e ao investimento produtivo -Mas por que na Inglaterra e naquele momento?

8 3- As origens da Revolução Industrial

9 A Inglaterra no séc. XVIII - Era uma nação de lojistas, por isso mesmo muito voltada ao comércio - Forte relação entre Estado, Guerra e Comércio - Proprietários de terra passam a ter interesse na indústria e o poder político dos produtores manufatureiros era maior que o dos mercadores - Assim, houve forte protecionismo à indústria, antes do liberalismo…

10 Condições pré-existentes - aceleração do crescimento em virtude das transformações econômicas e sociais - Conjunção de fatores internos e externos - Descarta explicações apenas por fatores como dotação natural de recursos, população ou mesmo volume de comércio - Mesmo as condições de acumulação são insuficientes para explicar o fenômeno - Qual teria sido a centelha?

11 Lucro e inovação - O enigma está entre a obtenção de lucro e a inovação tecnológica - E qual a relação entre ambos? É imediata? - Por que a busca do lucro nas sociedades pré- industriais não levam à sucessão de inovações? - Como os homens de negócios tornaram-se empreendedores fabris? - Duas origens: a indústria doméstica autônoma e o comerciante manufatureiro

12 4- As condições que viabilizaram a RI

13 A) mercado interno: papel gradual, ampla diversificação e especialização da produção; construção de infra-estrutura, demanda por alimento e combustível, bens de toda ordem - Supriu a fogueira de combustível e de ventilação suficientes (H, p 45) Fatores principais: mercado interno, mercado externo e governo

14 - B) mercado externo: expandiu-se enormemente, aumentando a razão geométrica. - Entre 1780 e 1800, exportações passam de 14 para 42 milhões de Libras - o país que conseguisse concentrar os mercados de exportação de outros povos tornava a RI não só viável como automática (H, p 46) - com isto eliminava a possibilidade de outras nações o fazerem Fatores principais…

15 - C) Governo: Grã Bretanha disposta a subordinar toda a política externa a interesses econômicos - As guerras garantiram o monopólio sobre as colônias e criaram enorme demanda para o investimento privado, inclusive em infra- estrutura - Ademais: agiu nos cercamentos via Parlamento, criou legislação tarifária e de regulamentação favorável à indústria local

16 5- Máquinas, maquinismo e grande indústria

17 Qual a diferença entre uso de máquinas e maquinismo? - O que é recente não são as máquinas, mas o maquinismo…Para que o maquinismo reine não basta que a máquina concorra para a produção: é preciso que ela se tenha convertido no fator essencial, que ela determine a quantidade, a qualidade e o preço de custo dos produtos (M, p178-9) - A grande revolução foi a produção fabril em larga escala, o extraordinário acúmulo de capital e a separação de classes

18 Características da transição da Manufatura para a Grande Indústria -Período -Sistema -Capital empregado -Meio de produção -Agricultura -Atores sociais na produção ManufaturaGrande IndústriaCaracterísticas Séc. XVI a XVIII Doméstico Comercial, fundiário, financeiro Ferramentas e máquinas isoladas Subsistëncia, renda complementar Mestre artesão, mercador manuf. Séc. XVIII – Fabril Comercial, fundiário, financeiro, industrial Máquinas – Maquinismo Capitalista – p/ mercado Capitalista, proletariado

19 Características da transição da Manufatura para a Grande Indústria – Organização do Trabalho Manufatura Grande Indústria -Processo fabricação simples -Ferramentas como extensão dos braços -Homem define ritmo -Trabalho em domicílio e familiar -Operários domiciliares -Caráter individual da produção -Tempos livres -Processo complexo -Máquina comanda braços -Máquina define ritmo -Concentração em fábricas -Proletariado industrial -Caráter coletivo -Disciplina das fábricas

20 6- Características do desenvolvimento tecnológico na Rev. Industrial

21 Indústria têxtil do algodão: - gargalos tecnológicos criavam necessidade de inovação - desenvolvimento técnico pelo aprimoramento e invenção de novas máquinas - empirismo Força motriz: da água para o vapor (fundamento científico) Fonte de energia: carvão mineral Metalurgia Estradas de ferro As principais indústrias

22 Processo longo, baseado na transformação da base social de produção Deu início ao maquinismo que é a produção pelas máquinas e a produção de máquinas por máquinas Crescimento dos mercados interno e externo, como combustível e centelha, e estímulo do governo Foi uma revolução de natureza tecnológica e empírica, já abrindo caminhos para o uso sistemático da ciência pela indústria – tema fundamental da próxima aula Conclusão


Carregar ppt "Aula A Primeira Revolução Industrial: transição para o capitalismo. Manufatura e Grande Indústria. O nascimento da fábrica Ciência, Tecnologia e Sociedade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google