A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luiz Brandão (PUC-Rio)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luiz Brandão (PUC-Rio)"— Transcrição da apresentação:

1 Luiz Brandão (PUC-Rio)
Aplicação de Opções Reais a Projetos de Infra-estrutura: O caso das PPP Luiz Brandão (PUC-Rio) 2008

2 Investimento Privado em Infra-estrutura
Características: Grande volume de investimentos Investimento irreversível Longo prazo de maturação São serviços essenciais para a sociedade Geralmente oferecidos de forma monopolista Conseqüências Incentivos do investidor e do governo ficam desalinhados após implantação do projeto. São afetados por considerações políticas São sujeitos a regulação governamental Sujeitam o investidor a alto grau de risco

3 Risco em Projetos de Infra-estrutura
Para se proteger, investidores podem pedir participação/garantias governamentais que mitiguem o seu risco No caso de vendas de ativos em privatizações isso raramente acontece pois o investidor pode compensar o risco descontando o preço do ativo a ser comprado. No caso de projetos “greenfield” não é possível fazer isso, portanto, o uso de garantias é mais comum No Chile, a privatização dos setores de telecomunicações e energia foram realizados sem garantias, mas as garantias tem sido comum nos projetos “greenfield”. Por outro lado, as garantias governamentais representam um passivo potencial para os cofres públicos. O problema é como mensurar o valor de um apoio governamental

4 Ex: Riscos de uma Concessão Rodoviária
Risco de Construção Risco de Taxas de juros Risco de Câmbio Risco Político Risco Ambiental Risco de Tráfego

5 Projeção de Tráfego Demanda de Tráfego Período da Concessão
Tráfego Esperado Demanda de Tráfego Período da Concessão

6 Modelo de Concessão Demanda de Tráfego Período da Concessão
Tráfego Esperado Demanda de Tráfego Período da Concessão

7 Tipos de Apoio Governamental
Alto Garantia de Investimento o i r á Garantia de Financiamento n o i s Garantia de Risco Cambial s e c Recursos a Fundo Perdido n o C Empréstimos Subordinados o Garantia de trafego mínimo a r a Pedágio Sombra p o t c Incremento de Receitas a p m Extensão da Concessão I Alto Baixo Custo para o Governo

8 Participação Governamental:
País Projeto Ano Valor Garantia Piso de tráfego México Rodovia CM-Toluca 1992 $313M e extensão de prazo $60M garantia de Peru Usina 145MW 1996 $235M risco político Malásia Aeroporto Kuala Lumpur 1993 $3.924M $390M equity $112M a fundo Brasil, RJ Linha Amarela 1996 $174M perdido $10M benefício Chile Usina 450MW 1993 $465M fiscal

9 Participação Governamental
Chile – Estrada Santiago – San Antonio (1995) $140 milhões de dólares de investimento com garantia de tráfego México - Rodovia CM-Toluca (1992) $313 milhões de dólares de investimento, garantia de tráfego Colômbia –El Cortijo-El Vino (1996) Garantia de tráfego de 90% Chile - Costanera Norte, Santiago (2005) $400 milhões de dólares de investimento $80 milhões a fundo perdido e garantia de tráfego de 80%

10 Nível de Garantia Ótimo
Piso de Tráfego: São flexibilidades incorporadas ao projeto que permitem otimizar o seu gerenciamento e maximizar o retorno para o concessionário. A cada período o concessionário escolhe entre ficar com a receita auferida ou a receita mínima determinada por uma garantia de piso de tráfego. Essa flexibilidade tem características de opções do projeto, e seu valor não é capturado pelo fluxo de caixa descontado. A única maneira de se avaliar essas garantias é através da metodologia das opções reais.

11 Modelo de PPP Demanda de Tráfego Período da Concessão
Concessionária e Governo Teto de Tráfego dividem receita gerada por tráfego acima do teto Tráfego Esperado Concessionária retém totalidade da receita Demanda de Tráfego Piso de Tráfego Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso Período da Concessão

12 Modelo de PPP Demanda de Tráfego Período da Concessão
Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso Concessionária e Governo dividem receita gerada por tráfego acima do teto

13 Modelo de PPP Demanda de Tráfego Período da Concessão
Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso Concessionária e Governo dividem receita gerada por tráfego acima do teto

14 Modelo de PPP Demanda de Tráfego Período da Concessão
Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso Concessionária e Governo dividem receita gerada por tráfego acima do teto

15 Modelo de PPP Demanda de Tráfego Período da Concessão
Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso Concessionária e Governo dividem receita gerada por tráfego acima do teto

16 O Caso da BR-163 Luiz Brandão (PUC-Rio) Eduardo Saraiva (BNDES)
Valorando uma PPP O Caso da BR-163 Luiz Brandão (PUC-Rio) Eduardo Saraiva (BNDES)

17 The BR-163 Project

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27 Análise Tradicional - FCD
Demanda de Tráfego Projeções do DNIT: Volume inicial de tráfego: veículos/ano Parametros do Modelo Custo de Capital Próprio: 16% /ano Custo Endividamento: 9% /ano Endividamento Geral: 60% Taxa livre de Risco: 7% /ano Fluxo de Caixa Descontado – Tráfego Esperado VPL = R$ milhões

28

29

30 Piso e Teto de Tráfego Teto de Tráfego Concessionária e Governo
Concessionária e Governo dividem receita gerada por tráfego acima do teto Teto de Tráfego Tráfego Esperado Concessionária retém totalidade da receita Piso de Tráfego Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso 2007 2012 2017 2022 2027 2032

31 Modelagem Estocástica do Tráfego

32 Modelagem Estocástica do Tráfego
2007 2012 2017 2022 2027 2032 Concessionária retém totalidade da receita Concessionária recebe subsídio proporcional ao tráfego abaixo do piso Concessionária e Governo dividem receita gerada por tráfego acima do teto

33 Distribuição do VPL sem garantias

34 VPL: Distribuição com Garantia de 30%

35 VPL: Distribuição com Garantia de 40%

36 VPL: Distribuição com Garantia de 50%

37 VPL: Distribuição com Garantia de 60%

38 VPL: Distribuição com Garantia de 65%

39 VPL: Distribuição com Garantia de 70%

40 VPL: Distribuição com Garantia de 75%

41 VPL: Distribuição com Garantia de 80%

42 VPL: Distribuição com Garantia de 85%

43 VPL: Distribuição com Garantia de 90%

44 Efeito do Piso de Tráfego

45 Efeito do Teto de Tráfego

46 Custos para o Governo

47 Valor Esperado do Custo para o Governo

48 VPL com limite de desembolso

49 Valor Esperado dos Desembolsos com Limite

50 Custo considerando uma carteira diversificada de Projetos

51 Conclusões Projetos de Infra-estrutura frequentemente apresentam flexibilidades gerencias que representam ganhos em potencial para o concessionário, e que geralmente não são considerados pelo poder público e nem pelo concessionário. O motivo disso é que os métodos tradicionais de valoração não capturam essas flexibilidades, ou opções. A metodologia de opções reais permite modelar e avaliar projetos de PPP e determinar o risco de cada alternativa, bem como o seu custo para o governo. O estabelecimento de limites para os desembolsos governamentais pode ser uma alternativa aceitável para ambas as partes.

52 Luiz Brandão (PUC-Rio)
Aplicação de Opções Reais a Projetos de Infra-estrutura: O caso das PPP Luiz Brandão (PUC-Rio) 2008


Carregar ppt "Luiz Brandão (PUC-Rio)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google