A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ROTEIRO DE ESTUDOS 1º. ANO Ensino Médio Beatriz Buganeme Lingüista.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ROTEIRO DE ESTUDOS 1º. ANO Ensino Médio Beatriz Buganeme Lingüista."— Transcrição da apresentação:

1

2 ROTEIRO DE ESTUDOS 1º. ANO Ensino Médio Beatriz Buganeme Lingüista

3 CAI TUDO! Estude pelo caderno, livro e folhetos. VARIAÇÕES LINGÜÍSTICAS FUNÇÕES DA LINGUAGEM TEXTO VERBAL / NÃO VERBAL ORTOGRAFIA / PORQUÊS CONOTAÇÃO / DENOTAÇÃO PARALELISMOS FIGURAS SONORAS

4 COMPREENSÃO LEITORA Como ler um texto? Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto. Qual o CONTEXTO do texto? A quem se dirige? Quem escreve? Ler com perspicácia. Volte ao texto.

5 Partir o texto em pedaços (parágrafos, partes) para melhor compreensão. Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada questão. Cuidado com os vocábulos: destoa (=diferente de...), não, correta, incorreta, certa, errada, falsa, verdadeira, exceto, e outras.

6 Não se deve procurar a verdade exata dentro daquela resposta, mas a opção que melhor se enquadre no sentido do texto. O autor defende idéias. Quais? Os adjuntos adverbiais e os predicativos do sujeito são importantes na interpretação do texto.

7 Quem escreve? Quem lê? Quando alguém escreve um texto há sempre, invariavelmente, um objetivo central nessa atitude. Todo texto,em princípio, quer dizer algo,comunicar.

8 MODALIDADES DISCURSIVAS MODALIDADES DISCURSIVAS constituem as estruturas e as funções sociais (narrativas, dissertativas, argumentativas, procedimentais e exortativas), utilizadas como formas de organizar a linguagem.

9 NARRAÇÃO DESCRIÇÃO DISSERTAÇÃOVestibulares Textos híbridos Verbais TEXTOS Não verbais

10 GÊNEROS TEXTUAIS Gêneros textuais são tipos específicos de textos de qualquer natureza, literários ou não. Dessa forma, podem ser considerados exemplos de gêneros textuais: anúncios, convites, atas, avisos, programas de auditórios, bulas, cartas, comédias, contos de fadas, convênios, crônicas, editoriais, ementas, ensaios, entrevistas, circulares, contratos, decretos, discursos políticos, histórias, instruções de uso, letras de música, leis, mensagens, notícias.

11

12

13

14 15/07/2007 Folha de S.Paulo

15 CONHECIMENTOS GRAMATICAIS SINTAXE –Sujeito / Predicado –Complementos Verbais (OD / OI) –Complementos Nominais (CN) –Agente da Passiva –Adjunto Adnominal (aa) –Adjunto Adverbial (AA) –Predicativos (OS / PO) –Aposto –Vocativo

16 CONHECIMENTOS GRAMATICAIS MORFOLOGIA SUBSTANTIVO ADJETIVO ARTIGO PRONOME NUMERAL VERBO ADVÉRBIO PREPOSIÇÃO CONJUNÇÃO INTERJEIÇÃO

17 Expressão que designa um ser através de alguma de suas características ou atributos, ou de um fato que celebrizou. A cidade luz continua atraindo visitantes do mundo todo. (cidade luz = Paris) O Príncipe dos poetas também teve outras atividades que o tornaram famoso; por exemplo: a luta pelo serviço militar obrigatório. (Príncipe dos poetas = Olavo Bilac) O Presidente dos Pobres suicidou-se em (Presidente dos Pobres = Getúlio Vargas) antonomásia.A Cidade Maravilhosa segue cheia de sol. (Cidade maravilhosa = Rio de Janeiro) Quando a perífrase indica uma pessoa, recebe o nome de antonomásia.

18 FIGURAS FONÉTICAS ONOMATOPÉIA ASSONÂNCIA ALITERAÇÃO

19 Consiste na imitação do som ou da voz natural dos seres. "Sem o coaxar dos sapos ou o cricri dos grilos como que é que poderíamos dormir tranqüilos a nossa eternidade?" (Mário Quitanda) "No Tic Tic Tac do meu coração, renascerá..." (Timbalada)

20 - "Sou um mulato nato no sentido lato mulato democrático do litoral" (Caetano Veloso - Araçá Azul) Anule aliterações altamente abusivas manual de redação humorístico (aliteração em A) É a repetição de vogais na mesma frase.

21 Consiste na repetição de fonemas no início ou interior das palavras. O rato roeu a roupa do rei de Roma. Pedro Pedreiro penseiro esperando o trem/ Manhã parece, carece de esperar também/ Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém.Chico Buarque (várias figuras)

22 CONOTAÇÃO / DENOTAÇÃO CONOTAÇÃOMETAFÓRICO DENOTAÇÃODICIONÁRIO

23 É o emprego de um termo com significado de outro em vista de uma relação de semelhança entre ambos. É uma comparação subentendida. "Não sei que nuvem trago neste peito que tudo quanto vejo me entristece..." (Alexandre de Gusmão) " Sua boca é um cadeado E meu corpo é uma fogueira" (Chico Buarque de Holanda) Não fique pensando que o povo é nada, carneiro, boiada, débil mental pra lhe entregar tudo de mão beijada. (Chico Buarque de Holanda)

24 USO DOS PORQUÊS ORTOGRAFIA Assinale a alternativa em que há apenas um vocábulo incorreto quanto à ortografia: a) amenizar / cessão / lucidez / moji b) maisena / talvez / norueguesa / asilo c) hélice / hesitar / êxito / esplêndido d) leveza / hostilizar / paralizar / surpresa e) duquesa / ascensão / ritmo / enxergar

25 Acender : Pôr fogo, ligar Ascender: Subir Decente: Decoroso; limpo Descente: Que desce; vazante Discente: Relativo a alunos Docente: Relativo a professores

26 Forma EmpregoExemplos Por que em frases interrogativas (diretas e Indiretas) em substituição à expressão pelo qual (e suas variações) Por que ele sumiu? (interrogativa direta) Digam-me por que ele sumiu. (interrogativa indireta) As ruas por que passamos eram sujas. (por que = pelas quais) Porque em frases afirmativas e respostas Não fui a festa porque choveu Por quê no final de frases Eles estão revoltados por quê? Ele não veio não sei por quê. Porquê como substantivo Todos sabem o porquê de seu medo.

27 VERBO PREFERIR (Fuvest) Indique a alternativa correta: a) Preferia brincar do que trabalhar. b) Preferia mais brincar a trabalhar. c) Preferia brincar a trabalhar. d) Preferia brincar à trabalhar. e) Preferia mais brincar que trabalhar

28


Carregar ppt "ROTEIRO DE ESTUDOS 1º. ANO Ensino Médio Beatriz Buganeme Lingüista."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google