A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Lex e Yacc. .... Há muita teoria... Até chegar neste ponto...

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Lex e Yacc. .... Há muita teoria... Até chegar neste ponto..."— Transcrição da apresentação:

1 Lex e Yacc

2 .... Há muita teoria... Até chegar neste ponto...

3 Definição Lex e Yacc são ferramentas que ajudam a criar programas em C para analisar e interpretar um arquivos de entrada. Eles podem ser usados para ajudar a escrever montadores, compiladores e interpretadores, ou qualquer outro programa cuja entrada pertence a uma estrutura bem definida, e que se deseja transformar em outra.

4 Lex Toma um conjunto de descrições de possíveis tokens e produz uma rotina em C que irá identificar estes tokens analisador léxico. Essa rotina lê a entrada e identifica tokens. Os tokens são definidos a partir de expressões regulares (especificação léxica).

5 Yacc Lê um arquivo que codifica a gramática de uma linguagem e e produz uma rotina em C que irá executar a análise sintática ou parsing. Essa rotina agrupa os tokens em uma seqüência de interesse e invoca rotinas para realizar ações sobre elas ou a respeito delas.

6 Montadores Um montador recebe como entrada um programa em linguagem de montagem (que pode ser lido por humanos) e gera como saída um programa em linguagem de máquina (bits: adequado para máquinas). O funcionamento de um montador pode ser decomposto em três etapas: Análise léxica - LEX Análise sintática e semântica - YACC Geração de Código.

7 Diagrama de um Montador Arquivo texto Montador Programa Executável usuário

8 Etapas de um montador Cada estágio prepara a entrada para o próximo estágio. O usuário disponibiliza um arquivo texto (bytes) O analisador léxico detecta e disponibiliza tokens O parser detecta agrupamentos de tokens segundo os comandos da linguagem de montagem e gera o código (realiza Ações) associado aos comandos.

9 Modelo básico de processamento para montadores Analisador Sintático (Parser) input Analisador Léxico Ações

10 Características Gerais A análise léxica pode ser vista como a primeira fase de um processo de tradução (compilação). Sua principal tarefa é ler uma seqüência de caracteres de entrada, geralmente associados a um código-fonte, e produzir como saída uma seqüência de itens léxicos. Por outro lado, a análise sintática tem por objetivo agrupar os itens léxicos em blocos de comandos válidos. Os itens léxicos são geralmente denominados tokens e correspondem a palavras-chave, operadores, símbolos especiais, símbolos de pontuação, identificadores (variáveis) e literais (constantes) presentes em uma linguagem.

11 Características Gerais Lex gera código C para análise léxica. Yacc gera código C para um parser. Ambas especificações são menores que um programa e mais fáceis de ler e entender. Por definição, o sufixo de um arquivo Lex é.l e de um arquivo Yacc é.y Lex cria uma rotina chamada yylex em um arquivo lex.yy.c Yacc cria uma rotina chamada yyparse em um arquivo chamado y.tab.c

12 Especif. LEX Bibliot. UNIX Rotinas C yylex( )yyparse( ) lex gcc programa yacc Especif. YACC *.l*.y lex.yy.cy.tab.c *.c libl.a liby.a

13 Análise Léxica Processo (programa) que classifica partes do arquivo texto de entrada em diversos tipos de tokens: números; comandos; strings; comentários. Pode ser especificada por meio de expressões regulares, passíveis de representação na forma de autômatos finitos.

14 Expressões Regulares Forma compacta de descrever uma sequência de caracteres. Ex.: ([0-9] * \.) * [0-9] + Essa expressão permite reconhecer os seguintes números:

15

16 Ações A função básica de uma rotina léxica é retornar tokens ao parser. As ações, em uma especificação Lex, consistem em expressões da linguagem C que retornam um token. Para retornar o token em uma ação, usa-se a expressão return. [0-9] + {yylval = atoi(yytext); return NUMBER; }

17 Um Parser Um analisador léxico gera uma entrada para um parser interpretar. O parser tenta organizar os tokens de acordo com as regras de uma gramática. A gramática, para uma linguagem de programação, descreve a estrutura de um programa. Quando o parser encontra uma seqüência de tokens que corresponde a um comando da linguagem, a ação associada é executada.

18 Sumário de Rotinas Léxicas e Sintáticas A rotina main invoca (chama) yyparse para avaliar se a entrada é válida. yyparse invoca a rotina yylex cada vez que precisa de um token. A rotina léxica lê a entrada e, a cada token encontrado, retorna o número do token para o parser. A rotina léxica pode também passar o valor do token usando a variável externa yylval (entre outras).

19 Fluxo de controle em rotinas léxicas e sintáticas main yyparse( ) yylex( ) yylval input Entrada avaliada Valor da ação do processo Requerer próximo token Retornar o token ou 0 se EOF Valor passado do token Ler chars da entrada Retorna 0 se entrada é valida 1 se não

20 LEX

21 Lex É um gerador de programas (módulo) destinados ao processamento léxico de textos. O módulo gerado pode funcionar como: Filtro para processamento léxico; Pattern Matching (expressões regulares); Reconhecedor de linguagens regulares simples; Pré-processador simples; Analisador léxico para uso em conjunto com módulos de reconhecimento sintático.

22 Usando o LEX Etapas: Escrever um arquivo texto com uma especificação Lex. Esse arquivo, por convenção, tem o sufixo.l. Executar o lex usando como entrada o arquivo.l. Esse passo gera um arquivo chamado lex.yy.c. Compilar lex.yy.c com o gcc, juntamente com quaisquer outros arquivos fonte ou bibliotecas eventualmente necessárias. Usar o executável gerado para análise léxica.

23 lex.yy.c não contém um programa completo. Ele contém uma rotina léxica chamada yylex. Você pode integrar o analisador léxico com um parser gerado no Yacc. Um programa léxico também assume a existência de outras rotinas de suporte. Você pode fornecer essas rotinas, ou usar aquelas presentes na biblioteca standard do UNIX, a libl.a.

24 Estrutura de um texto LEX (.l) /* opcional */ % % /* opcional */

25 Estrutura de um texto LEX (.l) A seção de definições inclui: 1. A definição de macros como: digito [01]+ /* substituir {digito} por [01]+ ao processar as regras */ frac.[0-9]+ /* substituir {frac} por.[0-9]+ ao processar regras */ nl \n /* substituir {nl} por \n ao processar as regras */ 2. A inclusão de linhas de comando em C, que devem ser delimitadas por e, como: %{ #include extern int yylval; %}

26 Estrutura de um texto LEX (.l) A seção de regras define a funcionalidade do analisador léxico. Cada regra compreende uma seqüência válida de caracteres (descrita utilizando literais e expressões regulares) e as ações semânticas associadas a ela. As regras têm a seguinte estrutura: { }

27 Estrutura de um texto LEX (.l) Lex armazena temporariamente a subseqüência de caracteres identificada na variável yytext do tipo. Podemos, então, usar a função sscanf() da biblioteca de C para convertê-la em outros tipos de dados. A variável reservada pelo Lex para armazenar o resultado da conversão é yylval. A seção de rotinas do usuário é opcional; é usada para incluir rotinas em C eventualmente necessárias e desenvolvidas pelos usuários.

28 Estrutura de um texto LEX (.l) Quando uma seqüência de caracteres de entrada casa com duas ou mais regras, Lex adota uma das seguintes estratégias para resolver ambigüidades: escolher a regra que consegue casar a maior seqüência de caracteres possível; quando há mais de uma regra que case com a maior seqüência de caracteres, escolher aquela que aparece primeiro na seção de regras.

29 Um exemplo simples % zippy printf(Eu reconheci zippy); % Este texto lex especifica um filtro para substituir as ocorrências de zippy por Eu reconheci zippy. Isso porque, todo o texto que não se encaixe em nenhum pattern é simplesmente copiado para a saída. Neste exemplo, tanto as definições gerais, como as rotinas C auxiliares são inexistentes.

30 Utilização cat > sample.l % zippyprintf(Eu reconheci zippy); % lex sample.l ls lex.yy.c sample.l gcc -o sample lex.yy.c -ll ls lex.yy.c sample sample.l

31 cat > test zippy harry zippy and zip cat test |./sample Eu reconheci zippy harry Eu reconheci zippy and zip

32 Exemplo 2 cat sample2.l % zipprintf(ZIP); zippyprintf(Eu reconheci zippy); zippy$printf(Achei zippy no final da linha); % lex sample2.l gcc -o sample2 lex.yy.c -ll cat test |./sample2 Achei zippy na final da linha harry Eu reconheci zippy and ZIP

33 Exemplo 3 cat > sample3.l % [A-Z]+[ \t\n]printf(%s, yytext);.; % lex sample3.l gcc -o caps lex.yy.c -ll cat > test.caps Xview é uma API executando sob o X Window que suporta o {pula linha} OPEN LOOK GUI../caps < test.caps API X OPEN LOOK

34 Trabalho 1 (enviar para Faça um arquivo.l que detecte: O mnemônico add e retorne o token ADD. Números inteiros em decimal e retorne o token NUMBER e, na variável yylval, o valor do número. Números inteiros em hexadecimal (começam com 0x) e retorne o token NUMBER e, na variável yylval, o valor do número. Labels e retorne o token LABEL e em yytext a string com o label (sem o :). A especificação de um registrador ($1, por exemplo) e retorne o token REGISTER e, na variável yylval, o número do registrador Os caracteres:, (COMMA), ( (OPEN_PARENTHESIS), ) (CLOSE_PARENTHESIS) O fim de uma linha e retorne END_OF_LINE


Carregar ppt "Lex e Yacc. .... Há muita teoria... Até chegar neste ponto..."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google