A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O PAPEL DA LAVANDERIA NO CONTROLE DE INFECÇÃO Profa. Dra. Teresinha Covas Lisboa

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O PAPEL DA LAVANDERIA NO CONTROLE DE INFECÇÃO Profa. Dra. Teresinha Covas Lisboa"— Transcrição da apresentação:

1 O PAPEL DA LAVANDERIA NO CONTROLE DE INFECÇÃO Profa. Dra. Teresinha Covas Lisboa

2 LAVANDERIA HOSPITALAR É uma das unidades de apoio logístico destinada ao atendimento dos clientes internos e/ou externos do hospital, cujas finalidades são: coleta, separação, processamento, confecção, reparo, reforma, fornecimento e distribuição hospitalar em condições de uso, higiene, quantidade, qualidade e conservação. (Teresinha Covas Lisboa ) Insere-se, atualmente, na estrutura organizacional do Serviço de Hotelaria Hospitalar existente em algumas instituições. É considerada Área Crítica (ambiente onde existe risco aumentado de transmissão de infecção).

3 COLETA DE ROUPA SUJA Critérios: toda a roupa é considerada e tratada como contaminada (não usar sacos codificados); roupa contaminada é aquela que foi suja e pode conter microorganismos patógenos; evitar ensacamento de objetos estranhos com a roupa;

4 COLETA DE ROUPA SUJA Critérios: uso de EPIs; recomenda-se manter a parte da roupa mais suja ou úmida no centro da peça (reduz risco de contaminação e extravasamento); elaborar cronogramas de coleta, transporte e armazenamento.

5 CHUTE OU TUBO DE QUEDA De acordo com a com a Resolução n.º 50, de 21/02/02 só é permitido para uso exclusivo de roupa suja; e deve ser dotado de mecanismo que permita sua total desinfecção Deve ser de material lavável e anti- corrosivo.

6 Transporte horizontal, feito em carrinhos, por meio do uso de elevadores ou rampas e corredores. monta cargas e tubo de queda (exclusivos para recolhimento de roupa). veículos para transporte de roupa para lavanderias externas.

7 Separação e Classificação Risco de lesão com perfurocortante Lavagem das mãos Imunização contra Hepatite B e Tétano Banho de chuveiro com troca de roupa antes de sair da área suja.

8 Separação e Classificação Uso de EPI: macacão de mangas compridas avental impermeável gorro, máscara, luvas de borracha botas de borracha óculos de proteção, etc...

9 Objetivos da Separação Agrupar as roupas que podem ser lavadas em conjunto. Agrupar as roupas que terão o mesmo acabamento. Retirar objetos estranhos. Fazer lotes de acordo com a capacidade da lavadora e classificação das roupas (grau de sujidade, coloração, tipo de fibra têxtil, tecido, formato, tamanho e ou tipo de peça).

10 Lavagem Interferências no processo de lavagem da roupa mecânica temperatura da solução de lavagem tempo nível de água

11 Limpeza e Desinfecção Área Suja É considerada Área Crítica Desinfecção ou descontaminação localizada nas superfícies com presença de matéria orgânica seguida de limpeza com água e sabão. Limpeza terminal diária após o término do processo de lavagem da roupa e ao final das atividades ou de cada turno.

12 Limpeza e Desinfecção Área Suja Paredes e pisos são lavados com água e sabão e realizado a desinfecção do piso com compostos clorados, friccionando-o com esponja, vassoura, escova ou mops.

13 Limpeza e Desinfecção Área Suja Os carros, balanças e mobiliários deverão sofrer limpeza com água e sabão e desinfecção com produto apropriado para cada tipo de material ( Álcool a 70%). Lavar a lavadora, externamente com água e sabão e friccionar álcool a 70%. Nas lavadoras com acabamento em inox passar vaselina líquida externamente.

14 Limpeza e Desinfecção Área Suja Os chutes deverão sofrer processo de lavagem e desinfecção, assim como a área que dá acesso aos mesmos. As pás dos exaustores deverão ser lavadas com água e sabão, periodicamente, conforme rotina escrita.

15 Limpeza e Desinfecção Área Suja Lavar os filtros com água e sabão, ou de acordo com a orientação do fabricante, devendo ser trocados quando houver rompimento da integridade. Quando houver saída de ar dutada, essa também deverá ser limpa periodicamente, conforme rotina estabelecida pela instituição.

16 Limpeza e Desinfecção Área Limpa Limpeza diária ou quando necessária do pisos, carros, mesas e superfícies planas dos equipamentos. Usar água e sabão Limpeza terminal dos mesmos, semanalmente Limpeza dos equipamentos de acordo com orientação do fabricante Manter limpa e seca a área próxima à centrífuga

17 Usar aspirador de pó para auxiliar na remoção das felpas que são liberadas nesta área, principalmente nos tubos de exaustão das secadoras. Manter sempre livre de pó as superfícies planas, os carros, mesas e demais equipamentos. Limpeza e Desinfecção Área Limpa

18 CONTROLE DE VETORES Recolhimento diário dos resíduos infectantes e não infectantes; Lavagem e desifencção das áreas; Contratação de empresas especializadas no controle (registro em órgão estadual competente); Uso de telas e vitrôs;

19 CONTROLE DE VETORES Fechamento de frestas e cavidades; Proibição da permanência de marmitas, pratos, restos alimentares em mesas ou armários da lavanderia, costura e rouparia; Exigência da comunicação sobre a presença de insetos e/ou roedores nas áreas de trabalho; Exigência da participação da CCIH na discussão das ações previstas em relação aos vetores e zoonoses.

20 CONTROLE DE VETORES Desinfecção diária das mesas e bancadas com produtos e técnicas corretas; Manutenção periódica das tubulações,pisos, ralos e esgotos; Manutenção periódica das tubulações; Proibição da permanência de cães, gatos e pássaros nas áreas de trabalho;

21 CARGAS DE TRABALHO Biológicas - expõem o indivíduo a doenças transmissíveis agudas e crônicas, parasitoses, reações tóxicas e alérgicas. Físicas - correspondem às variações atmosféricas como calor, frio e pressão, ruído e vibrações, iluminação, umidade, vapores, choques, etc.. Químicas - compostos que causam prejuízo à saúde do trabalhador, como alvejantes, desinfetantes, inseticidas, limpadores especiais, medicamentos, solventes, detergentes, sabões desincrostantes, gases, poeiras e vapores.

22 PRECAUÇÕES PADRÃO utilização dos equipamentos de proteção individual (EPI); lavagem das mãos; programas de vacinação; controle de acidentes com material perfuro- cortante.

23 Organização dos Recursos Humanos Infecções Hospitalares: aspectos legais Prevenção na Lavanderia Descrição de Cargos e Funções Recrutamento e Seleção Treinamento e Desenvolvimento Condições Ambientais

24 TCL Profª. Dra. Teresinha Covas Lisboa Home Page:


Carregar ppt "O PAPEL DA LAVANDERIA NO CONTROLE DE INFECÇÃO Profa. Dra. Teresinha Covas Lisboa"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google