A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REUNIÃO TÉCNICA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DOSINDICADORESDEHANSENÍASE04/09/2008 Divisão Técnica de Vigilância Epidemiológica da Hanseníase-CVE/CCD/SES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REUNIÃO TÉCNICA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DOSINDICADORESDEHANSENÍASE04/09/2008 Divisão Técnica de Vigilância Epidemiológica da Hanseníase-CVE/CCD/SES."— Transcrição da apresentação:

1 REUNIÃO TÉCNICA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DOSINDICADORESDEHANSENÍASE04/09/2008 Divisão Técnica de Vigilância Epidemiológica da Hanseníase-CVE/CCD/SES

2 AÇÕES – UNIDADE DE SAÚDE 1- NOTIFICAÇÃO DOS CASOS CONFIRMADOS - Notificar através da Ficha de Investigação Epidemiológica em tempo oportuno Não deixar campos em branco na FIE 2 – VIGILÂNCIA NOS CASOS MENORES DE 15 ANOS - Investigar todos os casos em menores de 15 anos,através de Ficha/Protocolo de Investigação específica. 3 – VIGILÂNCIA DOS CONTATOS INTRADOMICILIARES DE CASOS NOVOS - Registrar as informações pertinentes na Ficha de Acompanhamento de Caso e Contatos Intradomiciliares. - Registrar corretamente o número de contatos registrados na FIE e o número de contatos examinados no Boletim de Acompanhamento 4 – ACOMPANHAMENTO DOS CASOS EM TRATAMENTO - Atualizar no mínimo trimestralmente, as informações de tratamento e saídas do registro dos casos em acompanhamento, no Boletim..

3 AÇÕES – VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA MUNICIPAL 1- RECEBIMENTO DAS FICHAS DE INVESTIGAÇÃO EPIDEMILOLÓGICA DOS CASOS DIAGNOSTICADOS DAS UBS -Analisar o preenchimento da FIE ( completitude e Inconsistências) - Digitar o caso confirmado no SinanNet. - Imprimir e analisar digitação da FIE 2- EMISSÃO DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DOS CASOS EM TRATAMENTO - Emitir no mínimo trimestralmente o Boletim de Acompanhamento( 2 Vias) para as UBS atu com a informação de tratamento e saídas do registro 3 – RECEBIMENTO DOS BOLETINS DE ACOMPANHAMENTO DOS CASOS EM TRATAMENTO - Analisar o preenchimento do Boletim de Acompanhamento. - Discutir com a Unidade de Saúde as inconsistências no preenchimento - Solicitar preenchimento de campos em branco - Digitar as informações atualizadas no SinanNet - Imprimir o Boletim de Acompanhamento e analisar após a digitação. - Obs –Após a digitação todos os casos que receberem saída do registro ( alta, óbito ou transferências) não deverão constar do Boletim de Acompanhamento.

4 - FORMULÁRIOS DE COLETA DA INFORMAÇÃO FICHA INDIVIDUAL DE NOTIFICAÇÃO FICHA INDIVIDUAL DE INVESTIGAÇÃO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DOS CASOS DE HANSENÍASE EM REGISTRO ATIVO FICHA DE ACOMPANHAMENTO DO CASO E DOS CONTATOS INTRADOMICILIARES FICHA DE INVESTIGAÇÃO DOS CASOS MENORES DE 15 ANOS

5 Ficha Investigação Geral

6 Ficha Notificação/Investigação Campos Obrigatórios: Data de Notificação Municipio de Atendimento Unidade de Atendimento N. Sinan Campos Essenciais: *Data Diagnostico *Data Nascimento ou Idade *Município de Residência *Forma Clínica e Class.Operac. *Avaliação de Incapacidade *Modo Entrada Data Inicio Tratamento Esquema Inicial *N.Contatos Registrados (*) Geram indicadores

7 Ficha Notificação/Investigação - Verso

8 Ficha Investigação dos Casos Menores de 15 anos Validação dos Casos em Menores de 15 anos Responder a demanda do MS que a partir de 2005 solicita que todos os casos menores de 15 anos solicita que todos os casos menores de 15 anos tenham seu diagnóstico confirmado. tenham seu diagnóstico confirmado. Objetivo Verificar a consistência da informação registrada no banco de dados; Pesquisar a fonte de infecção dos casos em que o menor é o caso índice da familia.

9 Ficha Investigação dos Casos Menores de 15 anos- Orientações

10 Ficha de Acompanhamento de Caso de Hanseníse e Contatos Intadomiciliares

11

12 O Problema O Estado de São Paulo apresentou nos últimos anos uma taxa em torno de 50%, de contatos examinados. Um parâmetro considerado precário segundo Ministério da Saúde. Objetivo Conhecer os fatores que contribuem para a informação da baixa cobertura no exame de contatos dos casos novos de hanseníase. Medir qual a influência destes fatores na proporção dos contatos examinados Metodologia Selecionada uma amostra aleatória, utilizando o software Epi Infodo Banco de Dados de Hanseníase (SinanW ) do ano de 2006, 348 registros do total de A coleta da informação será realizada pelos Grupos de Vigilância Regional através de formulário desenvolvido para esta Avaliação. A consistência da informação será feita através da comparação da informação registrada na Ficha de Investigação e a observada no prontuário do paciente.

13

14 Boletim de Acompanhamento de Casos de Hanseníase Campos Preenchimento Essencial: *Município de Residência Atual *Data do Ultimo Comparecimento *Class.Operac. Atual *Avaliação de Incapacidade na Alta Esquema Atual Número Doses Sup. *Contatos Examinados *Tipo de Saída *Data da Saída Registrados (*) Geram indicadores

15 Fluxo de Fichas/Informação F.N.I ( 1) 1 2 envia preenche SECRETARIA MUNICIPAL DE (2) SAÚDE (VE) F.I.E 1 2 Envia via modem SES MS Envia via modem EMITE Emissão no mínimo trimestral em duas vias. (Abril/Agosto/Novembro) 2 B.Acomp. 1 Demanda espontânea Encaminhamento ( F.N.I,F.I.E. e B. Acompanhamento ) UBS

16 Obrigada. Temos que ter bons olhos e um faro fino para todo este trabalho. Divisão Técnica de Vigilância Epidemiológica da Hanseníase-CVE/CCD/SES


Carregar ppt "REUNIÃO TÉCNICA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DOSINDICADORESDEHANSENÍASE04/09/2008 Divisão Técnica de Vigilância Epidemiológica da Hanseníase-CVE/CCD/SES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google