A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO EDUCACIONAL NO DEBQ Torna-te, pessoalmente, padrão de boas obras. No ensino mostra integridade e reverência. Tito 2:7 O processo de gestão escolar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO EDUCACIONAL NO DEBQ Torna-te, pessoalmente, padrão de boas obras. No ensino mostra integridade e reverência. Tito 2:7 O processo de gestão escolar."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO EDUCACIONAL NO DEBQ Torna-te, pessoalmente, padrão de boas obras. No ensino mostra integridade e reverência. Tito 2:7 O processo de gestão escolar no DEBQ tem caráter humano, físico e espiritual, pois os envolvidos são pessoas! (Profª Inês Casarin) Profª Inês Casarin

2 O que é Gestão Educacional? Administrar e gerir são coisas completamente diferentes. No cenário atual, existe a busca pela qualidade educacional, programas de governo, empreendimentos de ONGs, gestores e professores sendo capacitados na maioria das escolas seculares. A antiga figura do diretor de escola, dá lugar agora ao gestor educacional, com posturas diferentes das de um administrador.

3 Ser um diretor hoje, é gerir um processo de equipe, associado a uma ampla demanda social por participação. Neste âmbito podemos entender que a escola precisa levar em consideração todos os seus atores, isto é todos os que nela estão envolvidos, desde o gestor, o professor, o aluno e os auxiliares, incluindo também as necessidades da comunidade onde a mesma está inserida.

4 O poder não se concentra mais numa só pessoa, o diretor, mas o gestor estabelece as pontes para que haja a construção de um plano de ensino eficaz e que atenda às peculiaridades de cada indivíduo.

5

6 I PARTE: PRESSUPOSTOS DA GESTÃO EDUCACIONAL NO DEBQ: O diretor do DEBQ deve procurar ser um mobilizador, um orquestrador, um articulador da diversidade para dar unidade e consistência, na construção de uma escola que gera pessoas transformadas pelo Evangelho.

7 É necessário que o diretor esteja atento a cada evento ou circunstância e ter a visão global, interativa e dinâmica de sua escola, isto é, o conjunto de suas decisões levarão aos frutos a médio e longo prazo.

8 A atitude imediatista e isolada pode causar danos muitas vezes irreparáveis na vida das pessoas que estão sob sua orientação direta ou indireta. A igreja bem alicerçada não será enganada pelo maligno. Oséias 4:6

9 SETE PRESSUPOSTOS DA GESTÃO EDUCACIONAL NO DEBQ: 1- A realidade do departamento de ensino é global, tudo está relacionado a tudo, direta ou indiretamente, estabelecendo uma rede de fatos, situações que estão intimamente ligados. A igreja é a escola, e a escola é a igreja. Para termos uma igreja alicerçada em Jesus é necessário dar a base, o departamento de ensino pode ser esta base, pois ensina a Palavra da verdade. João 17:17

10 2- A realidade do departamento de ensino é dinâmica, sendo construída por pessoas que pensam, agem e interagem. O gestor não pode pensar e agir sozinho, tem pessoas que podem ajudá-lo. Eclesiastes 4:9

11 3- A escola é constituída por pessoas que possuem comportamentos imprevisíveis, cabendo ao gestor coordenar e orientar. As incertezas, as contradições, as crises e os conflitos devem ser usados a favor da instituição como elementos de crescimento e transformação. Jesus usou situações constrangedoras para ensinar. João 8:1-11

12 4- A busca de sucessos e realizações corresponde a um processo e não a uma meta, os resultados se apresentam a médio e a longo prazo. A ação empreendedora deve ser a chave propulsora dessas conquistas, quanto mais se faz, mas se deve superar. II Timóteo 2:15

13 5- Visando resultados e transformação de vidas, o gestor precisa saber articular talentos, competências e a energia humana, mobilizando as pessoas para promover uma cultura organizacional. As pessoas são atraídas por escolas bem organizadas, onde todos colaboram e se sentem parte delas. O Espírito Santo nos capacita para descobrirmos os meios de atingir nossos alvos e prepara pessoas para atuarem junto conosco na Sua obra. I Coríntios 12:7

14 6- Boas experiências realizadas em outra escola, não servem de modelo para ser copiado, mas de referência, pois as realidades são diferentes em cada igreja/escola. Por isso o gestor precisa conhecer muito bem os seus alunos, professores, enfim o que a igreja no geral necessita e que poderá ser suprido pela escola bíblica. Deus usa seus servos para falar e transformar as coisas, independente das realidades. Romanos 8:28

15 7- A melhor maneira de realizar a gestão de uma instituição é a de estabelecer a sinergia (conjunto de forças agindo simultaneamente em prol de um objetivo), mediante a formação de uma equipe atuante, levando em consideração o ambiente cultural. A Bíblia traz exemplos de muitos líderes que souberam canalizar as energias dos seus liderados em prol do reino de Deus. Veja o exemplo de Jesus que escolheu doze para estarem aos Seu lado, apesar de cada um deles ter seus defeitos, Ele viu também suas virtudes e possibilidades.

16 ENTÃO: REALIDADE GLOBAL REALIDADE DINÂMICA PESSOAS E COMPORTAMENTOS REALIZAÇÃO: PROCESSO A MÉDIO E LONGO PRAZO CULTURA ORGANIZACIONAL EXPERIÊNCIAS NÃO SÃO MODELOS, MAS REFERÊNCIAS. SINERGIA (CONJUNTO DE FORÇAS SIMULTÂNEAS)

17 OBJETIVO PRIMORDIAL: DIVULGAÇÃO DO EVANGELHO QUE TRANSFORMA MARCOS 16:15

18 II PARTE: AS COMPETÊNCIAS DO GESTOR CRISTÃO

19 Todos temos competências para realizarmos algumas coisas, o gestor cristão conta com uma ajuda a mais que faz toda a diferença: A PARCERIA DO ESPÍRITO SANTO QUE HABITA NELE !

20 Mas o que é ser um gestor competente ?

21 COMPETÊNCIAS: CONHECIMENTOHABILIDADEATITUDE SABER FAZER QUERER FAZER CONHECIMENTOS TÉCNICOS, ESCOLARIDADE, CURSOS,ETC COLOCAR EM PRÁTICA O SABER FAZER COM EFICACIA O QUE SABE FAZER

22 COMPETÊNCIA: GERIR UMA ESCOLA CONHECIMENTOHABILIDADE ATITUDE SABERSABER FAZERQUERER FAZER Conhecimento sobre: doutrinas bíblicas, planejamento, organização de escola, integrantes da escola Pratica o que aprendeu na Bíblia, planeja, integra e organiza sua escola para transformar vidas. Assume responsabilidades com a escola, visualiza e interfere nos problemas, não desanima diante das dificuldades.

23 COMPETÊNCIAS TÉCNICAS: São os saberes que adquirimos através de estudos, vivências, experiências, é o conhecimento das escrituras através da Escola Bíblica, do ITQ, da MQCC, FATEQ dos cultos, palestras, etc.

24 A convivência com as pessoas, o conhecimento das preferências delas, dos desejos, dos modos de vida, etc.

25 Conhecimentos intelectuais, cognitivos, que nos amplia possibilidades de desenvolvimento profissional, etc.

26 O gestor cristão precisa ter conhecimentos bíblicos, gerais, conhecimentos sobre a pessoa humana, sobre organização e planejamento.

27 Para ser hábil precisa colocar em prática o que conhece, por exemplo: Preparar ou oportunizar formação dos professores, Planejar sua escola, seus investimentos, classes, Designar professores, revistas e outros materiais, Organizar a dinâmica das aulas, do café da manhã, das datas comemorativas, etc.

28 Para efetivar os projetos da equipe, suas atitudes precisam ser carregadas de inteligência emocional, serem dirigidas pelo Espírito Santo e firmadas no compromisso com a Palavra de Deus.

29 COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS: O líder do DEBQ precisa ter competências comportamentais, e elas dependem de atitudes, de envolvimento e de relacionamento íntimo com Deus.

30 1- INICIATIVA: Antecipar-se frente aos problemas ou oportunidades de melhoria, contribuindo com idéias e solução, empreendendo ou sugerindo ações sem ser solicitado.

31 Diante das situações podemos ser: PRÓATIVOS OU REATIVOS

32 Reativos: A ação vem depois do problema, o controle do meu comportamento depende do outro.

33 Proativos: A ação vem antes do problema, isto é ser preventivo. É possível se houver planejamento. Prevê os problemas e a superação deles. Propõe mudanças.

34 LINGUAGEM REATIVA: Não há nada que eu possa fazer! Sou assim e pronto! Estou nervoso! Eles nunca vão aceitar isso. Tenho de fazer tudo aqui! Não posso. Eu preciso. Ah se eu pudesse! As coisas são assim mesmo.

35 LINGUAGEM PROATIVA: Vamos procurar alternativas. Podemos tomar outra atitude. Posso controlar meus sentimentos. Vou buscar um caminho eficaz. Preciso achar uma resposta apropriada. Eu escolho. Eu prefiro. Vamos fazer. Eu quero.

36 2- MOTIVAÇÃO A própria palavra já esclarece : MOTIVO + AÇÃO O gestor precisa sempre ter auto motivação que o leva a ação, para atingir os objetivos e contagiar os demais, positivamente.

37 Quem é motivado geralmente tem: Entusiasmo, otimismo, auto motivação, influência positiva. Essas atitudes demonstram às pessoas segurança e credibilidade no seu líder.

38 Além disso este gestor tem alegria do Senhor em sua vida que o move de maneira criativa e inventiva. Salmo 122:1

39 3- RESPONSABILIDADE: Compromisso em atingir o resultado das tarefas que lhe são atribuídas, buscando soluções, assumindo erros e demonstrando postura ativa na busca de realização de seu trabalho, é o popular vestir a camisa!

40 O gestor responsável tem os seguintes comportamentos: Cumpre todas as tarefas ou presta relatórios que lhe são designados no prazo correto ou até antes dele. Busca novas soluções para a resolução de problemas Assume os erros Tem postura proativa na direção da escola bíblica Tem compromisso sério com o Reino de Deus, apesar das dificuldades que enfrenta. Apocalipse 3: 8

41 4- COMPROMETIMENTO: Capacidade de disponibilizar todo o potencial em prol dos objetivos da escola, colaborando e dando suporte também a outros grupos e departamentos quando necessário. Participa e apóia todas as atividades da igreja com empenho e dedicação.

42 5- INTERAÇÃO Interação é a habilidade para interagir com os outros, conhecendo e entendendo suas necessidades, trocando informações conquistando, reunindo esforços de pessoas em torno de um objetivo comum, tendo em vista a satisfação e a realização das expectativas dos envolvidos.

43 6- RELACIONAMENTO INTERPESSOAL: Habilidade no trato com as pessoas, independentemente do nível social, hierárquico ou de cargos que elas tenham, de convivência harmoniosa.

44 Comunica- se com eficácia. Possui empatia (consegue se colocar no lugar do outro). Demonstra bom humor e entusiasmo. È otimista. Consegue influenciar outras pessoas. Demonstra cortesia. Demonstra disponibilidade para ajudar os outros. Ama sem restrições ou preferências. Lucas 6:32

45 7- TRABALHO EM EQUIPE: Equipe são pessoas num espaço, trabalhando em prol de um objetivo comum.

46 O gestor do DEBQ deve ter capacidade de influenciar, motivar, integrar, organizar pessoas e estabelecer equipes de trabalho com postura participativa e colaboradora, para a consecução de objetivos.

47 No trabalho de equipe é necessário que o líder saiba definir um problema, por exemplo, propor soluções, atribuir responsabilidades, coordenar o trabalho, acompanhar e avaliar a execução. O envolvimento dos membros da equipe na tomada de decisões é importante e amplamente satisfatório.

48 8- FLEXIBILIDADE: Nas situações diversas do ministério de ensino é necessário flexibilização. Isto é, o gestor deve ter a capacidade de adaptação rápida a situações inesperadas e facilidade de encontrar novas alternativas para resolver problemas e adversidades.

49 Consegue adaptar-se rapidamente às mudanças, Aceita idéias e opiniões de outras pessoas, Consegue lidar com a diversidade, Muda suas opiniões quando necessário.

50 AUTO AVALIAÇÃO DÊ UMA NOTA PARA VOCÊ MESMO DE 0 A 10 AVALIANDO SUAS COMPETÊNCIAS. ESCREVA O QUE PRETENDE MUDAR NO SEU MINISTÉRIO. ORE E JEJUE, POIS SEM O SENHOR NÃO HÁ COMPETÊNCIA!

51 III PARTE: PLANEJAMENTO DO DEBQ SOB O PRISMA DA GESTÃO: PLANEJAR é um processo de reflexão.

52 Refletir é o ato de retomar, reconsiderar os dados disponíveis, revisar,vasculhar, numa busca de significados.

53 É examinar prestar atenção, analisar com cuidado. É ter uma atitude crítica do seu trabalho.

54 DOCUMENTO: Neste documento deve constar: O cotidiano do trabalho do DEBQ, As ações, As situações, O relato fiel do que se pretende fazer. É um plano estratégico de ações conjuntas, que permeiam a realidade e os estudantes da Palavra de Deus.

55 O planejamento é o orientador do trabalho do DEBQ, o gestor elabora junto com sua equipe de educadores, de alunos e de seu pastor o plano gestor de seu Departamento.

56 Ele começa a ser pensado com base em avaliações prévias que se pode fazer nos finais de ano letivo com a participação efetiva de todos os envolvidos na escola bíblica por meio de pesquisas escritas, enquetes, diálogos,etc.

57 Os processos de avaliação e de planejamento caminham constantes, não podem estar dissociados da prática pedagógica, tanto para o gestor como para o professor cristão.

58 EXEMPLO: REFERÊNCIA PARA DEBQ ANALISE AS QUESTÕES E AVALIE A SUA ESCOLA. AO FINAL DE CADA ANO, FAÇA COM TODOS OS ENVOLVIDOS UMA AVALIAÇÃO DO DEBQ.

59 ELEMENTOS BÁSICOS DO PLANEJAMENTO: 1- OBJETIVOS DEFINIDOS: Para que ensinar e aprender? Objetivo Geral: Intencionalidade a grosso modo, objetivo principal: Conhecimento da Palavra de Deus. Objetivos Específicos: Definição realista em número, temporal cada atividade planejada..

60 CONTEÚDOS : O que ensinar e aprender? De acordo com: O que a igreja necessita. Os interesses das faixas etárias. Propostas de autoridades superiores.

61 Consta do currículo a ser adotado para o ano letivo: As revistas e materiais que serão utilizados, estabelecer prazos e agendas para a ministração das aula, o que vai ser estudado e o tempo necessário.

62 3 - MÉTODOS E RECURSOS : Como e com o que ensinar e aprender? É a metodologia que vamos utilizar nas classes. Pequenos grupos, Com debates, Com dramatizações, Com dinâmicas reflexivas,etc.

63 CUIDADO: Método expositivo, onde o professor é o que mais fala e pelos estudos no campo da Psicopedagogia, é a metodologia que menos atinge seus objetivos !

64 Toda a equipe deve estar sintonizada, visualizando a educação de forma mais ampla, democrática, construtora, acolhedora e transformadora da realidade vivencial.

65 O gestor deve procurar conhecer formas de ensinar e passar para os seus professores.

66 A escola precisa investir em recursos, tais como biblioteca, computador, mapa, lousa, mesa, etc, que são fundamentais para um ensino de qualidade. O gestor deve incentivar o professor a utilizar vários recursos em suas aulas para cativar a atenção e a freqüência da classe.

67 4- TEMPO E ESPAÇO: Quando e onde ensinar e aprender? Delimitar espaço, apropriar-se do ambiente educacional é muito importante para a motivação geral do DEBQ. O gestor deve preparar espaços para que as classes funcionem por faixas etárias, por sexo ou centros de interesses.

68 Procure organizar bem o tempo de aula, do café, do encerramento, ou da abertura se achar necessário que tenha no seu DEBQ local. A comunidade posiciona que o tempo está curto para as aulas, organize melhor o plano de aula com os professores, prepare-os para dar conta do conteúdo utilizando o tempo disponível Não é aconselhável mais que uma hora de estudo sem intervalo, a memória já não consegue processar de acordo, dependendo da metodologia utilizada.

69 Se você for gestor regional, oriente seus gestores locais a organizarem, ajude-os, promova cursos, encontros, visitas às escolas com objetivo de fornecer subsídios para a excelência do trabalho na área do ensino. Seu interesse demonstra zelo pelo Palavra de Deus e por esta obra que ele nos engajou.

70 5- AVALIAÇÃO: Como e o que foi efetivamente ensinado e aprendido? Parece que voltamos a etapa inicial, e é isto mesmo, porque planejar é um movimento circular e integrado a todas as etapas, sejam elas preliminares sejam finais.

71 Tal fase depende da intencionalidade, neste caso da mensuração, de rever objetivos, conteúdos, metodologias, tempo e espaço, o que fica para o ano que vem, o que sai, o que aprimora, o que diminui, o que aumenta, enfim, ajustes necessários a todo bom gestor que prima por uma escola de qualidade.

72 Itens básicos que podem compor o PLANEJAMENTO escrito: Recursos Humanos: É a descrição das pessoas e dos cargos que compõem a diretoria, o corpo docente (escala de aulas e definição de classes), a equipe de apoio (merendeiras, limpeza, organização das salas, etc). Recursos Pedagógicos:É a descrição das revistas,materiais e recursos que compõem o currículo do ano letivo. O que será ensinado para cada classe.

73 Levantamento das necessidades e elenco das prioridades do Departamento Previsão orçamentária de investimentos para o ano, bem como formas para sustentabilidade. Regulamentação interna e horário de funcionamento da escola

74 Cronograma anual ou semestral das atividades do DEBQ: Cursos, passeios, eventos, reuniões de trabalho, reuniões de consagração, etc. EXEMPLO PARA REFERÊNCIA: Procure preencher dentro da realidade do seu DEBQ

75 TRABALHO EM GRUPO: Dividir em três equipes que deverão escolher: 1-Dois líderes bíblicos 2- Redigir e analisar seus sucessos e fracassos e por quê os alcançaram. 3- Sorteio para exposição: 1 grupo fala do líder fracassado e outro grupo fala do que teve sucesso TEMPO: 15min para pesquisa 10 min para exposição OBJETIVO: REFLETIR SOBRE LIDERANÇAS.

76 IV PARTE: GESTOR DO DEBQ, UM LÍDER POR EXCELÊNCIA: Não pare de falar esta Palavra, medita Nela dia e noite, para que tenha cuidado de fazer tudo o que está escrito, então você vai prosperar no teu caminho e será bem sucedido. Minha ordem para você é ser forte e corajoso, não tema, nem se espante, porque o Senhor seu Deus é com você em todos os lugares. Josué 1:8e 9.

77 O líder do DEBQ é o antigo superintendente, termo que vem do latim e significa aquele que dirige na qualidade de chefe, em hebraico é inspetor, encarregado, em grego proistemi, aquele que está à frente, o que lidera, o que dirige. Em ambas línguas e significados a função do líder é a mesma, a de liderar, presidir.

78 Romanos 12:7 e 8. Fala sobre cuidado, dedicação, e é isto que Deus espera de nós, pois Ele mesmo nos elegeu para liderarmos.

79 Paulo descreve os líderes como pessoas capacitadas pelo Espírito Santo para administrar, presidir, liderar as atividades executadas pelo Corpo de Cristo para o crescimento do reino de Deus.

80 Em Gênesis 41:34, a bíblia descreve um subordinado especial em posição de supervisão de outros. Funcionário real de confiança que administrava o trabalho e as funções dos soldados, sacerdotes e levitas no Antigo Testamento.

81 Em 2 Crônicas 31:13 e 34:10, 12 e 17 os líderes eram os administradores do templo., cuidavam de tudo, acompanhavam a obra que precisava ser feita e atuavam com liberdade, pois o rei os escolheu e os delegou.

82 PRINCÍPIOS DE UM LÍDER EFICAZ: Os líderes tocam o coração das pessoas, trabalha com a emoção. O potencial de um líder é determinado pelas pessoas mais próximas dele. Liderar é aprendizado, exige respeito, experiência, força emocional, habilidades com pessoas, disciplina, visão, ímpeto e senso de oportunidade.

83 A medida da liderança é a influência.As pessoas seguem o líder, nem que for só por curiosidade. O líder é aquele que vê mais do que os outros, que vê mais longe do que os outros, que vê antes dos outros. Leroy Eins. Aspectos fundamentais que destacam um líder: caráter, relações, conhecimento, intuição, experiência, êxitos passados e capacidade.

84 Líderes seguros delegam poder aos outros, sem medo do outro ser mais forte. Tem credibilidade O único líder verdadeiro é aquele que se reproduz!

85 V PARTE: IDÉIAS INOVADORAS: CUIDADO! A ROTINA É UM PERIGO PARA O DEBQ!

86 Trocar os professores a cada trimestre, mudar de classes. Fazer aula ao ar livre. Convidar um aluno para dar aula Convidar um professor de outra igreja para dar aula. Convidar dois alunos de outra classe para assistir aula e dar opinião.

87 Utilizar versões diferentes da Bíblia, principalmente na linguagem moderna. Eleger o aluno destaque do mês, tirar foto colocar no mural. Fazer gincanas entre classes, não só com jogos competitivos, mas cooperativos. Representação do tema da lição pelos alunos. Afixar o planejamento do DEBQ no mural da igreja.

88 Fazer marketing da escola nos cultos noturnos, mostrando fotos das classes, deixando alunos falarem sobre o que estão aprendendo, etc. Dar certificados de participação aos alunos no final do ano para quem atingir 75% de freqüência. Reconhecer e certificar no Culto solene os professores que fizerem curso de aperfeiçoamentos.

89 Reunir em solenidade especial os professores e valorizar o ministério deles, condecorando com medalhas, ou outro simbolismo, pelo tempo de trabalho como professorou por mérito. Eleger o professor destaque do ano, aquele que não faltou, que acompanhou todos os eventos do DEBQ, etc Dividir a equipe de professores e oficiais, e oportunizar um curso por semestre. Enquanto metade leciona, a outra aprende.O professor se torna aluno.

90 Colocar professor novo estagiando nas classes. Fazer murais com fotos Mandar cartas de felicitações ou mensagens fonadas para os aniversariantes do DEBQ. Promover almoços, jantares para professores.

91 Almoço de aniversariantes do semestre. Passeios: Museu da Bíblia(SP), Barra Bonita(navio, com almoço), zoo, etc.

92 CONSIDERAÇÕES FINAIS: Encorajar as pessoas a sentirem-se responsáveis pelos resultados, como equipe. Sucessos e fracassos são da equipe, não de pessoas. Todos são responsáveis.

93 Cada pessoa tem pelo menos um ponto forte! Sua tarefa é descobrir este ponto, valorizá-lo, utilizá-lo e aprimorá-lo. A seara é grande, pouco são os ceifeiros. Líder gera líder!

94 JESUS : O CONSTRUTOR DE EQUIPES Designou 70 e formou mini equipes de 2 ( Lucas 10:1) Selecionou 12, após passar a noite orando.( Lucas 6:13) Escolheu 3 para a cúpula da liderança.( Mateus 17:1 / 26:37) Amou a todos.( João 13:1)

95 FINALIZANDO: As pessoas tendem a se transformar no que você as encoraja a ser e não naquilo que diz que devem ser, enquanto as aborrece e as incomoda. N. Parker.


Carregar ppt "GESTÃO EDUCACIONAL NO DEBQ Torna-te, pessoalmente, padrão de boas obras. No ensino mostra integridade e reverência. Tito 2:7 O processo de gestão escolar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google