A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Classes Internas e Anônimas1 Prof. Ricardo Linden.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Classes Internas e Anônimas1 Prof. Ricardo Linden."— Transcrição da apresentação:

1 Classes Internas e Anônimas1 Prof. Ricardo Linden

2 Classes Internas e Anônimas 2 Classes Internas 4 Classes Internas são classes dentro de classes. 4 Declaramos classes exatamente como fazíamos antes, mas agora ela está dentro do corpo de outra classe 4 Consequentemente dentro do arquivo.java desta outra classe). 4 As suas regras de acesso são um pouquinho diferentes. 4 O uso mais comum das classes internas é para lidar com eventos, como veremos mais a frente.

3 Classes Internas e Anônimas 3 Como declarar? 4 Uma classe aninhada (tipo de classe internas) é declarada dentro de uma classe existente 4 Exemplo: public class MyRegularClass { ……. class myInnerClass { …. }

4 Classes Internas e Anônimas 4 Classes Internas 4 Os objetos das classes internas são associados com objetos das classes envoltórias 4 Para criar um objeto de uma classe interna é necessário criar primeiro um objeto da classe externa. 4 Exemplo BankAccount account = new BankAccount(); BankAccount.money amount = account.new Money(41.99); System.out.println(amount.getAmount());

5 Classes Internas e Anônimas 5 Regras de Acesso 4 Uma classe aninhada tem acesso total aos campos e métodos da classe que a envolve, incluindo aqueles de acesso privado. 4 De acordo com a Sun, isto não quebra o conceito de do acesso privado, já que a classe aninhada também pertence à classe que a envolve.

6 Classes Internas e Anônimas 6 Modificadores de Acesso 4 Classes internas pode ter modificadores: –public –protected –private –Ou ter acesso package-level (sem modifiadores)

7 Classes Internas e Anônimas 7 Static Não-Static 4 Uma classe aninhada pode ser declarada como static ou não. 4 Se ela não for static, é chamada de classe interna. 4 Se for static, é chamada de classe estática aninhada. 4 Uma classe estática aninhada está associada à classe que a envolve e não pode referenciar nenhuma das variáveis de instância. 4 Entretanto, elas podem acessar todos os membros (variáveis e métodos) estáticos da classe envoltória. 4 É como se fosse um método estático.

8 Classes Internas e Anônimas 8 Classes Aninhadas Estáticas 4 Exemplo: public abstract class Elipse2D { … public static class Float extends Elipse2D { … } 4 A referência a elas é feita usando o nome da classe envoltória. Exemplo: new Elipse2D.Float (10., 20., 30., 40.)

9 Classes Internas e Anônimas 9 Classes Aninhadas Estáticas 4 Uma classe aninha estática não tem nenhuma relação com os objetos da classe envoltória –Instâncias das variáveis não podem ser referenciadas. –Métodos não estáticos não podem ser invocados

10 Classes Internas e Anônimas 10 Convenções de Chamada 4 Para chamar um método de uma classe estática aninhada na classe envoltória: –InnerClassName.staticMethodName 4 Para referenciar uma variáve stática de uma classe estática aninhada: –InnerClassName.staticVariableName

11 Classes Internas e Anônimas 11 Classes Internas 4 Uma instância de uma classe interna existe efetivamente dentro de uma instância da classe que a envolve. Instância da OuterClass Instância da InnerClass

12 Classes Internas e Anônimas 12 4 Se você declarar new myInnerClass() em algum ponto no código, um novo objeto será criado com acesso a todas as variáveis de instância ao objeto que o envolve. 4 Ele será declarado com acesso a todas as variáveis internas da classe que o envolve. Classes Internas

13 Classes Internas e Anônimas 13 Exemplo Simples public class FixedStack { Object array[]; int top = 0; FixedStack(int limit) {array = new Object(limit);} public void push(Object item) { array[top++] = item; } public boolean isEmpty() { return top == 0; } class Enumerator implements java.util.Enumeration { int count = top; public boolean hasNoreElements() { return count > 0; } public Object nextElement() { if (count == 0) if (count == 0) throw new NoSuchElementException(FixedStack); throw new NoSuchElementException(FixedStack); return array[--count]; return array[--count];}} public java.util.Enumeration elements() { return new Enumeration(); } }

14 Classes Internas e Anônimas 14 Comentários sobre exemplo Neste caso, a interface java.util.Enumeration é indispensável para o funcionamento da classe interna. A instância que contém um Enumerator é da classe FixedStack. –Para se referir a ela, use FixedStack.this Em uma classe estática aninhada, é proibido se referir à instância FixedStack.this

15 Classes Internas e Anônimas 15 Exemplo public class TestInstanceInnerClass { private JButton button1, button2; class Listener implements ActionListener { public void actionPerformed ( ActionEvent evt){ Object src = evt.getSource(); if (src == button1) System.out.println ("One"); else if (src == button2) System.out.println ("Two"); else if (src == button3) System.out.println ("Three"); }

16 Classes Internas e Anônimas 16 Exemplo (continuação) public TestInstanceInnerClass() { JFrame frame; button1 = new JButton ("One"); button2 = new JButton ("Two"); frame = new JFrame ("Test Instance Class"); Container cp = frame.getContentPane(); cp.add ("North", button1); cp.add ("Center", button2); Listener lstnr = new Listener(); button1.addActionListener (lstnr); button2.addActionListener (lstnr); frame.setSize(175, 150); frame.setVisible (true); } public static void main (String[] args) { new TestInstanceInnerClass(); }

17 Classes Internas e Anônimas 17 Classes Internas Locais 4 São definidas dentro de um método ou outro bloco (como um if ou um for) 4 Só podem ser referenciadas dentro daquele bloco. 4 Podem referenciar: –variáveis de instância da classe que as envolve –variáveis locais final do bloco que as envolve.

18 Classes Internas e Anônimas 18 Exemplo import javax.swing.*; import java.awt.*; import java.awt.event.*; public class TestLocalInnerClass { public static void main (String[] args) { JFrame frame; final JButton button1, button2; button1 = new JButton ("One"); button2 = new JButton ("Two"); frame = new JFrame ("Test Local Class"); Container cp = frame.getContentPane(); cp.add ("North", button1); cp.add ("Center", button2); frame.setSize(175, 150);

19 Classes Internas e Anônimas 19 Exemplo (continuação) class Listener implements ActionListener { public void actionPerformed(ActionEvent evt) { Object src = evt.getSource(); if (src == button1) System.out.println (Um"); else if (src == button2) System.out.println ("Two"); } Listener lstnr = new Listener(); button1.addActionListener (lstnr); button2.addActionListener (lstnr); frame.setVisible (true); }

20 Classes Internas e Anônimas 20 Observações... 4 É possível ter classes internas às classes internas. 4 Exemplo: Classe A tem classe interna pública B que tem uma classe interna pública B C: A.aObject = new A( ); A.B bObject = aObject.new B( ); A.B.C cObject = bObject.new C( )

21 Classes Internas e Anônimas 21 Regras de herança 4 Seja OuterClass que contém uma classe interna InnerClass. Logo: –Se DerivedClass é uma subclasse de OuterClass, então DerivedClass também tem InnerClass como classe interna –Não é possível sobrepor a definição de InnerClass em DerivedClass. –InnerClass pode extender uma classe. –OuterClass pode externder uma classe diferente de InnerClass

22 Classes Internas e Anônimas 22 Classes Anônimas 4 Em algum momento podemos não nos importar com o nome das variáveis. 4 Se não quisermos dar nome às nossas classes, estaremos criando classes anônimas. 4 Classes anônimas são classes que são declaradas on-the-fly, isto é, onde são necessárias, dentro de um bloco de código.

23 Classes Internas e Anônimas 23 Classes Anônimas 4 Nós sabemos que não vamos precisar de outra instância dela após, logo não temos necessidade de dar-lhe um nome que permita o acesso posterior. 4 Estas classes não pode ter construtores –não têm nome para colocar depois do new !

24 Classes Internas e Anônimas 24 Exemplo MeuBotao.addActionListener (new ActionListener(){ public void actionPerformed (ActionEvent evt){ : } }); 4 Nós sabemos que o ActionListener deste botão é muito específico e não será usado por mais ninguém. 4 Logo, podemos declará-lo imediatamente. 4 Não se preocupem com os conceitos de programação gráfica. Nós vamos discuti-los com detalhes depois. 4 Note que nós não definimos um construtor, só o método que nos interessava naquele momento.

25 Classes Internas e Anônimas 25 Quando usar classes anônimas 4 Crie classes anônimas apenas quando suas classes forem muito pequenas (um ou dois métodos). 4 Mais que isto e seu programa será ilegível. 4 Eventos de botões, que são muito específicos, são bons candidatos ao uso delas. 4 Mantenha-as curtas: já que você tem acesso a todos os métodos da classe envoltória, mantenha o grosso do código dentro dela.

26 Classes Internas e Anônimas 26 Resultados da Compilação 4 Quando você compilar uma classe interna, você verá no seu diretório um arquivo com o nome OuterClass$InnerClass.class 4 Quando você compilar uma classe anônima, você verá no seu diretório um arquivo chamado OuterClass$n.class, onde n é um número inteiro crescente.

27 Classes Internas e Anônimas 27 Questões de Implementação 4 Implementada através de tradução para os mecanismos habituais do Java –A instância da classe envoltória é referenciada por this$0 –A variável local x da classe envoltória é referenciada por val$x –O compilador se encarrega de copiar os códigos de this$ e todos val$ no momento da criação do objeto. 4 Referenciando: –instância do objeto que contém classe: classe_env.this 4 Não pode conter variáveis estáticas Quebram o conceito dos modificadores private e protected


Carregar ppt "Classes Internas e Anônimas1 Prof. Ricardo Linden."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google