A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Riscos naturais 1.Introdução: A Pedra do Sol 2.Riscos naturais (geológicos) 3.Conduta e procedimentos diante de riscos e catástrofes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Riscos naturais 1.Introdução: A Pedra do Sol 2.Riscos naturais (geológicos) 3.Conduta e procedimentos diante de riscos e catástrofes."— Transcrição da apresentação:

1 Riscos naturais 1.Introdução: A Pedra do Sol 2.Riscos naturais (geológicos) 3.Conduta e procedimentos diante de riscos e catástrofes

2 A Pedra do Sol Teotihuacán (México)

3 A Pedra do Sol A Pedra do Sol ou Calendário asteca É um relevo escultórico de aproximada- mente 358 cm de diâmetro e espessura de 15 cm. Foi localizado enterrado perto da Catedral da Cidade do México.

4 A Pedra do Sol Os símbolos centrais da Pedra do Sol representam uma antiga lenda. Os indígenas mexicanos achavam que o mundo atual era somente uma etapa de um processo. Antes de nossa Era tinham existido 4 idades ou Sóis.

5 A Pedra do Sol O primeiro Sol, ou idade da água acabou quando as águas arrasaram toda a civilização existente. A idéia de uma grande inundação ou Dilúvio Universal é comum em muitas civilizações

6 A Pedra do Sol O segundo Sol, ou idade do jaguar concluiu quando o céu obscureceu e todos os animais comeram-se uns aos outros e, no final os jaguares devoraram os humanos. Cinzas vulcânicas Impacto meteorítico

7 A Pedra do Sol O terceiro Sol, ou idade da chuva (de fogo) acabou quando do céu choveram fogo, areia e rochas ardentes e avermelharam as montanhas. Erupção vulcânica

8 A Pedra do Sol O quarto Sol, ou idade do vento acabou de forma catastrófica quando tudo foi devastado pela fúria do ar. Furacão

9 A Pedra do Sol A quinta idade, ou idade do Sol em movimento é a civilização atual. Nela os deuses puseram sobre a Terra a nossa espécie. Os astecas asseguravam que nesta idade a evolução seria muito rápida. O final chegará quando o Sol se apagar.

10 A Pedra do Sol A nossa estrela, o Sol acabará a sua vida dentro de, aproximadamente, 5 bilhões de anos.

11 A Pedra do Sol Em outros ambientes culturais, também as religiões, mitos e lendas estão infestados de relatos de riscos e catástrofes. O Dilúvio UniversalA abertura do Mar Vermelho Um tsunami?

12 A Pedra do Sol Em nosso ambiente cultural, também as religiões, mitos e lendas estão infestados de relatos de catástrofes. O desaparecimento da Atlântida A explosão de Tera (Santorini)

13 A Pedra do Sol A lenda da Pedra do Sol relata desde uma perspectiva catastrofista e cíclica a evidente submissão da Humanidade à capacidade destrutiva da Natureza. O nosso planeta está hoje em dia sujeito a muitos riscos...

14 A Pedra do Sol RISCO GEOLÓGICO O conceito de risco surge da idéia de interferência entre os processos geológicos e a presença humana ou o uso que esta faz do território. PROCESSO NATURAL ATIVIDAE HUMANA RISCO

15 A Pedra do Sol Terremotos, enchentes, furacões, vulcões, tsunamis, bem como outros fenômenos naturais são evidência do dinamismo geológico do planeta. Seus efeitos podem causar danos às pessoas, à infra-estrutura ou ao equilíbrio ambiental.

16 A Pedra do Sol Prevenção é fundamental para reduzir desastres naturais. Para que ela se efetive precisamos nos apoiar na educação e na divulgação do conhecimento. A mídia (jornais, revistas, televisão, rádio, cinema, etc.) possui grande audiência e capacidade de impacto social. Por isso, podem desempenhar um papel muito relevante no tratamento claro e rigoroso dos riscos naturais.

17 O tsunami do Índico Condiç õ es: 1.Terremoto de epicentro marino 2. Magnitude superior a Mecanismo focal com forte componente vertical no deslocamento do plano de falha. Como se origina um tsunami? Em 26 de dezembro de 2004, se produziu um terremoto de magnitude 9,2. O epicentro se situou a 250 km da cidade de Banda Aceh, na ilha de Sumatra (Indonésia).

18 O tsunami do Índico Ao final morreram mais de pessoas, delas foram catalogadas como desaparecidas Mais de pessoas foram mobilizadas pelo terremoto e tsunami posterior em mais de 10 países no sul da Ásia e África oriental pessoas morreram na Indonésia. No Sri Lanka ao redor de Na Índia ao menos Cerca de pessoas morreram, perto da costa ocidental da Tailândia Na Somália 150 personas etc.

19 O tsunami do Índico e a história de Tilly Smith Tilly Smith, uma menina britânica de 10 anos salvou a vida de uma centena de pessoas em uma praia da Tailândia. Muitos viram o afastamento da água na praia, mas só Tilly soube interpretá- lo. A INFORMAÇAO PODE SALVAR VIDAS !!

20 mortos Desastres naturais produzidos em Mayo Enero Febrero Marzo Abril Junio 2005Julio 2005 Agosto 2005 Septiembre Octubre 2005 Diciembre Noviembre Enero 2006 Febrero 2006 Diciembre SUMATRA ~ mortos! PAQUISTAO ~ mortos! AS VÍTIMAS DOS RISCOS

21 AS CATÁSTROFES SÃO NOTÍCIA

22 RISCOS NATURAIS 18de março, h06 GMT (Brasília) Vítimas de tsunami ainda precisam de US$ 5 bi, diz banco O Banco de Desenvolvimento da Ásia disse que mais de US$ 5 bilhões ainda são necessários para financiar a reconstrução de países do Sudeste Asiático atingidos pelo tsunami em dezembro do ano passado. Numa conferência em Manila, capital das Filipinas, o banco disse que esse dinheiro é necessário especialmente para a reconstrução nos quatro países mais afetados: Índia, Indonésia, Maldivas e Sri Lanka. Os últimos números, divulgados em fevereiro, informam que já foram doados US$ 7 bilhões por instituições privadas e por países de todo o mundo. Segundo a correpondente da BBC Kylie Morris, o presidente do Banco de Desenvolvimento da Ásia, Haruhiko Kuroda, disse que as atenções do mundo devem continuar a se concentrar no tipo de ajuda necessária para a região. 04/03/ h19 - Atualizado em 04/03/ h13 Duas crianças morrem afogadas em inundação em MG Chuva provocou estragos e surpreendeu as duas vítimas enquanto dormiam na capital. Força da água derrubou muros de residências na Região Nordeste de Belo Horizonte. Duas crianças, de 7 e 10 anos, morreram afogadas durante a enchente que atingiu Belo Horizonte, na madrugada desta terça-feira (4). Pelo menos três bairros da Região Nordeste da capital mineira ficaram alagados depois da chuva, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. As duas vítimas dormiam em um quarto, que ainda estava cheio de água na manhã desta terça-feira. Segundo os bombeiros, os meninos morreram afogados. A água deixou marca na parede. Ainda de acordo com os moradores, choveu por cerca de 40 minutos e a força da água foi tanta que derrubou paredes e muros. 23/04/2008 Tremor de 5,2 graus na escala Richter atinge SP e é sentido em outros 4 Estados Da Redação* Em São Paulo e em Brasília Um terremoto de 5,2 graus de magnitude na escala Richter atingiu diversas regiões de São Paulo na noite desta terça-feira (22), e foi sentido em mais quatro Estados.diversas regiões de São Paulo O epicentro foi no mar, a 215 km da costa do Estado de São Paulo, segundo informação do Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (UnB). O fenômeno foi registrado às 21h00min48 e durou três segundos. O tremor foi um dos sete maiores em magnitude registrados por sismógrafos no país, segundo o professor George Sand França, da UnB, novos tremores não estão descartados nas próximas horas. novos tremores não estão descartados Moradores de edifício no Butantã, em SP, abandonaram suas casas e relataram que parede interna ficou rachada com o tremor 1) Os eventos catastróficos adquirem interesse informativo por causa de sua magnitude e gravidade de suas consequências. 2) As notícias de catástrofes chamam imediatamente a atenção dos leitores, ouvintes ou espectadores. 3) O que as pessoas deveriam saber?

23 Do ponto de vista da comunicaç ã o social da Geologia, as notícias de catástrofes aproveitam suficientemente sua capacidade de impacto e influência para proporcionar uma informaç ã o objetiva dos fenômenos? AS NOTíCIAS DE CATÁSTROFES O que fazer durante um terremoto? Que devemos fazer diante de uma erupç ão vulcánica? Estamos conscientes do risco de uma avalanche de neve ou de uma queda de rocha? Onde e quando é mais acentuado o perigo de enchente? Sabemos se nossa casa atende as normas de resistência a sismos? Qual é a probabilidade de um impacto de meteorito? Pode se produzir um tsunami catastrófico no litoral do Brasil?

24 > O rigor científico baixo AS NOTÍCIAS DE CATÁSTROFES A enchente é culpa da vegetaç ã o ou do lixo?

25 > Atenç ão excessiva ao sensacionalismo AS NOTÍCIAS DE CATÁSTROFES Alguém lembra a tragédia do Nevado del Ruiz (Colômbia) de 1985? como se produziu essa catástrofe? o que é um lahaar? podia se evitar esse desastre? quantas pessoas morreram? e o evento anterior do século XIX? Nevado del Ruiz (5400 m)

26 > O interesse reduzido pelas medidas de proteç ão AS NOTÍCIAS DE CATÁSTROFES

27 Código de práticas informativas no tratamento de riscos e catástrofes naturais S olidariedade: Promover sentimentos e valores. C onsciência da importância de estabelecer um protocolo próprio para garantir um tratamento adequado das notícias de catástrofes naturais. A ntecipaç ã o ao acontecimento: fundo documental de imagens, animações, etc. T ratamento científico rigoroso: descrição clara do processo e fatores desencadeantes. A ssessoramento especializado: contato com pessoas e instituições para garantir o rigor. S ensibilidade na consideração humana das vítimas e suas famílias. T ranscendência: é importante divulgar todos os tipos de riscos. R esponsabilidade sobre os conteúdos: fugir do alarmismo e sensacionalismo. O portunidade: para fazer chegar aos cidadãos algumas idéias sobre prevenção. F ormação de técnicos e comunicadores. E sforço no tratamento didático. C A T A S T R O F E S


Carregar ppt "Riscos naturais 1.Introdução: A Pedra do Sol 2.Riscos naturais (geológicos) 3.Conduta e procedimentos diante de riscos e catástrofes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google