A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Encontro Nacional Coordenadores Jornal e Educação – abril 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Encontro Nacional Coordenadores Jornal e Educação – abril 2008."— Transcrição da apresentação:

1 Encontro Nacional Coordenadores Jornal e Educação – abril 2008

2 Proposta do Encontro 1. Mostrar papel e importância do PJE para a ANJ 2. Reafirmar o novo conceito geral do projeto 3. Apontar as metas sugeridas pela ANJ e mostrar o que foi feito entre junho/07 e abril/08 4. Avaliar as mudanças do PJE/ANJ sob o ponto de vista dos coordenadores presentes 5. Apresentar proposta de campanha de Mídia Nacional 6. Construir o planejamento 2008/ Desenvolver treinamento em avaliação com a empresa de consultoria John Snow.

3 O PJE na estrutura da ANJ O PJE é a principal ação de Responsabilidade social da Associação Nacional de Jornais. Sua realização integra o escopo de atividades do Comitê de Responsabilidade Social da Entidade. Sua formalização compreende: mobilização e fomento; apoio à efetivação dos projetos criados pelos jornais associados; gestão e defesa dos interesses coletivos junto às esferas públicas nacionais; orientação geral; divulgação;

4 Expectativas ANJ a partir de Alinhar o PJE ao negócio jornal; 2. Fortalecer seu caráter sócio-cultural e fundamentar suas bases nos conceitos de estímulo à leitura e acesso à informação; 3. Flexibilizar parâmetros e exigências; 4. Construir uma rede de apoios e parcerias estratégicas que fortaleça o seu desenvolvimento; 5. Reestruturar seu formato, com vistas a garantir seu enquadramento na Lei Rouanet e acesso a patrocínios; 6. Definir claramente seu papel e escopo de ação junto aos projetos desenvolvidos pelos jornais associados; 7. Aproximar o PJE das políticas públicas; 8. Ampliar visibilidade;

5 1. Alinhar o PJE ao negócio jornal O que já foi feito: Revisão de fundamentos, conteúdos, metas e objetivos, de forma a conservar os fundamentos da educomunicação e incorporar/privilegiar conceitos de marketing social e marketing empresarial; Realização de cinco oficinas regionais para trabalhar as novas referências conceituais; Contratação de consultoria de avaliação para construir ferramentas capazes de medir e mostrar o impacto social e empresarial do projeto; Divulgação do novo modelo PJE defendido pela ANJ para os proprietários de jornal, no IV CBJ (agosto); Viabilização do enquadramento do projeto no IVC.

6 Familiarizar novos públicos (Prospecção) Formar novos leitores; (mercado futuro) Sobrevivência do negócio; (Sustentabilidade) Aumento da demanda; (Circulação) Satisfação e Reputação; (Fidelização) Valorização da marca; (Ativo Intangível) Incremento conceito de serviço; (Marketing Social) Diferenciação competitiva; (Avaliação Externa) Consistência de informações; (Relatório Social) Relacionamento e Alianças (Cadeia de Valor) Capitalizar a convergência cada vez maior entre mídia e educação; (Estratégia de oportunidade) Promover o uso correto e eficiente do conteúdo jornal no processo de ensino-aprendizagem; (Relevância do meio) Fomentar o acesso à informação como um direito cidadão; (Democratização) Oferecer recurso capaz de ajudar positivamente sobre a realidade educacional e social do país; (Potencializar competências) Aperfeiçoar as práticas sociais de leitura e cidadania no ambiente escolar; (Compromisso com a educação) Apoiar o desenvolvimento das comunidades onde atua; (Fazer diferença) EmpresariaisSociais Impactos e benefícios possíveis e esperados

7 2. Caráter sócio-cultural, leitura e acesso à informação O que já foi feito: Definição de proposta: Estímulo à leitura Fomento à democratização da informação Alinhamento da proposta à: Capacidade de ação da ANJ Fundamentação do modelo aos conceitos e características dos projetos sócio-educativos do Ministério da Educação, Ministério da Cultura e Unesco; Criação de um modelo nacional replicável e passível de enquadramento na Lei Rouanet.

8 3. Flexibilizar parâmetros e exigências O que já foi feito: Ratificar, no site, em reuniões do PJE e nas reuniões da Diretoria ANJ, a condição de ampla liberdade que os associados têm para desenvolver seus projetos; Transformar o que estava classificado como exigências mínimas em recomendações; Legitimar todos os projetos dos associados que, além das distribuição do jornal, ofereçam orientação sobre sua leitura e utilização em ambientes educativos; Garantir que os projetos dos associados possam atender todos os níveis de educação;

9 Novo Conceito Geral Para a ANJ, considera-se um Programa de Jornal e Educação toda e qualquer iniciativa levada a efeito por empresa associada, que esteja comprometida com a promoção da leitura num sentido amplo, e tenha como público-alvo estudantes de quaisquer níveis, segmentos de ensino e ou entidades que desenvolvam ações sócio-educativas, numa perspectiva de formar leitores críticos e autônomos, de fomentar o acesso à informação, à cidadania e à participação social, observados os valores da democracia e a luta pelos direitos humanos.

10 4. Rede de Apoios e Parcerias estratégicas O que já foi feito: Consolidação da parceria com o Movimento Todos pela Educação. Construção de parcerias para desenvolvimento de atividades conjuntas: MEC, UNESCO, UNICAMP, UNB, ANDI, UNISUL... MEC Coordenadores vão poder participar (e serão certificados) do Programa Mídias na Educação; Link no espaço restrito ao e-Proinfo com todos os levantamentos sobre atividades e discussões relacionadas à mídia impressa; PJE/ANJ passa a integrar a coordenação de avaliação de produção de temas relativos à área de mídia impressa/jornal; A ANJ foi solicitada a divulgar informações do projeto Mídias na Educação no site do PJE; O PJE foi consultado sobre a possibilidade de oferecer oficinas de jornal para o MEC.

11 UNESCO Renovação do Apoio O PJE/ANJ vai integrar o Comitê Nacional do "Programa Informação para Todos" que será lançado no dia 13 de maio. Desenvolver projetos na Cátedra UNESCO de Leitura – Jovem e Internet Produção de conteúdos e publicações conjuntas 4. Rede de Apoios e Parcerias estratégicas UNICAMP Reativar o convênio com o objetivo de dar continuidade ao curso iniciado em UNISUL Oferta de curso de Especialização com conteúdo exclusivo para os coordenadores. Metodologia EAD ANDI Aproximação para realização de palestras, conferências, chats, etc. Reconhecimento dos PJE como projetos Amigo da Criança. Selo

12 5. Lei Rouanet e Patrocínios O que Já foi feito: Contratação empresa SUPRA de SP Construção e apresentação de dois projetos: –O primeiro projeto Livro Leitura e Cidadania – Reflexões sobre o hábito de leitura no Brasil já foi aprovado e autoriza a ANJ a captar R$ ,00 –O segundo projeto Prêmio Leitura de Mundo foi indeferido mas está em fase de recurso Busca de Patrocinador (mesmo sem Lei Rouanet) para pagar a pesquisa contratada junto a John Snow (Grupo Gerdau) Renovação do Patrocínio da empresa Norske Skog Construção de modelo de captação de recursos e contrapartidas. Busca sistemática de recursos internacionais para projetos voltados à leitura e construção da cidadania

13 6. Papel e escopo de ação O que Já foi feito: 2007 (Regionalização) Definição de limites quanto à capacidade de orientação, optando pelo caminho coletivo e predominantemente à distância; Definição da necessidade de receber apoio dos programas regionais para a oferta de orientação individualizada; Definição da necessidade de envolver e mobilizar os coordenadores com o objetivo de garantir maior divulgação e visibilidade aos projetos (Colegiado) Constituição de Comitê Coordenador Nacional formado por três coordenadores. Um será sempre o Diretor do Comitê RS/AJN. Ou outros dois mudam a cada dois anos por escolha direta do grupo de coordenadores dos projetos de Jornal e Educação; Definição da necessidade de contratar um coordenador nacional, com dedicação exclusiva.

14 Coordenação Nacional (Colegiada): Clarice López de Alda (Instituto RPC/PR) Diretora do Comitê de Responsabilidade Social da ANJ Alessandra Wassouf (Correio Braziliense/DF) Walter Garrido (A Tarde/ BA) Coordenação Executiva: Cristiane Parente (ANJ – Brasília) Estrutura atual

15 Do pioneiro Zero Hora na Sala de Aula, em 1980, até agora, o programa tem se desenvolvido em uma escala sempre ascendente. Hoje há: 60 programas formalmente inscritos na ANJ 03 novos projetos já formatados e em fase de adesão: Diário Lance (RJ) Jornal de Fato (RN) Estado de Minas ( reativado após saída Maria Amélia) 04 estudos em andamento: Estado de São Paulo Folha de São Paulo O Dia (PI) O Diário de Borborema (PB) Presença: 2 mil escolas em 20 estados e DF 3 milhões de estudantes Contexto Atual

16 7. Políticas Públicas O que Já foi feito: Reuniões com o objetivo de levar os Ministérios da Educação, Cultura e Unesco a reconhecerem oficialmente o PJE/ANJ; Prospecção sistemática de oportunidades nacionais e internacionais.

17 7. Visibilidade e Reconhecimento internacional O que Já foi feito: Duas campanhas da FNazca – rejeitadas Uma campanha da Heads – trouxemos para avaliação Estímulo ao envio de cases para o jornal da ANJ e banco de experiências de sucesso no site. Prospecção sistemática de oportunidades, prêmios, publicações e pesquisas onde a experiência do PJE possa ser divulgada.

18 Ampliar ainda mais as parcerias com organizações sociais e instituições federais; Promover as oficinas nas cinco regiões brasileiras com o objetivo de produzir o livro Leitura e Cidadania, dentro da Lei Rouanet, reunindo informações sobre jornal e leitura; Consolidar a inclusão da distribuições dos jornais às escolas nos índices do IVC. Aumentar a divulgação dos projetos no Jornal da ANJ e no site do PJE Metas a cumprir ainda em 2008

19 Manhã Debate e construção painéis regionais minutos Tarde Fala dos cinco representantes regionais minutos (15 minutos cada) Consolidação de propostas regionais minutos Definição Calendário atividades minutos Avaliação e Planejamento 2008


Carregar ppt "Encontro Nacional Coordenadores Jornal e Educação – abril 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google