A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS"— Transcrição da apresentação:

1 MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS

2 MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS
São métodos utilizados para se evitar a concepção. Podem ser: reversíveis: só evitam a concepção enquanto estiverem sendo utilizados, mas permitem o retorno à fecundidade quando se deixa de usá-los; irreversíveis: uma vez utilizados, fazem cessar definitivamente a capacidade de concepção.

3 MÉTODOS REVERSÍVEIS

4 MÉTODOS IRREVERSÍVEIS
Laqueadura (ligadura) de trompas. Vasectomia.

5 MÉTODOS REVERSÍVEIS 1- Métodos naturais 2- Métodos físicos de barreira
Coito interrompido Calendário (tabelinha) Muco cervical Temperatura basal 2- Métodos físicos de barreira Camisinha: masculina feminina Diafragma 3- Métodos químicos de barreira Espermicidas 4- Dispositivo intra-uterino (DIU) 5- Métodos Hormonais DIU combinado com hormônios Pílula anticoncepcional Injeção hormonal Implante hormonal Adesivo hormonal Anel vaginal 6- Pílula de emergência

6 1- MÉTODOS NATURAIS Índice de eficiência baixo, se comparados aos outros métodos. desaconselháveis como único método contraceptivo.

7 Coito interrompido Consiste em remover o pênis da vagina pouco antes da ejaculação. Riscos: pode ser que o homem não consiga fazê-lo a tempo; antes da ejaculação pode ocorrer liberação de pequenas quantidades de fluido seminal contendo espermatozóides.

8 Calendário (Tabelinha)
Também conhecido como método do ritmo ou Ogino-Knaus. Baseia-se no conhecimento do início e do fim do período fértil: adequado somente para mulheres com ciclo menstrual regular.

9 Calendário (Tabelinha)
Sendo o primeiro dia da menstruação o primeiro dia do ciclo menstrual, temos: a ovulação ocorre 14 dias antes da menstruação, independentemente do tamanho do ciclo; portanto, se o ciclo menstrual tem uma duração de n dias, o possível dia da ovulação é n – 14; para o cálculo do período fértil, devemos considerar também a viabilidade dos gametas: ~72 horas para espermatozóides e 24 horas para ovócitos II.

10 Calendário (Tabelinha)

11 Muco Cervical (Billings)
Baseia-se na identificação do período fértil pelas modificações cíclicas do muco cervical. O muco cervical aparece cerca de 2 a 3 dias depois da menstruação: inicialmente é pouco consistente e espesso; logo antes da ovulação fica bem grudento.  Após a menstruação Logo antes da ovulação

12 Temperatura Basal Após a ovulação, a temperatura basal aumenta entre 0,3 e 0,8 °C (ação da progesterona). A mulher deve medir a temperatura oral, durante 5 minutos, pela manhã (após repouso de no mínimo 5 horas) antes de comer ou fazer qualquer esforço, e anotar os resultados durante dois ou mais ciclos menstruais: realizar este procedimento desde o primeiro dia da menstruação até o dia em que a temperatura se elevar por 3 dias consecutivos. Depois de estabelecer qual é a sua variação normal, e o padrão de aumento, poderá usar a informação, evitando relações sexuais no período fértil. 

13 2- MÉTODOS FÍSICOS DE BARREIRA
Camisinha (preservativo ou condon): Diafragma

14 Camisinha Antes de abrir a embalagem, conferir:
prazo de validade; carimbo do INMETRO; se a embalagem não está furada: para verificar, deve-se apertá-la: se ficar estufada, pode ser usada. Para abrir a embalagem: não usar objetos cortantes; ela vem picotada para facilitar a abertura. Benefício  prevenção de DST’s (Doenças Sexualmente Transmissíveis). A camisinha deve ser colocada antes de qualquer contato do pênis com a vagina.

15 Camisinha Masculina A camisinha possui lado certo para desenrolar, para saber qual é o correto, basta tentar desenrolar: se estiver difícil, vire a pontinha para o outro lado. Para colocá-la, o pênis deve estar ereto: deve-se apertar a pontinha para evitar que fique com ar. segurando a ponta, desenrolar a camisinha sobre o pênis até chegar à base. Eficiência  entre 86 a 97%.

16 Camisinha Feminina É uma bolsa de plástico transparente com dois anéis: um preso na borda e o outro móvel dentro da bolsa. Pode ser colocada até oito horas antes da relação sexual. Eficiência  entre 82 a 97%.

17 Camisinha Feminina Com os dedos, aperte o anel interno.
Em uma posição confortável, introduza-o na vagina.

18 Camisinha Feminina Com o dedo indicador empurre a camisinha até o fundo da vagina: ela deve cobrir o colo do útero e recobrir parte da vulva.  a argola externa tem que ficar para fora da vagina uns 3 cm. Atenção: o pênis deve ser introduzido dentro da camisinha.

19 Diafragma Anel de metal recoberto por uma película de borracha ou silicone: impede que os espermatozóides entrem no útero. Inicialmente o tamanho do diafragma deve ser medido por um médico. Deve ser colocado dentro da vagina antes da relação e retirado no mínimo 6 horas depois: não deve permanecer por mais de 24 horas dentro da vagina. Duração  muito grande, bastando cuidados de conservação. Eficiência  varia de 82 a 94%: para ser mais eficiente deve ser usado junto com um espermicida.

20 3- MÉTODOS QUÍMICOS DE BARREIRA (ESPERMICIDAS)
Produtos químicos em forma de géis, cremes, espumas ou comprimidos, que são colocados dentro da vagina: matam ou imobilizam os espermatozóides. Devem ser colocados no fundo da vagina com aplicador, antes de cada relação sexual. Eficiência  varia de 58 a 92%.

21 4- DISPOSITIVO INTRA-UTERINO (DIU)
Dispositivo intra-uterino de polietileno coberto com um fio de cobre: impede a fecundação: o cobre afeta os espermatozóides matando-os ou diminuindo sua mobilidade dentro do útero. Deve ser inserido dentro da cavidade uterina por um médico especializado. Efeitos colaterais Alterações no ciclo menstrual  comum nos primeiros três meses, geralmente diminuindo depois deste período: sangramento menstrual prolongado e volumoso; sangramento no intervalo entre menstruações; cólicas de maior intensidade ou dor durante a menstruação.

22 5- MÉTODOS HORMONAIS Se usados corretamente têm eficiência superior a 99%. Mecanismos de ação: impedem a concepção por inibirem a ovulação: bloqueiam a liberação de gonadotrofinas pela hipófise. modificam o muco cervical dificultando a entrada dos espermatozóides na cavidade uterina; alteram as condições endometriais e modificam a contratilidade das tubas uterinas, interferindo no transporte do ovócito II.

23 5- MÉTODOS HORMONAIS Efeitos colaterais
náusea, sensibilidade dos seios, ganho de peso, retenção de água, alterações no humor, manchas na pele, dor de cabeça, vertigens, aumento da pressão arterial. Se usados por muito tempo, podem aumentar o risco de câncer de mama.

24 5- MÉTODOS HORMONAIS Uso não recomendado
Para mulheres que se encaixam em qualquer um dos seguintes casos: fumantes, obesidade, problemas cardíacos ou hipertensão arterial, doenças do fígado, suspeita de gravidez, flebite ou varizes, glaucoma, enxaqueca, com menos de 16 anos ou mais de 40 anos.

25 5- MÉTODOS HORMONAIS DIU combinado com hormônios (Mirena)
Pílula anticoncepcional Injeção hormonal Implante hormonal (Implanon) Adesivo hormonal (Evra) Anel vaginal (Nuvaring)

26 DIU combinado com hormônios (Mirena)
Dispositivo intra-uterino (DIU) de plástico ou metal, combinado com hormônios:  age na supressão dos receptores de estriol (tipo de estrógeno) endometrial, provocando atrofia do endométrio; torna o muco cervical mais espesso, prevenindo a entrada dos espermatozóides; inibe a ovulação. Como usar e outros efeitos colaterais  idem DIU.

27 Pílula anticoncepcional
Comprimidos que contêm uma associação de estrógeno e progesterona ou somente progesterona. Classificação: monofásicas: todos os comprimidos da cartela contêm a mesma dosagem de hormônios (associação de estrógeno e progesterona). multifásicas: cartela contém comprimidos com diferentes dosagens hormonais (associação de estrógeno e progesterona): apresentam cores diferentes  não podem ser tomadas fora da ordem. de baixa dosagem ou minipílulas:  comprimidos da cartela apresentam uma dosagem hormonal mais baixa e contêm apenas um hormônio (geralmente progesterona): indicadas durante a amamentação.

28 Pílula anticoncepcional
Como usar Tomar um comprimido por dia, de preferência no mesmo horário. Seguir rigorosamente as recomendações da bula: início de uso e intervalos variam entre os diferentes tipos de pílulas.

29 Injeção hormonal Injeção hormonal intramuscular que impede a ovulação.
Pode ser de uso mensal ou trimestral. Outros efeitos colaterais Alterações do ciclo menstrual: pequeno sangramento nos intervalos entre as menstruações, sangramento prolongado, amenorréia (ausência de menstruação).

30 Implante hormonal (Implanon)
Pequeno bastão contendo o hormônio etonogestrel (um tipo de estrógeno), que é introduzido embaixo da pele através de um aplicador descartável: deve ser colocado por profissional especializado. Duração  aproximadamente três anos.

31 Adesivo hormonal (Evra)
Adesivo contendo os hormônios etinilestradiol e norelgestromina. Deve ser colado na pele e trocado semanalmente: ao final de 3 semanas deverá ser feita uma pausa de 7 dias.

32 Anel vaginal (Nuvaring)
Anel vaginal contendo os hormônios etonogestrel e etinilestradiol. Deve ser introduzido no fundo da vagina no 5º dia da menstruação, permanecendo nesta posição durante 21 dias: após colocado não é sentido pela mulher. Para retirar basta inserir o dedo na vagina e puxar o anel: após uma pausa de 7 dias, novo anel deverá ser colocado por mais 21 dias.

33 6- PÍLULA DE EMERGÊNCIA Conhecida popularmente como pílula do dia seguinte. Cada cartela contém 2 comprimidos (mais comum no Brasil): cada comprimido contém 0,75 mg do hormônio levonogestrel. Deve ser utilizada apenas para a contracepção de emergência: após uma relação sexual desprotegida; falha potencial de um método anticoncepcional: ex.: quando a camisinha se rompe durante a relação; em casos de estupro.

34 6- PÍLULA DE EMERGÊNCIA Não deve ser usada como método anticoncepcional: provoca vários efeitos colaterais e o índice de falha aumenta com o uso sucessivo. Não é pílula de aborto  de nada adiantará se a mulher já estiver grávida: impede ou retarda a ovulação, impossibilitando a fecundação, provoca alterações no endométrio, impedindo a implantação do blastocisto: segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) a gravidez só tem início após a implantação do blastocisto no útero.

35 6- PÍLULA DE EMERGÊNCIA Como usar
Tomar 1 comprimido até no máximo 72 horas após o coito desprotegido: quanto mais cedo, mais eficiência terá. Repetir a dose após 12 horas (1 pílula). Índice de falha: Se usada até 24 horas da relação  5%. Entre 25 e 48 horas  15%. Entre 49 e 72 horas  42%.

36 MÉTODOS IRREVERSÍVEIS
1- Laqueadura (ligadura) de trompas 2- Vasectomia

37 1- Laqueadura de trompas
Procedimento cirúrgico no qual se interrompe a conexão da tuba uterina com o útero: impede o encontro dos espermatozóides com o ovócito II, impedindo a fecundação. É uma cirurgia de esterilização voluntária definitiva. Pode ser feita de várias maneiras, mas sempre exige internação e anestesia geral ou regional.

38 2- Vasectomia Procedimento cirúrgico no qual se secciona o canal deferente: interrompe a passagem dos espermatozóides para o meio externo: o sêmen ejaculado não conterá espermatozóides. Pode ser feito em consultório, com anestesia local. Não afeta a performance sexual nem a produção hormonal ou o funcionamento do sistema reprodutor masculino. É uma cirurgia de esterilização voluntária definitiva.


Carregar ppt "MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google