A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mesa temática: Apoio ao aluno na EAD: docência e tutoria, inovações pedagógicas e didáticas Adriana Rocha Bruno Universidade Federal de Juiz de Fora –

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mesa temática: Apoio ao aluno na EAD: docência e tutoria, inovações pedagógicas e didáticas Adriana Rocha Bruno Universidade Federal de Juiz de Fora –"— Transcrição da apresentação:

1 Mesa temática: Apoio ao aluno na EAD: docência e tutoria, inovações pedagógicas e didáticas Adriana Rocha Bruno Universidade Federal de Juiz de Fora – FACED/PPGE 1 IV Seminário de Pesquisa em EAD 28 e 29 de junho de 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Universidade Aberta do Brasil GRUPAR-UFJF Docências: ações formativas na Cibercultura

2 De que lugar em falo Formadora de professores (TICs) desde 1995; Pesquiso as TICs na Educação e a cultura digital desde 1998; Professora da Faculdade de Educação e do PPGE- UFJF Coordenadora de Inovação Pedagógica no Ensino Superior - CIAPES-PROGRAD-UFJF Coordenadora de tutoria a distância - FACED-UAB – Curso de Pedagogia Lider - Grupo de Pesquisa Aprendizagem em Rede - GRUPAR Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 2 GRUPAR-UFJF

3 Pontos em foco Mediação Partilhada/ Docências Educação online APRENDIZAGEM EM REDES Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 3 Plasticidade Social Redes Rizomáticas GRUPAR-UFJF Cibercultura

4 O contexto atual Denominada: do conhecimento, da aprendizagem colaborativa, autoral, cibercultural, neoliberal, pós-moderna, neurocultural, líquida etc. Pontos fortes: excesso de informações, o apelo imagético e audio-visual, incorporação de tecnologias e da cultura digitais. sujeitos: se relacionam por redes sociais presenciais e virtuais / intersticiais (Santaella -2011) – são consumidores e produtores do conhecimento. O devir associa-se ao híbrido, à multimídia, ao multiverso, e especialmente à diferença e à multiplicidade. Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 4 Não existe igualdade ou verdade, somente diferença. GRUPAR-UFJF

5 Utilização de novos aparatos tecnológicos no contexto escolar: convergência de mídias e tecnologias profissionais que atuam na educação e necessitam de formação. Educação demanda de formação na área educacional de todo o país Aumento das ofertas de cursos de formação de educadores online e a distância - tanto por iniciativa pública como privada. Divergências sobre Educação a Distância (EAD) grande solução para o problema de formação de profissionais X modalidade cheias de fragilidades. Redes socias, Ple, AVAs, games, cibercidades, Web 2.0, Web 3.0, etc… O cenário atual GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

6 6 Redes, novos conceitos e cocriação: eixos de sustentação Cibercultura a cultura contemporânea em que são potencializadas as múltiplas formas de interação e comunicação emergentes no cenário tecnológico da sociedade atual. (LÉVY, LEMOS) Com o advento dos equipamentos móveis ciberespaço e a cibercultura vieram adquirir uma natureza híbrida na constituição de espaços que tenho chamado de espaços intersticiais. (SANTAELLA, 2008, p. 21) GRUPAR-UFJF

7 7 A Educação online X Educação a distância (Santos) Plasticidade social (Bruno); Redes rizomáticas (Deleuze, Guattari, Bruno); Mediação partilhada (Bruno); Aprendizagem em rede (GRUPAR) Docências na pós modernidade cocriação de redes plásticas e rizomáticas de aprendizagem Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno GRUPAR-UFJF

8 1.Quem Ensina hoje e para quem? 2.Como aprendem os estudantes, jovens e adultos, nesta sociedade? 3.Que redes estão se constituindo nestes espaços de formação mediados pela cultura digital? 4.Como se desenvolvem as docências e, por conseguinte, a mediação, nos espaços de aprendizagem na sociedade pós moderna? Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 8 GRUPAR-UFJF

9 Em EaD: Quem ensina em EaD é uma Instituição (Keegan, 1983) – Será? Peters (1993) já falava sobre a divisão do trabalho e objetivação do processo de ensino por especialidades (e especialistas) no ensino a distância: autor de materiais, editor, designer instrucional, artista gráfico, programadores, roteiristas, designer de web etc. Mas, e o professor??? Fragmentação (ou multiplicação, plurificação) da docência: formador; conceptor ou realizador de cursos e materiais; pesquisador; tutor; monitor, mentor etc. Daí falarMos em Transformação de uma entidade individual (presencial) em uma entidade coletiva (virtual) (Belonni, 1999) DOCÊNCIAS PROFESSOR COLETIVO nsinaE uem Q? GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 1)

10 - Professor: assume-se como parceiro do aprendente; Professor coletivo: a figura do professor pode corresponder não a um indivíduo, mas a uma equipe de professores e especialistas. Relações são dialógicas todos são também aprendizes. desdobramento docente múltiplas funções do professor visto como parceiro dos estudantes e sempre integrado com a equipe multidisciplinar. GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno Polidocência – Daniel Mill (2010)

11 11 Tutor UAB (Portal Capes) Tutor é o profissional selecionado pela IPES vinculada ao Sistema UAB para o exercício das atividades descritas a seguir. No entanto, cabe às instituições de ensino determinar, nos processos seletivos de tutores, as atividades a serem desenvolvidas para a execução dos Projetos Pedagógicos, de acordo com as especificidades das áreas e dos cursos. E O TUTOR? Novo professor? Docente? GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

12 São atribuições do Tutor: Mediar a comunicação de conteúdos entre o professor e os estudantes; Acompanhar as atividades discentes, conforme o cronograma do curso; Manter regularidade de acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA e responder às solicitações dos alunos no prazo máximo de 24 horas; Estabelecer contato permanente com os alunos e mediar as atividades discentes; GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

13 Colaborar com a coordenação do curso na avaliação dos estudantes; Participar das atividades de capacitação e atualização promovidas pela instituição de ensino; Participar do processo de avaliação da disciplina sob orientação do professor responsável; Apoiar operacionalmente a coordenação do curso nas atividades presenciais nos polos, em especial na aplicação de avaliações. Apoiar o professor da disciplina no desenvolvimento das atividades docentes. Ora, mas tudo isso não é docência? Tudo isso não é também função de um professor? GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

14 14 A tutoria também nos cursos presenciais FONTE: UFSC – [2010] GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

15 15 FONTE: UFSC – [2010] GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

16 16 Programa de Bolsas de Pós-Graduação do Reuni (Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais)... para alunos de mestrado e doutorado atuarem como tutores. O programa visa à destinação de tutores para disciplinas teóricas com, no mínimo, 30 alunos matriculados. No caso de disciplinas práticas, o mínimo é de 10 estudantes. FONTE: UFJF – tutoria-na-pos-graduacao/ GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

17 17 1.1) Prá quem ensinamos?

18 18 Jovens, adultos Nativos Digitais? – Prensky Fases de aprendizagem do adulto (Kolb, 1984, Bruno, 2007): especialização e integração Tendência da formação de adultos educadores em ambientes de aprendizagem online: manutenção do adulto na fase de especialização Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno GRUPAR-UFJF

19 19 GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno Híbrido, hibridismo, hibridação e hibridização são os atributos que mais freqüentemente têm sido utilizados para caracterizar variadas facetas das sociedades contemporâneas. Essas palavras podem ser aplicadas, por exemplo, às formações sociais, às misturas culturais, à convergência das mídias, à combinação eclética de linguagens e signos e até mesmo à constituição da mente humana. (SANTAELLA, 2008, p. 20) Quando uma minoria cria para si modelos, é porque quer tornar-se majoritária, e sem duvida isso é inevitável para sua salvação (por exemplo, ter um estado, ser reconhecido, impor seus direitos). (DELEUZE – Conversações , p. 218) Daí pensarmos: educação híbrida, aprendizagem híbrida, redes híbridas, didática híbrida, mediação híbrida Como?

20 Mediação - a partir da interação - como uma ação coletiva fundada por meio da partilha e da colaboração interativa entre os sujeitos imbuídos na constituição de redes plásticas de aprendizagem. Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 20 GRUPAR-UFJF

21 A interação convite ao movimento e à ação colaborativa e participativa entre os seres humanos, não pode prescindir do diálogo como fator preponderante à promoção do encontro com o outro. Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 21 GRUPAR-UFJF

22 Plasticidade social Plasticidade sináptica: grupos de neurônios assumem funções de outros podendo restabelecer ou formar redes No social: reorganizações, desdobramentos, rearticulações, reações – relações emergentes – não há padronização, fixação Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno GRUPAR-UFJF

23 MEDIAÇÃO PARTILHADA Escher, Drawing Hands GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

24 MEDIAÇÃO PARTILHADA partilha não no sentido da permissividade/inclusão todos já estão no e são o processo em si Partilhar movimento de produção coletiva e colaborativa de devires, olhares, percepções Espaço de coconstrução e coautoria Alunos assumem regências emergentes mediação partilhada docente: mediador de mediadores e participante Criam-se redes de aprendizagem Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 24 GRUPAR-UFJF

25 Sobre redes e rizomas: formação de redes sociais plásticas a partir da educação online Redes hoje Sociais, neurais, virtuais, de significado, de aprendizagem, comerciais etc. Indicam conexões, links que integram, ligam temas, assuntos, olhares, idéias, conceitos, políticas Web: recursos para comunicação síncrona ou assíncrona Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 25 GRUPAR-UFJF 3. Que redes são essas?

26 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 26 Rede Pulsa e se alimenta de novas informações, contatos, trocas, compartilhamento, socialização e também conhecimento produzido e consumido Abriga todas as tribos (redes nas redes) e deste ponto é democrática, inclusiva, aberta Em sua maioria, se constituem pela semelhança e não pela diferença. Redes que se formam dentro de redes, que cedem aos apelos do consumo de novidades GRUPAR-UFJF

27 Figuras de Redes – Adaptadas de Baran, 1964) Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 27

28 Redes rizomáticas – plásticas Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 28 GRUPAR-UFJF

29 Como desenvolver essa atitude em contextos em que ainda persiste a centralidade da docência? amadurecimento do grupo; descentralização de fato do poder do professor; cocriação de redes sociais online constituição de redes abertas, rizomáticas Redes rizomáticas mapas abertos; múltiplas entradas e saídas (linhas de fuga); pontos de conexão rompimento de nós; Desterritorialização Educação online. Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 29 GRUPAR-UFJF

30 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 30 As redes sociais podem ser utilizadas para: Criar uma comunidade de aprendizagem para a escola, classe ou disciplina Compartilhar informações e idéias com outros profissionais e especialistas nos temas que são estudados pelos alunos em sala de aula Aprender sobre redes sociais Criar um canal de comunicação entre estudantes de diferentes instituições e com interesses em comum Criar um canal aberto com o docente em espaços para além da sala de aula ampliar, potencializar relações plurais! Me relacionar, aprender, interagir! Mas nunca para INVADIR o espaço criativo e produtivo dos alunos ou funcionários de uma empresa!!!! GRUPAR-UFJF

31 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno PISTAS PARA DOCÊNCIAS NA PRÁTICA – Processos mediativos Conhecer o contexto : quem são os alunos? Como chegaram ao curso? Acolhimento : desde o início, permeando todas as relações. Uso de uma linguagem que aproxime, que crie vínculos Navegação : facilidade ou fluência para navegação - familiaridade com a tecnologia não garante facilidade de navegação abrir canal de comunicação Organização do tempo : prioridade e disponibilidade / adesão ao curso: criar documentos que ajudem o aluno a estudar, a se organizar Trabalhando com as informações : documentos longos; excesso de informações; textos / artigos criação de biblioteca virtual e ou mídiateca / orientações sobre o trabalho no fórum. Ausência : o que é presença e o que é ausêencia em aula? Alunos tarefeiros : ajudá-los e acompanhá-los no processo de trabalho colaborativo GRUPAR-UFJF

32 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 32 Orientações claras : Cuide da linguagem Você deve ser sempre muito claro e objetivo excesso de informações podem confundir; Crie rotinas: para acesso à programação: semanal? Quinzenal? Sempre às 2ªs feiras, às 6ªs? para entrega de atividades para participação em fóruns para encontros presenciais e online Cuidado com a poluição visual nas apresentações Objetivos claros : diga sempre o que espera dos alunos e retome os objetivos durante e ao término de cada unidade temática trabalhada avaliação GRUPAR-UFJF

33 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 33 Produções colaborativas: o adulto já possui condições plenas para efetuar escolhas, se agrupar e desenvolver atividades coletivas e colaborativas Nos fóruns de discussão: Os fóruns são espaços para o diálogo e não para postagem de mensagens. O uso adequado déste espaço deve ser ensinado por meio da mediação - criar salas temáticas, criar grupos de trabalho (por região, por pólo, por aderência etc.) - trabalhar com cenários (cases) – simular situações afeitas ao cotidiano (a partir dos conteúdos trabalhados) e problematizá-las. Os alunos devem buscar encaminhamentos para os problemas - estimular que todos acessem e leiam as propostas dos colegas e, de preferência, comentem – ensinar a comentar: não é só falar que está tudo lindo! - criar grupos de debates, seminários etc. GRUPAR-UFJF

34 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 34 Uso do Wiki Essa é uma das ferramentas mais difíceis de usar escrita colaborativa Uso do fórum pode ajudar Para qualquer produção de texto, mesmo no word, SEMPRE indique a formatação adequada (fonte, espaçamento, tamanho da fonte, número de linhas etc) GRUPAR-UFJF

35 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 35 Uso de textos longos – sempre que possível optar pela impressão ou pelo uso do recurso/ferramenta LIVRO - Moodle curtos – como complementos, para ilustrar uma atividade preferência por charges, história em quadrinhos, letra de música, poesia, notícias de jornal etc. Uso de audio e vídeos produzidos pelos professores: produzidos e disponíveis em sites (porta curtas, youtube etc) produzido pelos alunos GRUPAR-UFJF

36 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 36 Uso de Blogs - possibilidade de criar espaços de interação e desenvolver autonomia na Web iniciem orientando pesquisas sobre blogs temáticos montem bancos de blogs temáticos a partir dessas pesquisas ofereçam passo a passo para que os alunos criem seus Blogs espaços colaborativos Uso de Chats - possibilidade de interação síncrona - para tirar dúvidas – plantão - aberto para os alunos se comunicarem entre si - para debater assuntos da aula – chat temático - deve ser realizado com poucos alunos - uso de co-mediadores/ monitores GRUPAR-UFJF

37 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 37 Uso de Recursos da Web Hotpotatos - Redes Sociais - Games - Depósitos de conteúdos e apresentações – slideshare, prezi, Justin TV etc - Pesquisa – sites fidedignos para pesquisa – ensinar a pesquisar - Portais de áudio e vídeo: podcast, youtube, JustinTV - Webconferências GRUPAR-UFJF

38 Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno 38 Atividades individuais e coletivas : saber dosar/ as duas são importantes. Porém, tendo em vista o número de participantes, há uma dominuição do número de atividades individuais. Proposta : uma atividade a cada bimestre. Encontros presenciais : importante para o desenvolvimento do grupo. buscar integração por meio de oficinas O olhar e a prática da investigação: pesquisa, por envolver problemáticas de causalidade e soluções múltiplas, por desenvolver capacidades, por enriquecer conhecimentos e por despertar a criticidade e a criatividade os cenários (cases) poderão dar conta deste ítem, Nos cenários/cases : propor que sejam feitas análises do contexto propor ações de intervenção específica. Mediação : investigação temática; tematização e problematização do conhecimento

39 39 Alguns frutos do Curso de Pedagogia-Faced-UAB - Tutor a distância atua em área específica e em uma turma em um pólo - Cursos de formação continuada (online e presenciais) para professores e tutores a distância do curso; - I Fórum Regional de Tutores em EaD – UFJF – 2010; - Diversos tutores ingressaram na Pós-Graduação em Educação – UFJF e vice versa; - Aprovação em concursos: -Especialista em educação básica - supervisão pedagógica - 06 Alunos Pedagogia/UFJF (2º; 3º; 8º; 11º, 15º, 16º) -Professor de educação básica - anos iniciais do ensino fundamental - 04 Alunos Pedagogia/UFJF (1º, 4º, 5º, 20º) - Analista educacional - inspeção escolar - inspeção escolar - 05 Alunos Pedagogia/UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno GRUPAR-UFJF

40 40 O progresso científico e tecnológico que não responde fundamentalmente aos interesses humanos, às necessidades de nossa existência, perdem, para mim, sua significação. Paulo Freire GRUPAR-UFJF Profª. Drª. Adriana Rocha Bruno

41 Obrigada. Adriana. https://sites.google.com/site/arbruno 41


Carregar ppt "Mesa temática: Apoio ao aluno na EAD: docência e tutoria, inovações pedagógicas e didáticas Adriana Rocha Bruno Universidade Federal de Juiz de Fora –"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google