A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão Financeira A diferença entre contabilidade e gestão financeira: A contabilidade tem a preocupação com os fatos históricos ocorridos dentro de um.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão Financeira A diferença entre contabilidade e gestão financeira: A contabilidade tem a preocupação com os fatos históricos ocorridos dentro de um."— Transcrição da apresentação:

1 Gestão Financeira A diferença entre contabilidade e gestão financeira: A contabilidade tem a preocupação com os fatos históricos ocorridos dentro de um determinado período de tempo. A gestão financeira tem preocupação com as entradas e saídas de caixa da empresa, não importando o período de registro

2 Gestão Financeira Departamento Financeiro Função Contas a pagar/tesouraria Contas a receber pPreocupa-se a conciliação bancária com a provisão e pagamento de fornecedores, colaboradores, etc. PPreocupa-se com o crédito aos clientes com a cobrança e controla o desconto de duplicatas (recebíveis). Departamento Financeiro

3 Gestão Financeira Compra de Material Entrega do Material Produção Venda Pagamento da compra Recebimento da venda Visão da produção Visão da economia Visão da GestãoFinanceira

4 Gestão Financeira O principal relatório da gestão financeira é o fluxo de caixa (FC). O fluxo de caixa é o mapa de navegação da área financeira da empresa. O FC mostra a posição financeira da empresa a cada momento e desta forma é uma ferramenta fundamental para o planejamento da empresa.

5 Gestão Financeira O que é Gestão Financeira? Podemos definir finanças como a arte e a ciência de administrar fundos (recursos financeiros). Problemas básicos do administrador financeiro: – Primeiro: Quanto deve a firma investir, e em quais ativos deve investir? – Segundo: Como deve ser levantado o caixa necessário para suprir os investimentos?

6 Taxa de Retorno Identificação do Ambiente Fluxos de Caixa Identificação do Ativo Identificação do Investidor Avaliação do Ativo Análise de Investimentos Decisão Ótima Gestão Financeira

7 Taxa de Retorno Identificação do Ambiente Fluxos de Caixa Identificação do Ativo Identificação do Investidor Avaliação do Ativo Análise de Investimentos Decisão Ótima Gestão Financeira

8 Identificação do Ambiente Existe livre competição ou reserva de mercado Quais os custos de transação – comissões por exemplo Quais os impostos e taxas Mercado completo – inúmeras fontes de capital / diversos tipos de ativos financeiros Mercado eficiente – toda informação disponível Cultura local? Taxa de Juros básica da Economia local? Cenários macro e microeconômicos – França (extrema direita) ou Bolívia (nacionalismo)

9 Taxa de Retorno Identificação do Ambiente Fluxos de Caixa Identificação do Ativo Identificação do Investidor Avaliação do Ativo Análise de Investimentos Decisão Ótima Gestão Financeira

10 Identificação de um ativo Os ativos passam a ser representados pelos seus fluxos de caixa futuros. Características do fluxo de recebimentos que são relevantes para a avaliação : – Valor (volume) do investimento e dos FC's em $; – Timming (datas) dos pagamentos ou recebimentos; – Risco e Incerteza do fluxo de pagamentos; – Sinal do fluxo de caixa. (entrada ou saída de caixa).

11 Identificação de um ativo

12 Avaliação de um ativo qualquer Princípio fundamental: – Avaliamos ativos reais da mesma forma que avaliamos ativos financeiros. – Ativos (Financeiros ou Reais) devem ser avaliados pelo VP (Valor Presente) de seus futuros fluxos de caixa projetados.

13 Avaliação de um ativo Valor Presente de seus futuros fluxos de caixa projetados. Taxa de desconto

14 Somatório dos VPs dos FCs projetados Fluxo projetado descontado a taxa de 10%

15 Avaliação de Ativos

16 Taxa de Retorno Identificação do Ambiente Fluxos de Caixa Identificação do Ativo Identificação do Investidor Avaliação do Ativo Análise de Projetos de Investimentos Decisão Ótima Gestão Financeira

17 A visão do investidor Deseja maximizar retornos Deseja minimizar riscos Procura liquidez e regras estáveis Identifica oportunidades analisando a relação: Retorno R Risco r =

18 Expectativa do Investidor Maior o Risco, Maior o Retorno exigidos Taxa de Retorno Risco Beta xBeta y Ky Kx

19 Risco Absoluto e Relativo Análise de riscos utiliza de modelos estatísticos Risco absoluto: – A medida do risco absoluto é o desvio padrão dos resultados obtidos comparados com os projetados Desvio padrão maior significa risco maior Desvio padrão menor significa risco menor Risco relativo: – A medida tem relação ao mercado todo – É medido pelo Beta (β) – como veremos – O Beta é uma medida de risco relativo.

20 Percepções de riscos nas empresas Risco de negócio: operacional, administrativo, tamanho do mercado, tecnológico, market share, etc. Risco financeiro: capacidade financeira para o paga- mento das dívidas, volatilidade das taxas de juros, etc. Risco de liquidez: volatilidade da liquidez dos estoques da firma, liquidez de ativos imobilizados, etc. Risco cambial: alterações abruptas nas taxas de cambio entre moedas que financiem uma ou outra parte da empresa, etc. Risco político: política ambiental, política de comércio exterior, tombamentos, proibição de fabricação ou comercialização de determinados produtos, etc.

21 Taxa de Retorno Identificação do Ambiente Fluxos de Caixa Identificação do Ativo Identificação do Investidor Avaliação do Ativo Análise de Projetos de Investimentos Decisão Ótima Gestão Financeira

22 Taxa de Retorno Taxa Mínima de Atratividade – Taxa de Juros – Taxa de Retorno – Taxa de Desconto – Custo do Capital – Ks, ou CMPC TMA é o termo mais adequado

23 Taxa de retorno => Custo do Capital O custo de capital é calculado em função da estrutura de capital da empresa – Capital Próprio - Ks Ações Capital Social – Capital de Terceiros - Kd Debêntures (LP) Financiamentos (LP) Empréstimos (CP) Custo do Capital – Custo Médio Ponderado de Capital (CMPC)

24 Custo do Capital Próprio - Ks Fontes – Ações – Capital Social Custo – Ações – dividendos – Capital Social – Lucro (ROE) Cálculo Ks – CAPM

25 CAPM - Capital Asset Pricing Model Modelo CAPM determina a taxa de retorno Ki como função do risco do projeto i (ativo i) Ki = R f + i (ER m - R f ) Onde:Ki = Taxa adequada ao risco do ativo i RF = Taxa das aplicações livres de risco (renda fixa) βi = Risco relativo do ativo i, em relação ao mercado ERm = Retorno (esperado) do portfolio de mercado.

26 CAPM - Capital Asset Pricing Model Modelo CAPM determina a taxa de retorno Ki como função do risco do projeto i (ativo i) Ki = R f + i (ER m - R f ) PRÊMIO DE RISCO Onde:Ki = Taxa adequada ao risco do ativo i RF = Taxa das aplicações livres de risco (renda fixa) βi = Risco relativo do ativo i, em relação ao mercado ERm = Retorno (esperado) do portfolio de mercado.

27 CAPM - Capital Asset Pricing Model Beta (β): A medida de Risco Relativa – Beta mede a sensibilidade de um ativo em relação aos movimentos do mercado. A tendência de uma ação de mover-se junto com o mercado é refletida em seu Beta, o qual é a medida da volatilidade da ação em relação ao mercado como um todo. Beta é o elemento chave do CAPM

28 CAPM - O que é o Beta (β): O beta de uma ação representa uma a relação frente ao portfolio composto por todas as ações do mercado. Teria, por definição o seu Beta igual a 1, o que representaria na pratica que se o mercado subisse 10% esta ação subiria 10% se o mercado caísse 30% a ação cairia 30%. Caso o Beta de uma ação for 0.5, isto significa que esta ação possui metade da volatilidade do mercado, ou seja se o mercado subir 10% a ação subiria 5%. Caso o Beta de uma ação for 2.0, isto significa que esta ação possui o dobro da volatilidade do mercado, ou seja se o mercado subir 10% a ação subiria 20%.

29 CAPM - Capital Asset Pricing Model Gráfico: Beta x Ks >> RF = 9%; ERM = 13%

30 Custo do Capital de Terceiros - Kd Fontes – Debêntures – Financiamentos Custo – Juros Benefício fiscal – Economia do Imposto de Renda sobre os juros

31 Custo do Capital de Terceiros - Kd O pagamento de dividas em ambiente com IR eqüivale ao pagamento das dividas a uma taxa menor do que a efetivamente cobrada pelo credor. Sendo Kd a taxa de juros cobrada para empréstimos a firma e IR a alíquota do Imposto de Renda que incide sobre o lucro tributável da firma. Devido ao Beneficio Fiscal, o custo do Capital de Terceiros é dado por Kd (1- IR). Custo efetivo do capital de Terceiros: – Sem IR = Kd – Com IR = Kd (1- IR)

32 Determinação do CMPC Uma firma somente tem duas fontes básicas para obter investimentos de capital; Fonte Pagamentos Taxa Comentário Terceiros Juros Kd Menos Risco Próprio Dividendos Ks Mais Risco Definimos o Custo Médio Ponderado de Capital, CMPC, ou Custo de capital da firma, como sendo a media ponderada entre estas duas formas primarias de Capital.

33 Determinação do CMPC Aonde: Kd é o custo da divida (pagamento de juros aos credores) Ks é o custo do capital próprio (pagamento dos.dividendos aos acionistas) Cap. Próprio é o montante do patrimônio dos Sócios Cap. Terceiros é o montante da divida (total) IR é a alíquota do imposto de renda em % (benefício fiscal)

34 Taxa de Retorno Identificação do Ambiente Fluxos de Caixa Identificação do Ativo Identificação do Investidor Avaliação do Ativo Análise de Projetos de Investimentos Decisão Ótima Gestão Financeira

35 Fluxo de Caixa Livre FCL A estimativa dos fluxos de caixa é feita a partir de demonstrativos contábeis, geralmente partindo do lucro líquido e efetuando ajustes, como a soma da depreciação, uma vez que a depreciação consiste em despesa não desembolsável, a adição ou subtração dos novos investimentos feitos ou realizados, bem como as captações ou amortizações de financiamentos.

36 Regras para utilização de FCL Determinar entradas e saídas efetivas de caixa Utilizar moeda constante Considerar o valor quando uso de recursos ociosos Fluxos de caixa líquidos (após impostos - IR) Fluxos de caixa incrementais – apenas o projeto Utilize preços e valores atuais (ignore passados)

37

38 Exercício: elabore o FCL Projeto de investimento, com os seguintes dados: investimento total de R$ 50 mil, sendo R$ 40 mil destinado ao imobilizado e R$ 10 mil ao capital de giro; financiamento de 60% desse investimento realizado à taxa de 15% a.a. pelo sistema SAC; as receitas estimadas de R$ 35 mil por ano; custos fixos e variáveis de R$ 5 mil por ano; IR de 30%; depreciação anual de R$ 10 mil durante os 4 anos do projeto; Valor residual de R$ 15 mil no quarto ano, tributado pelo imposto de renda.

39 Exercício: elabore o FCL

40 Gestão Financeira Rentabilidade x Investimento ( orçamento).

41

42 RISCO VERSUS RETORNO

43 Gestão Financeira Material em Anexo: Fluxo de Caixa Projetado e os Indicadores de Rentabilidade ( Ferramenta Gerencial para tomada de decisão) – Posto de Combustível

44 Controle e Informações Gerenciais

45 Gestão Financeira

46 Planejamento de Resultados- Analise financeira dinâmica ou moderna

47 Conceitos de planejamento

48 Tipos de planejamento O planejamento pode ser classificado em três tipos: a) estratégico; b) tático; c) operacional. Gestão Financeira

49 Tipos de planejamento

50

51

52 Analise Break – Even - Point Artigo em anexo - Discussão em sala de aula

53 Gestão Financeira Analise Dinâmica : Indicadores de Prazos Médio e de Giro; Indicadores de avaliação do capital de giro.

54 Fontes de capital de giro ATIVO CIRCULANTE (aplicação de capital de giro) REALIZÁVEL A LONGO PRAZO ATIVO PERMANENTE O capital de giro pode ser financiado por qualquer das fontes. PASSIVO CIRCULANTE EXIGÍVEL A LONGO PRAZO PATRIMÔNIO LÍQUIDO FONTES

55 Exemplos de fontes geradas pelas operações: duplicatas a pagar; impostos a recolher; salários e encargos sociais a pagar. De forma geral, essas são fontes não onerosas (exceto quando o fornecedor cobra juro pela concessão do prazo de pagamento). Exemplos de fontes geradas pelas atividades financeiras: financiamentos bancários; empréstimos bancários. Essas são fontes onerosas.

56 Gestão Financeira Recursos de Curto Prazo: Capital circulante Recursos aplicados em ativos circulantes Transforma-se constantemente dentro do ciclo operacional

57 Recursos de Curto Prazo

58 Administração de Disponibilidades

59 Gestão Financeira Manutenção do saldo míni mo de recursos disponíveis Uma das finalidades da gestão de caixa é manter um saldo mínimo de recursos que possam ser transformados em dinheiro imediatamente. Finalidades: => pagamento de compromissos financeiros gerados pelas atividades operacionais; => amortização de empréstimos e financiamentos; => desembolsos para investimentos permanentes; => pagamentos de eventos não previstos.

60 Capacidade de obtenção de caixa Limite máximo de recursos financeiros que a empresa consegue tomar no mercado (de terceiros e acionistas) As atividades da empresa devem ser planejadas dentro do limite da capacidade de obtenção de caixa A capacidade de obtenção de caixa depende, também, da capacidade de geração de caixa operacional

61 Administração de Contas a Receber

62 Análise e concessão de crédito A análise de crédito deve considerar os 5 Cs: - caráter - capacidade - capital - collateral - condições

63 Política de crédito A política de crédito trata dos seguintes aspectos: prazo de crédito seleção de clientes limite de crédito. Aumento do prazo médio de crédito implica aumento da necessidade líquida de capital de giro

64 Política de cobrança A política de cobrança deve ser implementada em conjunto com a política de crédito. aumenta Maior facilidade em concessão de crédito aumenta o volume de vendas. Por outro lado, aumenta o volume de inadimplência.

65 QUESTÕES COMPLEMENTARES

66 1 - SOBRE INDICADORES DE RENTABILIDADE - PROJEÇÃO Determinada empresa transportadora está avaliando a compra de um caminhão por R$ ,00. O veículo será usado durante 5 anos, após o que se prevê um valor de revenda de R$ ,00. A empresa estima, ainda, um custo anual de manutenção, combustível, troca de óleo, etc de R$ ,00, no primeiro ano, crescendo esse gasto aproximadamente 10% a.a. Segundo avaliação da empresa, são esperados benefícios de caixa gerados pelo caminhão de R$ ,00, R$ ,00, R$ ,00, R$ ,00, respectivamente, nos próximos 5 anos. Para um custo de capital ( equivale a taxa mínima de atratividade quando o financiamento é totalmente com recursos próprios) de 10% a.a., demostra-se se economicamente interessante a compra do caminhão, justificando a resposta com o calculo do VPL e TIR.

67 2 - CUSTO DE CAPITAL Uma empresa possui uma estrutura de capital composta de 60% de capital próprio e o restante é capital de terceiros. Considerando que o custo do capital próprio é de 10,67% a.a. e capital de terceiros de 8%a.a., determine o Custo Médio Ponderado de Capital ( CPMC ou WACC) sem considerar o Imposto de Renda.

68 4- ANÁLISE BREAK-EVEN -POINT A empresa Surpresa, monoprodutora, vendeu unidades e obteve o seguinte resultado: $Vendas Custos Variáveis Custos Fixos Calcule: – Ponto de Equilíbrio – Margem de Contribuição em % da receita – Resultado da operação se fossem vendidas unidades (prove) – Para obter $ de lucro, quantas unidades deveria vender? Qual a receita que será obtida?


Carregar ppt "Gestão Financeira A diferença entre contabilidade e gestão financeira: A contabilidade tem a preocupação com os fatos históricos ocorridos dentro de um."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google