A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof.: Sergio Pacheco Estruturas de Dados I Prof.: Sergio Pacheco 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof.: Sergio Pacheco Estruturas de Dados I Prof.: Sergio Pacheco 1."— Transcrição da apresentação:

1 Prof.: Sergio Pacheco Estruturas de Dados I Prof.: Sergio Pacheco 1

2 2 Tipos Struturas; Exercício; Sumário

3 Prof.: Sergio Pacheco Tipo Estruturas 3

4 Prof.: Sergio Pacheco Tipo Estruturas 4 Tipo de dado com campos compostos de tipos mais simples; elementos acessados através do operador de acesso ponto (.); Uma estrutura deve ser declarada após incluir as bibliotecas e antes da função main.

5 Prof.: Sergio Pacheco Tipo Estruturas 5

6 Prof.: Sergio Pacheco Tipo Estruturas - Exemplo 6

7 Prof.: Sergio Pacheco Tipo Estruturas – Exemplo fflush 7 void cad_condenado() { system ("cls"); printf ( " Inserir dados\n"); printf("\n"); printf (" Nome: "); fflush(stdin); fgets (nome,31,stdin); printf(\n"); printf ("\n Idade: "); scanf ("%d", &idade); }

8 Prof.: Sergio Pacheco Tipo Estruturas - Listas Encadeadas 8 Seqüência encadeada de elementos, chamados de nós da lista; E são representados por 2 campos: Um relacionado a informação armazenada; Outro para o próximo nó da lista.

9 Prof.: Sergio Pacheco Estrutura - Lista encadeada 9 Não podemos garantir que os elementos armazenados na lista ocuparão um espaço de memória contíguo, portanto não temos acesso direto aos elementos da lista. Para que seja possível percorrer todos os elementos da lista, devemos explicitamente guardar o encadeamento dos elementos.

10 Prof.: Sergio Pacheco Estrutura - Lista encadeada 10 Trata-se de uma estrutura auto-referenciada.

11 Prof.: Sergio Pacheco Estrutura - Lista encadeada 11 Em C oferece outro operador de acesso, que permite acessar campos a partir do ponteiro da estrutura. Este operador é composto por um traço seguido de um sinal de maior, formando uma seta ( ->). Em resumo, se temos uma variável estrutura e queremos acessar seus campos, usamos o operador de acesso ponto (p.x ); se temos uma variável ponteiro para estrutura, usamos o operador de acesso seta (pp->x). Seguindo o raciocínio, se temos o ponteiro e queremos acessar o endereço de um campo, fazemos &pp->x. pp->x = 12.0;

12 Prof.: Sergio Pacheco Estrutura - Lista encadeada 12 Passagem de estruturas para funções void imprime (struct ponto p) { printf("O ponto fornecido foi: (%.2f,%.2f)\n", p.x, p.y); } Problema : Cópia de toda a estrutura para a pilha: Passagem por Valor : A função não tem como alterar os valores dos elementos da estrutura original; É mais conveniente passar apenas o ponteiro da estrutura, mesmo que não seja necessário alterar os valores dos elementos dentro da função.

13 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada - Inicialização 13 A função que inicializa uma lista deve criar uma lista vazia, sem nenhum elemento; Uma lista vazia é representada pelo ponteiro NULL. A função responsável por inicializar lista vazia, deve retornar NULL, ou seja, return Null. /* função de inicialização: retorna uma lista vazia */ Lista* inicializa (void){ return NULL; }

14 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada - Inserção 14 Uma vez criada a lista vazia, podemos inserir novos elementos nela; Para cada elemento inserido na lista, devemos alocar dinamicamente a memória necessária para armazenar o elemento e encadeá-lo na lista existente. /* inserção no início: retorna a lista atualizada */ Lista* insere (Lista* l, int i) { Lista* novo = (Lista*) malloc(sizeof(Lista)); novo->info = i; novo->prox = l; return novo; }

15 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada – Verifica se a Lista vazia 15 Função que verifique se uma lista está vazia ou não; Deve-se para isso incluir a biblioteca #include. /* função vazia: retorna true se vazia ou false se não vazia */ bool vazia (Lista* l){ if (l == NULL) return true; else return false; } Por que não precisa verificar se a lista está cheia na hora da inserção.

16 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada – Exercício 16 Montar as funções mostradas e montar um único arquivo.c; Desenhar, com o intuito de mostrar por onde estão sendo as inserções de novos nós; Criar um função para procurar um item na lista, o programa deverá emitir a Msg elemento encontrado ou não; Alterar o código anterior para que o usuário possa interagir com a inserção de novos nós (inclusão de um menu). Arquivo.c

17 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada – Exercício 17 A função para retirar um elemento da lista é mais complexa; Verificar a posição do nó a ser retirado; Não podemos perder a referência

18 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada – Exercício 18 Montar as funções mostradas e montar um único arquivo.c; Desenhar, com o intuito de mostrar por onde estão sendo as inserções de novos nós; Criar um função para procurar um item na lista, o programa deverá emitir a Msg elemento encontrado ou não; Alterar o código anterior para que o usuário possa interagir com a inserção de novos nós (inclusão de um menu). Arquivo.c

19 Prof.: Sergio Pacheco 19 Lista encadeada – Retirar }

20 Prof.: Sergio Pacheco Lista encadeada – Exercício 20 Inserir no código a função de retirar um item da lista. Arquivo.c

21 Prof.: Sergio Pacheco 21 ( Bom final de semana e até semana que vem !!! Deus abençoe a todos.


Carregar ppt "Prof.: Sergio Pacheco Estruturas de Dados I Prof.: Sergio Pacheco 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google