A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HA DDT DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR Dados Estatísticos - 1989 a 2010 Última atualização em 03.02.2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HA DDT DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR Dados Estatísticos - 1989 a 2010 Última atualização em 03.02.2011."— Transcrição da apresentação:

1 HA DDT DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR Dados Estatísticos a 2010 Última atualização em

2 A manutenção da erradicação da Poliomielite no Estado de São Paulo e Brasil se faz por meio de coberturas vacinais altas de vacina anti-pólio oral em menores de 5 anos (Cobertura = > 95%), pelo monitoramento ambiental do poliovírus selvagem e pela vigilância sentinela das paralisias flácidas agudas em menores de 15 anos. Quadros de paralisia flácida aguda em crianças menores de 15 anos ou toda suspeita de Poliomielite em qualquer idade são de notificação compulsória: todo caso deve ser notificado imediatamente à vigilância epidemiológica local ou à Divisão de Doença de Transmissão Hídrica e Alimentar/CVE [(11) ] para que se garanta adequada investigação clínico-laboratorial e epidemiológica do mesmo e o desencadeamento de medidas se necessárias.

3 Pelo menos 33 diagnósticos de doenças que se manifestam com paralisia flácida aguda (déficit motor) devem ser notificados e investigados imediatamente: acidente vascular cerebral (hemorrágico ou isquêmico), amiotrofias, diplegias, compressões de raízes e plexos nervosos, encefalites, mielites, miastenia gravis, monoplegias, mononeuropatias, miopatias, neoplasias do sistema nervoso central, Síndrome de Guillain-Barré, tetraplegias, transtornos mioneurais, traumatismos de medulas, lesões do nervo ciático, entre outros. São diagnósticos diferenciais da Poliomielite. O hospital ou qualquer outra Unidade de Saúde ao atender um caso de PFA em menor de 15 anos, ou uma suspeita de poliomielite em qualquer idade, deve notificar imediatamente a Vigilância Epidemiológica do seu município e proceder à coleta de fezes para os testes de presença de poliovírus. Essa amostra será encaminhada ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) Regional o qual enviará para o IAL Central e este para a Fundação FIOCRUZ que realiza o exame. A investigação epidemiológica deve ser imediata e tem por objetivo impedir a reintrodução da Poliomielite no país, visto que a doença é ainda endêmica ou epidêmica em vários países da África, Ásia e Oriente Médio. Nas Américas, destaca-se que a partir de novembro de 2010 foram registrados no Haiti casos de Paralisias Flácidas Agudas (PFA). Em janeiro de 2011 foi notificada pela Rede de Operações de Alerta e Resposta da Organização Pan- americana da Saúde e Organização Mundial da Saúde a ocorrência de casos de Síndrome Neurológica Aguda (SNA) no mesmo país.

4 ANO POPULAÇÃO 0 A 14 ANOS Nº DE CASOS ESPERADOS Nº DE CASOS PFA NOTIFICADOS CASOS POLIO CONFIRMADOS CASOS POLIO COMPATÍVEIS CASOS ASSOCIADOS À VACINA CASOS DESCARTADOS (NÃO POLIO) Nº CASOS DOSE ADMINISTRADA ª ª ª ª ª + 1 Campanha ** * *001**...80 Fonte: DDTHA/CVE/CCD/SES-SP (*) 2010 – dados preliminares (**) em avaliação pela Comissão Nacional VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA POLIOMIELITE PÓS-ERRADICAÇÃO/VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - NÚMERO DE CASOS < 15 ANOS E OUTRAS VARIÁVEIS EPIDEMIOLÓGICAS, 1989 A 2010*

5 ANOTAXA DE NOTIFICAÇÃOTX. INVEST.TX. COLETATX. NOTIF. (Meta = 1 caso/100 mil hab < 15 anos) 48 HORAS (Meta = 80%) FEZES (Meta = 80%)NEGATIVA (Meta = 80%) 19890,94NA 19901,20NA 19911, ,7793,452,092, ,7798,740,292, ,819534,096, ,459536,597, ,649544,098, ,458634,099, ,529843,098, ,519747,099, ,719744, ,139243,199, ,179862,592, ,1997,553,794, , ,491, , ,091, , , ,8796,576, ,059859, , , *0,8496,2569,091,4 INDICADORES DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA POLIOMIELITE PÓS-ERRADICAÇÃO/VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS EM < 15 ANOS, 1989 A 2010* Fonte: DDTHA/CVE/CCD/SES-SP (*) Dados preliminares

6 CASOS E COEFICIENTES* DE INCIDÊNCIA DE PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS (PFA) POR /HAB. EM < 15 ANOS, POR GRANDES REGIÕES, ESTADO DE SÃO PAULO, REGIÃO Nº Coef.Nº Coef.NºCoef. NºCoef.NºCoef. Capital 8 0,3117 0,17351,34 401,53491,86 Interior da GSP 3 0,1412 0,12110,51 231,05171,05 Interior do Estado 40 0,8122 0,22260,51 531,05521,05 Estado 51 0,5251 0,51720, ,131181,17 Fonte: DDTHA/CVE/CCD/SES-SP (*) Meta de identificação de PFA = 1 caso/ hab. < 15 anos Pop. IBGE

7 CASOS E COEFICIENTES* DE INCIDÊNCIA DE PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS (PFA) POR /HAB. EM < 15 ANOS, POR GRANDES REGIÕES, ESTADO DE SÃO PAULO, REGIÃO NºCoef.NºCoef.NºCoef.NºCoef.NºCoef.NºCoef.NºCoef. Capital 361,36341,27361,33421,53 261,01321,27271,1 Interior GSP 241,02291,24160,7240,96 110,47190,85150,7 Interior do Estado 611,12681,28570,92581,03 490,97501,03440,9 Estado 1211,181311,271091,021241,14 860,871011,05860,9 Fonte: DDTHA/CVE/CCD/SES-SP (*) Meta de identificação de PFA = 1 caso/ hab. < 15 anos Pop. IBGE

8 Paralisias Flácidas Agudas: Taxa de Notificação, estado de São Paulo, * Fonte: DDTHA/CVE (*) Dados preliminares

9 Paralisias Flácidas Agudas: Taxa de Coleta Oportuna (%), estado de São Paulo, * Fonte: DDTHA/CVE (*) Dados preliminares

10 Não deixe a Pólio voltar!

11 NOTIFIQUE IMEDIATAMENTE! Slides atualizados por: Maria Bernadete de Paula Eduardo – Diretora da DDTHA/CVE


Carregar ppt "HA DDT DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO HÍDRICA E ALIMENTAR Dados Estatísticos - 1989 a 2010 Última atualização em 03.02.2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google