A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Uma análise do espaço brasileiro. A expansão do agronegócio Década de 1950 25% do PIB 70% da PEA Em 2005 7,5% do PIB 20% da PEA Setor agropecuário Os.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Uma análise do espaço brasileiro. A expansão do agronegócio Década de 1950 25% do PIB 70% da PEA Em 2005 7,5% do PIB 20% da PEA Setor agropecuário Os."— Transcrição da apresentação:

1 Uma análise do espaço brasileiro

2 A expansão do agronegócio Década de % do PIB 70% da PEA Em ,5% do PIB 20% da PEA Setor agropecuário Os dados mostram mudanças estruturais da economia brasileira.

3 A modernização econômica levou a substituição dos complexos rurais agroexportadores pelos complexos agroindustriais fortemente atrelados à indústria e ao sistema financeiro. Distribuição Beneficia mento Plantio /colhei ta Os complexos agroindustriais se organizam em cadeias produtivas que envolvem: 34% do PIB 37% da PEA 40% das exportações

4 Como efeitos imediatos desse processo tivemos: a ampliação da produtividade da terra e o êxodo rural. Do ponto de vista da produção os complexos agroindistriais se apresentam: Unidades empresariais – emprego de assalariados, Dominam a produção de açúcar e álcool de cana; soja, café, pecuária. Unidades familiares – trabalho familiar. Dominam a produção de laranja, fumo, uva, porcos, frutas tropicais.

5 Setor financeiro, tecnologia e mercados Cooperativas Essa realidade torna as unidades familiares o elo frágil do agronegócio.

6 Os complexos agroindustriais dedicam-se a produzir: Matérias-primas industriais, Alimentos e; Biocombustíveis. A abertura da economia brasileira ao Mercosul fazem expandir as importações de gêneros agrícolas, o trigo e o arroz são os principais. Mesmo assim há um superávit no comércio do setor agrícola brasileiro.

7 A polêmica dos transgênicos Produtividade Erosão ecológica Empresas rurais/mercado Ambientalistas

8 Dinâmicas territoriais da economia rural Os complexos agroindustriais concentram-se no Centro-sul do país – SP, PR, RS, MG e MT são responsáveis por quase 2/3 da produção total do país. As práticas agrícolas tradicionais predominam no Nordeste – mas isso não exclui a modernidade na região. Um nítido sintoma da marcha da modernização é a tendência à redução da área dos estabelecimentos agrícolas e das áreas das lavouras – exceto áreas do cerrado que vivem a expansão da soja. A área de pastagem tem comportamento diferente – tem reduzido na maior parte do país, mas tem ampliado nas novas fronteiras agrícolas.

9 As grandes culturas comerciais

10 Cana-de-açúcar

11 Laranja

12 Café

13 Fumo

14 Arroz

15 Duas faces da produção de carnes Carne bovina Grandes estabelecimentos empresariais. São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e Rio Grande do Sul Estabelecimentos familiares Região Sul, Goiás

16 Estrutura fundiária e reforma agrária A concentração da propriedade da terra é uma das características marcantes da economia rural brasileira. Sistema de Sesmarias Lei de terras Expansão dos CAIs

17 A concentração fundiária acarretou movimentos distintos ao longo do tempo. Êxodo rural Migrações para a fronteira agrícola.

18 Década de 1960 Mato Grosso do Sul e Goiás Década de 1960 Mato Grosso do Sul e Goiás Décadas de 1970/80 Amazônia (MA,TO,RO,MT,PA) Décadas de 1970/80 Amazônia (MA,TO,RO,MT,PA)

19 A terra e os sem terra Lei de terras = opção pelo latifúndio 1ª República = domínio das terras devolutas aos estados. Ampliação do domínio privado do território nacional. Conflitos – Canudos, Contestado, mostram a tensão gerada pelo fato – reação dos desalojados da terra. O reconhecimento da crise no campo ocorre com o Governo Vargas.

20 Nova abordagem da crise agrária com João Goulart – reformas de base. O governo militar – Estatuto da terra – fronteira agrícola = desafogar as áreas de conflitos rurais. Constituição de 1988 – cria os mecanismos legais da reforma agrária (desapropriação para fins sociais com pagamento das terras desapropriadas).

21 Ao longo de todo esse período os conflitos no campo ganharam contornos de violência e se ampliaram. Os próprios mecanismos legais de reforma agrária propostos na constituição refletem a pressão existente, principalmente após a criação do MST(1984). A crise agrária é muito mais que um problema do campo – êxodo-rural, aprofundamento da concentração de renda ampliando a pobreza rural e urbana.

22 A crise agrária é também uma crise da reforma agrária. Fracasso de assentamentos Reforma agrária Os defensores Apontam que nosso modelo agrícola é insustentável mediante o nível de subemprego e desemprego ocultos gerado por ele. Os críticos Afirmam que as metas são utópicas ou perigosas, pois seu fundamento só poderia ser uma revolução social.

23 Na raiz da crise agrária está o desampara da agricultura familiar que sofre a concorrência globalizada. A crise da agricultura familiar não é uma crise da pequena propriedade, mas da produção rural tradicional. A noção moderna de reforma agrária inscreve-se numa política social e econômica mais ampla.


Carregar ppt "Uma análise do espaço brasileiro. A expansão do agronegócio Década de 1950 25% do PIB 70% da PEA Em 2005 7,5% do PIB 20% da PEA Setor agropecuário Os."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google