A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FA-023 – Adequação Trator-implemento Prof. Paulo Graziano Magalhães Domingos Guilherme Cerri.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FA-023 – Adequação Trator-implemento Prof. Paulo Graziano Magalhães Domingos Guilherme Cerri."— Transcrição da apresentação:

1 FA-023 – Adequação Trator-implemento Prof. Paulo Graziano Magalhães Domingos Guilherme Cerri

2 Programa de Disciplina – FA 023 Aula 1 Introdução Aula 2 Dinâmica solo. Aula 3 Esforço em implementos Aula 4 Esforço em implementos Cont. Aula 5 Esforço em implementos Aula 6 Laboratório Aula 7 Prova Teórica Aula 8 Qualidade do preparo de solo Aula 9 Compactação de solos Aula 10 Aula Prática Aula 11 Teoria da tração Aula 12 Desempenho de tratores Aula 13 Desempenho de tratores Aula 14 Desempenho de pneus Aula 15 Prova Teórica

3 Critérios de Avaliação NF = (P1 +P2*2)/3*alfa se média das listas de exercícios 5 7 alfa = 1,1 75% mínimo de presença

4 Roteiro da aula Histórico Máquinas de preparo de solo Sistemas de preparo – Convencional e Plantio Direto Desafios do Plantio Direto Tendências Atuação da FEAGRI Perspectivas

5 Histórico Desde os primórdios da história tem-se o registro do homem preparando o solo para incrementar o produção de alimentos. Os primeiros arados foram talvez utilizados pela população que vivia no vale do Eufrates ou do Nilo 3000 AD.

6 No último século antes de Cristo no norte da China surgiram os primeiros arados fabricados de ferro e animais passaram a ser utilizados para tracionar os arados. Os arados nesta época não tinham rodas e nem eram capazes de inverter o solo, eram apenas uma peça de madeira em formato de uma cunha e puxado por bois.

7 Os arados com disco de corte e aivecas foram introduzidos na Europa no ano de 1500 DC. Este tipos de arado podia pela primeira vez fazer o sulco, e inverter a leiva e preparar o solo para a semeadura.

8 Provavelmente de origem holandesa o arado de Rotherham, cujo projeto continua praticamente o mesmo dos arados de hoje, foi primeiramente posto em uso na Holanda, Inglaterra e Escócia por volta do ano de Detalhes do projeto variavam com o local, alguns tinham rodas, eram feitos de madeira outros de ferro. A primeira fabrica de arados surge na Inglaterra no ano de 1783.

9

10 John Deere Em 1837 os problemas com solos orgânicos, induziram JD a desenvolver um arado de aço com uma superfície bem polida e com o formato da aiveca e da relha que deveriam proporcionar uma auto limpeza a medida que o a leiva fosse cortada e invertida. JD também revoluciona a industria de implementos agrícolas porque passa a fabricar para depois vender.

11 Em 1860 são introduzidos os tratores a vapor.vapor Em 1892 surgem os primeiros tratores a gasolinagasolina Em 1932 as rodas de aço passam a ser substituídas por borracha.borracha Em 1960 inicia a primeira fabrica de tratores no Brasil. Em 2003 temos 5 grandes fabricantes de tratores e um grande número de fabricantes de implementos agrícolas. implementos agrícolas

12 Os principais implementos de preparo do solo Arados de aivecas Arados de discos Grades Subsoladores Sulcadores Enxadas rotativas

13 Preparo de solo Preparo convencional = prática agrícola intensivaconvencional –Consiste Em preparar o solo para receber a semente ou muda para instalação periódica da cultura. Cortando e invertendo a leiva de solo de modo a reduzir a densidade do solo e a sua resistência mecânica, cobrir os restos vegetais e rearranjar os agregados

14 Preparo de solo Problemática preparo convencional O preparo de solo convencional leva a degradação dos recursos naturais através do processo erosivo do solo, contaminação por agroquímicos, ervas daninhas, desertificação e conseqüente perda de produtividade. Segundo Novaes (1996) as perdas de solo por erosão no Brasil chegam a 25 toneladas anuais por hectare qdo o normal deveria estar entre 3 e 12.

15 O que seria um manejo de solo sustentável Proteção e conservação da superfície do solo Utilização eficiente de recursos como água, luz e solo Disponibilidade e equilíbrio de nutrientes Manutenção do alto nível da Biomassa Preservação da biodiversidade

16 Plantio Direto O termo Plantio Direto é originado do conceito de "zero tillage", "no-tillage" ou "direct drilling", já que os ingleses e americanos foram os primeiros a mecanizarem a técnica, plantando sementes ou mudas com o mínimo de interferência no solo, preservando os resíduos de cobertura vegetal.

17 Desempenho dos sistemas

18 O SPD moderno só se tornou realidade a partir de pesquisas de cientistas norte- americanos e europeus, com o controle químico de plantas daninhas, dispensando- se o uso de cultivos mecânicos. Como resultado desse esforço de pesquisa a Imperial Chemical Industries - ICI, da Inglaterra, lançou no mercado, em 1961, a molécula do "paraquat", descoberta seis anos antes, e que deu o impulso significativo aos primeiros trabalhos e aos fundamentos de formação da palha, base para o uso do SPD.

19 As primeiras culturas comerciais - Shirley H. Phillips, e por Harry M. Young em conjunto com a Allis Chalmers (primeira semeadora com disco ondulado para corte frontal da palha) é lançado o livro "No-tillage Farming" (Phillips & Young, 1973) que é, ainda hoje, referência sobre o sistema em todo o mundo.

20 Sistema Plantio Direto no Brasil O histórico do PD no Brasil data do início dos anos 70. Qdo o IPEAME/MA realizou pesquisas pioneiras em Londrina e Ponta- Grossa. Paralelamente agricultores e produtores pioneiros se mobilizaram trocando experiências e buscando conhecimentos e inovações no país e no exterior.

21 Cerrado Na década de 80, com os exemplos do sul, ocorre a introdução dos trabalhos visando a viabilização do SPD nos Cerrados. Em 1982 o sistema era utilizado por vários agricultores em áreas de produção de sementes de milho em Santa Helena, GO. A partir de 1988, John Landers conduziu vários campos experimentais em fazendas da região, com apoio da Manah.

22 No inicio da década de 90 o sistema era dominado por vários produtores e técnicos, culminando com a criação de Fundações, como a Fundação MS. Na década de 90 o desenvolvimento do SPD aconteceu de forma maciça em todo o país.

23

24 Problemas A área de PD nos EUA chegou, em 1999/2000 a 19,75 milhões de ha. Problemas relatados foram relacionados à dificuldade de germinação por baixas temperaturas na primavera; adaptação de semeadoras; e, dificuldades no manejo de plantas invasoras. Na Europa, onde a erosão não é expressiva, os agricultores têm encontrado problemas com excesso de palha e embuchamento de semeadoras.

25 Desafio do Plantio direto Desenvolvimento de equipamentos apropriados para a tarefa de cortar os restos vegetais executando uma distribuição uniforme de sementes, suficientemente resistentes e com capacidade de penetração e abertura do sulco no solo não preparado e com um alto desempenho.

26 Plataforma de Plantio Direto destaca os seguintes problemas em máquinas de PD Adequação de semeadoras para condições específicas de solos em cada região. Adequação do aperfeiçoamento de mecanismos de rompimento do solo e de distribuição de insumos pelas semeadoras. Baixa eficiência e durabilidade do maquinário Dificuldade de corte da palhada e embuchamento. Dificuldade de plantar com botinha (sulcador) em solo arenoso.

27 Dificuldade na colocação de fertilizantes no plantio. Distribuição desuniforme das sementes e do adubo Falta de maquinas e equipamentos adequados para o plantio Racionalização das operações mecanizadas de Plantio Direto Semeadora deficiente (embucha e amontoa) Viabilizar técnicas para o manejo adequado da cobertura e da palhada do solo

28 Atuação possíveis Solucionar problemas de engenharia para melhorar o desempenho das maquinas de DP. Semeadoras –Estrutura –Sulcadores –Distribuidor de adubo –Corte da palhada.

29 Estrutura O uso de calculo estrutural para solucionar os problemas construtivos da semeadora, aumentando sua confiabilidade e durabilidade. O uso de instrumentação para aquisição de dados de esforços em implementos rompedores do solo em condições de trabalho, principalmente no cerrado.

30 Sulcadores Desenvolver sulcadores adaptados as condições de solo brasileiro.

31 Distribuidores de adubo Equipamentos apropriados para a aplicação de adubo em profundidade adequada ao desenvolvimento da cultura.

32 Corte da palha Um dos maiores problemas relacionados ao PD, o manejo adequado da palha.

33 Corte da palha Principalmente na semeadora

34

35 A B Figura IV.17 – Detalhe do corte efetuado pelo disco dentado (A) e pelo disco liso (B)

36

37 Soluções alternativas que contemplam o Cultivo Mínimo Situações específicas onde o plantio direto não pode ser implantado, como por exemplo a cana-de-açúcar. Plantio convencional por quê? É possível preparar somente a linha de plantio. Como?

38 Eliminador de soqueiras

39 Cultivo mínimo em canaviais

40 Perspectivas A estabilidade do sistema é um dos aspectos mais importantes, não existe espaço para continuarmos com o sistema convencional de preparo de solo pois este não é um sistema sustentável sob o ponto de vista ambiental e conseqüentemente sócio- econômico

41 É preciso vencer os problemas técnicos e utilizar sistemas alternativos como o plantio direto que demandam menos energia e conservam o meio ambiente. Devemos também quebrar o paradigma do trator convencional e propor uma alternativa para a unidade de tração.unidade de tração

42

43 Referências e Leitura complementar LANDERS, J. N. O plantio direto na agricultura: o caso do Cerrado. In: LOPES, I. V. (Org.). Gestão ambiental no Brasil: experiência e sucesso. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, p IAPAR. Plantio direto pequena propriedade sustentável. Londrina: IAPAR, p. (IAPAR. Circular Técnica, 101). YOUNG JR., H.M. No-tillage farming. Brookfield Wisconsin, 1982, p. 201USA., (reedição do livro original de PHILLIPS, S.H.; YOUNG JR., H.M., 1973) Novaes, W. – Questão ambiental ou Questão econômica. Ciência hoje. São Paulo, v.20 n. 120, maio DERPSCH, R. Historical review of no-tillage cultivation of crops. In: SEMINAR NO TILLAGE CULTIVATION OF SOYBEAN AND FUTURE RESEARCH NEEDS IN SOUTH AMERICA, 1., 1998, Foz do Iguaçu. Proceedings... [Toquio]: JIRCAS, p (JIRCAS Working Report n. 13). SADE, M Uma Breve Histórico do Sistema de Plantio Direto na Palha no Brasil. In.: Harmonia do Homem com a Natureza: Desafio do 3º Milênio. Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha, 7º, Foz do Iguaçu, PR, Resumos..., Ponta Grossa, FEBRAPDP, pp

44 Obrigado Lembre-se todo o material estará disponível na nossa página no programa ensino aberto.ensino aberto Lá tem você encontra uma a apresentação e a lista de bibliografia. Links para sites interessantes sobre PD como por exemplo o Utilize o fórum de debate para exprimir a sua opinião sobre este assunto.


Carregar ppt "FA-023 – Adequação Trator-implemento Prof. Paulo Graziano Magalhães Domingos Guilherme Cerri."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google