A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Ditadura Militar no Brasil Deixaram que os adversários escrevessem a história, e como os inimigos não.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Ditadura Militar no Brasil Deixaram que os adversários escrevessem a história, e como os inimigos não."— Transcrição da apresentação:

1 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Ditadura Militar no Brasil Deixaram que os adversários escrevessem a história, e como os inimigos não mandam flores, vamos aturar as mentiras e, com muito esforço, tentar reverter os fatos verdadeiros. JOSÉ BATISTA PINHEIRO

2 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda GOVERNO DE COSTA E SILVA ( ) Artur da Costa e Silva Mandato : 1967 até 1969 Vice-presidente : Pedro Aleixo Local de nascimento : Taquari (RS)

3 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A oposição cresce no país. A UNE organiza, no RJ, a Passeata dos Cem Mil. Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar. A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e seqüestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada.

4 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Estudantes expressam em cartazes seu protesto contra a ditadura militar e a repressão policial, em setembro de 1966.

5 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda

6 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Conflito entre estudantes e policiais em 21 de junho de 1968, no Rio de Janeiro.

7 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda 28/03/68 O estudante Edson Luís Lima Souto morre em um conflito com a Polícia no Rio.

8 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda 01/06/68 Passeata dos 100 mil em protesto contra as violências cometidas pelo Regime;

9 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda 02/09/68 O Deputado do MDB, Márcio Moreira Alves, discursa na Câmara conclamando o povo a realizar um boicote ao militarismo nas comemorações do 7 de setembro. Como resposta, o Governo promulga o Ato Institucional nº 5.

10 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda 12/10/68 Cerca de 1200 estudantes são presos no Congresso clandestino da UNE em Ibiúna (SP). Em ação da VPR, o capitão do Exército americano Charles Chandler é morto;

11 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Frei Tito foi preso por participar de um congresso clandestino da União Nacional dos Estudantes em Ibiúna. Foi fichado pela polícia e tornou- se alvo de perseguição da repressão militar. No início de 1970,foi torturado nos porões da chamada Operação Bandeirantes. Na prisão, ele escreveu sobre a sua tortura e o documento correu pelo mundo e se transformou em símbolo de luta pelos direitos humanos. No dia 10 de agosto de 1974 suicidou-se na França.

12 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda

13 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Nasceu em Belo Horizonte (MG). Estudou jornalismo, antropologia, filosofia e teologia. Esteve preso por duas vezes sob a ditadura militar: em 1964e entre Após cumprir 4 anos de prisão, teve sua sentença reduzida pelo STF para 2 anos. Recebeu vários prêmios por sua atuação em prol dos direitos humanos e a favor dos movimentos populares. Assessorou vários governos socialistas, em especial Cuba, nas relações Igreja Católica-Estado. Frei Betto

14 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda AI-5 = mais duro do governo militar: fechou o Congresso Nacional por prazo indeterminado; cassou mandatos de senadores, deputados, prefeitos e governadores; interveio no Poder Judiciário, inclusive demitindo juízes; tornou legal legislar por decretos; decretou estado de sítio; suspendeu a possibilidade de qualquer reunião; recrudesceu a censura, determinando a censura prévia, que se estendia à música, ao teatro e ao cinema; suspendeu o habeas corpus para os chamados crimes políticos.

15 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda GOVERNO DA JUNTA MILITAR (31/8/ /10/1969) Formada pelos ministros Aurélio de Lira Tavares (Exército), Augusto Rademaker (Marinha) e Márcio de Sousa e Melo (Aeronáutica). Dois grupos de esquerda, O MR-8 e a ALN seqüestram o embaixador dos EUA Charles Elbrick. Os membros da junta militar que governou o Brasil provisoriamente em Da esquerda para direita: general Lyra Tavares, almirante Augusto Rademacker e brigadeiro Márcio de Souza e Melo).

16 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Seqüestro do embaixador americano Charles Elbrick no RJ para exigir a libertação de presos políticos.

17 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Os guerrilheiros exigem a libertação de 15 presos políticos, exigência conseguida com sucesso. Porém, em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretava o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária, ou subversiva". Charles Elbrick

18 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda

19 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda No final de 1969, o líder da ALN, Carlos Mariguella, foi morto pelas forças de repressão em São Paulo.

20 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda GOVERNO DE EMÍLIO MÉDICI ( ) General Emílio Garrastazu Médici Mandato : 1969 até 1974 Vice-presidente : Augusto Rademaker Local de nascimento : Bagé (RS)

21 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Seu governo conhecido como " anos de chumbo ". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. O DOI-Codi ( Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna ) atua como centro de investigação e repressão do governo militar.

22 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Guerrilha do Araguaia – 1972/74. -O movimento foi organizado pelo Partido Comunista do Brasil (PC do B), -Estados de Goiás, Pará e Maranhão. -Participaram em torno de setenta a oitenta guerrilheiros. Entre eles, o ex- presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), José Genoíno. -Fortemente reprimida pelas forças militares.

23 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Os militares no Araguaia, setembro de 1972

24 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Propaganda ideológica: -Futebol; -Escolas (ufanismo); -Brasil – Ame-o ou Deixe-o; -Ninguém segura este país; - O que você acha da situação atual? - Eu não acho nada! Tinha um amigo que achava muito e hoje ninguém acha ele! Tô fora!

25 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda ECONOMIA: -Delfim Netto – Milagre econômico. -Economia cresceu a altas taxas anuais. -Base a produção industrial, crescimento das exportações e empréstimos no exterior. -Arrocho salarial. -Estimulou bens de consumo. Temos que esperar o bolo crescer para depois distribuir os pedaços. (D. Netto) A economia vai bem, só o povo é que vai mal. (Médici) Médici e Delfim

26 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Concentração de renda:

27 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Obras faraônicas foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niterói, Usina de Itaipu. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

28 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda

29 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda No campo social foi criado: o Plano de Integração Social (PIS) o Programa de Assistência Rural (PRORURAL), ligado ao FUNRURAL, que previa benefícios de aposentadoria e o aumento dos serviços de saúde até então concedidos aos trabalhadores rurais.

30 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda

31 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda

32 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda 17/09/71 Morto na Bahia o capitão Carlos Lamarca, membro da organização Vanguarda Popular Revolucionária (VPR);

33 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda 05/09/72 A imprensa é proibida de publicar notícias sobre a Anistia Internacional;

34 Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda


Carregar ppt "Ditadura Militar – 1964/1985 Adriano Valenga Arruda Ditadura Militar no Brasil Deixaram que os adversários escrevessem a história, e como os inimigos não."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google