A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REVISÃO PARA OS EXAMES FINAIS - 2007 LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA 8ª SÉRIE PROF a MIRIAM RENATA FIGUR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REVISÃO PARA OS EXAMES FINAIS - 2007 LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA 8ª SÉRIE PROF a MIRIAM RENATA FIGUR."— Transcrição da apresentação:

1 REVISÃO PARA OS EXAMES FINAIS LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA 8ª SÉRIE PROF a MIRIAM RENATA FIGUR

2 FRASE, ORAÇÃO, PERÍODO FraseFrase é todo enunciado que fizer sentido completo, com ou sem verbo OraçãoOração é um enunciado que se organiza em torno de um verbo ou locução verbal PeríodoPeríodo é o enunciado que se organiza em torno de uma ou mais orações.

3 Os períodos podem ser... -SIMPLES: apenas uma oração Te ver (Skank) -COMPOSTO: mais de uma oração Te ver e não te querer (Skank)

4 Os períodos podem ser compostos de duas maneiras... 1) Período composto por coordenação: quando as orações não mantêm relação sintática entre si, ou seja, quando o período é formado por orações sintaticamente independentes entre si. –Exemplo: Estive à sua procura, mas não o encontrei.

5 As orações podem coordenar-se com ou sem conjunção (síndeto). Assim, podem ser: –Sindéticas = com conjunção Esperei e cansei. –Assindéticas = sem conjunção Esperei, cansei.

6 Classificação da coord. sindética Principais conjunções coordenativas Exemplos Aditiva e, nem, mas também Ex.: Nosso amigo não veio, nem mandou notícias. Adversativa mas, porém, todavia, contudo, entretanto Ex.: Ele era muito rico, mas não era feliz. Alternativa ou... ou; ora... ora quer... quer Ex.: Ora o tempo melhora, ora recomeça a chuva. Conclusiva portanto, logo, por isso, pois (anteposto verbo) Ex.: Este cavalo é bravo, portanto tome cuidado. Explicativa porque, que, pois (posposto ao verbo) Ex.: Volte logo, porque amanhã será tarde.

7 2) Período composto por subordinação: quando uma oração, chamada subordinada, mantém relação sintática com outra, chamada principal. –Exemplo: Sabemos que eles estudam muito. (oração que funciona como objeto direto)

8 As orações subordinadas podem ser... Substantivas: exercem a função de um substantivo junto à oração principal Adjetivas: exercem a função de um adjetivo junto à oração principal Adverbiais: exercem a função de um advérbio junto à oração principal

9 Classificação: Subordinadas Substantivas FunçãoExemplos Objetiva Direta Objetiva Direta Quando é o complemento do verbo da O. P. (sem o auxílio de preposição) Ex.: Sabemos que eles não virão para a festa. Objetiva Indireta Objetiva Indireta Quando é o complemento do verbo da O. P. (COM o auxílio de preposição) Ex.: Eu lembro de quem você gostava Subjetiva É o sujeito da O.P. Ex.: Era provável que eles brigassem. Predicativa Funciona como predicativo do sujeito da O. P. Ex.: O certo é que ficaríamos separados. Completiva Nominal Completa um nome da O. P. (com auxílio de preposição) Ex.: Tenho medo de que se machuque. Apositiva Explicação (aposto) da O. P. Ex.: Queremos uma coisa: que você volte logo.

10 Classificação: subordinas adverbiais Função/ CaracterísticaExemplos CAUSAL CAUSAL Indica a causa provocadora do processo expresso pelo verbo da oração principal. Ex.: A sessão foi suspensa / VISTO QUE faltou energia elétrica. COMPARATIVA COMPARATIVA Exprime circunstância de comparação, que é o ato de confrontar dois elementos a fim de estabelecer semelhanças ou diferenças entre eles. Ex.: Bernardo está/ tão alto como Otávio. CONSECUTIVA Expressa uma conseqüência do fato da O. P. Ex.: Lucas comeu/ tanto bolo que passou mal. CONCESSIVA Exprime circunstância de Concessão, que é o ato de conceder, de permitir, de não negar, de admitir uma idéia contrária. Ex.: Mesmo não tendo condições, viajarei.

11 Orações ADJETIVAS EXPLICATIVAS: oferecem uma explicação, uma informação adicional, sem que esta informação sirva de diferencial para o elemento a que se relaciona; aparece entre vírgulas..RESTRITIVA: oferecem uma restrição, uma informação que diferencia o elemento em questão dos demais da mesma espécie; não deve ser isolada por vírgulas.

12 A menina, que está de branco, é minha irmã. –A oração é EXPLICATIVA, pois é apenas uma informação extra; não há outras meninas em questão para que esta seja diferenciada das demais. A menina que está de branco é minha irmã. –A oração é RESTRITIVA, pois a informação é um diferencial; há outras meninas em questão e o fato de esta estar de branco a diferencia, restringe.

13 Modos Verbais Há 3 modos verbais na Língua Portuguesa: –Indicativo: expressa certeza Farei a tarefa. –Subjuntivo: expressa dúvida, hipóteses Se eu fizesse a tarefa. –Imperativo: expressa ordens, conselhos, proibições, pedidos. Faça a tarefa!

14 O modo imperativo... Pode ser AFIRMATIVO ou NEGATIVO Não se flexiona em tempo Não apresenta 1ª pessoa do singular (eu) Na 3ª pessoa usa o você(s) em lugar de ele(s)

15 Para formar o IMPERATIVO AFIRMATIVO Emprega-se a 2ª pessoa (singular e plural) do modo indicativo/presente, sem o s final e as demais pessoas do modo subjuntivo/presente.

16 PRESENTE DO INDICATIVO: EU FALO TU FALAS ELE FALA NÓS FALAMOS VÓS FALAIS ELES FALAM PRESENTE DO SUBJUNTIVO: QUE EU FALE QUE TU FALES QUE ELE FALE QUE NÓS FALEMOS QUE VÓS FALEIS QUE ELES FALEM IMPERATIVO AFIRMATIVO -x- FALA TU FALE VOCÊ FALEMOS NÓS FALAI VÓS FALEM VOCÊS

17 Para formar o IMPERATIVO NEGATIVO Em todas as pessoas, utiliza-se a mesma forma do modo subjuntivo/presente, sem nenhuma alteração.

18 PRESENTE DO SUBJUNTIVO: QUE EU FALE QUE TU FALES QUE ELE FALE QUE NÓS FALEMOS QUE VÓS FALEIS QUE ELES FALEM IMPERATIVO NEGATIVO -x- NÃO FALES TU NÃO FALE VOCÊ NÃO FALEMOS NÓS NÃO FALEIS VÓS NÃO FALEM VOCÊS

19 VOZES DO VERBO De acordo com a relação do sujeito com o verbo, diz-se que a voz do verbo é: –ATIVA: quando o sujeito é agente O cachorro mordeu o garoto. (sujeito agente) –PASSIVA: quando o sujeito é paciente O garoto foi mordidopelo cachorro (sujeito paciente) –REFLEXIVA: quando o sujeito é agente e paciente, ou seja, age e sofre a mesma ação. O garoto mordeu-se. (sujeito agente e paciente=reflexivo)

20 Observações importantes: Para a voz ativa o verbo deve ser significativo, ou seja, não poderá ser verbo de ligação; A voz do verbo só poderá ser transformada de ativa para passiva quando este for transitivo direto ou bitransitivo; deverá apresentar objeto direto.

21 A voz passiva pode ser: – SINTÉTICA: Alugam-se apartamentos mobiliados. ou - ANALÍTICA: Apartamentos mobiliados são alugados.

22 Na transformação de ativa para passiva o sujeito vira agente da passiva e o objeto vira sujeito: –A–A professora disse o resultado. –O–O resultado foi dito pela professora SUJEITO AGENTE (voz ativa) passa a ser AGENTE DA PASSIVA (voz passiva).

23 GÊNEROS TEXTUAIS O gênero textual é a realização de qualquer texto, seja oral ou escrito, produzido por um usuário de uma língua em certo momento histórico. Assim, os usuários da língua podem reconhecer certos textos como exemplares de certos gêneros textuais, como uma carta pessoal, uma entrevista, um artigo de opinião, uma aula expositiva, dentre outros.


Carregar ppt "REVISÃO PARA OS EXAMES FINAIS - 2007 LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA 8ª SÉRIE PROF a MIRIAM RENATA FIGUR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google