A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EGITO prof. Emerson Guimarães. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA O Egito Antigo – no norte da África possuía um território estreito e comprido que compreendia duas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EGITO prof. Emerson Guimarães. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA O Egito Antigo – no norte da África possuía um território estreito e comprido que compreendia duas."— Transcrição da apresentação:

1 EGITO prof. Emerson Guimarães

2 LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA O Egito Antigo – no norte da África possuía um território estreito e comprido que compreendia duas grandes regiões: o Alto Egito (região do vale) e o Baixo Egito região do Delta do Nilo). EGITO, dádiva do NILO

3

4

5 Embarcação feita de papiro muito utilizada pelos pescadores egípcios.

6 FORMAÇÃO DO ESTADO NO EGITO ANTIGO Nomos: conjuntos de aldeias governadas pelos nomarcas, nome dado aos chefes mais poderosos.

7 Com o tempo, as disputas entre os nomarcas por poder e terras geraram guerras e alianças entre eles. Alguns deles, ao vencerem os demais, tornavam-se reis, passando a controlar vários nomos. Surgiram então no Egito reinos que foram ficando cada vez maiores, até resumirem-se a dois: o Alto Egito (no vale do Nilo) e o Baixo Egito (no Delta do Nilo).

8 Por volta do ano 3200 a.C., o rei Menés, do Alto Egito (no vale do Nilo), conquistou o Baixo Egito (no delta do Nilo), unificando os dois reinos. Menés tornou-se então o primeiro faraó (nome que se dava ao rei entre os egípcios) e o fundador da primeira dinastia (sucessão de reis pertencentes a uma mesma família).

9

10 Antigo Império (3200 – 2300 a.C.): Durante a maior parte deste longo período, os faraós conseguiram impor sua autoridade ao reino e, auxiliados por seus funcionários, coordenaram a construção de grandes obras públicas, entre elas as pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos.

11 Mastaba Uma mastaba é um túmulo egípcio, com paredes inclinadas em direção a um topo. Existia desde a primeira era dinástica no que chamavam de período arcaico (cerca de 3500 a.C.) e precedeu as pirâmides. Quando estas começaram a ser construídas, mais exigentes do ponto de vista técnico e económico, as mastabas permaneceram sendo construídas por serem uma alternativa mais simples e econômica.

12 Médio Império(2000 – 1580 a.C.): Neste período os egípcios expandiram seu território em direção ao Sul, conquistando a Núbia, região rica em minerais, entre os quais o ouro. Apesar da prosperidade material, o reino continuou envolvido em guerras e revoltas internas que o enfraqueceram. Isso encorajou os hicsos, povo originário da Ásia Central, a atravessarem o deserto e invadirem o Egito, conquistando-o. A vitória dos hicsos deveu-se ao uso de cavalos e carros de combate, desconhecidos pelos egípcios. O domínio dos hicsos em território egípcio durou mais de 150 anos.

13 Novo Império(1580 – 525 a.C.): Este período inicia-se com a expulsão dos hicsos. Por volta de 1250 a.C., os hebreus, sob a liderança de Moisés, conseguiram fugir do Egito. Amósis IV implantou o monoteísmo, criando um novo culto que personificava todos os deuses em um único, Aton, representado pelo disco solar. Amenófis IV chegou a mudar a capital (Tebas) para uma nova cidade. Ikutaton – "horizontes de Aton", a fim de dominar completamente o poderoso clero tebano devotado ao antigo culto de Amon-Rá. Mas, após a morte de Amenófis, Tutancâmon restabeleceu o politeísmo. As conquistas militares foram retomadas com Ramsés II, que derrotou os povos asiáticos, como os hititas. Amenófis ou Amósis IV Tutancâmon Foi restaurado o culto a Amon- Rá

14 Quando foram feitas radiografias do corpo, em 1968, um fragmento de osso foi encontrado em seu crânio levando a especulações de que ele havia sido morto com um golpe. Pouco se sabe sobre os dez anos de reinado de Tutancâmon depois que ele sucedeu Akhenaten, que abandonara os velhos deuses do Egito em favor do monoteísmo. Alguns historiadores dizem que ele teria sido morto por tentar trazer de volta o politeísmo. Outros acreditam que ele foi assassinado por Ay, o segundo em comando, e que acabou sucedendo o jovem faraó. Seus despojos foram encontrados pelo arqueólogo britânico Howard Carter em 1922, e outras imagens antigas.

15 OS RITUAIS DE MUMIFICAÇÃO O coração era lacrado no próprio corpo. Os Egípcios o consideravam como o órgão tanto da inteligência como do sentimento e portanto, seria indispensável na hora do juízo. Somente à alguém com um coração tão leve quanto a pluma da verdade, o deus Osiris permitia a entrada para a vida eterna. A mumificação e os rituais funerários obedeciam regras rígidas, estabelecidas pelo próprio Anúbis e duravam 70 dias. Após a retirada dos órgãos internos, os embalsamadores colocavam as vísceras em vasos sagrados chamados "Vasos Canopos", cada um sob a proteção de um dos quatro filhos de Hórus.

16 Em 662 a.C. os Assírios invadiram o Egito. Em 650 a.C. Psamético I expulsou os assírios e tornou- se faraó. Em 525 a.C. os persas dominaram o Egito. Instaurou-se no Egito uma dinastia de origem macedônica, chamada ptolomaica ou lágida, à qual pertenceu Cleópatra. Assírios Persas

17 O filho de Cleópatra com o imperador romano Júlio César foi o último rei ptolomaico – Cesário; Depois desse período a região caiu sob o domínio romano e, mais tarde, árabe, que introduziram elementos culturais cristãos e muçulmanos, respectivamente.

18 A SOCIEDADE EGÍPCIA

19 O FARAÓ Era considerado um deus vivo, filho do Sol (Amon-Rá) e encarnação do deus-falcão (Hórus). Comandava os exércitos, distribuía a justiça, organizava as atividades econômicas. O faraó era o pai e a mãe dos seres humanos; um governante com autoridade sobrenatural para recrutar o trabalho em massa necessário à manutenção do sistema de irrigação ao longo do Nilo. Além do poder e prestígio, o faraó possuía enorme riqueza. Era considerado o dono de todas as terras do Egito. Por isso, tinha o direito de receber impostos (pagos em produtos) das aldeias.

20 OS NOBRES: Descendentes das famílias mais importantes dos antigos nomos cuidavam da administração das províncias ou ocupavam os postos mais altos do exército.

21 O vizir e/ou SACERDOTES: Detinham muito poder, administravam todos os bens que os fiéis e o próprio Estado ofereciam aos deuses e tinham muita influência junto ao faraó. Enriqueciam porque ficavam com parte das oferendas feitas pela população aos deuses, além de serem dispensados do pagamento de impostos. Estatueta de Imhotep no Louvre.Louvre Serviu a Djoser, rei da Terceira Dinastia,DjoserreiTerceira Dinastia na função de vizir ou sumo sacerdotevizir no ANTIGO EGITO.

22 OS ESCRIBAS: os que dominavam a difícil escrita egípcia, encarregavam-se da cobrança dos impostos, da organização das leis,dos decretos e da fiscalização da atividade econômica em geral.

23 Os escravos eram prisioneiros de guerras. Alguns realizavam trabalhos domésticos; outros pesados, como carregar grandes blocos de pedras e cavar a terra para construir represas. Os artesãos produziam os artigos de luxo – móveis, armas, jóias, roupas, perfumes, decorações, estatuetas dos deuses. Os comerciantes não eram muitos numerosos. Transportavam suas mercadorias através do rio Nilo.

24 OS CAMPONESES: Chamados no Egito de felás, constituíam a imensa maioria da população. Trabalhavam nas propriedades do faraó e dos sacerdotes e tinham o direito de conservar para si apenas uma pequena parte dos produtos colhidos. Eram também obrigados a trabalhar na construção de obras públicas grandiosas, como abertura de estradas, limpeza de canais, transportes de pedras necessárias às grandes obras, como túmulos, templos e palácios.

25 Escrita Hieroglífica - Usada para textos religiosos. gravadas em pedra. Escrita Hierática - Usada pela nobreza. sobre madeira ou papiro. Escrita Demótica - Usada pelos escribas na contabilidade dos armazéns reais. usada para cartas (papiro).

26 Anúbis (ou Anupu ou Anpu) Deus Egípcio dos mortos e do submundo; Presidia às mumificações ; Osiris Deus da vida após a morte Ísis Deusa do amor Hórus Deus do céu Olho de Hórus

27 Seth: Deus do caos, deordem e violência Toth: Deus da sabedoria e do conhecimento Rá (ou Ré) Deus sol, principal deus egípcio.

28 REVISANDO!REVISANDO!

29 Economia Agricultura de regadio (diques e canais) Servidão Coletiva Cobrança de Impostos Política Poder Centralizado – Faraó Teocrática (religião + poder político) Sociedade FARAÓ Ministros e sacerdotes Escribas e demais funcionários públicos Camponeses servos Escravos

30 O Egito tornou-se uma província do Império Romano em 30 a.C., após a Batalha de Actium. Os romanos dependiam fortemente das remessas de grãos do Egito. Alexandria se tornou um centro cada vez mais importante na rota de comércio com o Oriente. Cleópatra Acima. A atriz que vai interpretar Cleópatra na primeira novela árabe sobre a última Rainha do Egito.

31 1 - No Novo Império Egípcio ( a. C.), a revolução promovida por Amenófis IV (também chamado Akhnaton) teve grande significado porque consistiu na: a) expulsão dos hicsos, povo semita que dominava o Egito desde o Antigo Império; b) unificação das diferentes províncias - nomos - evitando assim a fragmentação do Estado; c) realização de modificações na estrutura social do Egito, para eliminar as oligarquias agrárias; d) promoção de ampla reforma agrária, de modo a atenuar a miséria dos camponeses; e) introdução de uma religião monoteísta, a fim de limitar a influência política dos sacerdotes.

32 2 - A partir da frase: O Egito é um presente do Nilo podemos afirmar que: a)a economia dos egípcios repousava, principalmente, numa base agrária alimentada em função do Nilo; b) o Nilo era excelente meio de transporte para mercadorias, que alimentava um grande comércio e turismo; c) as indústrias das aldeias no curso do Nilo eram incentivadas à produção pela facilidade do Nilo; d) as obras monumentais eram patrocinadas pelo ouro de lavagem oferecido pelo rio Nilo; e) todas as alternativas anteriores estão corretas.

33 3 - O faraó egípcio personificava todos os poderes do Estado, sendo um verdadeiro Deus vivo. Essa atribuição resultava numa autoridade de caráter: a) materialista; b) teocrático; c) antropocêntrico; d) racional; e) democrático 4 - A maioria da população do antigo Egito era formada por: a) comerciantes; b) escribas; c) camponeses; d) militares; e) artesãos.

34 5 - O fascínio que o faraó egípcio Tutancâmon exerce em nosso tempo deve-se, em parte, ao fato de sua tumba ter revelado a grande opulência em que viviam os faraós. Essa opulência era resultado: a) do expansionismo do império Egípcio, que subjugou os povos do Mediterrâneo, como os Cretenses. b) do domínio egípcio sobre as rotas das caravanas através do Saara, conduzidas pelos beduínos. c) do regime de servidão coletiva, no qual os excedentes eram apropriados pelo Estado. d) da crença no monoteísmo, que fazia com que os egípcios se preocupassem com a acumulação de bens. e) da influência mesopotâmica que levou o Egito a adotar um modelo democrático de governo. 6- Sobre a economia do Egito Antigo, não é correto afirmar que: a) predominava uma sociedade do tipo socialista; b) o Estado dirigia a economia e controlava a produção; c) a produção se concentrava nas margens do Nilo; d) a classe dominante explorava as comunidades aldeãs mediante cobrança de impostos; e) os excedentes eram divididos de forma diferenciada entre a população.

35 7 - A vida política do Antigo Império do Egito possuía alguns traços particulares, como o fato de que: a) a separação entre o Estado e a religião era total, pois não havia religião oficial; b) os governantes dos nomos eram diretamente eleitos pelo povo, ainda que subordinados ao faraó; c) a monarquia, a fim de evitar o despotismo, não tinha o caráter hereditário; d) o faraó exercia o poder como Deus; assim era mais uma teocracia que uma autocracia; e) os poderes executivo e judiciário confundiam-se, sendo o faraó o juiz supremo, salvo nos casos que envolvessem crime político. 8- Sobre a civilização egípcia, coloque Verdadeiro(V) ou Falso(F) nos parênteses: ( ) Na parte superior da sociedade estava o faraó, um verdadeiro deus vivo. ( ) Logo abaixo do faraó vinham os membros da nobreza, constituída pelos parentes do faraó, pelos altos funcionários do palácio e pelos grandes sacerdotes. ( ) Os escribas gozavam de grande prestígio, devido as funções que exerciam. ( ) Os camponeses, escravos e artesãos tinham um bom nível de vida. ( ) A maioria da população, no Egito, era formada por camponeses. 9- A religião estava presente em todos os aspectos da vida no Antigo Egito. A medicina, inclusive, era impregnada de elementos mágicos e religiosos. A relação entre religião e medicina no antigo Egito era evidente na medida em que: a) as práticas médicas estavam voltadas apenas para os faraós, que representavam deus. b) as técnicas desenvolvidas na medicina foram estimuladas pela necessidade de preservar o corpo para a vida após a morte. c) os médicos também tinham a missão de promover os cultos religiosos. d) os médicos buscavam prolongar a vida terrena por não acreditarem na vida após morte. e) a medicina muitas vezes contrariou a religião egípcia.

36 10 - Na África, durante a Antiguidade, em a.C., desenvolveu-se o primeiro Império unificado historicamente conhecido, cuja longevidade e continuidade ainda despertam a atenção de arqueólogos e historiadores. Esse Império... a) legou à humanidade códigos e compilações de leis. b) desenvolveu a escrita alfabética, dominada por amplos setores da sociedade. c) retinha parcela insignificante do excedente econômico disponível. d) sustentou a crença de que o caráter divino dos reis se transmitia exclusivamente pela via paterna. e) dependia das cheias do rio Nilo para a prática da agricultura.

37 Salamaleico QUE A PAZ ESTEJA COM VOCÊ


Carregar ppt "EGITO prof. Emerson Guimarães. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA O Egito Antigo – no norte da África possuía um território estreito e comprido que compreendia duas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google