A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO O que você deve saber sobre A crise provocada pelo fim da escravidão e pelo incentivo à imigração fez com que,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO O que você deve saber sobre A crise provocada pelo fim da escravidão e pelo incentivo à imigração fez com que,"— Transcrição da apresentação:

1 A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO O que você deve saber sobre A crise provocada pelo fim da escravidão e pelo incentivo à imigração fez com que, ao final do período imperial, os cafeicultores do oeste paulista aderissem cada vez mais à causa republicana. Em 1873, fundaram o Partido Republicano; aproximaram-se do Exército e, em 1889, derrubaram o Império.

2 A primeira fase da República no Brasil foi implementada em um governo provisório, comandado pelo marechal Deodoro da Fonseca, que nomeou Rui Barbosa como ministro da Fazenda. Sua mais urgente tarefa era solucionar a falta de papel-moeda. I. Implantação da República A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO Proclamação da República, 1893, de Benedito Calixto PINACOTECA DO ESTRADO SÃO PAULO

3 II. A política do encilhamento Salários a um número maior de pessoas Abolição da escravidão Procura por papel-moeda Encilhamento Especulação na Bolsa de Valores e grande emissão de papel-moeda Deodoro afasta Rui Barbosa Rui Barbosa autoriza bancos regionais a emitir papel- -moeda em quantidade predeterminada pelo governo. Desvalorização e inflação Desagrado aos cafeicultores A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

4 III. Constituição de 1891 O Brasil tornou-se uma República Federativa presidencialista, com voto aberto aos homens alfabetizados e maiores de 21 anos. A exclusão dos analfabetos do sistema político foi uma forma de afastar as camadas mais pobres da população desse processo. Deodoro da Fonseca foi eleito presidente de forma indireta e Floriano Peixoto, outro militar, seu vice. Juramento constitucional, 1891, de Aurélio Figueiredo MUSEU DA REPÚBLICA, RIO DE JANEIRO A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

5 IV. Governo de Deodoro da Fonseca (1891) O encilhamento desgastou a confiança que os políticos tinham em Deodoro, mas, por ser um militar, ele era fundamental para que os ideais militares estivessem na construção republicana. Deodoro só queria os militares em seu governo. Isso trouxe conflitos com a Câmara dos Deputados, que foi dissolvida por ele. Foi declarado estado de sítio e Deodoro passou a governar por decretos. A oposição aumentou e o marechal renunciou. Alegoria alusiva à primeira eleição presidencial do Brasil, 1891, de Pereira Neto REPRODUÇÃO A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

6 V. Governo de Floriano Peixoto (1891 a 1894) Para recuperar a economia, Floriano Peixoto investiu na industrialização e no combate à especulação. Os militares que o apoiavam defendiam a república, mas não o sistema federativo. A centralização preocupava a oligarquia cafeeira, que se distanciou do presidente. Revolução Federalista ( ) Revolta da Armada (1893) A repressão às revoltas foi violenta e encerrou o mandato de Floriano. Realizaram-se eleições que colocaram no poder um civil das oligarquias cafeeiras, era a República da Espada. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

7 VI. A República Oligárquica Prudente de Morais, líder do PRP e da oligarquia cafeicultora de São Paulo, foi eleito de acordo com a Constituição Republicana. Seus objetivos eram apaziguar as relações entre as diversas oligarquias brasileiras e melhorar a relação do governo central com os militares. Caricatura de Prudente de Morais REPRODUÇÃO A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

8 VI. A República Oligárquica A revolta de Canudos ( ) O beato Antonio Conselheiro comandou Canudos e mostrou aos nordestinos a existência de outra organização social que não a instituída pelos coronéis. Os coronéis atacam Canudos pois Conselheiro representava um risco para a república. Segundo os coronéis, ele pregava a defesa da monarquia. Em 1897, o exército bombardeou o povoado até sua rendição. Igreja do Bom Jesus ou Nova, em Canudos, devastada pela artilharia expedicionária (1897) FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

9 VII. Governo de Campos Salles ( ) Responsável pelas políticas (Política dos governadores e a Política do café com leite) que decidiram o relacionamento entre governo central e estados e a sucessão presidencial. Campos Salles garantiu a consolidação do coronelismo, reforçada pelo voto de cabresto e pelo curral eleitoral. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

10 VIII. Governo Rodrigues Alves ( ) Rodrigues Alves firmou o Convênio de Taubaté. Sempre que a produção excedesse a demanda internacional, o governo central compraria o restante, impedindo uma queda no preço do produto e prejuízos para os cafeicultores. Revolta da Vacina (1904) Revolta da Vacina ACERVO ICONOGRAPHIA A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

11 IX. Transformações econômicas A partir de 1906: eleições presidenciais ocorreram sem transtornos com a política do café com leite. Incentivo à industrialização e imigração, visando à formação de mão de obra e ao embranquecimento da população e 1910: Revolta da Chibata Surgimento de: Nova elite econômica Classe operária 1922: fundação do PCB e do Bloco Operário e Camponês A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

12 X. Tenentismo As classes médias urbanas buscavam o poder político, mas acordos vigentes impossibilitavam essa ascensão. É organizado o tenentismo. Suas propostas eram: fim das fraudes eleitorais, voto secreto, controle dos gastos públicos, diversificação dos setores da economia. 1922: revolta do Forte de Copacabana 1925: Coluna Prestes FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL, RIO DE JANEIRO Participantes da Coluna Prestes no marco da fronteira entre Brasil e Paraguai, A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

13 XI. O fim da Primeira República 1929: crise econômica Indicação do paulista Júlio Prestes pelo então presidente, também paulista, Washington Luís Minas Gerais e Rio Grande do Sul se opuseram e articularam a Aliança Liberal, lançando a candidatura de Getúlio Vargas. Vargas foi derrotado e a Aliança se dividiu. João Pessoa, vice de Vargas, foi assassinado, desencadeando a Revolução de Os rebeldes invadiram o Rio de Janeiro, depuseram Washington Luís e encerraram a Primeira República. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO

14 (Fuvest-SP) Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até ao esgotamento completo. (...) Caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados. CUNHA, Euclides da. Os sertões. Relacione o movimento de Canudos com: a) os problemas econômico-sociais da região; 1 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: As condições de vida da população do sertão nordestino no final do século XIX eram marcadas pela pobreza e pela marginalidade, associadas às constantes secas e à concentração de terras nas mãos dos coronéis. O Arraial de Belo Monte, no sertão baiano, era uma alternativa a quem desejasse fugir daquela estrutura excludente. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

15 b) a crença religiosa e a luta política da população. 1 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: O cotidiano da população brasileira no final do século XIX era marcado por forte religiosidade católica. No movimento de Canudos, foi fundamental a liderança do beato Antonio Conselheiro, que, recuperando o mito sebastianista, pregava a volta do rei português D. Sebastião, que salvaria seus seguidores fazendo o sertão virar mar e o mar virar sertão. Por romperem a ordem social estabelecida, os integrantes de Canudos foram acusados de monarquistas e de conspirarem contra a República. O exército brasileiro, a mando de Prudente de Morais, massacrou o arraial, na guerra acompanhada pelo jornalista Euclides da Cunha, que relatou os acontecimentos em seu livro Os sertões. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

16 (UFMG) Analise esta imagem: A partir dessa análise e considerando outros conhecimentos sobre o assunto, 1. identifique o significado de cada uma das três figuras humanas que aparecem em destaque nessa imagem e analise a mensagem política nela contida; 4 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS ACERVO ICONOGRAPHIA PEREIRA NETO. Revista Ilustrada. RESPOSTA: A imagem retrata os instantes finais da monarquia no Brasil: a mulher como figura representativa da República, o cavaleiro como símbolo da ação e participação dos militares e, finalmente, o homem de joelhos como a representação da subserviência da sociedade e da derrota e subordinação da monarquia. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

17 2. analise o papel dos militares no processo referido nessa imagem. 4 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: Os militares foram agentes ativos do processo de deposição do monarca e da implantação do novo regime republicano, particularmente na chamada República da Espada – fase de grandes arbitrariedades e forte repressão a qualquer possível foco de resistência à nova ordem. Após a consolidação do modelo, observou-se seu afastamento do poder, que passou a ser controlado pela oligarquia cafeeira. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

18 (Uerj) A única lei de legislação operária que teve larga aplicação é aquela que um advogado dos fazendeiros de São Paulo, um ilustre Adolfo Gordo qualquer, ampliou: a lei de expulsão dos estrangeiros do território da república, aplicada aos operários mais ou menos estrangeiros que se organizassem em liga de resistência e cuidassem dos próprios interesses. DAMIANI, Gigi. O Brasil visto por um anarquista italiano. Em: A batalha, 4 set Presente Álvaro de Oliveira Monteiro (3 a Testemunha), portuguez, com trinta e cinco anos de idade, solteiro, padeiro, residente à rua Dois de Fevereiro nummero cinquenta e nove, sabendo ler e escrever, inquirido disse que hoje, cerca de sete horas da manhã, conduzia um cesto de pão a fim de distribuir tal alimento a freguesia e ao passar pela rua Doutor Dias da Cruz um grupo de grevistas e empregados da padaria o forçaram a largar o cesto de pão no qual atearam fogo, impedindo assim que elle declarante exercesse o seu commercio; que desse grupo tomavam parte os acusados presentes que foram presos, tendo os demais conseguido se evadirem. Brasil: Arquivo Nacional, 7 a Pretoria Criminal, Freguesias de Inhaúma, Irajá e Jacarepaguá – (Fundo 72), Ano: 1912, Notação: EXERC Í CIOS ESSENCIAIS A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

19 Os textos apontam para um quadro desolador da situação da classe trabalhadora brasileira na Primeira República. O primeiro foi escrito por um militante operário, e o segundo é parte integrante de um arquivo policial da época. Ambos demonstram tanto a ótica sob a qual as elites políticas viam o mundo do trabalho quanto a fragilidade do movimento operário. Indique quatro razões que contribuíram para que esse movimento, no início do século XX, se encontrasse na situação descrita nos fragmentos. 6 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: É preciso citar quatro das seguintes razões: divisão interna do movimento operário; redução da importância da indústria na economia brasileira; pequena repercussão pública dos movimentos grevistas; esperança de muitos trabalhadores estrangeiros em retornar à Europa; posição contrária da maioria dos anarquistas à luta por leis trabalhistas; reduzida tendência à organização em sindicatos dos trabalhadores fabris; receio dos trabalhadores em figurar nas listas negras das indústrias; legislação essencialmente repressiva, que tratava a questão social como caso de polícia. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

20 (UFSC) O costume de ver todo dia esta gente na sua degradação me habituava com a sua desgraça. Nunca, menino, tive pena deles. Achava muito natural que vivessem dormindo em chiqueiros, comendo um nada, trabalhando como burros de carga. A minha compreensão da vida fazia-me ver nisto uma obra de Deus. Eles nasceram assim porque Deus quisera, e porque Deus quisera nós éramos brancos e mandávamos neles. Mandávamos também nos bois, nos burros, nos matos. REGO, José Lins do. Menino de engenho. Rio de Janeiro: José Olympio, p Com base no texto, é correto afirmar que: (01) a condição de subalternidade foi considerada algo natural no Brasil, em certas ocasiões. O uso de escravos africanos como mão de obra, do século XVI até meados do XIX, é um exemplo. (02) a sociedade brasileira era essencialmente agrícola no início do século XX. Predominavam as grandes fazendas onde os trabalhadores recebiam pequenos salários e viviam em contínua dependência de seus patrões, conhecidos como coronéis. (04) o coronelismo ou clientelismo era uma prática política que visava obter clientes fiéis aos estabelecimentos comerciais gerenciados pelos coronéis nas capitais brasileiras. 8 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

21 (08) a política brasileira no início do século XX, período conhecido como Primeira República ou República do Café com Leite, rompeu com o coronelismo existente no século anterior. (16) os engenhos de cana-de-açúcar foram importantes para o desenvolvimento econômico do norte brasileiro, empregando principalmente a mão de obra assalariada de imigrantes europeus que para lá se dirigiram em meados do século XVIII. (32) a grande propriedade açucareira foi um dos elementos que favoreceram a concentração de poder e riqueza nas mãos do senhor de engenho. 8 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: Soma: = 35 A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR

22 (Uerj) (...) a cor do governo é puramente militar e deverá ser assim. O fato foi deles, deles só, porque a colaboração do elemento civil foi quase nula. LOBO, Aristides apud PENNA, Lincoln Abreu. Uma história da República. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, Aristides Lobo, político e jornalista, era um republicano histórico e, apesar de aplaudir a instituição da república no Brasil em 1889, discordava da forma como os militares no poder organizavam o novo sistema de governo. Apresente duas características do sistema político idealizado pelos republicanos históricos e indique dois segmentos sociais que apoiaram essas ideias. 12 EXERC Í CIOS ESSENCIAIS RESPOSTA: Características: federalismo; negação de qualquer conotação revolucionária ou subversão da ordem; respeito à propriedade privada; estabelecimento de um Estado laico; liberdade econômica; abolicionismo; defesa das liberdades civis e políticas. Segmentos: burguesia cafeeira paulista; classe média urbana liberal; frações das aristocracias agrárias brasileiras. A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO NO VESTIBULAR


Carregar ppt "A PRIMEIRA REPÚBLICA E O PACTO FEDERATIVO O que você deve saber sobre A crise provocada pelo fim da escravidão e pelo incentivo à imigração fez com que,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google