A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. FÍSICA TRADICIONAL FÍSICA QUÂNTICA TGS CIBERNÉTICA COMUNICAÇÃO SISTÊMICA CIBERNÉTICA DE 1ª ORDEM (1ª e 2ª Cibernética) CIBERNÉTICA DE 2ª ORDEM CONSTRUTIVISMO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. FÍSICA TRADICIONAL FÍSICA QUÂNTICA TGS CIBERNÉTICA COMUNICAÇÃO SISTÊMICA CIBERNÉTICA DE 1ª ORDEM (1ª e 2ª Cibernética) CIBERNÉTICA DE 2ª ORDEM CONSTRUTIVISMO."— Transcrição da apresentação:

1 1

2 FÍSICA TRADICIONAL FÍSICA QUÂNTICA TGS CIBERNÉTICA COMUNICAÇÃO SISTÊMICA CIBERNÉTICA DE 1ª ORDEM (1ª e 2ª Cibernética) CIBERNÉTICA DE 2ª ORDEM CONSTRUTIVISMO CONSTRUCIONISMO SOCIAL NOVAS CONTRIBUIÇÕES

3 REFLEXÕES DO TEXTO DA ORIGEM DA TERAPIA FAMILIAR...

4 TEORIA QUE USAMOS PARA TRABALHAR COM NOSSOS CLIENTES TERAPIA NARRATIVA DE BASE SISTÊMICA VERTENTES: CONSTRUTIVISTAS CONSTRUCIONISTAS SOCIAL EM PROCESSOS REFLEXIVOS COM ABORDAGEM COLABORATIVA

5 REFLEXOES SOBRE A TERAPIA NARRATIVA O terapeuta narrativo é como um criador de contextos exploratórios para as histórias vividas pelos clientes, procurando por narrativas da experiência, referendadas pelos clientes, revelando recursos, competências e habilidades veladas pelos recortes feitos na experiência por meio de narrativas dominantes, edificados em torno dos problemas. Considera-se que algumas narrativas favorecem para que as pessoas organizem sua experiência e sigam evoluindo para níveis de complexidade cada vez maior no seu ciclo evolutivo. Contudo, outras funcionam como verdadeiras âncoras que impedem, restringem ou dificultam essa caminhada evolutiva. A terapia, segundo esse enfoque, caracteriza-se pela criação de um espaço conversacional, no qual terapeuta e cliente, em uma perspectiva dialógica, possam co-construir uma nova narrativa, em cuja trama de significados o problema originário não mais se encontre. 5

6 PRESSUPOSTOS SISTÊMICOS O pressuposto da complexidade: Reconhece que a simplificação obscurece as inter-relações dos fenômenos do universo e de que é imprescindível ver e lidar com a complexidade do mundo em todos os seus níveis. O pressuposto da instabilidade: Reconhece que o mundo está em processo de construção, vindo daí consideraçoes de indeterminação, imprevisibilidade, irreversibilidade e incontrolabilidade dos fenômenos. O pressuposto da intersubjetividade: Reconhece que não existe uma realidade independente de um observador e que o conhecimento científico é uma construção social, em espaços consensuais, por diferentes sujeitos/observadores.. 6

7 DEFINICAO DE CONSTRUTIVISMO "Construtivismo significa isto: a idéia de que nada, a rigor, está pronto, acabado, e de que, especificamente, o conhecimento não é dado, em nenhuma instância, como algo terminado. Ele se constitui pela interação do indivíduo com o meio físico e social, com o simbolismo humano, com o mundo das relações sociais; e se constitui por força de sua ação e não por qualquer dotação prévia, na bagagem hereditária ou no meio, de tal modo que podemos afirmar que antes da ação não há psiquismo nem consciência e, muito menos, pensamento." Fernando Becker 7

8 REFLEXOES SOBRE CONSTRUCIONISMO SOCIAL A terapia construcionista busca a compreensão das questões trazidas pelo cliente, através de uma análise dos relacionamentos nos quais ele está envolvido e nos quais constrói determinados sentidos. A investigação construcionista busca focar a atenção nas maneiras particulares pelas quais a pessoa se constrói nos relacionamentos e nos significados que orientam sua vida. 8

9 REFLEXÕES SOBRE PROCESSOS REFLEXIVOS Refletir e me mostrar para o outro permite a mim e ao outro ter mais flexibilidade em lidar com opiniões naturais, múltiplas e algumas vezes conflitantes sobre as situações complexas apresentadas pelos clientes. T.Anderson A prática da reflexiva, no entanto, mostra que não se deve temer, porque com ela se abre a possibilidade de recuperar o respeito por si mesmo e o operar na biologia do amor como um resultado espontâneo. H. Maturana 9

10 REFLEXÕES SOBRE ABORDAGEM COLABORATIVA Na abordagem colaborativa de Harlene Anderson, a idéia de um sistema formado pelo problema, dá uma outra estrutura ao sistema terapêutico. Nesta proposta, a postura de não saber e a proposta de uma parceria conversacional entre terapeuta e clientes contribuem para a transformação desta relação, na busca de posições mais igualitárias. A abertura à conversação substitui a busca pela solução. E. Rasera10

11 NARRATIVA l O máximo que podemos fazer é identificar nossa própria experiência da experiência como ela é expressa pelos outros. D. Epston

12 Enfoque nas histórias Enfoque nas experiencia Observacao da linguagem e seus significados A realidade e construida

13 PRESSUPOSTOS DA PRATICA NARRATIVA 1.Máxima importância as vivencias das pessoas 2.Favorece a percepção de mundo como mutável, diante das experiências vividas e da dimensão temporal. 3.Modo subjuntivo de pensar ao levantar suposições, estabelecer significados implícitos e gerar perspectivas múltiplas. 4.Estimula a polifonia, o uso da linguagem coloquial, poética e pitoresca nas descrições de vivencias e na intenção de construir novos relatos. 5.Convida a adotar uma postura reflexiva e a apreciar a participação de cada um nos atos interpretativos. 6.Estimula o sentido da autoria e da re-autoria da própria vida e das relações de cada pessoa ao contar e recontar a própria história. 7.Reconhece que as histórias se co- constroem e busca condições para que a pessoa se converta em autor privilegiado. 8.Introduz consistentemente o uso dos pronomes EU e TU nas descrições dos eventos privilegiado.

14 A Visão Narrativa da terapia, propõe que as formas pelas quais os clientes descrevem suas vidas limitam seu desenvolvimento de novas idéias ou abordagens às suas situações vitais. A psicoterapia é o processo de mudar o discurso problemático atual do cliente para outro discurso que seja mais fluido e permita uma gama maior de interações possíveis. William Lax

15

16

17 A vida de uma pessoa não é o que aconteceu, mas o que ela recorda e como recorda. Gabriel Garcia Marques

18 EXERCÍCIO Identificar nossa própria experiência da experiência como ela é expressa pelos outros. o que vivencio, vendo o colega expressar o que ele esta vivenciando?

19 19

20 20

21 21

22 Eu conto a história... Eu experimento contar a história... Tu experimenta a minha experiência do meu contar... O que é meu... O que é do outro?

23

24

25

26

27

28 PERCEBER A CONSTRUÇÃO QUE FAÇO PARA A SEQÜÊNCIA DA HISTORIA! As historias, os filmes, livros e pessoas, tem lacunas e nos preenchemos com o nosso mundo interno.

29 Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingan ç a incontest á vel pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma, e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o m í nimo pudor! Percebendo minha aparente indiferen ç a,aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escr ú pulos. At é nos mais í ntimos lugares. Eu adormeci. Hoje quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão. Deixaste em meu corpo e no len ç ol provas irrefut á veis do que entre n ó s ocorreu durante a noite. Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama, te esperar. Quando chegares, quero te agarrar com avidez e for ç a. Quero te apertar com todas as for ç as de minhas mãos. S ó descansarei quando vir sair o sangue quente do seu corpo.

30 S ó assim, livrar-me-ei de ti, pernilongo Filho da Puta!!!! Carlos Drummond de Andrade

31 SE OS MEUS PROBLEMAS FALASSEM...

32


Carregar ppt "1. FÍSICA TRADICIONAL FÍSICA QUÂNTICA TGS CIBERNÉTICA COMUNICAÇÃO SISTÊMICA CIBERNÉTICA DE 1ª ORDEM (1ª e 2ª Cibernética) CIBERNÉTICA DE 2ª ORDEM CONSTRUTIVISMO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google