A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Grupo de Economia da Energia 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO Inovações tecnológicas em biocombustíveis: as alternativas de desenvolvimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Grupo de Economia da Energia 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO Inovações tecnológicas em biocombustíveis: as alternativas de desenvolvimento."— Transcrição da apresentação:

1 Grupo de Economia da Energia 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO Inovações tecnológicas em biocombustíveis: as alternativas de desenvolvimento em segunda geração José Vitor Bomtempo Gestão e Inovação Tecnológica/EQ - UFRJ Grupo de Economia da Energia/IE – UFRJ 28/11/08

2 Grupo de Economia da Energia AGENDA Introdução Inovações em energia Dinâmica da inovação em biocombustiveis Questões-Chave para o futuro dos biocombustíveis no Brasil.

3 Grupo de Economia da Energia Principais Desafios para o Setor Energético Sustentabilidade ambiental Segurança do abastecimento Disponibilidade de recursos

4 Grupo de Economia da Energia NOVAS TECNOLOGIAS ENERGÉTICAS: IMPACTOS AMBIENTAIS X ESTÁGIO TECNOLÓGICO Impacto Ambiental Baixo Médio Alto Estágio tecnológico Desen- volvido Interme- diário Plantas a carvão Supercriticas Petróleo Ultra-pesado Areias betuminosas Xisto betuminoso Coal-to-liquids Eólica Etanol Biodiesel Solar Gaseificação da biomassa Etanol por hidrólise Energia das marés e ondas Transporte H2 Seqüestro de CO2 Hidrogênio por renováveis Fusão Nuclear TGCC– Turbinas a gás com ciclo combinado Hidrogênio via gás natural Gas-to-liquids IGCC – Integrated Gasification Combined Cycle (coal) Preliminar

5 Grupo de Economia da Energia Questões 1. Quais dessas tecnologias serão viabilizadas a longo prazo? 2. Como estruturar o planejamento de longo prazo em relação a essas alternativas? 3. Políticas? Estratégias? 4. Que papel podem exercer novos entrantes na indústria? 5. Que estratégias das empresas de petróleo e gás?

6 Grupo de Economia da Energia Contexto das inovações em energia Existe um boom de negócios em energia Existe uma grande variedade de iniciativas em diversas áreas e particularmente em biocombustíveis Características do mercado de energia Tamanho: ~US$ 6 trilhões/ano Escala do mercado facilita a exploração de nichos de para aprendizado e difusão das inovações

7 Grupo de Economia da Energia Papel dos biocombustíveis em longo prazo incertezas Evolução tecnológica Existe uma febre de projetos de pesquisa, em diferentes estágios de desenvolvimento, que têm em comum a incorporação de um nível tecnológico mais sofisticado ao setor (biotecnologia avançada por ex) e a presença de empresas de base tecnológica em associação com empresas estabelecidas das indústrias de energia, química e agroindústria. Evolução das regulamentações Tendência a exigências mais rígidas em termos ambientais com a evolução do Protocolo de Quioto Evolução das metas de utilização Hesitações e recuos têm sido a marca atual, rediscutindo as metas mais ambiciosas de utilização dos biocombustiveis em alguns mercados Evolução das alternativas tecnológicas aos biocombustíveis A perspectiva de evolução de alternativas aos biocombustíveis, como a dos carros híbridos e elétricos plug in, tem surgido com força.

8 Grupo de Economia da Energia Biocombustíveis e a dinâmica da inovação Os biocombustíveis seguirão a trajetória natural de exploração das economias de escala? Um design dominante vai emergir e a maioria das alternativas tecnológicas e modelos de negócios atuais se tornarão não competitivos e desaparecerão? Qual o peso dos ativos complementares? Qual o timing de entrada?

9 Grupo de Economia da Energia Estudando a biofuel fever

10 Grupo de Economia da Energia Estudando a biofuel fever

11 Grupo de Economia da Energia Programa americano de combustíveis renováveis (bi de galões) Fonte: EISA 2007, ÚNICA, 2008

12 Grupo de Economia da Energia Que indústria de biocombustíveis está em desenvolvimento? A longo prazo, supondo que tenham papel relevante, os biocombustiveis terão uma estrutura muito diferente da atual 1. Matérias primas, processos e produtos serão bastante diferentes do que se tem hoje 2. Distinção etanol e biodiesel deve perder importância 3. Indústria do etanol sofrerá uma transformação da sua base atual, incorporando tecnologias e diversificando para outros produtos. 4. Biodiesel perderá importância na forma atual ou Convergirá para novas matérias primas como pinhão manso ou algas e poderá ter um papel mais de aditivação do que de substituição do diesel mineral.

13 Grupo de Economia da Energia Características dos investimentos de longo prazo Biocombustíveis se tornam uma indústria com maior nível tecnológico Distinção etanol e biodiesel tende a perder significado Vantagem competitiva passa a se basear também nas novas tecnologias Cana de açúcar tende a ter papel relevante como matéria prima nobre das tecnologias baseadas em biomassa: Com o aumento da produtividade agronômica (uso de biotecnologia) Com o aproveitamento otimizado da energia contida no bagaço e nas palhas (energia elétrica, produção de etanol e outros produtos). Caldo representa apenas 1/3 da energia Como fonte de matéria para novos produtos por novas rotas Como fonte de matéria prima para a indústria química Investimentos de longo prazo devem ser calcados na ótica da inovação e do desenvolvimento de novas matérias primas e novas tecnologias para assegurar posição competitiva

14 Grupo de Economia da Energia Futuro dos biocomustíveis no Brasil Incorporação de novas tecnologias na produção de etanol e principalmente na exploração da cana de açúcar Incorporação da nova base tecnológica em biocombustiveis, com capacitação em novos processos, de modo a evitar que o desenvolvimento da infra-estrutura na produção de biocombustíveis convencionais venha a bloquear o desenvolvimento dos biocombustíveis avançados. Definição do papel brasileiro nas oportunidades em biocombustíveis avançados (2ª geração).

15 Grupo de Economia da Energia Aspectos do esforço brasileiro em biocombustíveis avançados Empresas Petrobras Produtores importantes de etanol têm postura de esperar que a tecnologia seja acessível Cristalsev tem alianças importantes (Dow em alcoolquímca e principalmente com Amyris e Votorantim Novos Negócios para pesquisa e produção de diesel a partir da cana de açúcar: meta de ambiciosa 1 bi litros em 2012) Dedini – planta piloto tecnologia hidrólise rápida, esforços de engenharia nas inovações de processo para aproveitar palha da cana, gerar mais energia, subprodutos mais valiosos, otimização do consumo de água

16 Grupo de Economia da Energia PETROBRAS nos biocombustíveis PE 2020 pretende desenvolver um negócio global na comercialização e logística de biocombustíveis e liderar a produção local de biodiesel Estratégias incluem ainda desenvolver tecnologias que assegurem a liderança mundial na produção, inclusive baseada em biomassa de baixo valor. PE2020 prevê investimentos de US$ 1,5 bi, sendo 46% em alcooldutos, 29% em biodiesel, 4% em HBio e 21% em outros. Esforços tecnológicos contemplam o desenvolvimento de rotas de 2ª geração: etanol de lignocelulose (tem piloto e planeja planta de demonstração), BTL e bio- óleo.

17 Grupo de Economia da Energia Aspectos do esforço brasileiro em biocombustíveis avançados Governo (MCT) Foram destinados em 2008 cerca de R$ 100 milhões para pesquisas relacionadas a biocombustíveis por meio de editais. CNPq: R$ 26 milhões em 5 editais centrados em biocombustíveis de 1ª geração. FINEP: R$ 80 milhões, apenas na Chamada Subvenção Econômica, para o tema Energia. O tema Energia contemplava 3 sub-temas, dos quais 2 em biocombustíveis Um deles: Desenvolvimento de equipamentos e processos para extração de óleos de palmáceas e pinhão manso visando a produção de biodiesel em pequena escala FAPESP Recursos existem, mas estão sendo destinados para 1ª geração de biocombustíveis?

18 Grupo de Economia da Energia QUESTÕES-CHAVE Para políticas: fundamental não apoiar somente as opções de primeira geração; Setor deve incorporar a idéia de evoluçao da base tecnológica. Até quando vai a janela de oportunidade para os biocombustíveis de 1ª geração?. Estratégias e planejamento em biocombustíveis devem considerar os fundamentos da dinâmica de inovação. Para investidores: To be or not to be? (Shakespeare, in Hamlet, ~1600) Para o caso brasileiro: Tupi or not tupi? (Oswald de Andrade, in Manifesto Antropofágico, 1928)


Carregar ppt "Grupo de Economia da Energia 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO 1º WORKSHOP DO INFOSUCRO Inovações tecnológicas em biocombustíveis: as alternativas de desenvolvimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google