A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula 2 - Infra Estrutura Organizacional e a Gestão do Conhecimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula 2 - Infra Estrutura Organizacional e a Gestão do Conhecimento."— Transcrição da apresentação:

1 Aula 2 - Infra Estrutura Organizacional e a Gestão do Conhecimento

2 2 1.Introdução 2.Administrando em busca do comportamento sistêmico. 3.Cultura Organizacional e Gestão do Conhecimento. 3.1 – Valores 3.2 – Crenças e pressupostos 3.3 – Norma de comportamento e ações. 3.4 – Poder 3.5 – Mitos e Tabus. 3.6 – Ritos, rituais e cerimônias. 3.7 – Fundadores e revitalizadores. 3.8 – Sagas, heróis e anti-heróis. 3.9 – Tradição Oral – Comunicação Verbal e Não Verbal. 4.Estilo gerencial promotor do conhecimento 4.1Líder Autocrático. 4.2Líder Democrático. 4.3Líder Liberal. 4.4Líder autoritário rígido. 4.5Líder autoritário benevolente. 4.6Líder participativo deliberativo. 4.7Líder participativo grupal. Conclusão

3 Administrando em busca do comportamento sistêmico. O que é um sistema? Um conjunto de partes interagentes e interdependentes, que formam um todo unitário com determinado objetivo e efetuam determinada função. Tipos de Sistema Subsistemas – É cada uma das partes que compõem o sistema, constituindo por sua vez um sistema completo que possui em seu interior sistemas ainda menores. Suprassistemas – Referente a um sistema geral da empresa, o qual e composto por diversos subsistemas. Sistemas Abertos – Interferências externas, podem influenciar nos sistemas, forçando a alteração dos mesmos. Sistemas Fechados – Sistemas antigos, geralmente mainfraime(grandes computadores), os quais não sofrem alterações devidos a influencias externas.

4 4 Esquema conceitual de um sistema. AMBIENTE EntradaProcessamentoSaídas Feedback

5 Sistema de Informação É a expressão utilizada para descrever um sistema automatizado, ou mesmo manual, que abrange pessoas, máquinas, e/ou métodos organizados para coletar, processar, transmitir e disseminar dados que representam informação para o usuário.sistema Vantagens de SI: Acesso rápido às informações; Garantia de integridade e veracidade da informação; Garantia de estabilidade; Garantia de segurança de acesso à informação; Informações de boa qualidade são essenciais para uma boa tomada de decisão.

6 6 Classificação dos Sistemas de Informação. Sistemas de Informação Operacional: tratam das transações rotineiras da organização; Comumente encontrados em todas as empresas automatizadas Sistemas de Informação Gerencial: agrupam e sintetizam os dados das operações da organização para facilitar a tomada de decisão pelos gestores da organização; Sistemas de Informação Estratégicos: integram e sintetizam dados de fontes internas e externas à organização, utilizando ferramentas de análise e comparação complexas, simulação e outras facilidades para a tomada de decisão da cúpula estratégica da organização.

7 7 Abordagem Sistémica nas Empreas A necessidade de uma abordagem sistêmica nas organizações decorre das deficiências na compreensão da realidade organizacional, quando se observam separadamente as suas partes. Motivos da abordagem sistêmica: -Possibilidade de compreender a empresa, de uma maneira geral,através de processos de negócio, implementados pelos sistemas de informação. Entropia positiva Tendência a desordem e a destruição, sendo necessário empreender um esforço específico para a sua manutenção e fortalecimento.

8 Posição do Administrador diante dos Sistemas de Informação. Verificar se os objetivos estão sendo atingidos. Avaliar continuamente a sua eficiência e a sua eficácia, interferindo em todos os aspectos que possam ser melhorados. Atentar para as frequentes mudanças, em relação aos concorrentes. Estimular a criatividade e inovação, mesmo que isso signifique violar regras. Construir um ambiente que estimule a criatividade. Possuir um perfil especialista-generalista, capaz de vislumbrar a organização inteira em seu contexto, para se aprofundar no conhecimento de um determinado departamento, gerência ou setor específico. Manter a mente aberta ao aprendizado constante.

9 9 Cultura Organizacional e Gestão do Conhecimento Cultura significa um modelo de suposições básicas que um dado grupo inventou, descobriu ou desenvolveu em aprendizagem para enfrentar seus problemas de adaptação externa e integração interna, e que trabalhou bem o suficiente para ser considerado válido e, por isto, para ser dito para novos membros como a maneira correta de perceber, pensar e sentir em relação a estes problemas.

10 10 Componentes da cultura de uma organização Valores Crenças e pressupostos Normas de comportamento e ações. Poder Mitos e Tabus. Ritos, rituais e cerimônias. Fundadores e revitalizadores. Sagas, heróis e anti-heróis. Tradição oral Comunicação Verbal Comunicação Não verbal. Voltar

11 11 Valores Indicam quais questões são observadas prioritariamente. Quais devem ser consideradas com mais seriedade no processo decisório. Que tipo de pessoas são mais respeitadas, influenciando as possibilidades de subir na hierarquia organizacional. São dificeis de identificar diretamente, sendo necessário entrevistar os membros chave da organização. Ex: ABN-AMRO Bank – Integridade, respeito, trabalho em equipe e profissionalismo. Voltar

12 12 Crenças e pressupostos São usados como sinônimos para expressar aquilo que é tido como verdade na organização. Tidos como verdade, estes conceitos são naturalizados e, consequentemente, são inquestionáveis. Ex: Velocidade é nossa arma Como especialistas somos mais rápidos que nossos concorrentes em cada etapa do processo. Voltar

13 Normas de comportamento e ações O sistema normativo é um importante componente da cultura organizacional, por tratar-se de um conceito que as pessoas de diferentes backgrounds e níveis educacionais podem entender e aplicar de forma bem- sucedida.Todo comportamento que é esperado, aceito ou apoiado pelo grupo, esteja tal comportamento fixado formalmente ou não. Ex : Fomentar o espírito de equipe no desenvolvimento das atividades setoriais colaborando para um relacionamento pautado na cooperação, no respeito e na valorização da diversidade, não permitindo qualquer forma de discriminação por raça, sexo, cor, aparência, religiosidade e idade;

14 Capacidade de realmente controlar as demais pessoas através do exercício da força bruta, da manipulação as recompensas e das punições que têm significado para os outros, ou da manipulação de informações. Poder

15 Mitos e Tabus As estórias constituem um importante componente da cultura organizacional, pois são narrativas baseadas em eventos ocorridos, que informam sobre a organização, reforçam o comportamento existente e enfatizam como este comportamento se ajusta ao ambiente organizacional. Se referem a estórias consistentes com os valores da organização, porém, não sustentadas pelos fatos.(FREITAS, 1991, p.26). Não menos importante os tabus orientam o comportamento através da ênfase na quilo que não é permitido. Ex:Fechamos a fábrica, mas não fechamos essa proposta indecente! Nosso valor de Integridade não é um clichê proforma negociável! Trata- se da nossa essência! E aceitar tal proposta significaria violar nossa essência!.

16 Tem a capacidade de tornar expressiva a cultura, à medida que comunicam de que maneira as pessoas devem comportar-se na organização, mostrar os padrões de procedimentos, estabelecer limites para diversões, aproximar as pessoas, reduzir os conflitos e guiar o comportamento através da dramatização dos valores básicos. Ritos, rituais e cerimônias

17 Fundadores e Revitalizadores Em empresas marcadas pelo fundador ou por algum dirigente que mesmo sem ser o proprietário exerceu importante influência no período de formação da organização(FLEURY; FISCHER, 1992, p-38-39).E ele que sanciona a contratação e demissão dos colaboradores.

18 Sagas, heróis e anti-heróis Saga é o relato de feitos heróicos na empresa, sendo que o herói personifica os valores, tem relação quase direta com a organização (quando é bem sucedida) e tem a coragem e persistência para fazer o que todos almejam mas têm medo de tentar, ao passo que o anti-herói é o responsável pela confusão, pela mistura das coisas,é aquele que precisa ser derrotado

19 19 Tradição oral Mesmo com toda a riqueza que a cultura organizacional pode conter, em termos de símbolos, gestos e instrumentos, ainda são as palavras os principais meio de desvendá-la. A tradição oral é um caminho fundamental para se penetrar, no universo cultural, em valores e símbolos que, por razões éticas ou decorrência com as práticas organizacionais, não podem estar explicitados na história oficial"

20 20 Comunicação Verbal e não Verbal Verbal - A comunicação é um dos elementos essenciais no processo de criação, transmissão e cristalização do universo simbólico de uma organização. Não Verbal – Possibilita subsídios para a compreensão da cultura, e e composto pelo ambiente construído da organização, arquitetura, e padrões de comportamento visíveis, e mesmo documentos públicos, todos facilmente observáveis, mais de difícil interpretação.

21 Uma característica própria e determinada pela personalidade e formação do líder, ou seja, são os tipos de comportamento adotados pelo líder em relação aos seus subordinados, isto é, a maneira como o líder orienta sua conduta. A flexibilidade é muito importante aos líderes, para que variem o estilo gerencial de acordo com as características da organização. Estilo Gerencial promotor do conhecimento

22 Caracterização do líder Autocrático – o único a fixar as diretrizes, a forma de executar as tarefas e a composição das equipes, não permitindo a participação dos colaboradores nessas decisões. Democrático – Interage com os colaboradores a fim de definir as diretrizes de trabalho.Seus elogios e críticas são dirigidos aos fatos, e não às pessoas. Liberal – Não participa nos debates dos colaboradores, deixando que o grupo decida tudo.Não pode criticas os acontecimentos.

23 Autoritário rígido – é impositivo, forte e muito controlador, valendo-se de punições e recompensas acasionais, sem muita comunicação. Autoritário benevolente – é dominador e paternalista, interagindo pouco e adotando decisões descentralizadas, contanto que as mesmas sigam suas prescrições e rotinas. Participativo deliberativo – o grau de confiança é elevado, com algumas recompensas, algumas decisões podem se tomadas pelos níveis mais baixos, sob orientação de um superior. Participativo grupal – prevalece a participação do grupo, com muita democracia e total confiança no subordinados. Todos participam dos objetivos organizacionais. Caracterização do líder


Carregar ppt "Aula 2 - Infra Estrutura Organizacional e a Gestão do Conhecimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google