A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso de Engenharia Industrial Madeireira – UFPR Prof. Umberto Klock.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso de Engenharia Industrial Madeireira – UFPR Prof. Umberto Klock."— Transcrição da apresentação:

1 Curso de Engenharia Industrial Madeireira – UFPR Prof. Umberto Klock

2 Introdução à Gestão de Projetos; Gestão de Escopo; Gestão de Prazos; Gestão de Custos; Gestão de Pessoas; Gestão de Comunicação; Gestão de Riscos; Gestão de Qualidade; Gestão de Contratações, Aquisições e Suprimentos; Gestão da Integração; (Adaptado Nascentes, T. 2007).

3 Introdução à Gestão de Projetos: Características: o Executado por pessoas; o Utilizam recursos limitados; o São planejados, executados e controlados; o São temporários e únicos.

4 Introdução à Gestão de Projetos: Alguns Desafios: o Mercado e Tecnologia estão em constante mudanças; o Melhor utilização de recursos limitados; o Gestão com foco em resultados com prazos determinados.

5 Introdução à Gestão de Projetos: Situação Atual Projeto Situação Desejada O que é um Projeto?

6 Um projeto é um esforço temporário para a criação de um produto único. Exemplos: o Lançamento de um novo produto; o Mudanças Organizacionais; o Construção de um prédio; o Implantação de um novo sistema; o Campanha Política.

7 Introdução à Gestão de Projetos: Qual o conceito de Projeto? Projeto é um conjunto não repetitivo de atividades correlacionadas que mediante a combinação temporária de recursos, têm por finalidade alcançar um objetivo pré- determinado num prazo definido e com recursos limitados. E Sub Projeto? Subdivisão de um projeto em projetos menores afim de facilitar sua gestão.

8 Introdução à Gestão de Projetos: Temos outros conceitos? Bases: Conjunto total de informações que subsidia o desenvolvimento do planejamento do projeto: o Informações (dados, características, etc...); o Restrições (recursos financeiros, prazos, etc...); o Premissas (hipóteses adotadas como verdadeiras).

9 Introdução à Gestão de Projetos: Ciclo de Vida do Projeto (fases): o Conceitual, Estruturação, Implantação e Finalização

10 Introdução à Gestão de Projetos:

11

12 Gestão do Escopo: O Escopo é a maneira como nós descrevemos os limites do projeto. Ele define aquilo que o projeto irá entregar e o que não irá entregar. Em projetos grandes, poderão ser incluídas as organizações, as transações afetadas, os tipos de dados, etc.)

13 Gestão do Escopo: Características: o Envolve os processos necessários a garantir que o projeto inclui todo e apenas o trabalho requerido para se alcançar os objetivos; o Busca também definir e controlar o que está e o que não está incluído no projeto; o Escopo é o conjunto dos trabalhos e atividades que devem ser realizadas para se atingir o resultado final do projeto, define também os limites de atuação; o A definição do escopo confirma o entendimento comum do projeto entre os envolvidos.

14 Gestão do Escopo: Principais Processos: o Inicialização: Reconhecer formalmente que um novo projeto existe; o Planejamento de Escopo: Descrição formal de todos os trabalhos que deverão ser realizados para que se obtenha o produto do projeto; o Decomposição do Escopo: Subdividir o trabalho a ser realizado no projeto em componentes menores, mais facilmente gerenciáveis ;

15 Gestão do Escopo: Principais Processos: o Verificação do Escopo: Formalizar a aceitação do escopo do projeto pelos principais envolvidos no projeto, tais como patrocinador e o cliente; o Controle de Modificação do Escopo: Já que as mudanças são inevitáveis, devemos controlar o processo de mudanças.

16 Gestão de Prazos: Definições das Atividades: Identificar e documentar as atividades que deverão ser executadas para produzir os produtos intermediários do projeto; Sequenciamento das Atividades: Identificar as interdependências necessárias e desejáveis na execução das atividades do projeto (Rede de Precedências);

17 Gestão de Prazos: Estimativa de Recurso e Duração das Atividades : Avaliar o número de períodos de trabalho provavelmente necessários para completar cada uma das atividades identificadas, normalmente é realizada pelos indivíduos ou grupos, que tenham familiaridade com as atividades específicas ;

18 Gestão de Prazos: Desenvolvimento do Cronograma: Determinar as datas de início e de término de cada uma das atividades do projeto; Controle de Programação: Monitorar o progresso das atividades, identificar desvios entre real X planejado.

19 Gestão de Prazos: Por que os Projetos Atrasam: 1. Planejamento Insuficiente; 2. Plano não realista; 3. Escopo do projeto subestimado; 4. Alterações dos requisitos pelos clientes; 5. Incapacidade de controlar o progresso; 6. Incapacidade de detectar problemas com antecedência;

20 7. Número insuficiente de verificações; 8. Complexidade técnica; 9. Mudanças de prioridades; 10.Falta de Comprometimento da Equipe; 11.Grupos de Suporte não Cooperativos; 12.Espírito de Equipe em baixa; 13.Pessoal não Qualificado.

21 Gestão de Custo: Gerenciar bem os custos reflete em todo o projeto!

22 Gestão de Custo: Características: o Envolve os processos necessários a garantir que o projeto seja concluído dentro do seu orçamento aprovado; o Focaliza os custos dos recursos necessários para desenvolver as atividades do escopo do projeto; o Considera também o efeito das decisões tomadas ao longo do projeto, no custo do ciclo de vida do produto do projeto.

23 Gestão de Custo: Características: o Envolve os processos necessários a garantir que o projeto seja concluído dentro do seu orçamento aprovado; o Focaliza os custos dos recursos necessários para desenvolver as atividades do escopo do projeto; o Considera também o efeito das decisões tomadas ao longo do projeto, no custo do ciclo de vida do produto do projeto.

24 Gestão de Custo: Principais Processos: 1. Estimativas de Custos: o Previsão de Custos é uma previsão dos custos mais prováveis a serem incorridos na implantação de um projeto;

25 Gestão de Custo: Principais Processos: 2. Orçamentação: o Associa valores aos diversos elementos do projeto, em seus respectivos prazos de realização; estabelece a referência de valores no tempo usualmente representada através de uma curva S ($ x t), que é utilizada para monitorar e aferir o desempenho de custo;

26 Gestão de Custo: Principais Processos: 3. Controle de Custos: o Influenciar os fatores que provocam modificações na base de custo do projeto, para garantir que as modificações sejam benéficas ao projeto e gerenciar modificações quando elas ocorrerem; o Monitorar o desempenho de custo para detectar variâncias e garantir que todas as modificações necessárias sejam registradas na base de custo do projeto; o Prevenir que modificações desnecessárias, incorretas e não autorizadas sejam incluídas na base de custo do projeto e informar adequadamente os envolvidos das modificações autorizadas.

27 Gestão de Pessoas: As pessoas são o cerne de todo o movimento que as permitirá permanecer verdadeiramente competitivas.

28

29 Gestão de Pessoas: Principais Processos: 1. Planejamento Organizacional: o Identificar, documentar e atribuir papéis e responsabilidades aos indivíduos ou grupos de indivíduos envolvidos com o projeto; o Normalmente feito nas fases iniciais do projeto e pode oferecer alta ou nenhuma autoridade ao Gerente de Projetos, dependendo da matriz utilizada.

30 Gestão de Pessoas: Principais Processos: 2. Montagem da Equipe: o Obter os recursos humanos (indivíduos ou grupos) necessários à realização do projeto. o Pode ocorrer que nem todos os indivíduos necessários estão disponíveis, naquele momento na organização.

31 Gestão de Pessoas: Principais Processos: 3. Desenvolvimento da Equipe: o Aprimorar as habilidades dos componentes da equipe de gestão, bem como aumentar a capacidade da equipe como time, evitando conflitos. o O desenvolvimento é a base para a equipe, que por sua vez é fator crítico para o sucesso do projeto.

32 Gestão da Comunicação:

33 Características: Garantir que as informações do projeto, serão geradas, coletadas, distribuídas e armazenadas de maneira apropriada e no tempo correto; Todos os envolvidos no projeto devem estar preparados para receber e transmitir informações na linguagem do projeto e devem entender como as comunicações em que estão individualmente envolvidos, afetam o projeto como um todo.

34 Gestão da Comunicação: Principais Processos: 1. Planejamento da Comunicação: Determinar as diferentes necessidades de informação dos diversos envolvidos no projeto: Quem necessita da informação; O que necessita saber; Quando necessita da informação; Como necessita da informação.

35 Gestão da Comunicação: Principais Processos: 2. Distribuição de Informações: Disponibilizar as informações necessárias aos diversos envolvidos no projeto, de forma conveniente, no devido prazo, e caso necessário responder às eventuais novas necessidades de informação.

36 Gestão da Comunicação: Principais Processos: 3. Análise de Desempenho: Coletar, organizar e comparar as informações obtidas e apresentar os resultados das análises realizadas. Neste processo deverá conter informações de: Escopo; Prazo; Custos; Qualidade; Contratações; Riscos.

37 Gestão da Comunicação: Principais Processos: 4. Encerramento Administrativo: Verificar e documentar os resultados do projeto, para formalizar a aceitação do produto do projeto pelos patrocinadores, clientes, etc... E também deve garantir os registros das posições finais do projeto para a análise do sucesso e da efetividade do projeto e o arquivamento dessas informações para uso futuro.

38 Gestão de Riscos:

39 Características: Identificar, analisar e responder aos riscos do projeto; Busca minimizar as consequências de eventos negativos, como também de maximizar os resultados de eventos positivos; Risco e incerteza caracterizam situações onde há chance de ocorrer desvios do resultado esperado ou planejado; Riscos são situações de desvio planejado, em que se consegue prever o resultado e associar a ele uma probabilidade de ocorrência estimada; Incertezas são situações prováveis de desvio do planejado, em que não se consegue prever o resultado e nem estimar sua probabilidade de ocorrência.

40 Gestão de Riscos: Risco, Ameaça, Oportunidade e Incerteza: Risco > Envolve resultados quantificáveis, que podem ser associados à probabilidade de ocorrência; Ameaça > representa a possibilidade de perdas, danos ou resultados aquém dos esperados;

41 Gestão de Riscos: Risco, Ameaça, Oportunidade e Incerteza: Oportunidade > representa a possibilidade de ganhos e resultados além dos esperados; Incerteza > Envolve resultados não qualificáveis, imprevisíveis e imponderáveis.

42 Gestão de Riscos: Principais Processos: 1. Identificação dos Riscos: Determinar quais riscos podem afetar o projeto e documentar as características de cada um e é um processo realizado ciclicamente ao longo do projeto e não apenas uma vez no início do projeto. 2. Quantificações dos Riscos: Avaliar os riscos e suas interações para estimar a amplitude das possíveis consequências e determina quais eventos de risco merecem resposta (reação).

43 Gestão de Riscos: Principais Processos: 3.Desenvolvimento de Resposta aos Riscos: Definir as ações necessárias para aproveitar as oportunidades e para responder às ameaças e também é definido o responsável para proteger o projeto de cada um dos riscos e selecionada a resposta mais adequada a cada um dos riscos.

44 Gestão de Riscos: Principais Processos: 4. Controle de Respostas aos Riscos: Executar o Plano de Gestão dos Riscos de modo a responder aos eventos de risco ao longo do desenvolvimento do projeto. Quando ocorrem modificações, o ciclo de identificação, quantificação e resposta deve ser repetido. Sabemos que nem mesmo a análise mais detalhada pode identificar todos os riscos e portanto, o Plano de Gestão de Risco deve ser otimizado contínua e interativamente.

45 Gestão da qualidade


Carregar ppt "Curso de Engenharia Industrial Madeireira – UFPR Prof. Umberto Klock."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google