A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALÉIAS ACADÊMICA MARIANA DIONISIO 4º ANO –FAMEMA 2010 PROF. Dr. Milton Marchioli.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALÉIAS ACADÊMICA MARIANA DIONISIO 4º ANO –FAMEMA 2010 PROF. Dr. Milton Marchioli."— Transcrição da apresentação:

1 CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALÉIAS ACADÊMICA MARIANA DIONISIO 4º ANO –FAMEMA 2010 PROF. Dr. Milton Marchioli

2 Conceito: Toda dor que acomete a região da cabeça, e vai desde os olhos até a implantação do cabelo, na região da nuca. Segundo o OMS, é uma das razões mais comuns de procura ao atendimento médico. A dor interfere nas atividades diárias do indivíduos, gerando restrições funcionais, sociais, familiares e emocionais.

3 o CLASSIFICAÇÃO DE CEFALÉIAS SEGUNDO A INSTALAÇÃO DA DOR: EXPLOSIVAS: surgem abruptamente atingindo intensidade máxima instantaneamente AGUDAS: atingem a intensidade máxima em minutos ou poucas horas. SUBAGUDAS: instalação insidiosa e evolução progressiva, atingindo o ápice em poucos dias ou meses (até 3) CRÔNICAS: persistem por meses ou anos, podem ser progressivas ou não

4 Classificação de cefaléias segundo a etiologia: Cefaléias Primárias X Cefaléias secundárias Sem etiologia demonstrável por exames clínicos ou laboratoriais. Provocadas por doenças observadas em exames clínico ou laboratoriais

5 Classificação das Cefaléias Primárias Enxaqueca ( Migraine) Cefaléia do Tipo Tensional Cefaléia em Salvas ( Cluster Headache) e outras cefalalgias trigêmio- autonômicas. Outras Cefaléias Primárias: Tipo guinada Stabbing Tosse Exercício Atividade sexual: Pré-orgásmica ou Orgásmica Hípnica Explosiva Tunderclap Hemicrânia contínua Persistente diária, de novo (NDPH)

6 Classificação das Cefaléias Secundárias Cefaléia atribuída a trauma cefálico e/ou cervical Cefaléia atribuída a doença vascular craniana ou cervical Cefaléia atribuída a transtorno intracraniano não-vascular Cefaléia atribuída a substâncias ou sua privação Cefaléia atribuída a infecção Cefaléia atribuída a transtorno da homeostase Cefaléia ou dor facial atribuída a transtorno do crânio, pescoço, olhos, ouvidos, nariz, seios da face, dentes, boca ou outras estruturas faciais ou cranianas Cefaléia atribuída a transtorno psiquiátrico

7 1)CEFALÉIA MIGRÂNEA (ENXAQUECA) A cefaléia preenche ao menos 2 das seguintes características: Durante a cefaléia, pelo menos 1 dos seguintes: 1. localização unilateral (geralmente) 2. caráter pulsátil 3. intensidade moderada a forte 4. exacerbada por atividades físicas rotineiras (por exemplo: caminhar ou subir escada), ou levando o indivíduo a evitá-las 1. náusea e/ou vômitos 2. fotofobia e fonofobia

8 TIPOS: 1.1) Migrânea sem aura 1.2) Migrânea com aura 1.3) Síndromes periódicas da infância comumente precursoras de migrânea 1.4 ) Migrânea retiniana 1.5) Complicações da migrânea 1.6 ) Provável migrânea

9 1.1 MIGRÂNEA SEM AURA Pelo menos 5 crises Cefaléia durando de 4 a 72 horas (sem tratamento ou com tratamento ineficaz)

10 1.2) MIGRÂNEA COM AURA todos: pelo menos 2 crises!! aura típica: distúrbio visual constituídos por pontos luminosos, ziguezagues brilhantes, perda ou distorção de uma parte da visão (escotomas) que iniciam-se na região central do campo visual e caminha para os lados até desaparecer no campo temporal. Aura típica c/ cefaléia migranosa ( aura: 5-60 min) Aura típica c/ cefaléia não-migranosa (aura: > 60min) Aura típica sem cefaléia (Não ocorre cefaléia nem durante a aura nem dentro de 60 minutos após a mesma)

11 Migrânea Hemiplégica Familiar (MHF) (Aura constituindo em paresia, tendo cada sintoma duração de 5min-24h) Migrânea Hemiplégica Esporádica Migrânea Basilar (Aura de 5-60min consistindo em pelo menos dois dos seguintes sintomas totalmente reversíveis, mas sem paresia: 1. disartria 2. vertigem 3. zumbido 4. hipoacusia 5. diplopia 6. sintomas visuais (simultâneo nos campos temporal e nasal dos dois olhos) 7. ataxia 8. diminuição no nível de consciência 9. parestesias bilaterais simultâneas)

12 1.3 SÍNDROMES PERIÓDICAS DA INFÂNCIA COMUMENTE PRECURSORAS DE MIGRÂNEA Vômitos cíclicos ( pelo menos 2 crises com náusea intensa e vômito, sendo > 3 vômitos / hora em cada crise) Migrânea abdominal (>4 crises de dor abdominal durando de 1 a 72h) A dor abdominal tem todas as seguintes características: 1. localização na linha média, periumbilical ou mal localizada 2. caráter em peso ou simplesmente dor 3. intensidade moderada ou forte Durante a dor abdominal, ao menos dois dos seguintes: 1. Anorexia 2. Náusea 3. Vômito 4. Palidez Vertigem paroxística benigna da infância

13 1.5 COMPLICAÇÕES DA MIGRÂNEA Migrânia Crônica ( Migrânea sem aura em 15 dias por mês por > 3 meses) Estado Migranoso (> 3 dias de cefaléia) Aura Persistente sem Infarto Infarto migranoso Crise Epilética desencadeada por migrânia

14 1.6 PROVÁVEL MIGRÂNEA Crises preenchendo todos menos um dos critérios Não atribuível a outro transtorno Provável migrânea sem aura Provável migrânea com aura Provável migrânea crônica

15 2)C EFALÉIA DO TIPO TENSIONAL A cefaléia tem pelo menos duas das seguintes características: E ambos os seguintes: Pode haver ou não hiperalgesia e hipertonia da musculatura pericrania (tensão muscular na cabeça, pescoço e ombros) Geralmente é associada ao estresse físico e/ou emocional ou a posição Pode ser frontal, occipital ou holocraniana 1. localização bilateral, região posterior e sobre os olhos 2. caráter em pressão/aperto (não pulsátil)- compressão 3. intensidade fraca ou moderada 4. não é agravada por atividade física rotineira como caminhar ou subir escadas 1. ausência de náusea ou vômito (anorexia pode ocorrer) 2. fotofobia ou fonofobia (apenas uma delas pode estar presente)

16 Cefaléia do tipo tensional episódica infreqüente: pelo menos 10 crises de 30min a 7 dias ocorrendo em < 1 dia/mês em média (< 12 dias/ano) Cefaléia do tipo tensional episódica freqüente: pelo menos 10 crises de 30min a 7 dias que ocorrem em 1 dia, porém < 15 dias por mês durante pelo menos 3 meses ( 12 dias e <180 dias por ano) Cefaléia do tipo tensional crônica: crises de 30min a 7 dias que ocorre em 15 dias por mês, em média, por > três meses ( 180 dias por ano) Provável cefaléia do tipo tensional: Crises preenchendo todos os critérios, exceto um (Pode ser infrequente, frequente ou crônica)

17 3)CEFALÉIA EM SALVAS E OUTRAS CEFALALGIAS TRIGÊMIO-AUTONÔMICAS Dor forte/muito forte, unilateral, orbitária, supra-orbitária e/ou temporal A cefaléia acompanha-se de pelo menos um dos seguintes: Episódicas:Pelo menos dois períodos de crises durando de sete a 365 dias e separados por períodos de remissão sem dor 1 mês Crônicas:As crises recorrem por > 1 ano sem períodos de remissão ou com períodos de remissão durando < 1 mês 1. hiperemia conjuntival e/ou lacrimejamento ipsilaterais 2. congestão nasal e/ou rinorréia ipsilaterais, pode haver prurido 3. edema palpebral ipsilateral 4. sudorese frontal e facial ipsilateral 5. miose e/ou ptose ipsilateral 6. sensação de inquietude ou agitação

18 TIPOS: Cefaléia em salvas (Pelo menos cinco crise de min com uma freqüência de uma a cada 2 a 8 dias) Hemicrania paroxística (Pelo menos 20 crises de dois a 30 min com uma freqüência superior a 5 por dia em mais da metade do tempo, ainda que períodos de menor freqüência possam ocorrer) Cefaléia de curta duração, unilateral, neuralgiforme com hiperemia conjuntival e lacrimejamento ( SUNCT ) (Pelo menos 20 crises de cinco a 240 segundos com freqüência de três a 200 por dia) Provável cefaléia trigêmino-autonômica

19 O BRIGADA !!


Carregar ppt "CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALÉIAS ACADÊMICA MARIANA DIONISIO 4º ANO –FAMEMA 2010 PROF. Dr. Milton Marchioli."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google