A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Revisão 00 – Junho/ 2011 – Sindicarga-Prevecont Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente Análise Sintética do Transporte Rodoviário no Brasil (Entrave.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Revisão 00 – Junho/ 2011 – Sindicarga-Prevecont Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente Análise Sintética do Transporte Rodoviário no Brasil (Entrave."— Transcrição da apresentação:

1 Revisão 00 – Junho/ 2011 – Sindicarga-Prevecont Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente Análise Sintética do Transporte Rodoviário no Brasil (Entrave para o setor) FRETE DEFASADO

2 Introdução Como apresentado anteriormente, a atividade de Transporte Rodoviário, principalmente a de Produtos Perigosos, com especial destaque para os Combustíveis, enfrenta vários entraves, como por exemplo, o FRETE DEFASADO há mais de uma década. Atualmente, o frete não cobre sequer os custos e despesas para a própria realização da atividade de Transporte de Produtos Perigosos, fomentando a falta de mão-de-obra e inviabilizando o investimento do transportador em novas tecnologias.

3 1938 O Transporte de Petróleo e seus derivados declarados como atividade de utilidade pública. (Decreto-Lei 395 de 1938) O Transporte de Petróleo e seus derivados declarados como atividade de utilidade pública. (Decreto-Lei 395 de 1938)

4 Planilha de Custos – Impacto dos itens em % (Truck de 15m³ - City Market – Entrega de Combustíveis) Custos Fixos2011 Depreciação (5 anos)12,8473 % Exigências Legais para o Equipamento (Selagem Cronotacógrafo/ CIV/ CIPP/ IPVA/ CRLV) 1,8839 % Seguro do Casco4,8676 % Seguro Responsabilidade Civil Facultativo c/ 3ºs0,9021 % Salário do Motorista (Fixo + Comissão + Encargos + Férias)45,5392 % Custo de Oficina3,2374 % Custo de Administração7,0801 % Remuneração do Capital5,5060 % Pessoal de Apoio2,1466 % Rastreamento + Comunicação Embarcada0,7795 % Pintura padrão/ adesivação0,3609 % Pis/ Cofins8,6792 % Lucro4,2575 % CSLL e IRPJ (Lucro)1,9128 % Custos Fixos Pagos pelo Frete Custos Fixos Não Pagos pelo Frete Custos Fixos não remunerados pelo frete pago

5 Dos 14 itens que compõem os Custos Fixos da tabela apresentada, apenas o motorista é remunerado. Conseqüentemente, 13 (Treze) itens dos Custos Fixos não são remunerados pelo frete atualmente pago. Frete (Defasagem) em relação aos Custos Fixos

6 Planilha de Custos – Impacto dos itens em % (Truck de 15m³ - City Market – Entrega de Combustíveis) Custos Variáveis2011 Pneus12,5773 Combustível34,6377 Óleos Lubrificantes1,4987 Lavagem e Lubrificação13,6861 Peças e Acessórios16,1128 Seguro da Carga6,6379 Pis/ Cofins8,68 Lucro4,26 CSLL e IRPJ (Lucro)1,19 Custos Variáveis do Transporte Custos Variáveis Pagos pelo Frete Custos Variáveis Não Pagos pelo Frete (Remunerados pelo frete pago)

7 1987 O CNP temendo dificuldades no abastecimento nacional e diante da incerteza dos valores dos fretes, após estudos sobre o assunto, juntamente com representantes dos Distribuidores e Transportadores estabelecem a 1ª planilha de custos operacionais. Solução Implementada no passado

8 Total de Itens Planilhas CF + CV Número total de Itens23100% Itens Não Remunerados1356,5217 Itens Remunerados1043,4783 CF = Custos Fixos CV = Custos Variáveis

9 Conclusão 2011 O frete pago para a atividade de Transporte de Petróleo e seus derivados, atividade declarado como de utilidade pública em 1938, sequer cobre os custos para a operação. Os transportadores continuam realizando a atividade na esperança de que este cenário tenebroso sofra alterações urgentemente. Pois, todos, unanimemente, reconhecem que se medidas não forem adotadas, o Transporte Rodoviário de Combustíveis sofrerá um apagão. Como conseqüência da baixa remuneração da atividade temos reflexos diretos ilustrados pela falta de mão-de-obra qualificada e a escassez de recursos para investimento em novas tecnologias. O frete pago para a atividade de Transporte de Petróleo e seus derivados, atividade declarado como de utilidade pública em 1938, sequer cobre os custos para a operação. Os transportadores continuam realizando a atividade na esperança de que este cenário tenebroso sofra alterações urgentemente. Pois, todos, unanimemente, reconhecem que se medidas não forem adotadas, o Transporte Rodoviário de Combustíveis sofrerá um apagão. Como conseqüência da baixa remuneração da atividade temos reflexos diretos ilustrados pela falta de mão-de-obra qualificada e a escassez de recursos para investimento em novas tecnologias.

10 Análise Sintética do Transporte Rodoviário no Brasil (Entrave para o setor) FRETE DEFASADO Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente


Carregar ppt "Revisão 00 – Junho/ 2011 – Sindicarga-Prevecont Palestrante: FRANCESCO CUPELLO Presidente Análise Sintética do Transporte Rodoviário no Brasil (Entrave."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google