A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

V CELAM (Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Tema: Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "V CELAM (Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Tema: Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida."— Transcrição da apresentação:

1 V CELAM (Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Tema: Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida. Eu sou o caminho, a verdade e a vida`(Jo 14,6). De: 13 a 31 de maio de 2007, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida.

2 O que é uma Conferência Geral do Episcopado É uma assembléia de bispos convocada pelo Papa. Objetivo: -refletir sobre a realidade e problemas comum. -discernir a vontade de Deus. -orientar a ação evangelizadora. Tem a assistência do Espírito Santo (At 2-1-4). Anima, renova, impulsiona e conduz a Igreja.(At 2-1-4)

3 MEMÓRIAS DAS CONFERÊNCIAS LATINO-AMERICANAS JÁ REALIZADAS

4 Rio de Janeiro – 1995 – Convocada por Pio XII Contexto: falta de sacerdotes, diminuição da prática religiosa; ignorância religiosa; avanço das religiões não-católicas; pobreza crescente. Objetivos: Despertar a Igreja na AL para uma pastoral de conjunto. Criar o CELAM. O CELAM gerou uma consciência comum e a co-responsabilidade pela evangelização no Continente. Evidenciou as injustiças estruturais no Continente. Despertou uma reflexão teológica e pastoral na AL.

5 Medellín – 1968 – Convocada por Paulo VI Tema: A Igreja na atual transformação da AL à luz do Concílio Contexto: empobrecimento; injustiças estruturais; governos ditatoriais; divórcio entre fé e a vida. Objetivos: Incentivar a aplicação do Concílio na AL. Concretizar essa aplicação. Método: ver, julgar e agir. Núcleos: promoção humana; evangelização e crescimento na fé; Igreja visível e sem estruturas.

6 Puebla – 1979 – Convocada por João Paulo II Tema: A Evangelização no presente e no futuro da AL Contexto: A realidade social, econômica e política do povo, mais grave do que a de Medellín. Objetivos: Assumir a Evangelização como vocação primordiale identidade mais profunda da Igreja; promover a dignidade humana; buscar a libertação de todas as formas de escravizações e opressões.

7 Santo Domingo – 1992 – Conv por João Paulo II Tema: Nova Evangelização promoção humana, cultura cristã. Jesus Cristo, ontem, hoje e sempre. Contexto: A modernidade e seus desafios para a evangelização. Objetivos: Anunciar a centralidade de Jesus (evangelização inculturada). Enfrentar o desafio de vencer a cultura de morte com a cultura de vida. Enfatizar a atuação dos leigos.

8 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI Tema: Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida. Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida(Jo 4.16). Contexto: 1- Cultura em transformação: exemplos a)O conceito e a prática do amor e da sexualidade. b)O papel da mulher na família e na sociedade. c)As relações com a natureza.

9 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI d) O relacionamento com o sagrado: -retorno ao sagrado -mercado do sagrado -Nivelamento das religiões -Religião como solução de problemas -Aumento dos neopentecostais.

10 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI Contexto: 2- A globalização: um desafio para a Igreja: Interdependência: o mundo está em rede Surge o novo cidadão: do mundo Comunicação instantânea em tempo real. Intercâmbio e enriquecimento do saber. Geração de diferentes paradigmas. A globalização será o que fizermos dela.

11 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI Contexto: 3- Tendências na sociedade a)Decepção com as autoridades e instituições. b)Individualismo e subjetivismo. c)Busca do prazer e endeusamento do corpo. d)Consumismo. e)Coisificação das pessoas. f)Pluralismo acentuado.

12 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI Objetivos: Para que nele nossos povos tenham vida a)A Palavra de Deus é luz poderosa que orienta e ilumina nossos anseios mais profundos. b)A vocação humana é conhecer a Deus, a verdade e nele confiar. c)Jesus Cristo e sua Palavra têm o poder de responder aos anseios mais profundos do ser humano: sede de Deus, de paz, fraternidade e felicidade, fome de amor, justiça, liberdade e verdade.

13 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI Riqueza da palavra Discípulo: a)Novo Testamento = é usado 250 vezes a palavra discípulo. b)Sentido Original da Palavra = É seguir ou ir atrás. c)Significa = Aquele que aprende. d)Na língua grega = foi usado para indicar alguém que se liga a outra pessoa, como, por exemplo, um aluno para aprender filosofia.

14 Aparecida – 2006 – Convocada por Bento XVI Riqueza da palavra Discípulo: e) Não poderia haver discípulo sem mestre ou professor. f) Discípulo não tem uma agenda própria, mas imita e segue os passos do seu Mestre. g) Discípulo não tem um vida fora, à parte da vida do mestre. h) Reproduz os atos e valores do Mestre.

15 No livro: Quem é Jesus – T Rausch Afirma que existiam 5 características ou qualidades do Discipulado de Jesus, diferentes dos outros tipos de discípulos que então existiam.

16 Livro: Quem é Jesus – T Rausch – 1a. É Jesus que chama alguém para ser seu discípulo. É um convite pessoal. Não é o aluno que escolhe o mestre, mas o Mestre que aceita o candidato (Mc 2, 14; 3, 13-19).Mc 2, 14; 3, A iniciativa parte de Jesus. Todas as pessoas que ouviram Jesus foram chamadas à conversão de vida, a viver uma vida de amor e serviço, perdoar os outros, etc. Mas ser Discípulo era ser algo a mais que Ele propunha.

17 Livro: Quem é Jesus – T Rausch –2a. Ser discípulo de Jesus tem um caráter inclusivo, ou seja, não é algo reservado para os membros de uma classe social ou de um grupo religioso. Seus amigos e seguidores incluíam pecadores e até mulheres. O convite escapa dos padrões tradicionais da época. A categoria especial de Discípulo, porém, foi limitada a um grupo reservado. Uma das condições era acompanhar Jesus e deixar o lar.

18 Livro: Quem é Jesus – T Rausch –3a. O chamado de Jesus é radical. Pede uma ruptura com o passado (Mc 10,21; Lc 9,57-62).Mc 10,21Lc 9,57-62 O candidato tem de deixar e abandonar tudo (pais, irmãos, bens, pátrias, etc.) Incluía até o celibato em nome do reino (Mt 19, 11 –12).Mt 19, 11 –12 Era abraçar uma nova família, composta de membros cujos laços são formados na base da fé.

19 Livro: Quem é Jesus – T Rausch – 4a. Ser Discípulo de Cristo era muito mais do que estudar sua doutrina. Era ser colega de ministério. Os discípulos são enviados a pregar, curar as doenças, expulsar demônios, proclamar o Reino (Mc 6, 7-13; Lc 10, 2-12; Mt 28,19-20).Mc 6, 7-13Lc 10, 2-12 Mt 28,19-20 Ser discípulo é algo dinâmico, ativo, que envolve a pessoa toda.

20 Livro: Quem é Jesus – T Rausch – 5a. Os discípulos de Jesus levavam uma vida de serviço, amor ao próximo, fazendo sacrifício de si mesmos; era preciso ficar em último lugar, compartilhar com os outros o que tinham; suportar perseguições e insultos (Mt 5, 38-42).Mt 5, Se o mestre seria crucificado, seus seguidores não poderiam esperar menos.

21 Em fim, ser discípulo era amar como Jesus amava (Mc 8, 34-35).Mc 8, 34-35

22 O tema do V CELAM é uma espécie de resumo do Evangelho, e uma síntese da vida cristã.

23 Daria para resumir a atividade de Jesus, dizendo que ele foi chamando pessoas, tornando-as seus discípulos(as). E ao mesmo tempo que ia chamando, ia também enviando em missão tornando a todos os que ele chamava em missionários seus, enviados em seus nome, para levarem aos outros o que tinham apreendido do Mestre.

24 É isto que queremos dizer com o lema dessa Assembléia e isto que queremos mostrar a todos os cristãos, especialmente ao de nossa Diocese e toda AL.

25 Precisamos aprender de novo a ser discípulos de Jesus: -escutando o que ele nos ensina; -aprendendo suas lições de vida; -acolhendo o seu testemunho;

26 Precisamos aprender de novo a ser discípulos de Jesus: -aprendendo a viver como ele; -tornando-os assim verdadeiros discípulos do único Mestre que tem a verdade para nos transmitir.

27 Ao mesmo tempo, precisamos perceber de novo que ele quer nos enviar, que ele nos confia uma missão, que ele nos promete o seu Espírito, que ele vai nos acompanhar ao longo do caminho que percorremos em seu nome.

28 Portanto: SOMOS TODOS DISCÍPULOS E MISSIONÁRIOS DE JESUS CRISTO.

29 Vamos nos deter um pouco mais na dimensão de discípulos:

30 a) Então percebemos quanto ainda nos falta compreender o Evangelho de Jesus Cristo!

31 b) Ainda estamos longe dos planos de Deus que Jesus veio nos revelar. Estamos pouco impregnados do seu Espírito de Comunhão com Deus e com os irmãos, dos seus sentimentos de bondade e misericórdia com os fracos e pequenos.

32 Temos pouco amor ao próximo, ainda estamos enredados no pequeno mundo de nossos interesses limitados e passageiros.

33 Enfim, estamos ainda longe de sermos verdadeiros discípulos do nosso Divino Mestre.

34 Se olharmos a realidade de nosso povo que se diz cristão aqui na AL, podemos constatar que somos um povo fraco na fé, porque somos pouco instruído no Evangelho de Cristo.

35 Não fazemos como seus discípulos que perguntavam ao Mestre e queriam entender melhor as parábolas que ele contava.

36 Somos mais semelhantes à multidão que só queria milagres mas não era capaz de compreender os ensinamentos de Jesus.

37 A urgência maior que temos é de nos tornar, verdadeiramente: TODOS DISCÍPULOS, todos chamados, todos atentos, todos prontos para ouvir, todos dispostos a aprender.

38 Somos Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, quando nosso testemunho e nossa missão evangelizadora se realiza verdadeiramente por meio dele e nele, que é nosso Caminho, nossa Verdade e nossa Vida.

39 Por isso, o melhor serviço que podemos prestar ao mundo é dar testemunho de Jesus Cristo e anunciá-lo vivo, ressuscitado e presente, e que com seu Espírito dirige a história para o cumprimento de suas promessas.

40 SHALLOM (em hebraico שָׁלוֹם, geralmente traduzido como paz)hebraico Significa paz entre duas entidades ( geralmente duas nações ) ou a paz interior de um indíviduo Também é utilizada como cumprimento dentro da comunidade cursilhista.

41 At 2, 1 – 4: Quando chegou o dia de Pentecostes, todos eles estavam (apóstolos) reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como o sopro de um forte vendaval, e encheu a casa, onde eles se encontravam. Apareceram então línguas de fogo, que se espalharam e foram pousar sobre cada um deles. Todos ficaram repletos do Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem.

42 Mc 3, 13 –19 Jesus subiu ao monte e chamou os que desejava escolher. E foram até ele. Então Jesus constituiu o grupo dos Doze, para que ficassem com ele e para enviá-los a pregar com autoridade para expulsar os demônios. Constitui assim os Doze, Simão, a quem deu o nome de Pedro...

43 Mc 2,14 Enquanto ia caminhando, Jesus viu Levi, o filho de Alfeu, sentando na coletoria de impostos, e disse para ele: Siga-me. Levi se levantou e o seguiu.

44 Mc 10, 21 Jesus fixou nele o olhar, amou-o e disse-lhe: "Uma só coisa te falta; vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue- me.

45 Lc 9, 57 – 62 Enquanto caminhavam, um homem lhe disse: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que vás. Jesus replicou-lhe: As raposas têm covas e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. A outro disse: Segue-me. Mas ele pediu: Senhor, permite-me ir primeiro enterrar meu pai. Mas Jesus disse-lhe: Deixa que os mortos enterrem seus mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus. Um outro ainda lhe falou: Senhor, seguir-te-ei, mas permite primeiro que me despeça dos que estão em casa. Mas Jesus disse-lhe: Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino de Deus.

46 Mt 19, Respondeu ele: Nem todos são capazes de compreender o sentido desta palavra, mas somente aqueles a quem foi dado. Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus. Quem puder compreender, compreenda.

47 Mc 6, 7 – 13 Então chamou os Doze e começou a enviá-los, dois a dois; e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos. Ordenou-lhes que não levassem coisa alguma para o caminho, senão somente um bordão; nem pão, nem mochila, nem dinheiro no cinto; como calçado, unicamente sandálias, e que se não revestissem de duas túnicas. E disse-lhes: Em qualquer casa em que entrardes, ficai nela, até vos retirardes dali. Se em algum lugar não vos receberem nem vos escutarem, saí dali e sacudi o pó dos vossos pés em testemunho contra ele. Eles partiram e pregaram a penitência. Expeliam numerosos demônios, ungiam com óleo a muitos enfermos e os curavam.

48 Lc 10, Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe. 3.Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos. 4.Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho. 5.Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa! 6.Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós. 7.Permanecei na mesma casa, comei e bebei do que eles tiverem, pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa. 8.Em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei o que se vos servir. 9.Curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: O Reino de Deus está próximo. 10.Mas se entrardes nalguma cidade e não vos receberem, saindo pelas suas praças, dizei: 11.Até o pó que se nos pegou da vossa cidade, sacudimos contra vós; sabei, contudo, que o Reino de Deus está próximo. 12.Digo-vos: naqueles dias haverá um tratamento menos rigoroso para Sodoma.

49 Mt 28, Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. 19.Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. 20.Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.

50 Mt 5, Tendes ouvido o que foi dito: Olho por olho, dente por dente. 39.Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau. Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra. 40.Se alguém te citar em justiça para tirar- te a túnica, cede-lhe também a capa. 41.Se alguém vem obrigar-te a andar mil passos com ele, anda dois mil. 42.Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te quer pedir emprestado.

51 Mc 8, Em seguida, convocando a multidão juntamente com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém me quer seguir, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. 35.Porque o que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas o que perder a sua vida por amor de mim e do Evangelho, salvá-la-á.


Carregar ppt "V CELAM (Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Tema: Discípulos e Missionários de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google