A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tópicos sobre uso profilático de Antimicrobianos em Cirugia Carlos Magno C. B. Fortaleza Coordenadoria de Controle de Doenças – SES – SP Faculdade de Medicina.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tópicos sobre uso profilático de Antimicrobianos em Cirugia Carlos Magno C. B. Fortaleza Coordenadoria de Controle de Doenças – SES – SP Faculdade de Medicina."— Transcrição da apresentação:

1 Tópicos sobre uso profilático de Antimicrobianos em Cirugia Carlos Magno C. B. Fortaleza Coordenadoria de Controle de Doenças – SES – SP Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP

2

3

4 Profilaxia Cirúrgica Background teórico Significado prático Padrões de Qualidade

5 Concentração Microbiana & Virulência Lesão Tissular Corpos estranhos Perfil de Resistência do Patógeno Imunidade local e geral Antimicrobianos peri-procedimento Infecção do Sítio Cirúrgico

6 Antibioticoprofilaxia Controle0 1 Hora2 Horas3 Horas4 Horas Relação entre o tempo de administração do antibiótico e a eficácia da profilaxia mostrada pelo tamanho da ferida infectada em modelo animal. Os tamanhos das lesões, desenvolvidas 24hs após a inoculação intradérmica de S. aureus, foram mensurados pelo maior diâmetro da induração (mm). Burke, 1961

7 Probabilidade de Infecção ,0 0,2 0,4 0,6 s/ profilaxia c/ profilaxia Contagem de bactérias: log10 0,8

8 Infecção Antibiótico mg/L População Bacteriana UFC/mL cirurgia Administração do antibiótico tempo 10² 10 6 MIC População bacteriana Nível sérico de antibiótico Nível de antibiótico nos coágulos, fibrinas e hematomas Wenzel, 1997 Profilaxia Cirúrgica

9 Antibiótico mg/L População Bacteriana UFC/mL cirurgia Administração do antibiótico tempo 10² 10 6 MIC População bacteriana Nível sérico de antibiótico Nível de antibiótico nos coágulos, fibrinas e hematomas Wenzel, 1997 Profilaxia Cirúrgica

10 Patogênese Fonte da Infecção Paciente CirurgiãoAmbienteBandagens Local Hematogênica Importante Importância Limitada Surtos Importância Limitada Próteses Implantes Importância Limitada Surtos

11 Droga com atividade contra a maioria dos microorganismos que podem contaminar o sítio cirúrgico, e que mantenha níveis séricos altos durante o procedimento NÍVEIS SÉRICOS ELEVADOS: Início antes do procedimento (indução anestésica). Via Intravenosa. Dose. DURANTE O PROCEDIMENTO: Meia-vida longa (> 2hs) Dose adicional: perda sangüínea ou duração. Dose após procedimento: discutível para a maior parte. Para a maioria dos procedimentos onde a profilaxia está recomendada, a droga de escolha é a cefazolina Dellinger, E.P. et al. CID, 18: 422, Padrões de Qualidade

12 Indicação discutível Procedimentos limpos sem próteses Herniorrafias, Tireoidectomias Procedimentos minimamente invasivos Colecistectomia laparoscópica Cirurgias buco-maxilofaciais de pequeno porte

13 Profilaxia - HC-UNICAMP, 2000 Ferida CirúrgicaTempo de Profilaxia <1 dia2-4 dias>= 5 dias Limpa38,9%50,5%10,6% Pot. Contaminada47,0%37,6%15,4% Contaminada41,2%35,3%23,5% Fonseca, 2002

14 Profilaxia - HC-UNICAMP, 2000 Nas clínicas cirúrgicas, 56,4% das indicações de antimicrobianos foram classificadas como injustificadas, segundo critérios de Kunin et al (1973). Fonseca, 2002

15 Aderência a Guideline de Profilaxia Cirúrgica no Irã ItemCorreção% Indicação91091,0% Antimicrobiano545,9% Timing do início37040,7% Duração535,8% Todas as recomendações 30,3% 9 hospitais de ensino, revisão de procedimentos. Askarian et al. ICHE, 27: 876, 2006.

16 Profilaxia cirúrgica Profilaxia prolongada MDR Surto de S. aureus Oxa-R (MRSA) Cefalosporinas 3a. Geração. Fukatsu et al. Arch Surg,1997 Cirurgia cardíaca O uso por >48 h foi não reduziu IH. No entanto, a IH por MDR. Harris et al. Circulation, 2002.

17 Profilaxia Cirúrgica Recomendações Projeto Diretrizes – CFM/AMB

18 Antimicrobianos de Escolha ProcedimentoAntimicrobianoDose padrãoIntra-Op.Pós-Op.** Cirurgias limpas Ginecológicas Tórax Vias Biliares Estômago Cefazolina 2a. Linha: Cefalotina Cefuroxima Alérgicos: SMX-TMP Clindamicina 1g4 horas8 horas Esôfago Intestino Cefoxitina 2a. Linha Clinda + Genta Ampi+Genta+Metro 1g4 horas8 horas

19 Alguns Procedimentos ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração Cirurgia cardíaca Cirurgia torácica Sem próteseCefazolina Cefuroxima 24 horas Cirurgia vascularCom implanteCefazolina Cefuroxima 48 horas Aorta abdominal CefazolinaIntra-operatório Aorta abdominal Cefuroxima48 horas Cirurgia VenosaNão indicada

20 Alguns Procedimentos ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração ApendicectomiaNão complicadaCefoxitinaIntra-operatório ColecistectomiaObesidade Diabetes Colecistite recente CefazolinaIntra-operatório EstômagoCom fatores de riscoCefazolinaIntra-operatório HerniorrafiaCom fatores de riscoCefazolinaIntra-operatório EsôfagoCefoxitina24 horas CólonCefoxitina24 horas RetoNão Indicada Video-Lap.Não Indicada

21 Alguns Procedimentos ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração NefrectomiaCefazolinaIntra-operatório ProstatectomiaUrocultura negativaCefazolinaIntra-operatório Bx ProstáticaUrocultura negativaCefazolinaIntra-operatório ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração AmputaçãoSem infecçãoCefazolinaIntra-operatório OsteossínteseIntra-operatório Pé torto cong.Não indicada PrótesesCefazolina48 horas

22 Alguns Procedimentos ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração NeurocirurgiaLimpa, s /próteseCefuroximaIntra-operatório Limpa, c/ próteseCefuroxima24 horas Pot. contaminadaCefuroxima + Metronidazol Intra-operatório ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração Cabeça e PescoçoLimpa, pequenaNão indicada Limpa, grandeCefazolinaIntra-operatório Pot. contaminadaCefazolina + Metronidazol Intra-operatório

23 Alguns Procedimentos ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração Cirurgia pediátricaTrato digestivoCefazolinaIntra-operatório CardíacaCefazolina24 horas MeningomieloceleNão indicada ProcedimentosCondiçãoEsquemaDuração Cirurgia Oftalmológica....Antimicrobianos tópicos.... Biópsia de pele ou linfonodo....Não indicada.... Cirurgia plástica estética....Eficácia não comprovada....

24

25 obrigado


Carregar ppt "Tópicos sobre uso profilático de Antimicrobianos em Cirugia Carlos Magno C. B. Fortaleza Coordenadoria de Controle de Doenças – SES – SP Faculdade de Medicina."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google