A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programa de Desenvolvimento da Indústria Cerâmica na Bacia do PR III

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programa de Desenvolvimento da Indústria Cerâmica na Bacia do PR III"— Transcrição da apresentação:

1 Programa de Desenvolvimento da Indústria Cerâmica na Bacia do PR III

2 Santa Terezinha de Itaipu São Miguel do Iguaçu São Pedro do Iguaçu
MUNICÍPIOS INTEGRANTES Altônia Cascavel Céu Azul Diamante D´oeste Entre Rios do Oeste Foz do Iguaçu Guaíra Itaipulândia Marechal C. Rondon Maripá Matelândia Medianeira Mercedes Missal Nova Santa Rosa Ouro Verde do Oeste Pato Bragado Quatro Pontes Ramilândia Santa Helena Santa Tereza do Oeste Santa Terezinha de Itaipu São Miguel do Iguaçu São Pedro do Iguaçu São José das Palmeiras Terra Roxa Toledo Vera Cruz do Oeste

3 SINDICER SEBRAE ANICER DNPM MINEROPAR SEMA IAP FIEP IBAMA ITAIPU IPEM
PARCEIROS ESTRATÉGICOS SINDICER SEBRAE ANICER DNPM MINEROPAR SEMA IAP FIEP IBAMA ITAIPU IPEM EMPRESÁRIOS

4 Aumentar a competitividade e sustentabilidade do setor da
Cerâmica Vermelha Objetivo Geral Aumentar a competitividade e sustentabilidade do setor da indústria de cerâmica vermelha

5 Empresas do setor cerâmico localizadas na
Cerâmica Vermelha Público Alvo Empresas do setor cerâmico localizadas na Bacia do Paraná III e afiliadas ao Sindicato das Indústrias Cerâmicas e Olarias

6 1. Busca de novos mercados 2. Adequação das empresas a legislação
Cerâmica Vermelha Foco Estratégico 1. Busca de novos mercados 2. Adequação das empresas a legislação mineral ambiental 3. Padronização e certificação dos produtos disponibilizados ao mercado 4. Desenvolvimento de novos produtos 5. Melhoria da produtividade e investimento em P&D para inovação de insumos, processos e produtos 6. Qualificação de empresários e colaboradores

7 Resultados Principais
Cerâmica Vermelha Resultados Principais Aumentar o faturamento das indústrias cerâmicas Indústrias cerâmicas utilizando insumos e matéria prima sustentáveis (de acordo com a legislação ambiental) 1 2

8 Resultados Intermediários
Aumentar a produtividade (volume de produção/trabalhador) das indústrias cerâmicas. Indústrias cerâmicas com no mínimo um produto diferenciado em relação aos atuais. Cerâmica Vermelha Resultados Intermediários Ter todas as indústrias cerâmicas com produtos adequados às normas da ABNT conforme exigências da legislação vigente. 3 Diminuir o consumo de insumos energéticos (produtos de queima e energia elétrica) em relação a produção das indústrias cerâmicas. 4 5 6

9 Quadro 1: Ações / Responsabilidades
10 – Palestras Técnicas 9 – Cursos de Gestão Empresarial 7 – Consultorias em comercialização e Mkt 6 – Encontros de negócios 5 – Constituição de cooperativa de ceramistas 4 – Adequação de lei de uso e ocupação do solo para cerâmicas vermelha 3 – Custos e despesas de operacionalização 2 – Pesquisa e avaliação 1 – Assessoria a empresários do setor Responsabilidades Ações SEBRAE / SINDICER SEBRAE SEBRAE / SINDICER DNPM - PR SEBRAE / SINDICER SINDICER SEBRAE 8 – Implantação de plano de marketing SEBRAE / SINDICER SEBRAE SEBRAE 11 – Seminários técnicos e gerenciais SEBRAE 12 – Missões/caravanas técnicas SINDICER 13 – Qualificação de mão-de-obra SINDICER 14 – Cursos área tecnológica SINDICER SINDICER 15 – Adequação de produtos ao mercado

10 Quadro 1: Ações / Responsabilidades
25 – Site Sindicer Oeste e Cerâmicas 24 – Consultorias tecnológicas Responsabilidades Ações 16 – Elaborar projetos de viabilidade para adequação de planta produtiva SEBRAE 17 – Consultoria para adequação/ atualização dos equipamentos. SINDICER 18 – Instalação de laboratório de análise IPEM 19 – Assessoria para legalização da lavra de argila SINDICER 20 – Mapeamento / identificação de argila MINEROPAR 21 – Implantação do PBQP-H SEBRAE / SENAI 22 – Preparação Certificação dos produtos SEBRAE 23 – Pesquisa e desenvolvimento de produtos de queima SINDICER SEBRAE SEBRAE / SINDICER

11 Gestão do projeto A implantação das ações será realizada mediante sistema de gestão constituído pelos seguintes agentes: Comitê Gestor – constituído por representantes das entidades parceiras e empresários para debater permanentemente o andamento do projeto Gerente - executivo responsável pela implantação do projeto, integração das ações, negociação com parceiros e obtenção dos resultados Coordenador de ação – responsável pela implantação da ação em cada entidade executora

12 Gestão do Projeto O gerenciamento do projeto observa os seguintes princípios: uma organização baseada em projeto, com objetivos, indicadores, ações e metas a designação de um gerente para o projeto, responsável pela obtenção de resultados cooperação, em todos os níveis, para superar restrições à implantação a busca de um fluxo regular e adequado de recursos, mediante a realização físico-financeira do projeto e respectivas comprovações em tempo hábil em conformidade com as Normas sistema de informações gerenciais, em meio eletrônico, com acesso partilhado entre o gerente e todos os demais gestores responsáveis por decisões relacionadas ao projeto gestão de parcerias e partes interessadas

13 Gestão do projeto – Papel dos parceiros
Cabe às entidades responsáveis pela execução do projeto alocar os recursos e cumprir as metas contratualizadas no Acordo de Resultados negociar e articular ações específicas com o gerente do projeto designar pessoa para coordenar as ações a seu cargo, assegurar o fluxo de informações e colaborar na solução de restrições na esfera da instituição apoiar a gestão e o monitoramento do projeto

14 Monitoramento e Avaliação
O monitoramento do projeto terá como referência: os dados gerais do projeto os resultados a execução física a execução financeira o cumprimento de metas a identificação e solução de restrições O monitoramento será apoiado por sistema de informações gerenciais Será elaborado relatório trimestral de monitoramento, direcionado para as diretorias dos parceiros, como instrumento de apoio à gestão Será realizada a avaliação de resultados (principais, intermediários e das metas das ações) bem como dos demais aspectos relacionados à eficiência, eficácia, efetividade e economicidade das ações do projeto

15 Cerâmica Vermelha - Bacia do Paraná III Foco Estratégico
O foco estratégico das ações está direcionado para o aumentar da competitividade e sustentabilidade das indústrias cerâmicas e olarias participantes do projeto, tendo em conta a sustentabilidade ambiental e social, com ênfase para: Busca de novos mercados Adequação das empresas a legislação mineral e ambiental Padronização e certificação dos produtos disponibilizados ao mercado Desenvolvimento de novos produtos Qualidade do produto, contemplando ensaios e normatização Melhoria da produtividade Investimento em P&D para inovação de insumos, processos e produtos Capacitação e qualificação de empresários e colaboradores

16 Cerâmica Vermelha - Bacia do Paraná III Foco Estratégico (cont.)
Esforço intenso de capacitação em funções básicas da gestão empresarial (planejamento e controle da produção, marketing, vendas, custos, finanças e recursos humanos. Qualificação da mão-de-obra em processos de fabricação. Design, mediante consultorias específicas e workshop sobre tendências. Acesso a mercados, contemplando ações de prospecção e promoção comercial com feiras, rodadas de negócios e estruturação de redes de representantes. Divulgação institucional,capacitação de lideranças e fortalecimento do grupo gestor. Viabilização de fontes de financiamento (acesso ao crédito). Otimização de logística de distribuição.

17 Obrigado ! Orestes Hotz Consultor do Sebrae/PR
Fone:


Carregar ppt "Programa de Desenvolvimento da Indústria Cerâmica na Bacia do PR III"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google