A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ubiratan D'Ambrosio CONHECIMENTO 1 Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz 63º Fórum Temático 08 de abril de 2008 / Palas Athena/MASP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ubiratan D'Ambrosio CONHECIMENTO 1 Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz 63º Fórum Temático 08 de abril de 2008 / Palas Athena/MASP."— Transcrição da apresentação:

1 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 1 Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz 63º Fórum Temático 08 de abril de 2008 / Palas Athena/MASP EM QUE MUNDO ESTAMOS? Ubiratan DAmbrosio ubi@usp.br

2 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 2 O PARADOXO DA CIVILIZAÇÃO MODERNA. A certeza das disciplinas da modernidade, a partir do século XVII, conduziu a humanidade a uma civilização paradoxal: uma capacidade inimaginável de agir sobre o planeta e sobre a vida, interferindo e criando; ao mesmo tempo, uma incapacidade total de manter os elementos básicos de sustentabilidade da vida em sociedade.

3 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 3

4 4

5 5 Robot levando flores a Karol Kapek

6 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 6

7 7 A CULTURA DO EXTERMÍNIO Vivemos uma cultura de extermínio do indivíduo, da natureza, de grupos de indivíduos organizados como famílias, comunidades, agremiações e de grupos sociais organizados como nações. É uma cultura de aceitação de extermínio corporal e emocional de indivíduos, de conflitos grupais, de destruição devoradora da natureza e de guerras.

8 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 8 NECESSIDADE DE UMA CULTURA DE PAZ Para evitar a destruição total da civilização, é prioritário que toda a humanidade esteja imersa numa cultura de PAZ. Entendo PAZ nas suas várias dimensões: PAZ INDIVIDUAL, PAZ SOCIAL, PAZ AMBIENTAL, PAZ MILITAR.

9 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 9 O QUE É CULTURA? A cultura de um grupo social é caracterizada pela reunião de conhecimentos compartilhados pelos indivíduos desse grupo; comportamento compatibilizado entre os indivíduos do grupo; sistema de valores acordados pelos indivíduos do grupo.

10 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 10 CONHECIMENTO, COMPORTAMENTO e VALORES Conhecimento, comportamento e valores são gerados, organizados intelectual e socialmente e difundidos ao longo da história de um grupo, segundo um ciclo helicoidal, um processo gradativo e progressivo de transformação e de mudança de estado ou condição.

11 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 11 Em outros momentos da história, a situação também mostrou-se grave. Mais recentemente, na transição da Idade Média para o Renascimento, foi a peste negra, que eliminou mais da metade da população européia. Mas, apesar de ser a época da primeira globalização planetária resultante da navegação, a peste restringiu-se à Europa.

12 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 12 A peste e diversos outros fatores, particularmente a emergência de um capitalismo planetário, deram origem a um novo sistema de conhecimento, que passou a ser conhecido como Ciência Moderna. Mas, os instrumentos intelectuais e materiais desenvolvidos com base na Ciência Moderna tornaram possível o domínio total de nações por nações, de indivíduos por indivíduos e a subordinação dos recursos naturais aos desígnios e interesses dos homens.

13 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 13 Esse é o grande equívoco da Modernidade, que nos convida a procurar outros sistemas de conhecimento, nos quais esteja implícito um sentido de humanidade. Na sua evolução, a Ciência Moderna e suasimplicações, particularmente a tecnologia e a economia, revelam a remoção paulatina de uma ética maior.

14 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 14 A cultura de extermínio que hoje nos ameaça é o resultado da remoção paulatina de considerações sobre uma ÉTICA MAIOR, que tem como foco a continuação da vida no seu sentido mais amplo.

15 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 15 A possibilidade de transitarmos da cultura de extermínio para a cultura de paz depende de uma revisão crítica dos fundamentos do sistema de conhecimento denominado Ciência Moderna. A postura transdisciplinar e transcultural pode ser uma possibilidade de desenvolvimento de um novo sistema de conhecimentos. Espera-se que um novo sistema de conhecimento permita construir uma civilização sustentável.

16 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 16 Uma civilização só será sustentável se atingir um estado de PAZ TOTAL.

17 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 17 Entendo PAZ TOTAL como um conceito considerado em suas múltiplas dimensôes: PAZ INDIVIDUAL PAZ SOCIAL PAZ AMBIENTAL PAZ MILITAR. Nossa responsabilidade é atingir o estado de PAZ TOTAL.

18 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 18 A PAZ TOTAL será possível se Evitarmos a escassez de recursos (alimentos, água, energia); Eliminarmos a pobreza; Conseguirmos obter igualdade de acesso a recursos da modernidade; Racionalizarmos modelos de produção e consumo; Democratizarmos a governança e a distribuição de responsabilidades; Humanizarmos os sistemas urbanos.

19 A SITUAÇÃO ATUAL Um levantamento, feito pela Stanford University, na transição para o século XXI, mostra que percentualmente a população do planeta é: DEMOGRAFIA: 57% asiáticos 21% europeus 14% do hemisfério ocidental (Américas) 8% africanos 70% não-brancos 30% brancos 52% mulheres 48% homens

20 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 20 RELIGIÃO: 70% não-católicos 30% católicos POBREZA: 80% moram em casas abaixo do desejável 20% moram em casas boas e ótimas 50% são desnutridos 50% são nutridos RIQUEZA: 6% pessoas [todas dos Estados Unidos] têm 59% de toda a riqueza do mundo. 94% pessoas dividem os demais 41% da riqueza.

21 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 21 EDUCAÇÃO: 70% analfabetos 30% alfabetizados 1% tem nível superior 99% não tem nível superior 1% tem um computador 99% não tem computador

22 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 22 Todos esses focos estão contemplados numa conceituação do que é vida, e em uma ética maior cujo objetivo é dar continuidade à vida. MAS O QUE É VIDA?

23 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 23 PONTO DE PARTIDA: VIDA. ORIGEM DA VIDA ????? VIDA é um fato e se realiza pela existência solidária de seis elementos: indivíduo, um outro indivíduo, a natureza (no sentido amplo, cósmico) e as relações entre esses três. metaforicamente como um TRIÂNGULO PRIMORDIAL. A realidade refere-se a todos os elementos do triângulo.

24 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 24 O TRIÂNGULO PRIMORDIAL INDIVÍDUO NATUREZA O OUTRO (s)/SOCIEDADE As relações [lados] resultam de princípios de fisiologia [alimentação, cruzamento,...] e de ecologia.

25 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 25 A continuidade da vida depende de manter a integridade do TRIÂNGULO PRIMORDIAL. A morte (imediata ou remota) se dá pelo desaparecimento de qualquer dos seis elementos do TRIÂNGULO PRIMORDIAL. VIDA é identificada com a integridade do TRIÂNGULO PRIMORDIAL.

26 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 26 Uma ÉTICA MAIOR, que tem como foco a continuação da vida no sentido amplo, isto é, que visa manter a integridade do TRIÂNGULO PRIMORDIAL, é ancorada em: RESPEITO pelo outro com todas as diferenças [inevitáveis, pois qualquer indivíduo e qualquer outro são diferentes]; SOLIDARIEDADE com o outro; COOPERAÇÃO com o outro.

27 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 27 O indivíduo não é autônomo, depende da natureza para a sua sobrevivência e do outro para dar continuidade à espécie. Essa dependência é resolvida por princípios da fisiologia e da ecologia, e é ativada pelo que se chama instinto, que se exerce aqui e agora.

28 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 28 A especificidade da espécie humana, com relação a outras espécies, é que além da busca de sobrevivência (= manutenção da integridade do triângulo primordial), o ser humano busca transcendência (= ir além do aqui e agora) e subordina o instinto à sua VONTADE

29 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 29 Como estratégia para conseguir sobrevivência e transcendência, exerce sua vontade sobre os lados (relações) do triângulo primordial, acrescentando mediações nessas relações.

30 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 30 AS MEDIAÇÕES NAS RELAÇÕES DO TRIÂNGULO PRIMORDIAL instrumentos INDIVÍDUO NATUREZA comunicação trabalho emoções poder O OUTRO/SOCIEDADE AS RELAÇÕES [LADOS] AGORA INCLUEM AS INTERMEDIAÇÕES.

31 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 31 INDIVÍDUO NATUREZA O OUTRO / SOCIEDADE V O N T A D E instrumentos INDIVÍDUO NATUREZA comunicação trabalho emoções poder O OUTRO / SOCIEDADE

32 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 32 Os sistemas de comportamento e de conhecimento resultam das tentativas de explicar os pulsões básicos da existência humana e a VONTADE que alimenta a busca de SOBREVIVÊNCIA e de TRANSCENDÊNCIA

33 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 33 QUESTÃO MAIOR: Explicar os pulsões básicos de SOBREVIVÊNCIA e de TRANSCENDÊNCIA e o ser humano como agente (VONTADE) na ativação do triângulo primordial ampliado para a satisfação desses pulsões.

34 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 34 Entender a natureza humana é entender os seis elementos do triângulo primordial mais as cinco intermediações, e mais o ponto de partida, isto é, o fenômeno vida: sobrevivência, a essência da especificidade da espécie humana: transcendência, a ligação entre ambos: vontade.

35 Ubiratan D'Ambrosio ubi@usp.br CONHECIMENTO 35 HÁ ESPERANÇA? Nada impedirá à humanidade e ao potencial humano de evoluir, a partir de um caos renovado, em direção a algo magnífico. ( D.H. Lawrence) Ubiratan D'Ambrosio: Transdisciplinaridade, Editora Palas Athena, São Paulo, 1997. Ubiratan D'Ambrosio: A Era da Consciência, Editora Fundação Peirópolis, São Paulo, 1997.


Carregar ppt "Ubiratan D'Ambrosio CONHECIMENTO 1 Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz 63º Fórum Temático 08 de abril de 2008 / Palas Athena/MASP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google