A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Situação Atual e Prospectiva dos Mercados Siderúrgicos Mundial e Brasileiro Boaventura Mendonça d´Ávila Filho SETEPLA TECNOMETAL ENGENHARIA LTDA 22 de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Situação Atual e Prospectiva dos Mercados Siderúrgicos Mundial e Brasileiro Boaventura Mendonça d´Ávila Filho SETEPLA TECNOMETAL ENGENHARIA LTDA 22 de."— Transcrição da apresentação:

1 Situação Atual e Prospectiva dos Mercados Siderúrgicos Mundial e Brasileiro Boaventura Mendonça d´Ávila Filho SETEPLA TECNOMETAL ENGENHARIA LTDA 22 de novembro de 2009

2 SITUAÇÃO ATUAL E PROSPECTIVA DO MERCADO SIDERÚRGICO 1)INTRODUÇÃO 2)MERCADO MUNDIAL 2.1) Evolução Histórica 2.2) Perspectivas Pré-Crise ) Projeções Recentes 3)MERCADO BRASILEIRO 3.1) A Capacidade Instalada 3.2) Evolução e Perfil do Consumo 3.3) Perspectivas de Demanda Pré-Crise ) Projeções Recentes de Demanda 3.5) A Ampliação da Capacidade Produtiva 4)CONSIDERAÇÕES PROSPECTIVAS 2

3 1) INTRODUÇÃO AÇO, liga de ferro, elemento metálico que corresponde a mais de 70% do consumo mundial de metais. LAMINADOS DE AÇO – produtos da indústria siderúrgica, obtidos pela laminação de aço bruto, sendo: oLAMINADOS PLANOS (aço bruto = placas) - bobinas e chapas não revestidas - bobinas, chapas e folhas revestidas de estanho, cromo, zinco - bobinas e chapas em aço especiais, como os inoxidáveis e os siliciosos oLAMINADOS LONGOS (aço bruto = blocos ou tarugos) - trilhos e perfis - fió-máquina e trefilados - arames - tubos sem costura Nesta apresentação, abordaremos dados globais do Mercado de Aço no Mundo e no Brasil, incluindo sua evolução e as tendências prospectivas mais recentes quanto à demanda de produtos siderúrgicos e particularmente sobre as perspectivas de ampliação da capacidade produtiva da Siderurgia Brasileira. 3 Perfil do consumo de açoBrasilMundo Por produto - Laminados planos58%55% - Laminados longos42%45% Por setor - Bens de consumo35% Automotivo Utilidades Embalagens 25% 6% 4% - Bens de capital30% - Construção civil35 %

4 2) MERCADO MUNDIALPRODUÇÃO A produção mundial de AÇO BRUTO superou 1,32 bilhões de toneladas no ano de 2008, pouco abaixo da produção atingida em ,351 bilhões de toneladas, recorde na história do Setor. Nesta produção recorde, destaque para a participação da CHINA, maior produtor, com cerca de 500 milhões de toneladas, contribuindo com 37% do total mundial. A evolução da produção chinesa de aço bruto alterou a geografia da produção mundial neste século: Fonte: WORDSTEEL ASSOCIATION 4

5 2) MERCADO MUNDIALCONSUMO O consumo aparente mundial de laminados de aço (produtos acabados) é estimado em 89% da produção de aço bruto, ou seja, em 2008 foram consumidas MMt, para uma população mundial de 6,8 bilhões de habitantes, em média um consumo de laminados de aço de 173,5 kg/habitante/ano. Para países selecionados, segue quadro com o nível de consumo atingido em 2008: Fonte Fonte: WORDSTEEL ASSOCIATION Registre-se a vocação exportadora de equipamentos, navios e outros itens de intensivo consumo de aço, por parte dos países asiáticos que têm obtido os maiores valores no consumo per capita. De qualquer forma, os índices dos países desenvolvidos e mais recentemente da China são metas que o Brasil deve aspirar no médio prazo, ou seja, um consumo per capita de pelo menos o dobro do atual. 5

6 2) MERCADO MUNDIAL 2.1) EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA PRODUÇÃO DE AÇO BRUTO MMt = milhões de toneladas/ano Fonte:WORDSTEEL ASSOCIATION ATÉ 2008 WORDSTEEL DYNAMICS-WSD E SETEPLA 2009 E 2010 Os anos marcados acima em vermelho dão conta das grandes crises sofridas a nível mundial, e abaixo o reflexo de cada crise na produção de aço: (*) ver detalhe na página seguinte 6

7 2) MERCADO MUNDIAL PRODUÇÃO DE AÇO BRUTO (Curto Prazo) ILAFA (OUT/09) – D.NOVEGIL2009: Mt 2010: Mt (+ 8,7%) WSD/SETEPLA: Apenas no 2º semestre de 2011 volta-se a 120 MMt/mês O WSA – World Steel Association previu recentemente (junho de 2009), os seguintes níveis de consumo mundial: PRODUTOSAÇO BRUTO MMt1.169 MMt MMt1.270 MMt E mais: em outubro de 2009, o WSA (43º Congresso) previu para 2010 um crescimento da demanda global de aço de 9,2% sobre Crescimento 2010/2009 9,4% Pesquisa ILAFA 36% entre 0 e 5% 54% entre 5 e 10% 7

8 2) MERCADO MUNDIAL 2.2) PERSPECTIVAS PRÉ-CRISE FINANCEIRA GLOBAL DE 2008 Como a produção mundial de aço, vinha crescendo no presente século a 6,9% ao ano (2000/2007), as projeções então elaboradas - em final de previam uma evolução "conservadora" da produção de aço bruto no seguinte ritmo: Registre-se comentário de especialista do WSD - World Steel Dynamics, no 1o.semestre de 2009: "A demanda de aço pode crescer num ritmo compassado após 2009, mas não suficiente para propiciar adequado equilíbrio oferta x demanda senão em 2011, na melhor das hipóteses. O período 2000 a 2025, no entanto,ainda deverá constituir o 3º Período, desde o ano de 1900, de grande crescimento no consumo de aço: o6,8% ao ano, de 1990 a 1929 o6,5% ao ano, de 1946 a 1979 o4,5% ao ano, de 2000 a 2025 Fonte: WORDSTEEL ASSOCIATION ANTHONY TRICKET CONGRESSO ILAFA COLÔMBIA

9 2) MERCADO MUNDIAL 2.3) PROJEÇÕES RECENTES A consultora WSD - World Steel Dynamics publica na Revista "Iron & Steel Technology" suas projeções de consumo e produção mundiais de aço. Na revista de MARÇO 2009, WSD apresentou 3 Cenários: oCENÁRIO 1Recuperação a partir 2º semestre de 2009 oCENÁRIO 2Recessão continuada oCENÁRIO 3Recuperação lenta, sem recessão Na Revista de MAIO 2009, WSD responde da seguinte forma à questão sobre projeção da produção de aço: 9

10 2) MERCADO MUNDIAL 2.3) PROJEÇÕES RECENTES Em OUTUBRO 2009 e com a justificativa da superação da Siderurgia da CHINA, o WSD apresentou nova e revista projeção da produção mundial de aço: Ora, no 1o. semestre de 2009 o Mundo produziu 550 MMt de aço bruto e o ritmo médio agora esperado para o 2o. Semestre é de 105 MMt/mês, fechando este ano com uma produção de MMt, apenas 2% abaixo da projeção mais recente do WSD. Apenas para os anos seguintes, especialmente para 2010, julgamos otimista essa projeção WSD, 5% superior á aqui tomada como base: A capacidade instalada neste final de 2009 soma MMt de aço bruto, das quais cerca de 600 MMt na China, 500 MMt nos países desenvolvidos, e 450 MMt nas nações emergentes. Valor para 2010; MMt, para 2015: MMt/ano 10 (1.780 MMt projeção pré-crise)

11 3) MERCADO BRASILEIRO A produção brasileira de aço bruto, em 2008, praticamente repetiu o desempenho recorde de 2007, ao nível de 33,7 MMt/ano. A capacidade instalada de produção de aço, segundo o INSTITUTO AÇO BRASIL (ex-IBS), atingia, ao final de 2008, a 41,5 MMt/ano, o que indica um índice de utilização de 81% naquele ano. O consumo interno de aço bruto equivalente somou 26,7 MMt em 2008, 79% do total produzido, em boa parte destinado à exportação - 9,2 MMt de produtos. O consumo brasileiro de aço laminado - produtos acabados - atingiu a 24 MMt em 2008, 9% a mais que no ano anterior e dividiu-se em 58% de produtos planos e 42% de produtos longos. 11

12 12 DADOS GERAIS DO SETOR SIDERÚRGICO BRASILEIRO EM 2008 – Em Mil/t

13 3) MERCADO BRASILEIRO 3.1) A CAPACIDADE INSTALADA O parque produtor de aço no Brasil compreendia, em meados de 2008, 26 usinas, das quais 12 integradas, produzindo a partir do minério de ferro, e 14 semi-integradas, processando gusa e sucata ferrosa adquirida no mercado. Estas 26 usinas são administradas por 13 empresas, pertencentes a 8 Grupos empresariais: Ao final de 2008 aconteceu o start-up da usina de aço da CIAFAL (MG); neste ano de 2009, começa a operar a nova usina do grupo Votorantim, em Resende, e, no ano de 2010, a CSA-Cia. Siderúrgica do Atlântico, no Rio de Janeiro e talvez a planta de tubos de Vallourec/Sumitomo. PERFIL DA CAPACIDADE SIDERÚRGICA BRASILEIRA 13

14 3) MERCADO BRASILEIRO 3.2) EVOLUÇÃO E PERFIL DO CONSUMO Anexamos nas páginas seguintes gráficos e tabelas apresentadas pelo Diretor do Instituto AÇO BRASIL (ex-IBS), eng. Rudolf Buhler, no recente Seminário de Aciaria da ABM, e que mostram: oHistórico do crescimento do mercado de aço no Brasil oEvolução do consumo aparente e do consumo final de aço oCálculo do consumo aparente final oEvolução da participação do setores consumidores A acrescentar na nossa apresentação: b) PERFIL DO CONSUMO EM 2008 Fonte: INSTITUTO AÇO BRASIL (ex-IBS) 14

15 3) MERCADO BRASILEIRO 15

16 3) MERCADO BRASILEIRO 16

17 3) MERCADO BRASILEIRO 17

18 3) MERCADO BRASILEIRO 18

19 3) MERCADO BRASILEIRO 3.3) PERSPECTIVAS DE DEMANDA PRÉ-CRISE 2008 A Tabela seguinte apresenta a evolução do consumo de laminados de aço no Brasil, em seu cotejo com o crescimento da Economia Nacional, medida pelo PIB - Produto Interno Bruto. EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE AÇO E DA ECONÔMIA NO BRASIL Fonte: INSTITUTO AÇO BRASIL (ex-IBS) 19

20 3) MERCADO BRASILEIRO 3.3) PERSPECTIVAS DE DEMANDA PRÉ-CRISE 2008 Como parte do Panorama Setorial do Estudo Prospectivo do Setor Siderúrgico da ABM, o Tema 16 - Mercado, indicou projeções da demanda de aço, com base num multiplicador de 1,83, e em consenso com ex-IBS e demais envolvidos, apresentou a seguinte previsão, considerando para 2008 um valor estimado pelo ex-IBS de 25 milhões de toneladas de produtos. PROJEÇÃO DA DEMANDA DE AÇO EM JULHO DE 2008 (EPSS) A crise financeira global resultou em queda no consumo de aço no Brasil, no último quadrimestre de 2008 e ao longo de 2009, como se pode verificar na Tabela incluída na página seguinte, que já indica ainda as mais recentes estimativas para os próximos anos. 20

21 3) MERCADO BRASILEIRO ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO SIDERÚRGICA BRASILEIRA E DO CONSUMO INTERNO Em mil toneladas de produtos Fonte:INSTITUTO AÇO BRASIL (ex-IBS) BOLETINS ESTATÍSTICOS APRESENTAÇÃO ex-IBS PARA ABM – SEMINÁRIO DE ACIARIA – MARÇO 2009 – RUDOLF BUHLER (diretor técnico) 21

22 3) MERCADO BRASILEIRO 3.4) PROJEÇÕES RECENTES DE DEMANDA Para o curto prazo, a Tabela anterior já apresentou as mais recentes previsões do ex-IBS, e tem a mesma fonte, a Palestra do Rudolf Buhler, o seqüencial de projeção da demanda de laminados de aço, ilustrada no Gráfico incluído na página seguinte e abaixo resumido: A projeção pré-crise (julho de 2000) previu para 2015 uma demanda de 41,6 MMt, mais 29% do que a previsão mais recente do IABr, acima mostrada. 22

23 3) MERCADO BRASILEIRO 23

24 3) MERCADO BRASILEIRO 3.4) PROJEÇÕES RECENTES DE DEMANDAconclusão Os resultados obtidos quanto à projeção da demanda de laminados de aço merecem duas análises adicionais relevantes: (*) Crescendo a 1% ao ano. Entre 2002 e 2008: 1,2% ao ano(**) PIB a 3,5% ao ano(***) PIB a 3% ao ano Comparando com a evolução e o consumo per capita da Espanha, como exemplo, tem-se: 24

25 3) MERCADO BRASILEIRO 3.4) PROJEÇÕES RECENTES DE DEMANDAconclusão Fonte:INSTITUTO AÇO BRASIL (ex-IBS) RAM 2009 IBGE – POPULAÇÃO NÍVEIS INTERNACIONAIS DE CONSUMO PER CAPITA (2006) PARA COMPARAÇÃO o SÃO PAULO~ 250 a 300FRANÇA/ HOLANDA/PORTUGAL/RÚSSIA/BULGÁRIA/TURQUIA/ o SUL E MG/ES~ 150 a 200LITUÂNIA/CROÁCIA/ROMÊNIA/UCRÂNIA/CHILE/ORIENTE MÉDIO o BRASIL E RIO ~ 80 a 150ALBÂNIA/BÓSNIA/ARGENTINA/EGITO/ÁFRICA DO SUL/VIETNAN o N/NE/CENTRO-OESTE ~ 30 a 60AZERBAIJÃO/GEORGIA/UZBEQUISTÃO/MACEDÔNIA AMÉRICA CENTRAL/URUGUAI/PARAGUAI/PERU/EQUADOR/ COLÔMBIA/MARROCOS/ÍNDIA/INDONÉSIA/FILIPINAS 25

26 3) MERCADO BRASILEIRO 3.5) A AMPLIAÇÃO DA CAPACIDADE DA SIDERURGIA BRASILEIRA Em meados de 2008, o ex-IBS e a SETEPLA listaram projetos de ampliação da capacidade siderúrgica que somavam um adicional de produção de aço de cerca de 50 milhões de toneladas no horizonte até 2015, que,somados à capacidade em 2010,perfariam um total da ordem de 100 milhões de toneladas/ano. Os projetos ainda hoje considerados, relacionados em 4 categorias, estão listados a seguir: 26

27 3) MERCADO BRASILEIRO 3.5) A AMPLIAÇÃO DA CAPACIDADE DA SIDERUGIA BRASILEIRAConclusão Atualizando as expectativas de capacidade futura,verifique-se a seguinte projeção tentativa: 27

28 4) CONSIDERAÇÕES PROSPECTIVAS (para discussão) CAPACIDADE >> DEMANDA Tendo em vista o excesso de capacidade instalada e o que isto representa em preços limitados nos negócios de exportação, a prioridade para o Brasil seria o incentivo ao crescimento mais acelerado da demanda interna por produtos de aço. O EPSS (ABM) RECOMENDA: O baixo consumo per capita de aço no país,agravado pelo desbalanceamento entre as diferentes regiões, deve ser objeto de política pública pelo Setor, com impacto social sobre a renda e geração de riqueza no país. O exemplo da CHINA:Grandes investimentos em infra-estrutura - alta % do PIB Exportação intensiva de bens com conteúdo em aço entre 1980 e anos - multiplicou por 9 seu consumo per capita de aço CAMPO PRIORITÁRIO BRASIL:Construção em Geral:infra-estrutura habitações Bens de Capitalnacionalização OUTROS SETORES:Automotivoprojetos e grupos internacionais << AÇO Embalagens> demanda = < espessura INTERMEDIÁRIOS:Tubos, produtos de arame, forjados, etc. RISCO > IMPORTAÇÃO (indireta de aço) RISCO < EXPORTAÇÃO (concorrência) AÇO MMtMUNDOBRASIL em 2015 Capacidade ,9 Demanda ,1 %OVER 18% 127% INCENTIVO AO USO DO AÇO – EQUIVALÊNCIA FISCAL 28

29 OBRIGADO Boaventura Mendonça d´Ávila Filho SETEPLA TECNOMETAL ENGENHARIA LTDA,


Carregar ppt "Situação Atual e Prospectiva dos Mercados Siderúrgicos Mundial e Brasileiro Boaventura Mendonça d´Ávila Filho SETEPLA TECNOMETAL ENGENHARIA LTDA 22 de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google