A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação do Programa de Manutenção da Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Selvagens e a Situação da Paralisia Flácida Aguda (PFA) no Estado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação do Programa de Manutenção da Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Selvagens e a Situação da Paralisia Flácida Aguda (PFA) no Estado."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação do Programa de Manutenção da Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Selvagens e a Situação da Paralisia Flácida Aguda (PFA) no Estado de São Paulo no período de 1998 a maio de 2000 Curso de Especialização em Epidemiologia aplicada as Doenças Transmitidas por Alimentos Coordenação - Almério de Castro Gomes - FSP/USP Margarida M. M. B. de Almeida - FSP/USP José Cássio de Moraes - CVE/SES-SP Maria Bernadete de Paula Eduardo - CVE/SES-SP Elane Alexandre da Silva – Nutricionista Eloana Petri Gonçalves Dias – Médica Veterinária Marcelo Yoshito Wada – Médico Veterinário

2 Introdução: w Dia Nacional da Vacinação. w Proposta da OPAS e relativo do número de casos, devido a substituição da postura passiva por busca ativa e alterações nos critérios para confirmar os casos ( sensibilidade e especificidade). w número de casos. w Certificado de Erradicação do Poliovírus Selvagem. w Grande São Paulo: - 20 casos esperados. - 5 casos notificados. w Monitoramento Ambiental – CETESB. w Cobertura Vacinal.

3 Poliomielite : w Definição: infecção viral que atinge principalmente Sistema Nervoso, variando desde uma infecção inaparente até sequelas e morte. w Agente Etiológico: RNA vírus de cadeia simples sem envoltório, esférico, de 24 a 30 nm de diâmetro, do gênero Enterovírus, família Picornaviridae. w Susceptibilidade: - 3 sorotipos (I, II e III). - I isolado com > frequência, seguido do tipo III. Apresenta imunidade específica ( O II é o mais imunogênico seguido do I e III). w Resistência: - Variações de pH (3,8 a 8,5) e éter. - Conservado por anos a –70C e por semanas a 4C. w Sensibilidade: - Inativado pela fervura, raios ultra violetas, cloro (0,3 a 0,5 ppm) e ausência de matéria orgânica.

4 Poliomielite : w Distribuição e Freqüência: - Universal, sendo mais prevalente em áreas urbanas densamente povoadas, mas também ocorre em áreas rurais. - Acomete mais crianças. - Atualmente a circulação dos Poliovírus Selvagens se restringem a 3 regiões: Sul da da Ásia, África Central e Ocidental. w Diagnóstico Laboratorial: - Fezes: 2 amostras num intervalo de 24 horas. Swab retal se não houver evacuação. Conservar fezes entre 2 a 8C até 3 dias, e após em freezer –20C ou –70C. - Sangue, orofaringe e líquor (< chance de isolamento). - Óbito: cérebro, medula e intestino (sol. Salina Tamponada). - Sorologia: elevação de 4 vezes ou mais do título de anticorpos.

5 Poliomielite : w Modo de Infecção e Transmissão: - Homem é o único reservatório conhecido. - Transmissão pelo contato interpessoal pelas excreções orofaringeanas e fezes. - Porta de entrada: Boca. - Multiplicação após 24 horas na orofaringe, depois o vírus se estabelece no tecido linfóide do intestino. - Período de incubação: 7 a 12 dias, variando de 2 a 30 dias.

6 Fisiopatologia I:

7 Fisiopatologia II: Fonte: Internet, outubro-2000.

8 Campylobacter jejuni : w Importância: - Nos EUA representa de 5 a 11% das diarréias. - Entre as diarréias, o Campylobacter jejuni é o primeiro patógeno isolado (45%) seguido da Salmonella (30%). - Ano de 96 e 97 no Laboratório Fleury tivemos: 299 S. Enteritidis (31,1%) 245 Campylobacter jejuni (25,5%) 213 Escherichia coli enteropatogênica (22,2%) 203 demais bactérias (21,2%) 960 culturas positivas (9,6%) culturas de fezes Fonte: Anais do I Simpósio de segurança alimentar e saúde do estado de São Paulo. Palestra do Dr. Waldemar Francisco.

9 Campylobacter jejuni : w Agente Etiológico: bactéria, gram -, microaerófila óbitos anuais devido a esse agente nos EUA. - Pode levar a meningite, artrites, infecções urinárias, Síndrome de Guillain-Barré e paralisias, e possível associação com a Síndrome Hemolítica Urêmica. w Sintomas: - Diarréia, febre, dores abdominais, dores musculares, cefaléia e náuseas. < 15 anos> 15 anos (2,43%) (1,98%)43 Até maio (0,57%)15 Fonte: Tabwin, Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e por Alimentos/ CVE/SES-SP, julho Tabela 1 – Taxa de Síndrome de Guillain-Barré segundo AIH no Estado de São Paulo, de 1998 a maio de 2000:

10 Campylobacter jejuni : w Susceptibilidade: -jovens e crianças e imunodeprimido são os mais susceptíveis. w Resistência: Congelamento. w Sensibilidade: Cozimento e tratamento da água. w Diagnóstico Laboratorial: - cultura de fezes e ou biópsia gástrica. w Modos de Infecção e Transmissão: - Alimento contaminados, transmissão direta pessoa a pessoa. - Período de Incubação: 2 a 5 dias, chegando até 10 dias. w Guillain-Barré: Desordem no sistema imune, (doença auto imune). Temos destruição da bainha de mielina que fica ao redor dos axônios de nervos periféricos levando a uma diminuição no impulso nervoso.

11 Clostridium botulinum : w Importância: Baixa incidência, porém alta letalidade w Definição: Toxiinfecção de ocorrência súbita. w Agente Etiológico: bactéria, bacilo, gram +,cresce em baixas concentrações de oxigênio(desenvolvimento da toxina). Apresenta forma esporulada. w Sintomas: vômito, constipação, debilidade, vertigem, alteração da visão e voz, flacidez das pálpebras e músculos em geral, distúrbios da deglutição, levando a morte por parada cárdio-respiratória. w Tipos de Toxinas: -7 tipos (A até G). - Importante ao homem: A, B, E e F. w Resistência: forma esporulada. w Sensibilidade:-Altas temperaturas inativam a toxina.

12 Clostridium botulinum : w Diagnóstico: - Sintomas e sinais clínicos. - Detecção da toxina no sangue e nos alimentos. w Modo de Infecção e Transmissão: - Formas:- Ingestão de alimentos – ingestão da toxina (forma alimentar).Botulismo infantil - esporo - Por ferimentos. - Vias aéreas – inalação da toxina. - Via conjuntival – aerossol. w Período de Incubação: 2 horas a 5 dias, em período médio de 12 a 36 horas. w Botulismo: Leva a paralisia flácida por bloquear terminal nervoso motor na junção neuromuscular. Tendo paralisia progressiva e simétrica, descendente.

13 Indicadores do Monitoramento: w Taxa de notificação de 1 caso de PFA para cada habitantes por ano. w Investigação de pelo menos 80% dos casos em até 48 horas após o início dos déficits motores. w Coleta adequada de fezes de pelo menos 80% dos casos. w Notificação negativa de 80% das unidades.

14 Código Internacional de Doença : w Poliomielite Paralítica Aguda (A80) w Encefalite seguida a processo de imunização (G040) w Amiotrofia Neurálgica (G122) w Lesão do Nervo Ciático (G570) w Síndrome de Guillain Barré (G610) w Polineurite Inflamatória não especificada (G619) w Polineurite não especificada (G629) w Encefalite Aguda Disseminada (G040) w Meningoencefalite e meningomielite bacterianas não classificadas em outras partes (G042) w Outras encefalites, mielites e encefalomielites (G048) w Encefalites, mielites e encefalomielites não especificadas (G049) w Encefalites, mielites e encefalomielites em doenças virais (G05) w Compressões das raízes e dos plexos nervosos (G55) w Mononeuropatias dos membros superiores (G56) w Mononeuropatias dos membros inferiores (G57)

15 Código Internacional de Doença : w Outras mononeuropatias (G58) w Outras miopatias (G72) w Paralisia periódica (G723) w Hemiplegia Flácida (G810) w Hemiplegia não especificada (G819) w Paraplegia flácida (G820) w Tetraplegia flácida (G823) w Diplegia dos membros superiores (G830) w Monoplegia dos membros inferiores (G831) w Monoplegia dos membros superiores (G832) w Monoplegia não especificada (G833) w Síndrome da Cauda equina (G834) w Síndrome Paralítica não especificada (G839) w Polineuropatia induzida por drogas (G620) w Polineuropatia devido a outros agentes tóxicos (G622) w Miastenia gravis (G700) w Transtornos mioneurais (G701) w Intoxicações alimentares bacterianas (A05)

16 Objetivos: w Conhecer a situação da PFA no estado de São Paulo, buscando detectar diferenças significativas das taxas de PFA entre diferentes regiões e faixas etárias. w Fornecer subsídio à implementação da Vigilância Epidemiológica. w Compreender o perfil epidemiológico das PFA. w Estudar possível associação entre as PFA com Campylobacter jejuni, Clostridium botulinum e os Enterovírus.

17 Desenho do Estudo e Métodos: w Definição de Caso segundo Objetivo Geral: força muscular, tônus muscular, alterações dos reflexos miostáticos, trofismo e distúrbios neurovegetativos. w Definição de Caso segundo Objetivo Específico: - Enterovírus: Paciente no qual se tenha realizado cultura de fezes, com confirmação através do isolamento do agente. - Campylobacter jejuni: Paciente do qual se tenha obtido cultura de fezes e/ ou biópsia gástrica positivas para este agente -Botulismo: Paciente do qual foi obtida cultura de fezes, sorologia ou aspirado gástrico compatível com Clostridium botulinum.

18 Desenho do Estudo e Métodos: w Tipo de Estudo: Estudo Descritivo Retrospectivo, abrangendo de 1998 a maio de w População de Estudo: - Pacientes com diagnóstico de PFA internados num dos 407 Hospitais Sentinelas no Estado de São Paulo Hospitais no Estado de São Paulo, segundo AIH. w Critérios de Seleção dos Hospitais: - Referência de suas regiões. - Bons indicadores de atendimento das PFA. - Hospitais Sentinelas. w Número de Hospitais do estudo: -16 hospitais.

19 Desenho do Estudo e Métodos: w Fonte de Coleta de Dados: - AIH das principais Síndromes Paralíticas Agudas. - Prontuários dos pacientes. w Tipo de Análise Desenvolvida: Com base na CID 10 Análise da AIH Busca Ativa nos hospitais questionários levantamento dos casos. - Epi Info 6, Tabwin, Excel. w Questionário: - 9 blocos de perguntas: - Sintomas Inespecíficos: - febre, vômito, diarréia, obstipação, dores musculares, cefaléia. - Sintomas Específicos: - paralisia súbita, flácida, assimétrica, progressão após 3 dias, localização. - Exame Físico: - força muscular, tônus muscular, reflexos, sensibilidade, sinais de irritação meníngea.

20 Levantamento Preliminar: Indicadores Meta mínima Taxa de notificação 1 caso/ hab. < 15 anos0,490,640,460,530,32 Investigação em 48 horas 80% dos casos Coleta de fezes 80% dos casos36, Notificação negativa semanal 80% das Unidades de notificação Implantadas 97,4498,5599,4098,7799,75 Fonte: Divisão de doenças de transmissão Hídrica e por Alimentos/CVE/SES-SP. Tabela 2 – Situação do Programa de Poliomielite no Estado de São Paulo, de 1995 a 1999:

21 Resultados Preliminares I: Fonte: Tabwin, Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e por Alimentos/ CVE/SES-SP, julho Tabela 3- Casos de PFA segundo levantamento em AIH e casos notificados ao CVE:

22 Resultados Preliminares II: Fonte: Dados da pesquisa da avaliação do programa de erradicação da Transmissão do Poliovírus Tabela 4 – Hospitais Estudados e Número de Prontuários Pedidos e Analisados:

23 Resultados Preliminares III: Fonte: Dados da pesquisa da avaliação do programa de erradicação da Transmissão do Poliovírus Continuação da Tabela 4 – Hospitais Estudados e Número de Prontuários Pedidos e Analisados:

24 Hospitais Estudados e os Casos Notificados no CVE, de 1998 a maio de 2000: Fonte: Dados da pesquisa da Avaliação do Programa de Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Selvagens. HospitalNúmero total de casos analisados no hospital Casos analisados em < 15 anos com paralisia Casos analisados em > 15 anos com paralisia Número de casos analisados que foram notificados ao CVE em < 15 anos Número de notificações feita ao CVE pelo hospital em < 15 anos A B C D E F Total

25 Hospitais e Pedidos de Fezes dos Casos de 1998 a maio de 2000: Fonte: Dados da pesquisa da Avaliação do Programa de Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Selvagens. * Em um dos casos houve sorologia para Campylobacter jejuni (Síndrome de Guillain-Barré). HospitalCasos analisados em < 15 anos Requisição de fezes em < 15 anos Casos analisados em > 15 anos Requisição de fezes em > 15 anos Casos com idade ignorada Requisição de fezes em idade ignorada A B040004*00 C D E F Total

26 Listagem de patologias encontradas durante o estudo com CID incompatível com a pesquisa: w Acidente Vascular Cerebral. w Nódulo de Schrmol. w Alzheimer. w Cirurgias. w Tumor de Coluna Lombar. w S. túnel do carpo. w Tetraparesia Espástica. w Tenólise do Tendão Flexor. w Paralisia Cerebral. w Hidrocefalia. w Sequela de Poliomielite. w Crise Convulsiva. w Pé Torto Congênito. w Miopatia. w Sub luxação do quadril.

27 Resultados preliminares: w 30 casos em < 15 anos analisados (12,8%); de onde 6 casos apresentavam déficit motor. w 33 casos em > 15 anos analisados (47,2%); de onde 13 casos apresentavam déficit motor. w 7 casos com idade ignorada (10%). w 20 casos com CID não correspondente (28,57%). w 4 casos com requisição de fezes em < 15 anos (13,3%). w 0 caso com requisição de fezes em > 15 anos (0). w 2 casos com requisição de fezes com idade ignorada (2,76%). w 1 caso em < 15 anos notificado ao CVE (16,66%).

28 Conclusões: w Existe uma sub notificação das PFA; 6 casos encontrados de onde somente 1 foi notificado. w A requisição para exame de fezes dentro de 48 horas não atinge o ideal preconizado (13,3%). w CID não correspondente (28,57%).

29 Recomendações: w Promover cursos de aprimoramento do Programa de Erradicação da Transmissão Autóctone do Poliovírus Selvagens, para as equipes de Vigilância Epidemiológica das DIRs. w Promover treinamento em Núcleos de hospitais, para conscientização sobre a importância do Programa, com ênfase aos diagnósticos a serem notificados. w AIH seja utilizada de forma permanente pelos supervisores do Programa para comparação com os casos notificados. w Dar atenção a uma coleta adequada de fezes.

30 Agradecimentos: w À Faculdade de Saúde Pública. w À Secretaria do Estado de Saúde. w Ao CVE – Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar. w Ás DIRs colaboradoras. Em especial á Marília e Sorocaba.

31 Referências: w Campos S L, Filho J L. Relatório de Assessoramento em Busca Ativa (B.A.) de Paralisia Flácida Aguda (PFA) no Estado de São Paulo.São Paulo:CENEP,1999. w [CDC] Centers for Diseases Control. Campylobacter jejuni Infections, United States,2000. w Eduardo M B P. Manual das Doenças transmitidas por Alimentos e Água.Clostridium botulinum. Botulismo.São Paulo:CVE,CVS,IAL,HER,1999. w Grzesuik A K, Santos L A. Síndrome de Guillain-Barré associada a Pancreatite Aguda. Arquivos de Neuro- psiquiatria,1999. w Meilman I, Junior JPR, Bermudez Jaz, Becker R A. Bases Técnicas para a Erradicação da Transmissão Autóctone da Poliomielite.Brasília:Ministério da Saúde;1988. w Tacahashi A A, Perrenoud B A F, Mekler E, Campos J C, Muller M A. Programa de Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Naturais (Selvagem).São Paulo: CCVE/SES; w Internet, fotos.


Carregar ppt "Avaliação do Programa de Manutenção da Erradicação da Transmissão Autóctone dos Poliovírus Selvagens e a Situação da Paralisia Flácida Aguda (PFA) no Estado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google