A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Marcio Gonçalves Análise Orientada a Objetos UML - Unified Modeling Language.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Marcio Gonçalves Análise Orientada a Objetos UML - Unified Modeling Language."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Marcio Gonçalves Análise Orientada a Objetos UML - Unified Modeling Language

2 UML é uma linguagem para Visualização, Especificação, Construção e Documentação dos elementos de um sistema de software 2 Apresentação

3 UML - Unified Modeling Language Autores: Booch, Rumbaugh e Jacobson –Reconhecendo a dificuldade em padronizar o processo de desenvolvimento, decidiram orientar o esforço numa linguagem de modelagem que pudesse suportar todo o ciclo de vida do desenvolvimento de software 3 Apresentação

4 UML - Unified Modeling Language É um Standard OMG desde 1997 –1ª versão padronizada – v Janeiro de 1997 –Últimas versões - v 1.4 (Setembro de 2001) - v 1.5 (Março de 2003) Existem diversas ferramentas para esta linguagem de modelagem 4 Apresentação

5 Objetivos da UML Modelar sistemas usando conceitos orientados a objetos Estabelecer uma ligação explicita entre artefatos conceituais (figuras) e executáveis (programas) 5 Apresentação

6 Objetivos da UML Criar uma linguagem de modelagem adequada, à manipulação humana e ao mesmo tempo à manipulação por máquinas –criação de ferramentas de desenho –geração de código – Apresentação

7 Características gerais da UML É independente do domínio de aplicação É independente do processo ou metodologia de desenvolvimento É independente das linguagens de programação 7 Apresentação

8 Características gerais da UML É independente das ferramentas de modelagem Apresenta mecanismos potentes de extensão (estereótipos) Agrega um conjunto de diferentes diagramas (9 tipos diferentes) 8 Apresentação

9 Um diagrama é uma visão de um modelo –Fornece uma representação parcial do sistema e é semanticamente consistente com outras visões complementares –Em UML existem 9 diagramas padronizados Um modelo é uma descrição completa de um sistema numa determinada perspectiva 9 Os diagramas da UML

10 Use Case Diagrams Use Case Diagrams Diagramas de Casos de Uso Scenario Diagrams Scenario Diagrams Diagramas de Colaboração State Diagrams State Diagrams Diagramas de Componentes Component Diagrams Component Diagrams Diagramas de Distribuição State Diagrams State Diagrams Diagramas de Objetos Scenario Diagrams Scenario Diagrams Diagramas de Estados Use Case Diagrams Use Case Diagrams Diagramas de Sequência State Diagrams State Diagrams Diagramas de Classes Diagramas de Atividades Modelo 10 Os diagramas da UML

11 Diagrama de casos de uso –representa a visão do sistema na perspectiva dos seu utilizadores –mostra um conjunto de atores externos e a sua ligação aos casos de uso fornecidos pelo sistema –um caso de uso é uma funcionalidade oferecida pelo sistema 11 Os diagramas da UML

12 Diagrama de classes –especifica a estrutura estática do sistema segundo a abordagem orientada por objetos –mostra a estrutura de classes e como estas se relacionam 12 Os diagramas da UML

13 Diagrama de objetos –variante do diagrama de classes –representa um exemplo do diagrama de classes num determinado instante da execução do sistema 13 Os diagramas da UML

14 Diagrama de estados –complemento da descrição de uma classe - mostra todos os estados possíveis que os objetos dessa classe podem ter, assim como os eventos que causam a transição entre estados 14 Os diagramas da UML

15 Diagrama de sequência –mostra a colaboração dinâmica entre objetos, através da representação da troca de mensagens entre estes (interação) ao longo do tempo 15 Os diagramas da UML

16 Diagrama de colaboração –é uma alternativa ao anterior (sequência), porém com outra perspectiva – ênfase aos objetos e o seus relacionamentos 16 Os diagramas da UML

17 Diagrama de atividades –mostra um fluxo sequencial de atividades executadas numa operação –pode ser usado para mostrar a sequência de atividades num caso de uso 17 Os diagramas da UML

18 Diagrama de componentes –mostra a estrutura física do código, representada através de componentes, que podem ser código fonte, binários ou executáveis –indica quais as classes que são implementadas pelo componente e quais as suas dependências 18 Os diagramas da UML

19 Diagrama de implantação –mostra a estrutura da arquitetura física (Hardware e Software) –representa nós (computadores e outros dispositivos) e as suas ligações –dentro de cada nó existem componentes executáveis e objetos, que constituem o software executável 19 Os diagramas da UML

20 Visões representam as diferentes perspectivas que descrevem um sistema: –funcional (estrutura estática e dinâmica) –não funcional (sincronismo, arquitetura física,...) –organizacional (organização do trabalho, mapeamento com código) 20 As visões da UML

21 Em UML um sistema é representado por 5 visões diferentes as quais descrevem o sistema de 5 perspectivas diferentes e complementares 21 As visões da UML

22 Vista Lógica Vista de Processos Vista de implementação Vista de Distribuição Vista do utilizador Vista Lógica Vista de Processos Vista de implementação Vista de Distribuição Visão Lógica Visão de Processos Visão de Implementação Visão de Implantação Visão do Utilizador 22 As visões da UML

23 Visão do utilizador (Caso de Uso) –representa o sistema na perspectiva dos utilizadores (atores) –casos de uso descrevem cenários de utilização do sistema a partir da perspectiva do utilizador final 23 As visões da UML

24 Visão Lógica (ou estrutural) –Modelo da estrutura estática do sistema (classes, objetos e relacionamentos) –Os dados e a funcionalidade do sistema é vista a partir de dentro do sistema 24 As visões da UML

25 Visão de processos (comportamento) –Representa os aspectos dinâmicos ou comportamentais do sistema –Descreve também as interações ou colaborações entre vários elementos estruturais descritos nas visão do utilizador e na visão estrutural 25 As visões da UML

26 Visão de implementação –Os aspectos estruturais e comportamentais do sistema são representados como serão construídos Visão de implantação (ambiental) –Representa a arquitetura física com computadores e outros dispositivos 26 As visões da UML

27 Um diagrama de casos de uso (use-cases) descreve cenários de utilização do sistema na perspectiva dos seus utilizadores Diagrama que permite dar uma visão global e de alto nível do sistema 27 Diagrama de casos de uso

28 Elementos do diagrama –casos de uso - descrevem funcionalidades do sistema –atores - representam pessoas ou dispositivos que desempenham um papel no funcionamento do sistema 28 Diagrama de casos de uso

29 29 Diagrama de casos de uso

30 Mostram a estrutura de classes e como estas se relacionam, isto é, descrevem a estrutura estática do sistema a ser modelado Capturam o vocabulário do sistema Construídos e refinados ao longo do desenvolvimento 30 Diagrama de classes

31 Objetivos –Identificar e modelar conceitos no sistema –Especificar colaborações –Especificar esquemas lógicos de bases de dados 31 Diagrama de classes

32 32 Diagrama de classes

33 Descreve um conjunto de instâncias compatíveis com um diagrama de classes Permite ilustrar os detalhes de um sistema em determinado momento, descrevendo para tal possíveis configurações Objetivos –ilustrar estruturas de dados/objetos –especificar snapshots 33 Diagrama de objetos

34 34 Diagrama de objetos

35 Ilustra interações entre objetos num determinado período de tempo Captura comportamento dinâmico Objetivos –modelar fluxo de controle –ilustrar situações típicas 35 Diagrama de Seqüência

36 36 Diagrama de Seqüência

37 Ilustra interações entre objetos com ênfase para a representação das ligações entre os objetos O tempo não é um elemento explícito Captura comportamento dinâmico Objetivos –modelar fluxo de controle –ilustrar a coordenação da estrutura de objetos e do controle 37 Diagrama de Colaboração

38 38 Diagrama de Colaboração

39 Descreve a sequência de estados que um objeto ou uma interação pode passar ao longo da sua existência, em resposta a estímulos recebidos, conjuntamente com as suas respostas e ações captura comportamento dinâmico (orientado por eventos) 39 Diagrama de Estados

40 Objetivos –modelar o ciclo de vida do objeto –modelar objetos reativos (user interfaces, dispositivos, etc.) 40 Diagrama de Estados

41 41 Diagrama de Estados

42 Caso particular de diagrama de transição de estados, no qual os estados são substituídos por ações e/ou atividades e as transições são desencadeadas devido à conclusão de ações nos estados originais Diagrama de Atividades – representa os fluxos conduzidos por processamento interno 42 Diagrama de Atividades

43 captura comportamento dinâmico (orientado por atividades) Objetivos: – modelar fluxos de trabalho de negócio (business workflows) – modelar operações 43 Diagrama de Atividades

44 44 Diagrama de Atividades

45 Captura a estrutura física da implementação, descrevendo as dependências entre componentes de software Construído como parte da especificação da arquitetura 45 Diagrama de Componentes

46 Objetivos –organizar código fonte –construir uma versão executável –especificar uma base de dados física 46 Diagrama de Componentes

47 47 Diagrama de Componentes

48 Descreve a topologia do Hardware e do Software do sistema Construído como parte da especificação da arquitetura Objetivos –especificar a distribuição dos componentes –identificar entraves de performance 48 Diagrama de Implantação

49 49 Diagrama de Implantação


Carregar ppt "Prof. Marcio Gonçalves Análise Orientada a Objetos UML - Unified Modeling Language."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google