A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Administração de Materiais. 2 Importância do Departamento de Materiais 22 40 a 80% do preço de venda de um produto é custo de compra. Uma pequena redução.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Administração de Materiais. 2 Importância do Departamento de Materiais 22 40 a 80% do preço de venda de um produto é custo de compra. Uma pequena redução."— Transcrição da apresentação:

1 1 Administração de Materiais

2 2 Importância do Departamento de Materiais a 80% do preço de venda de um produto é custo de compra. Uma pequena redução no custo de compra implica em um aumento da vantagem competitiva para a empresa.

3 3 Aquisição de bens e/ou serviços Na qualidade pretendida; No momento acordado; Ao menor custo possível; Na quantidade solicitada. Objetivos do departamento de Materiais 3

4 444 Problemas do Depto. De Materiais/ Compras Compras emergenciais É impraticável acabar com todas as solicitações urgentes; Deve-se trabalhar para administrar o menor no. possível de emergências; Em geral compra-se por maior preço e menor qualidade. Custo ($) % de Satisfação

5 555 Problemas do Depto. De Materiais/ Compras Estabelecer controles Requisição de materiais; Procedimentos impróprios, errôneos, etc. Identificação dos principais focos de problemas A partir dos controles, quais áreas realizam pedidos em cima da hora por exemplo Conscientização sobre os procedimentos muitas vezes os clientes simplesmente desconhecem os procedimentos básicos para um bom trabalho da área de compras.

6 666 Problemas do Depto. De Materiais/ Compras Criar um manual de procedimentos (quem, quando e como!) Identificação dos fluxos de informações; Padronização de atividades; Treinamento de pessoal; Aperfeiçoamento da função. Estabelecer prioridades de atendimento Estabelecer o que é e o que não é urgente; Separar importância das pessoas da importância dos problemas

7 777 Problemas do Depto. De Materiais/ Compras Manter planejamento próprio e participar do planejamento global da organização. Criação de canais de comunicação. Adequado dimensionamento do quadro e qualidade do serviço ao pretendido. Falta de medição da quantidade de situações emergenciais. Falta de especificações para os produtos/serviços solicitados Falhas dos fornecedores (desempenho de entregas e defeitos)

8 88888 Problemas do Depto. De Materiais/ Compras Excesso de burocracia Ingerências administrativas Não permitir que outras áreas interfiram nas decisões da área de compras. Execução da atividade de compra por outras área

9 99999 Classificação ABC de Materiais Tem por base a regra de Pareto: (em geral apenas 20% das causas são responsáveis por 80% dos problemas gerados) É uma forma de analisar o valor monetário dos estoques para estes possam ser classificados em ordem de importância. Os itens da classe A são considerados os mais importantes, podendo representar de 35% a 70% do valor movimentado em estoques. Os itens da classe B variam de 10% a 45% do valor dos estoques e os da classe C representam o restante. A experiência demonstra normalmente que : 10% a 20% do total de itens são classe A Por volta de 50% dos itens pertencem a classe C 30% a 40% dos itens são da classe B

10 10 1º) Coleta de dados: Obtém-se o valor do consumo anual (preço unitário x consumo anual unitário) para a posterior classificação da importância relativa de cada item Classificação ABC: Exemplo 10

11 11 Classificação ABC: Exemplo 2º) Ordenação: Os dados são classificados em ordem decrescente de valor. Calcule o valor acumulado do consumo anual para a construção da curva ABC 11

12 12 Classificação ABC: Exemplo 3º) Construção da Curva: Construa a curva com o código dos itens no eixo das abscissas e nas ordenadas os correspondentes valores acumulados do consumo anual. 12

13 13 Classificação ABC: Exemplo 4º) Subdivisão em classes: a curva encontrada é subdividida em três classes: A, B e C. (vide os limites de cada classe de acordo com a tabela). 13

14 14 Classificação ABC: Exemplo Uso de faixas-limite como referência para a classificação ABC No exemplo numérico mostrado Classe A: 20% dos itens correspondem a 67% do valor. Classe B: 30% dos itens correspondem a 21% do valor. Classe C: 50% dos itens correspondem a 12% do valor. 14

15 15 Classificação ABC: Exemplo Classe A: os itens c e b merecem um controle de estoques diferenciado, mais rigoroso e com os menores estoques de segurança possíveis. Classe B: os itens e, d, g merecem um controle intermediário entre as classe A e C. Classe C: os itens f, h, a, j, i devem ter tratamento administrativo mais grosseiro, com estoque de segurança mais elevado pois isso implica em um impacto pequeno no custo total. 15

16 16 Classificação ABC: Exemplo Classe ABaixo nível de estoque Alto giro de entrada Controle muito rigoroso Compra mais freqüente de material e em pequenos lotes Classe BBaixo nível de estoque Alto/médio giro de entrada Controle rigoroso Compra freqüente de material em lotes de tamanho médio Classe CMédio nível de estoque Baixo giro de entrada Controle sem muito rigor Compra pouco freqüente de material com tamanhos de lote Maiores 16

17 17 Aplicação da classificação ABC em compras Exemplo: A Empresa tem como meta de redução de custo anual o valor de $ 9.700,00.Como isso poderia ser feito? Começamos escolhendo os dois itens de maior valor para negociar com os seus fornecedores. Consumo dos itens classe A = $ ,00, portanto: $ 9.700/$ = 2,5%. Isso pode ser conseguido, por exemplo, comprando-se com um consumo equivalente aos próximos 6 ou 12 meses. Outra forma (mais trabalhosa) seria negociar com o restante dos fornecedores, sobre o montante de $ , ou seja, conseguir obter um desconto de $ 9.700/ $ = 5%, negociando com 8 fornecedores. Negociar descontos nos preços dos itens de maior valor, significa menos trabalho e maior chance de sucesso. 17

18 18 Fluxo básico para o procedimento de compra

19 19 Procedimento de compra 1.Identifica-se a necessidade de aquisição: o interessado envia de solicitação de compra ao depto. de compra; 2.O depto. de compra pesquisa o mercado fornecedor (realizando cotações): informa aos fornecedores as especificações requeridas, quantidades, prazos, condições de fornecimento, etc.; 3.Efetivação da aquisição: com a proposta em mãos, seleciona-se aquela que melhor atende às exigências de fornecimento; 4.Emissão do pedido de compra: tendo sido aprovada a proposta, o fornecimento do produto/serviço é autorizado; 5.Realização do follow-up: é o acompanhamento da entrega dentro das condições de prazo, qualidade e quantidade estabelecidas; 6.Fornecimento: o material ou serviço é entregue e inspecionado para verificação das condições contratuais (quantitativos, especificações, etc.); 7.O material/serviço é colocado à disposição dos usuários: os solicitantes podem usufruir do objeto pedido. 8.É realizado o pagamento ao fornecedor. 19

20 20 A requisição de compra O depto. de compras somente gera um pedido a partir do recebimento de uma requisição de materiais (que não é competência do depto. de compras) 20

21 21 A requisição de compra 21

22 22 Seleção de fornecedores Tendências: Consolidação da base de fornecimento de materiais e serviços, permanecendo poucos e bons fornecedores. Normalmente há um fornecedor principal, e um secundário,ocorrendo ainda, um terceiro, simplesmente credenciado com contrato de fornecimento ínfimo, nas condições de teste/homologação. Seleção de fornecedores que possuem certificados de qualidade (ISO, QS 9000; ISO14000; entre outros) Vantagens: Maior segurança contra desabastecimentos inesperados; Maior poder de barganha, proporcionando condições mais favoráveis para a compra; A concorrência entre os fornecedores é saudável e estimula reduções nos preços e melhora da qualidade de produtos e serviços. 22

23 23 Seleção de fornecedores: outsourcing/ terceirização Conceito no qual uma parte dos serviços realizados internamente passam à responsabilidade de outra empresa. Outsourcing Está relacionado à atividade fim da empresa; Contratos de longo prazo (long term), alianças estratégicas com fornecedores confiáveis; Utilizado em ramos de negócio muito competitivos, para possibilitar a focalização no negócio principal da empresa (core-business); Ex. fornecedores de peças e serviços, componentes do produto final. Terceirização Está relacionado às atividades meio, ou de suporte, da empresa; Contratos de conveniência (short term); Utilizado em negócios que não fazem parte do core-business da empresa. Ex.: restaurante, serviço de limpeza da fábrica, segurança patrimonial, etc. 23

24 24 Qualificação de fornecedores Um fornecedor que possui uma proposta de preços vencedora sempre estaria apto ao fornecimento? Em função da amplitude do contrato, o comprador deve: Solicitar documentos (Contrato social, Inscrição no cadastro nacional de pessoas jurídicas – CNPJ, Inscrição Estadual/Municipal, regularidade quanto a Seguridade Social/ recolhimento de Fundo da Garantia por Tempo de Serviço – FGTS, outros documentos específicos como os emitidos pela Vigilância Sanitária, ou requeridos para o funcionamento da empresa em questão) Investigar desempenhos anteriores (comprovação de capacidade técnica); Visitar as instalações do fornecedor (análise da capacidade instalada); e/ou relação do faturamento mensal nos últimos 12 meses (se a empresa detiver um faturamento incompatível com as encomendas, pode ser perigoso contratá-la, pois indica necessidade de uma maior estrutura) 24

25 25 Qualificação de fornecedores Certidão negativa de falência, execução patrimonial ou protesto. Balanço patrimonial e demonstrações contábeis dos três últimos exercícios sociais (avaliação da situação financeira). 25

26 26 Avaliação de propostas Relação de itens que devem constar nas propostas para finalidade de informação e comparativo Identificação do fornecedor; Descrição do material; Quantidade solicitada; Preço proposto; Impostos; Condição de pagamento; Prazo de entrega; Validade da proposta; Índice de reajuste a ser aplicado; Custos adicionais (fretes, embalagens, manuseio, etc.) 26

27 27 Avaliação de propostas: nomeclaturas 27

28 28 Avaliação de propostas : nomeclaturas 28 Obs: a emissão da fatura pode ocorrer antes da entrega do produto/serviço.

29 29 Avaliação de propostas: nomeclaturas 29

30 30 Matemática Financeira em Compras 30 O dinheiro é considerado um recurso escasso. Surgiu como forma de regular e orientar as trocas em espécie, logo seu valor advém daquilo que ele permite adquirir. O valor do dinheiro varia no tempo (existe custo de oportunidade: por exemplo, receber R$ 100 hoje, é preferível a receber os mesmos R$ 100 daqui a 30 dias). A remuneração pelo uso do dinheiro é chamada de juros. O juro pago pelo mercado transmite a idéia do preço pago pelo uso do dinheiro, assim, quanto maior a taxa de juro, mais caro é o dinheiro e quanto menor, mais barato é o dinheiro.

31 31 Matemática Financeira em Compras: importância 31 Importância da Matemática Financeira na Adm. de Materiais: Comparação entre preço para pagamento à vista e a prazo; Comparação entre diversas propostas, com datas diversas para pagamento; Decisão entre comprar com um pagto. em uma única data ou utilizando-se de pagamentos parcelados; Análises e decisões sobre cláusulas de reajuste de preços, com a avaliação da sua influência em prazos maiores.

32 32 Matemática Financeira em Compras: conceitos 32 Juros: valor cobrado ou pago, pelo uso do dinheiro (Montante menos Capital Inicial) Taxa de juros: relação entre os juros cobrados/pagos e o capital num determinado período. Capital Inicial, Principal ou Valor Presente: valor a ser tomado ou emprestado a uma taxa de juros; Período: intervalo de tempo em que o capital está disponível, definindo um resultado financeiro para a operação; Montante ou Valor Futuro: Valor resultante, no período, do empréstimo ou da aplicação financeira; Pagtos. Periódicos: desembolsos parcelados, com intervalos de tempo constantes entre eles.

33 33 Representações do Fluxo de Caixa 33 Entradas de caixa Saídas de caixa

34 34 Matemática Financeira em Compras 34

35 35 Matemática Financeira em Compras 35 Capital InicialPeríodoTaxaJurosSaldo final ,00110% , , ,00210% , , ,00310% , , ,00410% , , ,00510% , ,00 Juros Simples: a remuneração ocorre somente sobre o principal (capital inicial)

36 36 Matemática Financeira em Compras 36 Capital InicialPeríodoTaxaJurosSaldo final ,00110% , , ,00210% , , ,00310% , , ,00410% , , ,00510% , ,00 Juros Compostos: o rendimento futuro é calculado com base no saldo ao final do período, que é composto pelo principal mais os juros dos períodos anteriores

37 37 Matemática Financeira em Compras: Exemplo1 37 Ex.: Magazine Santa Mônica Atualmente, o supervisor de compras está adquirindo televisores e o fornecedor propôs duas condições de venda: 1.Preço unitário de $ 280/peça para pagto. contra entrega de mercadoria. 2.Preço unitário de $ 249/peça para pagto. em 30 dias da entrega. A entrega ocorrerá 15 dias após a colocação do pedido de compra. Atualmente o dinheiro do magazine está plicado a 4% a.m.

38 38 Matemática Financeira em Compras : Exemplo1 38 Ex.: Magazine Santa Mônica Resolução: a melhor opção é aquela que apresenta o menor valor presente (VP), pois representaria um comparativo para o menor desembolso entre as duas opções na data 0. Opção 1: Opção 2:

39 39 Matemática Financeira em Compras: Exemplo 2 39 Ex.: Laminação de Metais Francesco Bertazzo Ltda. É uma metalúrgica cuja principal matéria-prima é o cobre e um dos acessórios de produção é um inoculante (são necessários kg do inoculante para a produção). Foram recebidas quatro propostas de fornecimento: 1.Cia. Química Fosfértil Ltda. Preço: $ 1,40 /kg; Pagto: 30 dias; Entrega: imediata. 2. Cia. Química Fosfértil Ltda. Preço: $ 1,36 /kg; Pagto: Contra entrega do pedido; Entrega: imediata.

40 40 Ex.: Laminação de Metais Francesco Bertazzo Ltda. 3. Química Pura Ltda. Preço: $ 1,42 /kg; Pagto: 30 dias; Entrega: 15 dias 4. MDS Produtos para Siderurgia S.A. Preço: $ 1,44 /kg; Pagto: 30 dias; Entrega: 30 dias. Do ponto de vista financeiro, qual seria a proposta mais favorável, sabendo-se que a taxa de juro, a qual estão aplicados os recursos da empresa, é de 3% a.m.? Matemática Financeira em Compras: Exemplo 2

41 41 Ex.: Laminação de Metais Francesco Bertazzo Ltda. Matemática Financeira em Compras: Exemplo 2

42 42 Ex.: Laminação de Metais Francesco Bertazzo Ltda. Resolução: Matemática Financeira em Compras: Exemplo 2

43 43 Matemática Financeira em Compras 43 Ex.: Comércio de Tecidos TA Ltda. O analista de compras da empresa, está adquirindo um lote de tecido e recebeu as seguintes ofertas dos fabricantes: 1. Linho Branco Ltda. Preço: $ 3,40 /m; Pagto: 30 dias; Entrega: Imediata 2. Blue Jeans Tecidos Preço: $ 3,57 /m; Pagto: 30, 60 e 90 dias da entrega; Entrega: Imediata 1. Ranger Tecidos Finos Ltda. Preço: $ 3,40 /m; Pagto: 50% na entrega e 50% em 60 dias; Entrega: 15 dias

44 44 Matemática Financeira em Compras 44 Sugestão para resolução: Calcule as parcelas em cada proposta com parcelamento e encontre os VPs para cada uma das parcelas. Ao final, obtenha a soma dos VPs para estas.

45 45 Matemática Financeira em Compras 45 Sugestão para resolução: Encontre as respectivas parcelas em cada proposta e encontre os VPs para cada uma e, ao final, obtenha a soma dos VPs das parcelas.

46 46 Matemática Financeira em Compras: Complemento 46 Taxas equivalentes: I: taxa no período maior; i: taxa no período menor; m=I/i: no. de períodos menores dentro do período maior. Ex. Calcule a taxa anual equivalente a uma taxa de juros de 3% a.m. Resp.: 42,58% ao ano. Taxa aparente e taxa real: i: taxa aparente; r: taxa real; inf; inflação. Ex. Um imóvel foi adquirido por $ , sendo vendido depois de um ano, por $ Se a taxa de inflação no período foi de 20%. Qual foi o ganho real da operação? Resp.: é preciso calcular primeiro qual foi o ganho aparente: 1+i = /50.000=1,25 ; i = 0,25 ou 25% Ou seja, o ganho real foi de 4,167%.

47 47 Matemática Financeira em Compras: Complemento 47 Títulos: Nota promissória: título onde uma pessoa confessa que deva a outra, uma certa importância, a ser paga em determinado local, numa determinada data. Duplicata: Associada a uma nota fiscal, contém o aceite do pagador, garantindo o recebimento ao comerciante (este título pode ser negociado com terceiro). (os dois títulos podem ser negociados antes do vencimento) Outras notações: utilizado para um único pagto. ou recebimento no período:

48 48 Matemática Financeira em Compras: Complemento 48 F2, utilizado qdo. há uma série de pagtos. postecipados: Ex.: Uma geladeira custa $ a vista ou à prazo em 10 parcelas mensais. A 1ª. Prestação vence um mês após a compra da geladeira. Qual o valor da prestação? (i = 5% am.)

49 49 Matemática Financeira em Compras: Complemento 49 F2, utilizado qdo. há uma série de pagtos. antecipados, neste caso o valor atual será C - P: Ex.: Uma geladeira custa $ a vista ou à prazo em 10 parcelas mensais. A 1ª. prestação vence no ato da compra da geladeira. Qual o valor da prestação? (i = 5% am.)

50 50 Avaliação de Projetos de Investimento: Complemento 50 O valor de uma empresa (ou empreendimento) pode ser medido pelo valor presente de seu fluxo de caixa futuro. Parte do fluxo de caixa futuro será gerado pelos ativos já existentes e parte, por novos investimentos a serem realizados (projetos de investimento). Há dois métodos mais conhecidos de avaliação de investimentos: Método da taxa interna de retorno (TIR); Método do valor presente líquido (VPL). Taxa Interna de Retorno (TIR): a taxa interna de retorno é a taxa de juros que iguala, em determinado tempo, o valor atual líquido das entradas (recebimentos) com as saídas (pagamentos) previstas de caixa, ou seja, é a taxa que zera o fluxo de caixa.

51 51 Avaliação de Projetos de Investimento: Complemento 51 Aplicação da TIR: Ex. : Um investimento de $ é feito prevendo-se uma linha de novos produtos, com a expectativa de caixa de $ no 1º ano, de $ no 2º ano e de $ no 3º ano e de $ no 4º ano. Calculando-se a taxa interna de juros, o retorno é de 30% ao ano. Isso significa, encontrar um valor de taxa de juros para a qual todos os retornos esperados ao longo dos anos, se igualem ao investimento inicialmente feito (é necessário uso de calculadora financeira/ planilha eletrônica). Para aceitação do projeto é realizado o comparativo com a taxa mínima requerida (ou taxa de atratividade).

52 52 Avaliação de Projetos de Investimento: Complemento 52 Valor Presente Líquido (VPL): O VPL compara todas as entradas e saídas de dinheiro na data inicial do projeto, descontando os retornos futuros do fluxo de caixa com a taxa de juros aplicada. É a soma dos retornos para uma taxa mínima requerida menos o investimento inicial. Utilizando-se o mesmo exemplo anterior, agora calculando o VPL considerando-se uma taxa mínima requerida de 20% a.a.:

53 53 Avaliação de Projetos de Investimento: Complemento 53 Tomada de decisões sobre investimento utilizando o VPL: VPL > 0 aceitar o projeto; VPL 0 rejeitar o projeto. Relação entre TIR e VPL: TIR > i VPL > 0 aceitar o projeto; (o retorno sobre o projeto de investimento é atrativo) TIR i VPL 0 rejeitar o projeto. (o retorno do projeto, remunera mal o investimento)

54 54 Avaliação de Projetos de Investimento: Complemento 54 Aplicação com TIR e VPL: Ex. : A gerência da Empresa A1 está prevendo uma nova linha de produtos. Haveria um investimento inicial de $ e retornos anuais de $ no 1º ano; $ no 2º ano; $ no 3º ano e $ no 4º ano. A taxa mínima requerida (taxa de atratividade) é de 20% a.a. a) Verificar se o projeto deve ser aceito utilizando-se o método do VPL; b) Qual a taxa interna de retorno? c) Faça uma tabela do VPL para a taxa de 0 a 30%, com intervalos de 5%.

55 55 Referências Bibliogáficas 55 DIAS, M.;COSTA, R. F. Manual do comprador.São Paulo: Edicta, DIAS, M. A. P. Administração de materiais. São Paulo: Atlas, LAPPONI, J. C. Projetos de investimento. São Paulo: Lapponi Treinamento e Editora, MARTINS, P. G.; ALT, P. R. C. Administração de materiais e recursos patrimoniais. São Paulo: Saraiva, 2002.


Carregar ppt "1 Administração de Materiais. 2 Importância do Departamento de Materiais 22 40 a 80% do preço de venda de um produto é custo de compra. Uma pequena redução."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google