A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1º FONDCF 2009. REFORMULAÇÃO PLANO DE CONTAS EXERCÍCIO 2009 – CONTROLE RESTOS A PAGAR MSG SIAFI 2009/0077817 DE 14/01/09 A)O CONTROLE DE RESTOS A PAGAR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1º FONDCF 2009. REFORMULAÇÃO PLANO DE CONTAS EXERCÍCIO 2009 – CONTROLE RESTOS A PAGAR MSG SIAFI 2009/0077817 DE 14/01/09 A)O CONTROLE DE RESTOS A PAGAR."— Transcrição da apresentação:

1 1º FONDCF 2009

2 REFORMULAÇÃO PLANO DE CONTAS EXERCÍCIO 2009 – CONTROLE RESTOS A PAGAR MSG SIAFI 2009/ DE 14/01/09 A)O CONTROLE DE RESTOS A PAGAR PROCESSADO E NÃO PROCESSADO SERÁ EFETUADO NOS GRUPOS 195/295. B) AS CONTAS DOS GRUPOS 195/295 TERÃO APENAS OS C/C DOS TIPOS 26 E 31, RESPECTIVAMENTE, NOTA DE EMPENHO E CÉLULA DA DESPESA DETALHADA. C) AS CONTAS DOS GRUPOS E FORAM EXCLUÍDAS. D) ALGUMAS CONTAS DOS GRUPOS 195/295 TAMBÉM FORAM EXCLUÍDAS. A SEGUIR SEGUE ESTRUTURA DE 2009, BEM COMO "DE/PARA":

3 EXECUÇÃO RESTOS A PAGAR NÃO EXISTIA NÃO PROCESSADOS NÃO PROCESSADOS INSCRITOS REINSCRIÇÃO RP NÃO PROCES. EXERCÍCIOS ANTERIOR RP NÃO PROCESSADOS – TRANSFERIDOS CANCELAMENTO RP NÃO PROCESSADOS * POR INSUFICIÊNCIA RECURSOS

4 * OUTROS CANCELAMENTOS RESTOS A PAGAR RESTABELECIDOS RP PROCESSADOS RP PROCESSADOS – INSCRITO RP PROCESSADOS – INSCRITO - NE NÃO EXISTIA

5 NÃO EXISTIA RP PROCESSADOS – INSCRITO - FOLHA (CÉLULA) NÃO EXISTIA REINSCRIÇÃO RP PROCES. EXERCÍCIOS ANTERIORES REINSCRIÇÃO RP PROCESSADOS - INSCRITO - NE NÃO EXISTIA REINSCRIÇÃO RP PROCESSADOS - INSCRITO -FOLHA RP PROCESSADOS - TRANSFERIDOS NÃO EXISTIA CANCELAMENTO RP PROCESSADOS

6 CANCELAMENTO DE RP PROCESSADOS - NE CANCELAMENTO DE RP PROCESSADOS - FOLHA CANCELAMENTO DE AJUSTES DE EXERCÍCIO ANTERIOR RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADO INSCR NO EXERCÍCIO RESTOS A PAGAR POR NE

7 FORAM ALTERADAS OS C/C DAS CONTAS , , , : DE NOTA DE EMPENHO: PARA NOTA DE EMPENHO + SUBITEM, O QUE POSSIBILITARÁ O CONTROLE POR EMPENHO + SUBITEM EM TODAS AS FASES DA DESPESA (EMPENHO, LIQUIDAÇÃO E PAGAMENTO). CONSEQUENTEMENTE AS CONTAS E FORAM EXCLUÍDAS, NO SIAFI REFORMULAÇÃO PLANO DE CONTAS EXERCÍCIO CONTROLE RESTOS A PAGAR MSG SIAFI 2009/ DE 14/01/09

8 Novas Funcionalidades BALANSINT/CONBALANUG MSG SIAFI 2009/ DE 30/01/09 AS TRANSACOES CONBALANUG E BALANSINT NO SIAFI 2009, SOFRERAM ALTERACAO E PASSARAM A DISPONIBILIZAR O ENVIO DOS DEMONSTRATIVOS CONTABEIS, EM FORMATO PDF, PARA O INFORMADO PELO USUARIO.

9 BALANÇO A NÍVEL DE UG

10 BALANÇO A NÍVEL DE ÓRGÃO

11 DISPONIBILIDADES POR FONTE DE RECURSOS Terá sua movimentacão orcamentária-financeira vinculada a execução do orçamento do próprio exercício, dependente ou não do respectivo orçamento, após a inscrição dos restos a pagar, e:ou classificação das receitas e despesas pendentes, se houver. As eventuais divergencias, de fonte de recursos, deverão ser regularizadas pela pela UG, pela Setorial Financeira ou Contábil, por meio dos eventos: A) – Lançamento pela UG emitente e reflexo na mesma. B) – Lançamento n UG emitente e reflexo na ug favorecida. A conta acima é conta utilizada para apuração do Superávit Financeiro A conta acima é conta utilizada para apuração do Superávit Financeiro. Ativo Financeiro > Passivo Financeiro = Superávit Financeiro Fonte para abertura de créditos adicionais

12 SUPERÁVIT FINANCEIRO – MSG. SIAFI 2009/ DE 01/04/2009 FOI PUBLICADO NO DOU DE 31/03/2009, SEÇÃO I A PORTARIA STN Nº 183, DE 27 DE MARÇO DE 2009 QUE DIVULGA O RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DO GOVERNO FEDERAL COM INFORMAÇÕES REALIZADAS E REGISTRADAS NO SIAFI PELOS ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, RELATIVO AO MÊS DE FEVEREIRO DE 2009 E TRAZ AINDA NA TABELA 18-A O DEMONSTRATIVO DO SUPERÁVIT FINANCEIRO DO BALANÇO PATRIMONIAL DO EXERCÍCIO DE 2008 INICIANDO-SE NA PÁGINA 123. O RELATORIO NA INTEGRA ESTÁ NO SITE ABAIXO.

13 SUPRIMENTO DE FUNDOS SISTEMA DO CARTÃO DE PAGAMENTO SCP – PORTARIA MPOG/ Nº 90 DE 24/04/09 FOI PUBLICADA A PORTARIA Nº. 90, DE 24 DE ABRIL DE 2009 DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO SOBRE O SISTEMA DO CARTÃO DE PAGAMENTO – SCP ( NO DOU DE 28/04/2009, SEÇÃO I, PÁGINAS 70 E 71). TEM POR OBJETIVO DETALHAR A APLICAÇÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS CONCEDIDO POR MEIO DO CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL - CPGF E DEVERÁ SER UTILIZADO OBRIGATORIAMENTE POR TODOS OS ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL DIRETA, AUTÁRQUICA E FUNDACIONAL.

14 O SCP PODERÁ SER ACESSADO POR MEIO DO PORTAL DE COMPRAS DO GOVERNO FEDERAL ( ). ACESSAR O MENU SERVIÇOS DO GOVERNO -> SCP -> DETALHAR COMPRA/SAQUE. O REGISTRO NO MÓDULO DETALHAMENTO DA APLICAÇÃO DAS DESPESAS EFETUADAS POR MEIO DO CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL - CPGF SERÁ OBRIGATÓRIO PARA OS SUPRIMENTOS DE FUNDOS CONCEDIDOS A PARTIR DE 1º DE JUNHO DE CABERÁ AO PORTADOR DO CPGF PROCEDER AO REGISTRO DAS DESPESAS NO SCP MÓDULO DETALHAMENTO DA APLICAÇÃO EM ATÉ TRINTA DIAS APÓS EFETUADA CADA TRANSAÇÃO. O PORTADOR DO CARTÃO DE PAGAMENTO DEVERÁ TER PERFIL DE SUPRIDO NO SISTEMA SIASG PARA ACESSAR O SCP.

15 APRESENTAÇÃO DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO DO SCP

16 Sistema de Cartão de Pagamento

17 SISTEMA DE CARTÃO DE PAGAMENTO Após o login será apresentada a identificação (CPF e nome) do portador do cartão, informação se há contas não detalhadas pelo portador e filtro para seleção do extrato. Pode ser selecionado um período de datas que corresponde ao período que foi feito a compra ou mês/ano do extrato. Após a consulta serão apresentadas as transações agrupadas por cartão. Cada transação tem um indicador que informa a situação do detalhamento: não iniciado, iniciado ou concluído. Para concluir uma transação, serão consideradas somente notas fiscais que estejam com todos os seus itens detalhados, isto é, a soma do detalhamento dos itens deve ser igual ao valor da nota fiscal, ou notas que tenham sido enviadas como anexo.

18

19

20 Detalhar Transação de Compra Ao selecionar o ícone da coluna Detalhar de uma transação de compra será apresentada listagem das notas que já foram inseridas, total aplicado (somatório das notas fiscais que foram concluídas) e saldo a detalhar (saldo restante do total aplicado em relação ao valor da transação). Uma compra pode ter uma ou mais notas fiscais, entretanto todas as notas devem ser do mesmo estabelecimento (CNPJ). Campos obrigatórios: número da nota fiscal, data de emissão e valor total. Caso seja selecionado o tipo de retenção, o preenchimento do valor retido é obrigatório.

21 DETALHAMENTO DA COMPRA

22

23 Detalhar Transação de Compra O detalhamento dos itens da nota fiscal é opcional. Caso a escolha seja pelo detalhamento dos itens, para cada um dos itens da nota fiscal deve ser discriminado o produto ou serviço adquirido, a quantidade comprada, o valor unitário e o objetivo da aquisição. Caso a opção seja por não detalhar os itens da nota, deve ser informado, obrigatoriamente, o objetivo da nota e deve ser enviado pelo menos um documento do tipo Nota Fiscal / Recibo como anexo.

24 Detalhar Transação de Compra

25

26

27

28

29 Ao selecionar o ícone da coluna Detalhar de uma transação de saque será apresentada listagem das notas e despesas que já foram inseridos, total aplicado (somatório das notas e despesas que foram concluídos) e saldo a detalhar (saldo restante do total aplicado em relação ao valor da transação). Um saque pode ter uma ou mais notas fiscais, ou então um ou mais detalhamentos de despesas sem nota fiscal. É possível também vincular uma única nota fiscal a mais de uma transação de saque, desde que sejam respeitados so valores sacados. Detalhar Transação de Saque

30

31 Quando o valor sacado não for inteiramente utilizado, o valor restante deve ser devolvido através da emissão e pagamento de uma GRU - Guia de Recolhimento da União. Neste caso deve ser informado: descrição do recolhimento, data de emissão, saldo, o código de autenticação bancária e, caso necessário, a própria GRU como anexo (somente um anexo por GRU, com a extensão.jpg) Caso a diferença entre a data de emissão da GRU e a data do saque seja superior a 3 dias, o usuário deve informar o motivo pelo qual o recolhimento não foi realizado no prazo legal. Detalhar Transação de Saque

32

33

34 Caso o valor sacado não tenha sido utilizado até o momento, o suprido pode incluir o motivo pelo qual não ocorreu despesa até a presente data e/ou não utilizou todo valor sacado. Este detalhamento deve ser realizado para cada transação de saque. Detalhar Transação de Saque

35

36 Ao detalhar a transação de saque, o suprido deve informar se possui ou não nota fiscal que justifique a despesa realizada. Caso possua a nota fiscal, o suprido deve informar o CNPJ do estabelecimento, o número da nota fiscal, a data e o valor total da nota. Deve ser informado, também, o motivo do cartão de pagamento não ter sido utilizado para o pagar a compra ou serviço. Detalhar Transação de Saque

37

38 Caso não possua a nota fiscal, o suprido deve informar, no mínimo, o nome do estabelecimento ou pessoa física beneficiária do valor declarado, além da data e do valor total da despesa. Caso o suprido possua recibo da despesa efetuada, deve informar o número do recibo no campo apropriado. Deve ser informado, também, o motivo do cartão de pagamento não ter sido utilizado para o pagar a compra ou serviço. Detalhar Transação de Saque

39

40 O detalhamento dos itens da nota fiscal, ou dos itens da despesa, é opcional. Caso a escolha seja pelo detalhamento dos itens, para cada um dos itens da nota fiscal ou da despesa, deve ser discriminado o produto ou serviço adquirido, a quantidade comprada, o valor unitário e o objetivo da aquisição. Caso a opção seja por não detalhar os itens da nota ou da despesa, deve ser informado, obrigatoriamente, o objetivo da nota e deve ser enviado, pelo menos, um documento do tipo Nota Fiscal / Recibo como anexo. Detalhar Transação de Saque

41

42

43

44

45 Caso a opção seja por não detalhar os itens da nota ou da despesa, deve ser informado, obrigatoriamente, o objetivo da nota e deve ser enviado, pelo menos, um documento do tipo Nota Fiscal / Recibo como anexo. Caso não sejam cumpridas as exigências acima o sistema não irá permitir a conclusão do detalhamento da aplicação. Detalhar Transação de Saque

46

47 SUPRIMENTO DE FUNDOS EMISSÃO DE NOTA DE EMPENHO – MODALIDADE 09 MSG. SIAFI 2009/ DE 18/05/09 ALERTAMOS QUE AS NOTAS DE EMPENHO RELATIVAS A SUPRIMENTO DE FUNDOS DEVEM SER EMITIDAS NA MODALIDADE DE LICITACAO 09-SUPRIMENTO DE FUNDOS, NO SENTIDO DE QUE O SISTEMA REFLITA ADEQUADAMENTE O MONTANTE DA DESPESA REALIZADA POR ESSE INSTRUMENTO. RESSALTAMOS QUE EMISSÃO DE EMPENHO EM MODALIDADE INDEVIDA FOI MOTIVO DE CITAÇÃO NO ACORDÃO N. 1276/2008-TCU, ITEM 9.6.

48 PORTAL DE CONVÊNIOS O CADASTRAMENTO NO PORTAL DOS CONVÊNIOS DOS CADASTRADORES DAS UNIVERSIDADES SERÁ EFETUADO PELA COORDENAÇÃO DE CONTABILIDADE SPO/MEC, CONFORME ORIENTAÇÕES CONTIDAS NO OFÍCIO CIRCULAR SOP/MEC Nº13 DE 06/05/2009 E NA MSGS SIAFI 2009/ e 20/03/2009.

49 PORTAL SICONV - MENSAGENS SIAFI ORIENTAÇÕES ORIENTAÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO OB CANCELADA CONTA: DE 20/03/2009; ORIENTAÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO OB CANCELADA - CONTA: – 2009/ DE 20/03/2009; PROCESSO BT - NOVO LAYOUT PARA DH – DOCUMENTO HÁBIL TV - PORTAL SICONV 2009/ DE 13/05/2009; RELAÇÃO DOS PERFIS/PAPÉIS E ATRIBUIÇÕS DISPONÍVEIS NO PORTAL -MENSAGEM ENCAMINHADA PARA O E- MAIL INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE 28/05/2009; INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PORTAL DOS CONVÊNIOS E CAPACITAÇÃO A DISTÂNCIA – MENSAGEM ENCAMINHAD PARA O INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE EM 05/05/2009.

50 ALTERAÇÃO DA UG FAVORECIDA NA GRU REF. RECOLHIMENTO DO CPSS MSG SIAFI/ A PARTIR DE 01/MAIO/2009 A UNIDADE GESTORA DEIXARÁ DE SER FAVORECIDA NOS RECOLHIMENTOS DE CPSSS. OS CÓDIGOS DE RECOLHIMENTO A SEGUIR DEVERÃO TER COMO UNIDADE GESTORA FAVORECIDA A UG PAGADORA DE PESSOAL (TRATA-SE DO MESMO PROCEDIMENTO JÁ INSTITUIDO PARA RECOLHIMENTO DO CPSSS DO SERVIDOR LICENCIADO OU CEDIDO - COD ) CPSSS-SERV.CIVIL ATIVO CPSSS-SERV.CIVIL INATIVO CPSSS-PENSIONISTA CIVIL CPSSS-PATRONAL CED/LICENC CPSSS-PATRONAL SERVIDOR CIVIL ATIVO (INTRA)

51 EQUAÇÃO 144 MSG SIAFI 2009/ ENCONTRA-SE PENDENTE DE REGULARIZACAO EM ALGUMAS UNIDADES A EQUACAO 144, CUJA COMPATIBILIZACAO DE É SALDO : CONTA 4XXXXXXXX E COM A CONTA EM NÍVEL DE UG. DIANTE DO EXPOSTO, SOLICITAMOS A ADOCAO DOS SEGUINTES PROCEDIMENTOS 1- PROMOVER AO LEVANTAMENTO DO SALDO DA CONTA 4 IDENTIFICANDO AS NATUREZAS DE RECEITA QUE A COMPOE; 2 - PROMOVER AO LEVANTAMENTO DO SALDO DA CONTA , POR CONTA-CORRENTE;

52 3 - IDENTIFICAR AS NATUREZAS DE RECEITAS QUE NAO APRESENTAM COMPATIBILIDADE DE SALDOS PROMOVENDO OS AJUSTES CONFORME PROCEDIMENTOS DESCRITOS ABAIXO: A) SE CONTA 4 > UTILIZAR EVENTO B) SE CONTA 4 < UTILIZAR EVENTO SOLICITAMOS A PROMOCAO DOS REFERIDOS AJUSTES, PELA UG, O MAIS URGENTE POSSÍVEL. INFORMAMOS QUE A NÃO CORREÇÃO ATE A DATA ESTIPULADA SERA OBJETO DA CONFORMIDADE CONTABIL COM RESTRICAO, A PARTIR DO MÊS DE MAIO /2009. A NÃO COMPATIBILIZAÇÃO DO SALDO DAS DUAS CONTAS PREJUDICA NA APURAÇÃO DO LIMITE PARA EMPENHO DAS RECEITAS PRÓPRIAS!!!

53 OFÍCIO CIRCULAR Nº. 05/ 2009/GAB/SPO/SE/MEC, de 11/02/2009 ASSUNTO: Divulga ç ão de Orienta ç ões Termo De Coopera ç ão (Descentraliza ç ão de Cr é ditos) Conforme Msg. SIASG N º , DE 31/12/2009. OFÍCIO-CIRCULAR Nº 08 / 2009/GAB/SPO/SE/MEC, de 24/03/2009 ASSUNTO: Bloqueio de Créditos para Controle Interno - OFÍCIO-CIRCULAR Nº 09 / 2009/GAB/SPO/SE/MEC, de 24/03/2009 Assunto: Bloqueio de Créditos para Remanejamento -PORTARIA MEC Nº 403/2009 –(DOU, SEÇÃO I PG 11,24/04/2009) Dispõe sobre a solicitação, autorização, concessão e prestação de contas de diárias, passagens e hospedagem no Âmbito do MEC

54 INCOSISTÊNCIAS DETECTADAS NA EXECUÇÃO DE PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS EM 2008 OFÍCIO CIRCULAR N° 10/GAB/SPO/SE/MEC DE 25/03/2009; MSG. SIAFI 2009/ – CCONT/STN DE 18/05/2009 ORIENTAÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO - ATUFOLHA REGULARIZAÇÕES ATUFOLHA – RECLASSIFICAÇÃO DE DESPESA - FR - MSG SIAFI 2008/

55 PRINCIPAIS INCOSISTÊNCIAS DETECTADAS NA EXECUÇÃO DE PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS EM 2008 Pagamento de Inativos/Pensionistas em ação de Pessoal Ativo; Pagamento de Obrigações Patronais de Servidor com Vínculo (despesa financeira) em ação de Pessoal Ativo (despesa primária); Pagamento de Contribuição de Previdência Privada em Ação de Pessoal Ativo; Pagamento de Pessoal Ativo em Ação de Inativos/Pensionistas; Pagamento de Obrigações Patronais do Servidor com Vínculo (despesa financeira) em Ação de Pessoal de Inativo/Pensionista (despesa primária); Pagamento de Obrigações Patronais De Pessoal Ativo Sem Vínculo (despesa primária) na Ação inerente ao plano de Seguridade do Servidor Público (Ação 09HB e/ou 20AK – despesa financeira); Pagamento de Pessoal Inativo/Pensionista (despesa primária) na Ação inerente ao plano de Seguridade do Servidor Público (Ação 09HB e/ou 20AK – despesa financeira); Pagamento de Pessoal Ativo em Ação de Contribuição de Previdência Privada.

56 ORIENTAÇÕES RECLASSIFICAÇÃO DE DESPESA - ATUFOLHA - FR - MSG SIAFI 2008/ /11/08 INFORMAMOS A SEGUIR OS PROCEDIMENTOS QUE DEVERÃO SER ADOTADOS PARA RECLASSIFICAÇÃO DE DESPESA ORÇAMENTÁRIA, REFERENTE A FOLHA DE PESSOAL. 1 - INCLUIR NA TRANSAÇÃO > ATUFOLHA O DOCUMENTO "FR"; 2 - IR PARA A TELA DE DESPESAS E INFORMAR A SITUAÇÃO "W10"(RECLASSIFICAÇÃO - DESPESA DE PESSOAL ATUFOLHA)

57 * UTILIZAR "PF5" PARA SELECIONAR OS DADOS REFERENTES A "CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA DESEJADA" (ESFERA, PTRES, FONTE, ND, SUBITEM); 3 - IR PARA A TELA DE DESPESAS A ANULAR E INFORMAR A DEDUÇÃO "U10"(RECLASSIFICAÇÃO DESPESA PESSOAL - ATUFOLHA). UTILIZAR "PF5" PARA SELECIONAR OS DADOS REFERENTES A "CÉLULA ORÇAMENTÁRIA QUE DEVE SER ESTORNADA "(ESFERA, PTRES, FONTE, ND, SUBITEM); 4 - O DOCUMENTO GERADO NÃO PRECISA SER HOMOLOGADO, NÃO GERA COMPROMISSO E PORTANTO NÃO HAVERÁ REALIZAÇÃO.

58 5 - HÁ ORDEM RÍGIDA NO PREENCHIMENTO DAS TELAS: EM PRIMEIRO LUGAR DEVERÁ SER PREENCHIDA A TELA DE "DESPESA" E EM SEGUIDA A TELA DE "DESPESAS A ANULAR"; 6 - OS VALORES DAS DUAS TELAS DEVEM SER IGUAIS (O LANÇAMENTO PODERÁ SER ACOMPANHADO PELO RESUMO DA "FR" QUE ESTÁ SENDO REGISTRADA); * CASO OCORRA DIVERGÊNCIA ENTRE OS VALORES INFORMADOS NAS DUAS TELAS O SALDO CONSTARÁ NA CONTA RECLASSIFICAÇÕES DA FOLHA, CAUSANDO INCONSISTÊNCIA NO CONCONTIR NA EQUAÇÃO 131 E RESTRIÇÃO CONTÁBIL "602". DESTE MODO, SOLICITAMOS ESPECIAL ATENÇÃO AO UTILIZAR A ROTINA DESCRITA ACIMA, VISANDO UM ENCERRAMENTO SEM RESTRIÇÕES CONTÁBEIS.

59 A conformidade Contábil consiste na certificação dos demonstrativos contábeis gerados no SIAFI, decorrentes dos registros da execução orçamentária, financeira e patrimonial(Art.1º); Terá como base os Príncipios e Normas Contábeis aplicáveis ao Setor Público, a Tabela de Eventos, o Plano de Contas da União e a Conformidade dos Registros de Gestão (Art. 2º); A Instrução Normativa nº 06, de 31/10/07, DOU de 12/11/07 Macrofunção Siafi: CONFORMIDADE CONTÁBIL

60 SEM RESTRIÇÃO –quando observadas as seguintes situações cumulativamente: I –as Demonstrações Contábeis não apresentarem inconsistências ou desequilíbrios; II –as Demonstrações Contábeis espelharem as atividades fins do órgão; III –os dados da UG não apresentarem inconsistências na transação CONCONTIR e CONINCONS; e IV –a UG tenha registrado a Conformidade de Registros de Gestão de todos os dias em que ocorreram registros contábeis.

61 CONFORMIDADE CONTÁBIL COM RESTRIÇÃO –quando observada qualquer uma das seguintes situações: I -falta do registro, pela UG, da Conf. de Registros de Gestão; II –quando houver inconsistências ou desequilíbrios nas Demonstrações Contábeis; III –quando as Demonstrações Contábeis não espelharem as atividades fins do Órgão; IV –quando a UG possuir inconsistências apresentadas na transação CONCONTIR e CONINCONS; e V –quando houver quaisquer inconsistências que comprometam a qualidade das informações contábeis observados os esclarecimentos constantes de manuais e análise disponibilizados no Manual SIAFI.

62 CONFORMIDADE CONTÁBIL CONRESTCON: Transação do SIAFI para consulta dos códigos de restrições existentes para utilização na Conformidade Contábil. DATA DE REGISTRO =TRANSAÇÃO CONFECMÊS

63

64

65 CONFORMIDADE CONTÁBIL DICAS 1 –consultar a transação CONFECMES para fins de programação de atividades voltadas à análise ; 2 –verificar o registro, pela UG, da Conf. de Registros de Gestão (sem conformidade ou com restrição gera restrição contábil –códigos: 951 e 980); 3 –analisar as Demonstrações Contábeis de acordo com o MANUAL DE ANALISE DOS DEMONSTRATIVOS E AUDITORES CONTABEIS e, caso cabível, escolher código de restrição adequado, aconselha-se as análises sejam efetuadas semanalmente, e sósejam dadas restrições àquelas pendências não regularizadas dentro do mês de competência;

66 CONFORMIDADE CONTÁBIL 3 –verificar nas Demonstrações Contábeis algum registro que não espelhe as atividades fins do Órgão e, caso cabível, escolher código de restrição adequado, (análise semanal); ; 4 –verificar as transações CONCONTIR e CONINCONS e, caso cabível, escolher código de restrição adequado (análise diária); 5 –analisar a existências de inconsistências que comprometam a qualidade das informações contábeis observados os esclarecimentos constantes de manuais e análise disponibilizados no Manual SIAFI. Estudar e desenvolver rotinas de análise e caso ocorram, na falta de regularização dentro do mês, escolher código de restrição

67 CONFORMIDADE CONTÁBIL A SETORIAL CONTÁBIL É RESPONSÁVEL PELA ORIENTAÇÃO CONTÁBIL DAS UNIDADES GESTORAS, PORTANTO, RECOMENDA-SE QUE AS ANÁLISES SEJAM EFETUADAS NO DECORRER DO MÊS, E QUE SE REGISTRE RESTRIÇÕES APENAS NOS CASOS PENDENTES DE REGULARIZAÇÃO.

68 Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Coordenação-Geral de Finanças Coordenação de Contabilidade UG


Carregar ppt "1º FONDCF 2009. REFORMULAÇÃO PLANO DE CONTAS EXERCÍCIO 2009 – CONTROLE RESTOS A PAGAR MSG SIAFI 2009/0077817 DE 14/01/09 A)O CONTROLE DE RESTOS A PAGAR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google