A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estudo da Formação de Preços em Regime de Oligopólio 1. Oligopoly and Entry-Prevention (J. Bain 1947 American Economic Review) 2.Barriers to New Competition.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estudo da Formação de Preços em Regime de Oligopólio 1. Oligopoly and Entry-Prevention (J. Bain 1947 American Economic Review) 2.Barriers to New Competition."— Transcrição da apresentação:

1 Estudo da Formação de Preços em Regime de Oligopólio 1. Oligopoly and Entry-Prevention (J. Bain 1947 American Economic Review) 2.Barriers to New Competition (J. Bain, 1956) 3.Oligopólio e progresso Técnico (P. Sylos –Labini, 1957) 4.New Developments in the Oligopoly Front (F. Modigliani)

2 A teoria de determinação de preços em oligopólio é uma teoria analisa como a interdependência entre empresas que concorrem dentro de um mercado estende-se para competidores potenciais (Fe), ainda que estes sejam apenas candidatos a entrar num mercado é um estudo sobre as condições de entrada

3 Porque, em regime de oligopólio, as firmas não fixam seus preços em níveis que maximizam lucros no curto prazo? O preço não é fixado no nível maximizador de monopólio por causa da ameaça de entrada de novos competidores atraídos por altos lucros Oligopoly and Entry-Prevention 1a Indagação

4 1a Indagação- American Economic Review Porque empresas que operam em regime de oligopólio não fixam preços que permite maximizar suas receitas? Ou, o que é o mesmo, por que o preço fixado por empresas que operam em regime de oligopólio era estabelecido num nível de demanda em que a elasticidade era menor do que 1 (LP)? Mas se e< 1 então MR<0 dado que MR = P( /e) < 0 conclusão: a primeira condição para maximização é violada

5 Posteriormente muda a pergunta Porque preço é fixado acima do nível competitivo (=LAC)? Por causa da existência de competição potencial e barreiras à Entrada ( empresas praticam uma política de prevenção à entrada de novos competidores) A teoria discute como se determinam preços que previnem a entrada de novos concorrentes no mercado se há barreiras à entrada de novos competidores Barriers to New Competition (J. Bain 1956)

6 O preço em oligopólio é fixado pelas firmas acima do nível de preço que prevaleceria em competição(LAC) e abaixo do nível de preço maximizador de lucros de monopólio ( RM=CM) É um preço-limite, menor do que o preço de monopólio, porque a política de prevenção à entrada assegura lucros máximos a longo prazo

7 Definição: os preços que limitam a entrada (preço-limite) são os maiores preços que as firmas podem estabelecer sem atrair a entrada de novos concorrentes A política de preço-limite garante os maiores lucros a longo prazo para o regime competitivo em oligopólio Esta conduta/política de preços só pode ser assumida supondo-se que existem Barreiras à Entrada (//B) Em geral estas barreiras estão acompanhadas de sunk-costs

8 Discussão das Condições de Entrada Estudo do Oligopólio com barreiras à entrada

9 Discussão das Condições de Entrada Os modelos de Competição Perfeita e Competição Monopolística assumem que a entrada de firmas novas na indústria é livre e facilitada no longo prazo (também não podem existir restrições de ordem legal)

10 Quais são as consequências a Longo Prazo da entrada de novas firmas do mercado? Em Competição Pura o preço está em equilíbrio quando P = LAC = LMC (custos médios de longo prazo LAC estão em seu ponto mínimo) Em Competição Monopolística o preço está em equilíbrio em P = LAC mas P > LMC (a solução de tangência indica que os custos médios de longo prazo não estão em seu ponto mínimo por que o excesso de capacidade está associado à inclinação negativa da curva de demanda)

11 Nos estudos de regimes de oligopólio neo-clássico (com hipóteses de comportamento simplórias ou ingênuas) não se assume a entrada de novos competidores Além disso, são modelos fechados e o número de firmas é constante Modelos de cartel são extremamente instáveis e a solução colusiva rompe-se quando há entrada (são soluções instáveis) Nos modelos de oligopólio em que, adicionalmente, há liderança de preços assume-se que, se houver entrada, esta ocorrerá com uma empresa pequena e periférica

12 Discutindo Condições de Entrada

13 O conceito de condições de entrada que pode ser definido como E = PL – Pc ou PL= Pc ( 1 + E) onde Pc PL é o preço limite Pc é o preço competitivo E expressa a margem pela qual as firmas instaladas (Fi) podem elevar seus preços acima do nível competitivo de forma persistente e sem atrair a entrada de competidores E é um prêmio que as firmas recebem por conseguirem manter PL > Pc no longo prazo

14 Definição de entrada (o que é) Construção de NOVA capacidade produtiva por uma NOVA firma Indica capacidade não existente anteriormente e um novo formato jurídico Exclui (para efeitos do modelo de preços-limite): fusões e take-overs Expansão de capacidade por uma empresa instalada no mercado (Fi) Entrada cruzada (dentro de um mesmo setor industrial)

15 Na discussão das condições de entrada há dois tipos de competição 1) Competição atual ou momentânea: regula os negócios das firmas instaladas em mercados oligopolizados (rivalidade entre empresas instaladas) 2)Competição potencial: regula a competição entre firmas instaladas (Fi) e as firmas entrantes (Fe) Conseqüentemente, há 2 fatores a serem levados em consideração no modelo de preços-limite A interdependência entre firmas instaladas e A interdependência entre as firmas instaladas e entrantes

16 Quanto tempo se leva para entrar num mercado? A entrada é um típico fenômeno de Longo Prazo e o tempo que leva para entrar numa indústria é um fator de determinação de barreiras à entrada Ex: 4 ou 5 anos para construção de uma usina hidroelétrica, 2 anos para instalação de uma fábrica de cimento, 4 ou 5 para produzir vinhos, alguns meses para confecções de roupas etc. O tempo implícito nas condições de entrada anterior deve ser suficientemente longo para incluir variações na demanda, preços dos fatores, etc (pode ir de 5 até 10 anos, segundo Joe Bain)

17 Tipos de Barreira Diferenciação de produtos Vantagens Absolutas de Custo (patentes, segredo tecnológico, integração vertical etc) Economias de Escala Barreiras Legais e Institucionais (externas)

18 Examinando Barreiras de Diferenciação de Produtos (DP) A existência de diferenciação confere controle por parte da firma sobre o preço de seu produto diferenciado É motivo para gastos em propaganda ou outras despesas de vendas ( que permitem intensificar a diferença entre os produtos dos diferentes competidores) A DP resulta em mudanças na organização interna das firmas ( com a criação de departamento de vendas) A DP afeta a concentração de firmas e a estrutura industrial Diferenciação afeta as condições de demanda

19 Em seu estudo sobre competição em 20 setores industriais dos US, Bain definiu as barreiras de diferenciação como mais importantes A força desta barreira depende: 1) do montante das despesas de propaganda e vendas; 2) da durabilidade e complexidade dos produtos/serviços; 3) no caso bens duráveis ou complexos, da reputação e informações; 4) das estratégias de distribuição de produtos (práticas específicas com revendendores 5) do consumo conspícuo (quando prestígio de um fabricante estende-se por vários produtos)

20 Desvantagem para empresas entrantes (FE) A preferência dos consumidores quando anexada às várias marcas de produtos criam uma barreira aos novos entrantes num mercado nesta situação a firma entrante está em desvantagem porque tem que tornar seu produto conhecido e atrair alguns dos compradores tradicionais de produtos de firmas instaladas Para contornar esta barreira as firmas têm 2 opções: oferecer produtos mais baratos do que os das firmas estabelecidas ou aumentar seus gastos em diferenciação de seus produtos ( propaganda e outras estratégias de vendas) Problema: custos de diferenciação são sunk costs; não são recuperáveis, caso a firma abandone a atividade

21 Intensidade das Barreiras de Diferenciação Fortes e Médias ou fracas Automóveis Bebidas destiladas Cigarros Tratores Pneus Sapatos caros Produtos refinados de petróleo (óleo lubrificantes) compotas e cereais Enlatados em geral Cimento Cobre Maquinaria agrícola simples Carne embalada Têxteis com fios sintéticos Sapatos baratos

22 Atenção Pesquisa vale para entrada de firma completamente novas para a entrada- cruzada (Fiat tratoresX Fiat carros) quando empresas já têm reputação e marcas conhecidas as dificuldades serão bem menores Além disso a diferenciação de produtos pode favorecer uma empresa entrante especialmente se o novo produto é uma inovação, ou um produto que apresenta uma nova embalagem, um novo estilo etc

23 Vantagens Absolutas de Custo Ocorrem quando uma firma estabelecida apresenta custos mais baixos do que aqueles que seriam incorridos pelos competidores potenciais

24 Vantagens Absolutas de Custo Integração Vertical:dá acesso privilegiado á fontes de matéria- prima, economizando custos de transporte e de logística (para o entrante entrar num mercado com uma unidade absolutamente integrada) Para Frente: firmas já existentes controlam a comercialização do produto no varejo Para Trás: assegurar fontes de abastecimento de MP e insumos

25 Tecnologia superior, seja por patentes, know-how ou aprendizado tecnológico (learning-by-doing) Rede de fornecedores e/ou revenda de forma que a relação de conhecimento e confiança garanta melhor condições de negociação Habilidades gerenciais (dificuldade de recrutar pessoal já treinado e experiente) Controle de fornecimento de matérias-primas de boa qualidade (integração vertical) (minas de carvão, de minério de ferro para siderurgia,hidroelétricas p/empresas de alumínio, madeira para papel de celulose etc)

26 Custo do capital Baixos custos de capital para firmas estabelecidas (associada ao pagamento de juros menores) Firmas estabelecida já tem acesso a recursos internos e seu acesso à fontes de financiamento é mais fácil

27 Barreiras de Escala Por simplicidade trabalharem apenas com Barreiras de Escala

28 LAC Firma Instalada LAC da Firma Entrante Pc PL X P,C XL Xc A D Entry-Gap

29 Barreiras de Escala e preço- limite

30 Barreiras de Escala e preços- limite O estudo dos impactos que a existência de barreiras de escala causam sobre a determinação dos PL(preços- limites) depende também de hipóteses de comportamento Empresas entrantes (Fe) precisam antecipar possíveis as reações das firmas instaladas (Fi), se efetivamente conseguirem penetrar num novo mercado (idem para as empresas instaladas em relação às entrantes) Desta análise é possível apontar vários padrões de reação ( expectativas de comportamento ou hipóteses de comportamento)

31 Como em todo o caso em que há interdependência as ações são empreendidas com base em formulação de expectativas sobre comportamento reativo dos competidores Fi Fe Bain estabelece 6 padrões de reações (ou hipóteses de comportamento estratégico possível face à entrada) possíveis mas usará apenas 2

32 Hipóteses de Comportamento (como as firmas reagirão caso uma empresa entre no mercado) A)a entrante (Fe) esperam que as instaladas (Fi) mantenham os mesmos preços após a entrada: neste caso, firma entrante Fe será acomodada com a participação de mercado que ela conseguir (hipótese de estratégia de acomodação ou estratégia de J. Bain) B) a entrante(Fe) espera que as instaladas (Fi) mantenham as quantidades produzidas após a entrada, o que levará a quedas de preços (hipótese de estratégia agressiva de Labin--Modigliani) C) Combinação de A e B: Fe espera que Fi reduzam um pouco as quantidades produzidas, após a entrada, e ao mesmo tempo, deixem preços cair ligeiramente (estratégia mista)

33 D) a firma nova Fe espera que as firmas instaladas aumentem as quantidades produzidas após a entrada (retaliação absoluta) E) a firma nova Fe espera que as instaladas Fi reduzam as quantidades produzidas após a entrada ( de acomodação total) F) a empresa entrante (Fe) espera passar despercebida (por ser muito pequenas) o que não acarretaria mudanças na estrutura de mercado (via taxa de concentração) Hipóteses Irrealistas

34 Premissas do Modelo

35 Premissas 1)Sobre a Curva de Custo Médio de Longo Prazo: 1.1 Há um tamanho mínimo, ou escala mínima eficiente, a partir do qual todas as economias de escala (EE) são realizadas ( x ) 1.2 LAC tem a forma de L (a partir do ponto em que se tinge a escala minimamente eficiente os custos permanecem constantes) 1.3 LAC é o mesmo para todas as empresas (estrutura de custos é s mesma, inclusive para empresas novas) A vantagem objetiva das já firmas instaladas (Fi) sobre as firmas entrantes (Fe) é que as primeiras já obtiveram plenamente as economias de escala enquanto as entrantes começarão a operar com um nível de produção sub-ótimo em termos de escala (x

36 1.4 O segmento horizontal de LAC determina o preço competitivo Pc ( Pc= LAC) e o nível de produto correspondente, ou produto competitivo (Xc) é determinado pela curva de demanda do mercado DD 2) Sobre a curva de demanda DD: 2.1 DD é conhecida por todos os concorrentes (atuais e potenciais) o que supõe que há informação completa quanto às condições de mercado ( via elasticidade-preço da demanda ) 2.2 U samos a Curva de Vendas Reais ( a curva do market-shared ) para as firmas individualmente: esta curva mostra uma participação constante no mercados para todos os preços **suposição: curva d tem a mesma elasticidade que D (mercado/indústria) 3) Produto/serviço é homogêneo: não há barreira diferenciação de produtos ( as barreiras são de Economias de Escala)

37 D D x Xc Pc Firma Indústria ou Mercado Pc LAC P, CP Usar LAC e dd ( lembre-se e=e*) para derivar o equilíbrio da firma e indústria Diferentes unidades de medidas para quantidades de produto

38 Modelo A Hipótese de comportamento: empresa instaladas acomodam o novo entrante (hipótese otimista) Firma entrante espera que empresas instaladas mantenham o preço após a entrada a firma entrante vai capturar a participação de mercado que consegue ao preço de após entrada Exceção: preços podem ser reduzidos pelos próprios entrantes como estratégia de conquistar os mercados dos rivais já instalados

39 As empresas instaladas Fi podem prevenir a entrada de novos competidores num mercado ou indústria fixando PL > Pc na suposição que as empresas Fe não serão atraídas se perceberem que terão que operar a um nível sub-ótimo (representado por x

40 Estudo do Preço Limite e do Prêmio P (com acomodação) Dadas as premissas e hipótese do modelo usaremos a curva de custos LAC e a curva de demanda d para derivar o equilíbrio da firma e da indústria

41 Do que dependem PL e o prêmio P ? 1)Da participação inicial no mercados das novas entrantes (mostrada pelo share de mercado,caso consiga entrar) em relação a escala mínima eficiente x 2)Do número (N) de firmas pré-existentes no mercado 3)Da inclinação de LAC no seu trecho à esquerda da EME 4)Da elasticidade-preço da demanda

42 1) Share Inicial d (dado x ) Quanto menor for a participação inicial de mercado inicial da empresa entrante para um nível de escala mínima x determinado pela estrutura de custos, maior será o nível de PL que as empresas instaladas conseguem fixar sobre Pc são negativamente relacionados quanto menor o share inicial do entrante em relação a x menos chances tem a empresa nova de ingressar no mercado não atingiram níveis de escala eficiente não podem acessar o mercado

43 x d2d2 d3d3 PL 2 PL 1 Pc d1,d2, d3 curvas de market- share do entrante P,C X quantidade Participação do entrante (d) relativamente à Escala Mínima x PL 2 > PL 1 > Pc Entry Gap d1d1 Ilustração gráfica d 1 = % no mercado

44 Se uma nova firma entrar no mercado com um share d maior do que o correspondente à escala mínima x não haverá meio de impedir a entrada ( por exemplo de uma nova empresa que entra num mercado com uma capacidade de produção maior do que a média porque ela operaria num nível sub-ótimo de capacidade)

45 Povoamento do Mercado (N) Quanto mais povoado for o mercado (N) maior será o preço-limite PL Isto ocorre porque quanto maior for o número de firmas instaladas, antes da entrada da nova firma, menor será a sua participação após a entrada N determina quão menor do que x será a participação após a entrada N e PL são correlacionados positivamente ( em mercados com muitas empresas há menos possibilidades de que barreiras à entrada ajudem empresas a impor preço limites acima de preços competitivos)

46 X d 1 e d 1 ´ = % do mercado das Fi caso consigam entrar d 1 < d 1 ´ (d 1 mostra menor share de mercado por que há um número maior de firmas) d2d2 d3d3 Pl 3 Pl 2 Pc d1,d2 curvas de market- share de firmas entrantes P,C X= quantidade Povoamento do Mercado (número de firmas já existentes N ) e PL3 > PL2 > Pc Entry Gap d1d1 d1´d1´

47 Discussão As firmas instaladas (Fi)impedirão a entrada se levarem a firma entrante (Fe) a acreditar que operará com nível sub-ótimo de capacidade produtiva (à esquerda de x) após a entrada discussão: no entanto, aparentemente, todas as firmas (Fe e Fi) estariam pior do que antes se houver entrada em mercados povoados? Isso é racional? a entrada para operar num nível de escala sub-ótimo significaria comportamento irracional de todas, firmas entrantes e instaladas ? A taxa de sobrevivência das firmas, se houver entrada,dependeria de outros fatores: capacidade financeira e de sorte

48 Inclinação da Curva LAC A inclinação de LAC mede a taxa à qual os custos médios de longo prazo aumentam quando a planta de uma firma é explorada sub-otimamente Relação positiva: quanto mais inclinada é a curva LAC, maiores o preço limite PL e o Prêmio (medido como margem de lucro ou pay-off) após a entrada

49 X d d´ PL2 PL1 Pc d e d´ curvas de market-share do entrante P,C X= quantidade Inclinação de LAC (mede a velocidade à qual o custo médio cai) PL 2 > PL 1 > Pc Entry Gap XLl XL2

50 Elasticidade e Condições de Entrada De acordo com a hipótese básica do modelo A quanto maior for a elasticidade-preço, maior será o Prêmio

51 d1d1 d1´d1´ d2d2 d2´d2´ PL 2 PL 2 > PL 1 > Pc PL 1 Pc Elasticidade da Curva do Market-Share e Prêmio XL 2 x

52 Elasticidade da curva individual de demanda Se o share de mercado d da firma entrante (Fe) não garantir o aproveitamento pleno das economias de escala, após a entrada no nível mínimo de eficiência que garante o aproveitamento de economias de escala plenas x, as barreiras à entrada garantirão um nível de preços PL acima do nível Pc (=LAC) para as firmas instaladas

53 Em função das premissas ( da hipótese de acomodamento) o nível de preços-limite e o montante do prêmio P dependerão de: da inclinação de LAC e do número de empresas pré-existentes (mercados mais povoados) antes da entrada de novos concorrentes do share inicial que a firma nova obterá (após a entrada) em relação à escala mínima eficiente x da elasticidade – preço da curva do market-share, Em resumo

54 Relação entre PL (e prêmio P) e as variáveis A elasticidade é positivamente relacionada com P O número de firmas N é positivamente relacionado com P A inclinação de LAC é positivamente relacionada com o prêmio em preços P share d da firma entrante Fe, dado x é negativamente relacionado com P (quanto menor for a participação de mercado da firma entrante frente à escala minimamente eficiente)

55 Modelo B de Bain (Postulado de Sylos) As firmas entrantes (Fe) esperam que as firma instaladas Fi mantenham a produção constante, levando o preço a cair, em consequência da adição de nova capacidade produtiva X As firmas instaladas (Fi) mantêm seu produto ao nível de produção pré-entrada obrigando o produto adicional do entrante a ser vendido a um preço menor (hipótese pessimista) Na realidade, as firmas instaladas (Fi)esperam que a entrada não ocorra se os preços caírem abaixo do nível crítico de LAC ( =Pc) ( firmas agiriam de forma irracional se entrassem no mercado numa situação deste tipo)

56 Se a entrada de uma firma ocorrer Se uma nova empresa ( a mais favorecida do ponto de vista de custos) consegue entrar no mercado: Preço de mercado cai todo o incremento de demanda vai pertencer ao ingressante Δ X = XC -XL = x

57 O preço limite PL é fixado a partir da determinação do nível total de produção XL que as firmas instaladas produzirão de forma a prevenir a entrada XL= Xc - x PL XL Xc Pc = LAC D D x x

58 Porque a hipótese de reação hostil é melhor do que hipótese de acomodação? A hipótese de acomodação por parte do candidato a ingressar no mercado (supondo que as firmas instaladas manterão os níveis de preços pré-entrada ) reduzindo sua própria produção é pouco realista implica que as empresas estabelecidas permitem que os entrantes obtenham o share de mercado que desejam,após a entrada, o que diminuirá seus próprios lucros de duas formas:

59 ...diminuirá seus lucros, de 2 formas: 1º. Porque os preços cairão e aos novos preços as Fi venderão menos do que antes 2º. Seus custos aumentariam à medida que fossem deslocadas p/ partes crescentes de suas curvas de custo (o mercado sendo ocupado por mais firmas) 3º. Além disso, gerariam uma reputação de tolerância com a entrada criando um precedente para novas entradas

60 Hipótese B ou de Sylos-Labini (Postulado de Sylos) Embora seja mais agressiva do que a anterior, implica em uma atitude defensiva na medida em que as firmas instaladas abrem mão de fixar preços deixando para firma entrante defini-los com na quantidade que adicionar aos mercado No entanto, uma estratégia mista combinando uma certa acomodação com a reação de deixar os preços cair parece viável permite que se fixe o preço acima do nível competitivo

61 Outras estratégias comportamentais Empresas instaladas no mercado podem travar a luta competitiva através de outras estratégias non- price que tornarão a sobrevivência do entrante mais difícil (e desencorajarão a entrada) ou Exemplo: As Firmas Instaladas podem fixar preços de monopólio por algum tempo e depois reduzi-los para os níveis que impedem a entrada (PL) ou ainda deixar os preços cair ao nível de equilíbrio competitivo Pc(LAC) à medida que a entrada ocorre (modelo Pashigian, a ser estudado)

62 Estratégias de aumentar produção após entrada Implica em guerra de preços para eliminar a entrante, uma vez que o pode cair abaixo do custo médio de longo prazo LAC (=PC) esta estratégia dependerá de outros fatores (outros dados) como ter reservas financeiras, reservas que definem sua habilidade de financiar as perdas de batalha e na duração da guerra competitiva e até sorte

63 Modelo de Labini, versão Modigliani Suposições 1.Existência de barreiras de Economias de Escala 2.Estrutura de Custos: Economias de Escala determinam um tamanho mínimo de plantas a partir do qual todas as economias de escala são plenamente obtidas; LAC tem forma de L é a mesma para todas as firmas 3.A entrada ocorre ao tamanho mínimo x ; entrada sub-ótima (à esquerda de x) é evitada por firmas entrantes e implicaria em comportamento irracional 4. Entrada ocorre com novas firmas ( não por expansão de capacidade ) 5. Produto é homogêneo e D é plenamente conhecida

64 O ponto de intersecção da curva de demanda DD com a linha que projeta do nível horizontal de LAC determina o Xc e Pc (quantidades e preços que preveleceriam se o mercado fosse competitivo à longo prazo) X LAC Pc D Xc CP

65 6. O preço é determinado pela firma mais eficiente da indústria (liderança de preços) no nível de prevenção à entrada 7. As firmas adotam o Postulado de Sylos (=modelo B de Joe Bain) isto é 7.1) as firmas instaladas esperam que as firmas entrantes não ingressem no mercado com uma planta de menor tamanho do que o tamanho mínimo x 7.2) se firmas novas entrarem, o preço deverá cair abaixo do nível que cobre os custos médios de longo prazo (Pc=LAC) 7.3) as firmas entrantes esperam que as firmas estabelecidas não alterem as quantidades produzidas após a entrada

66 O Modelo Sob as suposições anteriores, o preço de equilíbrio é PL > Pc ( = LAC ) isto é, as firmas instaladas têm lucros acima do normal devido à barreiras de economias de escala ( que se reflete no tamanho mínimo x) A maior preocupação das firmas instaladas (Fi) é determinar um preço que não atraia a entrada Atenção: o PL é determinado indiretamente ao se determinar o nível de produto que será vendido por TODAS as firmas na indústria

67 Firmas instaladas decidem vender a quantidade XL, de modo que, se uma firma entrante conseguir ingressar na indústria oferecendo quantidade adicional x, o produto total excederá ligeiramente o nível competitivo Xc e o preço cairá abaixo de Pc O nível de produto que impede entrada é XL PL Pc =LAC XLXc tal que XL + x > Xc e o preço pós entrada cai para P < Pc (=LAC) x P´ Entry-gap (prêmio em preços sobre Pc) X´X´

68 Dado XL, o nível de prevenção de entrada PL é simultaneamente determinado a partir de D A entrada será prevenida enquanto X>XL Se X < XL não há como impedir a entrada de novos competidores no mercado XL = XC – x é o nível de produto que as firmas deverão produzir de forma a impedir a entrada e PL é preço preventivo definido por DD, dado XL

69 Observação: São barreiras de escala que fazem com que PL> Pc A diferença (PL- PC) define o montante pelo qual o preço pode superar o custo médio de longo prazo (LAC) sem atrair a entrada de novos concorrentes, garantindo um Prêmio em preços na prática aumenta a margem de lucro

70 O que determina a entrada? Tamanho absoluto de mercado Xc Elasticidade-preço da demanda e Escala mínima ótima Preços dos fatores de produção, que junto com a tecnologia determina LAC ( e Pc)

71 formalmente PL = Pc 1 + x Xc. e Tamanho absoluto de mercado Xc Elasticidade-preço da demanda e Escala mínima ótima x Preços dos fatores de produção, que junto com a tecnologia determina LAC ( e Pc) (supõe-se inicialmente que são dados)

72 Desta forma PL = f ( x ), dados Xc e e (elasticidade) Para x 2 > x 1 PL 2 > PL 1 Relação entre Preço Limite e Escala Mínima PL = f ( x)

73 PL 2 PL 1 Xc x2x2 x2x2 Pc x1x1 x1x1 PL = f ( x ) D LAC Se x 2 > x 1 PL 2 > PL 1 XL 2 XL 1 dados Xc, e

74 Relação entre Preço-Limite e elasticidade PL = f (e), dados x e Xc Para eD2 > eD 1 PL 2 < PL 1

75 D1D1 D2D2 XcXL x Pc PL 2 PL 1 LAC PL = f (e) dados Xc e x x Para eD 2 > eD 1 PL 2 < PL1 Elasticidade

76 Preço Limite e Tamanho Competitivo PL = f ( Xc) dados x e elasticidade e Para XC 2 > XC 1 PL 2 < PL 1

77 Mudanças Dinâmicas nos Mercados I Aumento de Custos Se o custo direto aumenta todas as firmas são afetadas e assim a curva de custos de longo prazo será deslocada mais ou menos uniformemente leva a um aumento no preços limites Labini e Modigliani supõem que as firmas aderem à alguma regra de formação de preços do tipo custo médio (Kalecki) ou custo total (Labini, Hall e Hitch) porque elas facilitam a coordenação dos comportamentos competitivos no oligopólio

78 Impacto do Tamanho Absoluto de Mercado Se há um aumento dinâmico na demanda( deslocamento à direita em D) o efeito sobre o preço e a estrutura da indústria depende do impacto desta mudança na demanda Se o aumento na demanda é considerável as Fi deveriam baixar seus preços – pelo menos por um certo período- para impedir entrada e construir capacidade adicional para encontrar a demanda Se os preços são altos e as Fi não conseguem construir capacidade produtiva a tempo de encontrar o aumento da demanda, elas não conseguirão evitar entrada de novos concorrentes

79 Impacto do Tamanho Absoluto de Mercado Se o entrante tiver consideráveis economias de escala, algumas das firmas instaladas (menores) poderão ser expulsas e o preço cairia Se aumento na demanda é gradual, as Fi serão capaz de atender a este aumento utilizando reserva de capacidade e através do investimento na expansão de capacidade e, neste caso, possivelmente os preços não serão reduzidos

80 Mudanças Dinâmicas nos Mercados II Variações Cíclicas na Demanda Durante a Recessão: O preço limite PL mostraria uma tendência a aumentar no entanto, o mark-up pode não aumentar devido aos custos de manter capacidade ociosa O que fazem as empresas? Vão tentar fazer concessões secretas de preços na sua tentativa de assegurar uma participação maior na demanda reduzida pela recessão

81 II Variações Cíclicas na Demanda (Stigler) Durante a RECUPERAÇÃO: haverá uma tendências para os preços aumentarem quando a capacidade plena for atingida (ou perto dela) No entanto as firmas tenderão a resistir a este aumento por medo de atrair novos competidores firmas preferem adotar políticas alternativas como o escalonamento de suas entregas ao longo do tempo, ao mesmo tempo que expandem a capacidade produtiva O mark-up tende a estabilizar-se variando apenas ligeiramente ao longo de uma média preços praticamente não flutuam ( os preços só mudam se os custos diretos mudarem porque estas variações afetariam todas as firmas)


Carregar ppt "Estudo da Formação de Preços em Regime de Oligopólio 1. Oligopoly and Entry-Prevention (J. Bain 1947 American Economic Review) 2.Barriers to New Competition."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google