A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MISSÃO INTEGRAL Aliança Bíblica - 2010. Ementa. O objetivo dessa matéria é oferecer uma reflexão bíblica visando definir com clareza a missão integral.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MISSÃO INTEGRAL Aliança Bíblica - 2010. Ementa. O objetivo dessa matéria é oferecer uma reflexão bíblica visando definir com clareza a missão integral."— Transcrição da apresentação:

1 MISSÃO INTEGRAL Aliança Bíblica

2 Ementa. O objetivo dessa matéria é oferecer uma reflexão bíblica visando definir com clareza a missão integral da igreja no mundo.

3 Conteúdo. O curso foi dividido em duas áreas principais. A primeira parte apresenta uma introdução a missão integral e dá uma visão panorâmica da situação no mundo A segunda parte examina as principais bases bíblicas e teológicas para a missão integral.

4 Missão da Igreja. Qual é a missão da Igreja? Como a igreja cumpre sua missão?

5 Missão da Igreja. Algumas respostas: 1.evangelizar 2.salvar almas 3.Libertar as pessoas do fogo do inferno

6 Missão da Igreja. Porque falar de Missão Integral agora? A igreja não tinha isto antes? Qual era o entendimento de missão da igreja?

7 Missão Integral O conceito de missão integral tem se imposto nesta última década, especialmente em círculos evangélicos mais abertos do terceiro mundo, como uma forma útil de expressar a consciência de que o evangelho tem, além da sua dimensão evangelística, uma inelutável dimensão de responsabilidade social. Enio R. Mueller.

8 Missão da Igreja. Tanto na Bíblia como na história da Igreja encontramos muitos exemplos do envolvimento da igreja com a sociedade. Podemos citar Basílio de Cesárea, a igreja primitiva em Roma, John Wesley, Wilbeforce, entre outros. Mas, porque e quando mudou?

9 As Razões da Grande Reviravolta: 1.Luta contra a teologia liberal na virada do Século XIX para o Século XX. Nessa época os evangélicos estavam tão ocupados em vindicar os fundamentos da fé que julgavam não haver tempo a perder com preocupações sociais. (Os Fundamentos da Fé Cristã). Um dos aspectos da teologia fundamentalista é que a mesma defende um afastamento de tudo que fosse sócio-político. Não foram poucos os missionários de cunho fundamentalista que vieram para a América Latina com uma proposta de alienação, escapismo e não envolvimento.

10 2. A teologia Pré-Milenista O mundo é um lugar onde as forças do mal lutam contra as forças do bem. A esperança para o melhoramento da má situação da humanidade é cristológica, dependente do retorno de Cristo, ao invés de ser antropológica, através do desenvolvimento progressivo humano na história. Esta posição teológica é reducionista no seu conceito da missão da igreja, ou seja, a igreja não se envolve nas questões de cunho social. De acordo com este pensamento, à igreja cabe apenas a responsabilidade de pregar o Evangelho, e nada mais.

11 Este mundo é um navio naufragando...Deus me deu um barco salva-vidas e disse: Moody, salve todos os que você puder. (D.L.Moody) A melhor ajuda que um pastor pode trazer aos problemas sociais da comunidade é humilhar-se perante Deus, arrepender-se de seus pecados, receber o enchimento do Espírito Santo e pregar o evangelho puro de amor compassivo. Charles I. Scofield – líder dispensacionalista.

12 3. Reação contra o Evangelho Social Com uma visão romântica do reino de Deus os adeptos do evangelho social acreditavam que evangelizar significava ajudar as pessoas a alcançarem o máximo de seu potencial.

13 O alvo comum da igreja e do Estado é transformar a humanidade no Reino de Deus Não se trata de levar indivíduos para o céu, mas transformar a vida aqui na terra na harmonia do céu. O propósito essencial do cristianismo é transformar a sociedade humana em Reino de Deus através da regeneração de todos os relacionamentos humanos. Walter Rauschenbush

14 Não é de se admirar que tenha surgido uma polêmica entre os fundamentalistas e os adeptos do evangelho social. Os últimos decidiram se afastar de todo envolvimento social para se concentrarem na evangelização. Por causa disto e apesar das suas boas intenções, os missionários fundamentalistas que vieram a América Latina, não incluíram em seus ensinamentos nada do muito que a Bíblia ensina sobre deveres e responsabilidades sociais do povo de Deus.

15 Este aspecto mais o elemento pré-milenista dos missionários, na prática significa eximir-se da necessidade de enfrentar a iniquidade social, já que tudo se resolverá quando Jesus reinará no milênio. O resultado disso é que não há necessidade de gastar dinheiro, tempo, energia, ou seja o que for, em questões de ordem social. Se é para gastar, que se gaste salvando almas.

16 4. 1° Guerra Mundial Um outra razão que levou os evangélicos a negligenciarem a responsabilidade social foi a desilusão e o pessimismo que se seguiram a 1º Guerra Mundial, devido a exposição da maldade humana. Programas sociais anteriores haviam falhado. O homem e a sociedade pareciam irreformáveis. Qualquer tentativa de reforma era inútil.

17 5. Difusão do cristianismo entre a classe média Outra razão de os evangélicos se alienarem das questões sociais foi provavelmente a difusão do cristianismo entre as pessoas da classe média, cuja tendência era diluí-lo no processo de sua identificação com a própria cultura. Este foi, sem dúvida alguma, um dos fatores subjacentes nas descobertas sociológicas americanas apresentadas por Milton Rokeach em 1969 e sumarizadas por David O. Moberg. Tanto um quanto outro criticaram fortemente as influências sociais negativas da religião organizada.

18 O quadro geral que emerge dos resultados apresentados(...) é que aqueles que superestimam a salvação são conservadores, ansiosos por manter o status-quo e simpatizantes ou indiferentes às causas do negro e do pobre (...) Considerados em conjunto, os danos sugerem um quadro do religioso como sendo uma pessoa com uma egocêntrica preocupação com a salvação de sua própria alma, uma orientação voltada para outro mundo, e isto adicionado a uma indiferença (ou até mesmo um tácito endosso) ao sistema social que tende a perpetuar a desigualdade e a injustiça social. David O. Moberg

19 Embora tenhamos mencionado anteriormente alguns bons exemplos de ação social, principalmente nos séculos XVIII e XIX, com certeza houve outras situações em que a igreja não agiu no que concerne à opressão e à exploração, não agiu contra esses males ou sequer protestou contra eles.

20 No Brasil, apesar de algumas iniciativas, a maior parte da comunidade evangélica mantém uma postura avessa ao envolvimento em problemas sociais. Por trás disso, esconde-se o receio de ser confundida com a igreja católica Romana e sua pregação de justificação pelas obras, ou com os espíritas e sua crença na importância das boas obras para o desenvolvimento espiritual do ser humano, ou, quem sabe, até com comunistas ateus. Não raro, o máximo que tem acontecido na comunidade evangélica é o atendimento pastoral aos membros da igreja.

21 Reviravolta da Grande Reviravolta 1. O Pacto de Lausanne – participantes de 150 nações endossaram o lema: Que o Mundo Ouça a sua voz. Três seções introdutórias sobre o propósito de Deus, a autoridade da Bíblia e a singularidade de Cristo Quarta palestra: A Natureza da Evangelização Quinta palestra: A responsabilidade Social Cristã Que declara que a evangelização e o envolvimento sócio-político são ambos parte do nosso dever cristão.

22 2. Consulta sobre a Relação entre a Evangelização e a Responsabilidade Social – Grand Rapids – 1982 Relatório Final: Evangelismo e Responsabilidade Social: Um compromisso Evangélico. A atividade social é tanto uma conseqüência quanto uma ponte para a evangelização, e os dois são parceiros. Os dois se unem pelo evangelho, pois este é a raiz de onde brotam tanto o evangelismo quanto a responsabilidade social.

23 Missão da Igreja. Algumas coisas importantes e específicas que se tem em mente quando falamos de missão integral da igreja: 1.A igreja tem uma vocação prioritariamente missionária e que, no cumprimento da sua vocação, ela caminha comprometida com a proclamação, em palavra e ação, do Evangelho de Jesus Cristo. Isto quer dizer que, dentre todas as coisas que a igreja está convocada a fazer, a missão é prioritária e que nem tudo o que a igreja faz é missão.

24 Se tudo que a igreja faz é missão, então nada é missão. (Bispo Stephen Nill)

25 Missão, portanto, não significa tudo que a igreja faz (não inclui nem mesmo o culto, por exemplo). Dizer que a igreja é missão soa bem, mas não passa de exagero. A palavra missão não serve tampouco, para designar tudo que Deus faz na terra. Pois Deus é criador e permanece em constante atividade no mundo, tanto na providência como na graça comum. Outra coisa, porém, são os propósitos pelos quais Deus mandou o seu filho, o seu Espírito Santo, os seus apóstolos e a sua igreja ao mundo. Missão, antes de tudo, significa tudo aquilo que a igreja é enviada ao mundo para fazer. Ela abriga a dupla vocação da igreja, que é ser o sal da terra e luz do mundo. Pois Cristo envia a igreja à terra para ser o sal dela e a envia ao mundo para que lhe sirva de luz. John Stott.

26 Missão da Igreja. 2. A missão da igreja é mais do que a proclamação verbal e linear do Evangelho. A missão tem um compromisso com todo o conselho de Deus e seu relacionamento com toda a vida, alcançando-a em sua expressão comunitária e pessoal. Costuma-se dizer que a missão da igreja é evangelizar. Mas qualquer evangelização que queira apenas salvar almas empobrece o evangelho, tem uma salvação unilateral e não dignifica o ser humano como criado por Deus à sua imagem.

27 3. Missão integral = resgatar o princípio da encarnação como sendo de fundamental importância para a vivência do que venha a ser a missão da igreja. Deus mesmo, ao determinar que o Verbo se fizesse carne, estabeleceu o modelo maior do que significa viver missionariamente, segundo o coração do próprio Deus. Encarnação significa relação, compromisso e identificação. Relação = porque Deus prioriza a individualidade da pessoa e a proximidade, e não o anonimato e a distância. Compromisso = Doação, e não cobrança. Deus se deu em Cristo Jesus e por isso missão se faz com espírito de doação. Deus-Homem = ao assumir forma humana Deus se identificou conosco, chegou perto e repartiu espaço. Evangelho = vem em forma de linguagem local, querendo vestir a roupa da gente e exalando o cheiro da nossa terra. América Latina = no nosso contexto, encarnação significa pobreza. O pobre tem um lugar prioritário na vida da igreja em missão no Continente.

28 Sustentamos que uma evangelização que não toma conhecimento dos problemas sociais e que não anuncia a salvação e soberania de Cristo dentro do contexto no qual vivem os que ouvem, é uma evangelização defeituosa, que trai o ensino bíblico e não segue o modelo proposto por Cristo, que envia o evangelista. Samuel Escobar

29 4. Missão integral = missão abraçada pela igreja. Só existe uma igreja, que é a igreja em missão Só existe uma missão, que é a missão da igreja. Num mundo de tantos departamentos e num quadro eclesiástico de tantas agências, é preciso repetir que a missão é tarefa da igreja – concreta e local – mesmo quando levada a cabo por determinados grupos ou setores do Corpo de Cristo. A igreja é o ponto de partida e o ponto de chegada do trabalho missionário.

30 5. A missão integral afirma a busca pela unidade da igreja. João 17. A partir desta oração sacerdotal de Jesus, a unidade e a missão da igreja pertencem uma à outra, assim como o Pai e o Filho se pertencem um ao outro. 6. A missão integral quer estar a serviço de uma igreja que desperta para o seu chamado missionário, inclusive e também de cunho transcultural.

31 7. A moldura maior dentro da qual acontece a missão é o conceito de Reino de Deus. Aliás, a missão está a serviço do Reino...da sua concretização histórica e do seu anúncio escatológico. Uma missiologia do Reino de Deus se propõe a seguir as pegadas de Jesus. É sensível para com as necessidades humanas e pessoais e responde a elas em nome de Jesus, enquanto aguarda o dia em que Deus será tudo em todos e quando toda lágrima será enxugada. Essa missiologia quer caminhar nas pegadas de Lucas 4:18-19:

32 O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor

33 Mas, qual é a realidade do mundo?

34

35 Algumas vezes eu penso Se eu morrer, eu não terei que ver meus filhos sofrendo como estão. Algumas vezes eu até penso em me matar, tantas vezes eu os vejo chorando, com fome; e lá estou eu, sem um centavo para comprar pão para eles. Eu penso Meu Deus, eu não agüento mais! Eu vou acabar com minha vida, eu não quero mais ver isto Iracema da Silva Residente de uma favela.

36

37 O tamanho do problema 6 bilhões de pessoas na terra(6,800,000,000) 3.3 Sofrem as efeitos da pobreza(3,300,000,000) 2 bilhões vivem na pobreza(2,000,000,000) bilhões vivem na miséria (1.300,000,000) 1 bilhão não tem água tratada(1,000,000,000) 1.5 bilhões sofrem com poluição do ar (1,500,000,000) 2.60 bilhões não tem saneamento(2,250,000,000)

38 O Que é Pobreza? O Banco Mundial defina pobreza assim: Pobreza é quando alguém vive com menos de $2 por dia. Para uma família com duas crianças: 4 x 2 = $ 8 = R$14 por dia ou R$434 por mês Pobreza absoluta é quando alguém vive com menos de $1 por dia. Para uma família com duas crianças: 4 x 1 = $4 = R$7 por dia ou R$216 por mês

39

40 1. É muito difícil dividir países em ricos e pobres, 1° e 3° mundo.

41 Historicamente o mundo era dividido entre 1°, 2° e 3° mundo Hoje em dia o Banco Mundial juntamente com outras agências de desenvolvimento dividem o mundo em quatro níveis de desenvolvimento.

42 Renda Baixa bilhões de pessoas Índia - China - Bangladesh - Geórgia - Armênia PIB fica entre $90 - $660 per capita Mortalidade Infantil é nove vezes mais alta nestes países do que nos países desenvolvidos. Analfabetismo: mais ou menos 59% Renda Média Baixa bilhões de pessoas PIB fica entre $696 - $3005 Maioria dos países Latino Americanos Países Africanos ricos - Camarões Nações Asiáticas – Filipinas – Tailândia, Rússia e a Ucrânia

43 Renda Média Alta milhões de pessoas PIB fica entre $ Países Ricos da América Latina – México (Argentina era um deles) Países com desenvolvimento acelerado (Coréia do Sul). Renda Alta – 812 milhões de Pessoas PIB fica entre $ Nova Zelândia – Reino Unido – EUA – Suíça - Japão.

44 Renda Baixa bilhões de pessoas Renda Média Baixa bilhões de pessoas Renda Média Alta milhões de pessoas Renda Alta – 812 milhões de Pessoas Brasil? Renda Média Alta milhões de pessoas

45 Um grande problema com esta maneira de medir pobreza é que ela não leva em consideração o custo de vida ou as diferenças cambiais. Uma lata de refrigerante no Brasil = R$1 até R$2 Uma lata de refrigerante na Inglaterra = R$2 até R$5

46 No passado países inteiros sofriam com a pobreza, mas hoje em dia este não é mais o caso.

47

48 Definição: Pobreza Falta de renda e recursos produtivos que assegurem a sustentação de um meio de vida; fome e subnutrição; má saúde; sem acesso a educação formal e outros serviços básicos; crescimento da taxa de mortalidade por causa de doenças; falta de habitação e falta de habitação adequada; meio-ambiente perigoso, discriminação e exclusão social. É caracterizada por falta de participação no processo de tomar decisões, e da vida civil, social e cultural.

49 É uma condição caracterizada por depravação completa das necessidades humanas básicas incluindo alimentação, água potável, saneamento, saúde, habitação, educação e informação. No caso de pobreza absoluta/extrema estas deficiências ameaçam a vida. Definição: Pobreza Absoluta/Extrema

50 No terceiro mundo o nível de pobreza baixou de 35% para 20% entre 1970 e Mas nem todas as notícias são ruins. Isto se deve principalmente ao grande crescimento econômico na Indonésia e Ásia e Sub - Saara África No mesmo período o nível de pobreza cresceu 9% na América Latina.

51 Se você tem um teto sobre a sua cabeça e comida na sua mesa todos os dias, você tem uma qualidade de vida melhor do que 55% da população do mundo crianças vão morrer hoje de fome e doenças que poderiam ser curadas facilmente. Ou 1000 cada hora Ou 17 no minuto que paramos agora

52 pessoas vão morrer este ano de doenças facilmente curáveis. 550 Mulheres vã morrer hoje no resultado de abortos clandestino 55,000,000 nenês vão ser abortados neste ano no mundo 1,400,000 abortos vão ser feito no Brasil neste ano.

53 AUTO RUN STARS NEXT SLIDE

54 Oi, amigo, você gosta de crianças?

55 Certo, olhe, eles não são adoráveis?

56

57

58

59

60

61

62 Amáveis?

63 Sim, muito doces

64 Você tem alguma idéia sobre...

65 …a existência de algumas crianças diferentes?

66 Em algum lugar na mesma terra e ao mesmo tempo?

67

68

69

70

71

72

73 Elas são diferentes?

74 Não, elas não são.

75 Elas também foram criadas na imagem de Deus

76

77 Elas são diferentes?

78 Sim, elas são.

79 Algumas delas estão pensando sobre...

80 ...que sabor de sorvete elas vão tomar hoje à noite,

81 Mas algumas delas…

82 Estão pensando sobre uma coisa,

83 Somente uma coisa,

84 … … SOBREVIVÊNCIA

85 Elas são diferentes? POR QUÊ e COMO?

86 Diga-me sua resposta, meu amigo.

87

88

89

90 BRASIL

91 Brasil Brasil é a 8ª economia do mundo. Infelizmente o Brasil também tem a pior distribuição de riqueza do mundo. 66% dos brasileiros vivem em alguma forma de pobreza = 112 milhões. Números mais conservativos estimam que 32.9 milhões de brasileiros vivem em pobreza constante. 500,000 crianças ainda estão envolvidas com prostituição.

92 Brasil Este ano 1,400,000 abortos vão ser feitos no Brasil.

93 10% mais ricos ficam com 51.3% da Renda do país. 10% mais pobres ficam com 0,9% da Renda do país BRASIL

94 Você acha que a diferença entre os ricos e os pobres está aumentando ou diminuindo?

95 Todos os anos desde 1950 a disparidade entre ricos e pobres tem aumentado

96

97 Os países pobres, com algumas exceções, ficam no hemisfério sul e os ricos no norte

98 Quão ricos são os 20% mais ricos no mundo em comparação com os 20% mais pobres?

99 150 Vezes!

100 Quanto Rico Você é?

101 JUBILUE?

102 O mundo tem seis bilhões de pessoas. A renda das 358 pessoas mais ricas é igual a renda das 2,7 bilhões de pessoas mais pobres!

103 E OS RICOS?

104

105

106

107

108

109

110

111

112

113

114 $=?

115 $14,99

116 $169.95

117 $129,95

118

119 $159,00

120 $99.99

121 $69.95

122 $59,99

123 $84,95

124 $=?

125 A$14,99 B$169,95 C$129,95 D$129,95 E$159,95 F$99,99 G$69,95 H$59,99 I$84,95 $849.67

126 Racionalizando a nossa Riqueza Três respostas mais comuns

127 1. Ética do Barco Salva-Vidas 2. Efeito Pinga-Pinga 3. Para Evangelizar os Ricos.

128 A expressão foi inventada por Garrett Hardin (Universidade da Califórnia). Ele começou um grande debate quando escreveu um artigo chamado Um Argumento contra ajudar os pobres ( A Case against helping the poor (1974)) Acredita que cada país rico é um barco salva-vidas. Acredita que os países ricos só vão sobreviver se não desperdiçarem seus recursos com nações pobres. Se nós comermos juntos hoje, vamos morrer de fome juntos amanhã. 1. Ética do Barco Salva-Vidas

129 Acredita que os países pobres são irresponsáveis pois tem um crescimento alto da população e que a fome é o melhor método de controle. Acredita que mesmo que os países ricos pudessem ajudar os países pobres isto iria somente adiar o dia em que eles morreriam de fome pois eles iriam crescer numericamente ainda mais rápido. Hardin ignorou dados que mostravam que os países pobres podem, e tem diminuído e taxa de natalidade quando eles são ajudados a se desenvolver.

130 Esta teoria argumenta que se os ricos comprarem mais isto vai ajudar os pobres. Se comprarmos mais carros, televisores, computadores, etc., eventualmente o dinheiro que é gasto ira chegar aos poucos aos pobres, pois produzirá mais empregos. 2. Efeito Pinga-Pinga Problemas com esta teoria É difícil de defender que a pouca quantia que talvez chegue aos pobres será tão eficaz quanto se o dinheiro fosse dado a uma agência de desenvolvimento. Pessoas que mantém esta visão ignoram completamente os dados que provam o contrário.

131 Alguns evangélicos defendem que eles tem que viver um modo de vida mais ostentoso para evangelizar os ricos. Ex.: Garden Grove Evangelical Church (Califórnia). Esta igreja tem no momento um prédio que vale milhões de dólares com chafariz que o pastor pode acionar do púlpito. Como eles justificam isto? 3. Para Evangelizar os Ricos.

132 Nós estamos tentando impressionar os ricos americanos sem religião. É óbvio que não estamos tentando impressionar Cristãos. Nem estamos tentando impressionar os assistentes sociais. Eles nos diriam que deveríamos nos contentar com o nosso templo antigo e dar o dinheiro aos pobres. Mas vamos supor que tivéssemos feito isso? Nós ainda teríamos os pobres e famintos e Deus não teria esta tremenda base de operações que Ele está usando para inspirar pessoas a se tornarem mais bem sucedidas, mais ricas e mais genuinamente generosas nas suas ofertas. Pastor Robert Schuller.

133 1.Quanto do meu modo de vida esta diretamente relacionado com meu testemunho para o meu vizinho rico? 2.Quanto dos meus bens pode ser dado aos pobres sem afetar meu testemunho? 3.Na verdade quanto das minhas riquezas eu posso abandonar para ser fiel a Cristo que disse que aquele que não alimenta o pobre está condenado eternamente (não pertence a ele)? (Mt. 25:45-46) Perguntas para nós

134 Pai Desconhecido deus Deus Achamoth Demiuge Materia Má Fez os Humanos Usando matéria má Mais alguns espíritos Bons. JESUS

135 O que acontece quando acreditamos que somente o lado espiritual tem importância Eterna Quando pensamos sobre nosso pecados, onde eles normalmente ocorrem? No mundo físico Redenção: a remoção dos efeitos do pecado se torna algo que só pode acontecer no futuro. Redenção se torna algo puramente pessoal que não tem efeitos no mundo. Desvaloriza a presença de Deus no mundo e na criação. Desvaloriza o pobre que também foi feito por Deus. Nega os efeitos do pecado corporativo.

136 Os efeitos do Gnosticismo no envolvimento da igreja com a Sociedade 1. A separação entre os aspectos físicos e o espirituais da vida tem conseqüências importantes para o desenvolvimento. 2. Geralmente dá prioridade ao espiritual. 3. O aspecto acima é muito diferente da cosmovisão bíblica. 4. A separação entre espiritual e físico apareceu primeiro no terceiro século. 5. Esta enraizado no Gnosticismo. Não é uma teoria cristão.

137 Será que existe um lugar para os cristãos se envolverem com política e ação social? Se sim, será que nossa teologia e discernimento bíblico deveriam afetar a maneira como nos envolvemos? Será que é absolutamente necessário para a igreja se envolver com estas áreas?

138 TEOLOGIA Literalmente o estudo de Deus – mas para nós cristãos tem que ser mais do que isto. Não existe muito sentido em estudar Deus se o que aprendemos não muda a maneira como vivemos. Se você estuda sobre a Trindade por quatro anos e pode explicá-la para qualquer pessoa mas ela não transforma a maneira como você vive, não valeu de nada todo o seu esforço.

139 COSMOVISÃO Toda cosmovisão está baseada na resposta dada a três perguntas básicas:

140 1.Origem do universo e da humanidade. De onde viemos, como chegamos aqui. Não podemos saber o que somos a menos que saibamos de onde viemos e para que estamos aqui. 2.A presente condição da humanidade. Qual é o problema e de onde vem? Vem de dentro de nós, opressão, falhas nas estrelas, está dentro de nós? 3.Realização da natureza humana. Como a humanidade chega ao seu alvo máximo, a ser o mais humana possível. Temos várias propostas para que a humanidade chegue ao seu alvo. Marxismo, Nova Era, Espiritismo Kardecista são exemplos de propostas.

141 A apresentação da proposta ou cosmovisão cristã está em Gênesis 1-2-3:

142 1.Criação: Deus Criou com um Propósito 2.Queda: O problema é o pecado 3.Redenção: é a realização da natureza humana de acordo com a vontade de Deus para a humanidade

143 Estes três aspectos, ou o que pensamos deles afetarão nossas decisões éticas o tempo todo.

144 O que diz a Bíblia

145

146 A CRIAÇÃO

147 1.Criação ex-nihilo: Com as palavras iniciais de Ge 1:1 a pré-existência de Deus em relação a todas as coisas ficou estabelecida. Ele criou tudo a partir do nada, sem material pré-existente (ex-nihilo) e como tal é a fonte de todas as coisas as quais ele declarou muito boas (Ge 1:31) 2. Cada ato da criação foi deliberado: como Deus criou do nada, cada parte da criação foi um ato bom e deliberado a partir do amor. 3. Deus criou o trabalho, antes da queda. O mesmo não é resultado da queda da humanidade.

148 4. O ato original da criação divina é original. Humanamente falando uma idéia nunca é totalmente original e desconhecida, estas são raras. Mesmo assim usam o que já foi inventado por Deus. Deus não está limitado a nada externo a ele. Suas únicas limitações são sua própria natureza e as escolhas que faz. 5. Também significa que nada que foi feito é intrinsecamente mau. Deus viu o que criou e considerou boa cinco vezes. (Ge 1.10; 12,18, 21, 25). Viu o ser humano e considerou bom Ge Não podemos fazer um dualismo entre uma esfera superior divina e uma esfera inferior não divina. Se tudo deve sua existência a Deus e tudo que Deus fez era totalmente bom, Não podemos pensar que a matéria seja inerente ou intrinsecamente má.

149 6. A doutrina da criação também impõe uma responsabilidade sobre a raça humana. Não podemos culpar nosso comportamento culpando a malignidade da esfera material. O mundo material não é inerentemente mau. Nosso pecado deve ser um exercício de nossa liberdade. Também não podemos culpar a sociedade. A sociedade humana também fazia parte do que Deus fez, e era muito boa. Ver a sociedade como a causa do pecado é, portanto, uma manobra imprecisa e enganosa. Nós corrompemos a sociedade. 7. A doutrina da criação não nos deixa depreciar a encarnação de Cristo. Se o mundo material fosse inerentemente mau, seria muito difícil aceitar o fato de que a Segunda pessoa da trindade assumiu a forma humana, incluindo um corpo material.

150 8. A doutrina da criação nos ajuda a evitar o asceticismo. A crença na idéia de que a natureza física é má têm levado muitos, incluindo cristãos, a se esquivar do corpo humano e de qualquer tipo de satisfação física. O espírito sendo mais divino é a esfera apropriada do bem e da piedade. Meditação, uma dieta austera, abstinência do sexo, são consideradas condições de espiritualidade. Mas a doutrina da criação afirma que Deus fez todas as coisas e as fez boas. Tudo, portanto, é redimível. Para encontrar a salvação e a espiritualidade, não se deve fugir da esfera material nem evitá-la, mas santificá-la.

151 9. Somos um com a natureza e as outras pessoas. Somos da mesma família. A negação deste princípio por cristãos tem negado a importância de se cuidar do mundo, da natureza e etc. 10. A doutrina cristã da criação também rejeita o panteísmo. A idéia que a criação é parte de Deus e de alguma forma também divina. Então pedras não têm poder, nada na natureza tem poder em si. Nada é divino, só Deus. Todo o restante é criatura e dependente de Deus e nenhuma jamais poderá se igualar a Deus, pois só Deus é o criador da realidade. Por isso não podemos adorar nada a não ser Deus.

152 SERES HUMANOS Somos criatura. Não temos vida independente. A humanidade faz parte da criação. Fomos criados em um dos dias da criação, então somos mais ligados a criação do que a Deus. Isso significa que deveria ter harmonia entre nós e o restante das criaturas. Ecologia (casa) da idéia de uma família. Humanidade ocupa um lugar singular na criação. Imagem e semelhança. O resto foi feito segundo a sua espécie. Há um vínculo comum entre todos os seres humanos. Descendência de um único par original significa que estamos todos relacionados uns com os outros, mesmo os não cristãos. Mas somos todos filhos rebeldes e alienados de Deus e uns dos outros.

153 Somos limitados. Devemos ser humildes e saber que todos os nossos julgamentos podem estar errados. A limitação é propósito de Deus. Portanto não é má. Os seres humanos são algo maravilhoso. Devemos apreciar as habilidades e realizações da humanidade. Somos dotados de poder criativo, mas não de poder de criar.

154 A imagem de Deus nos Seres Humanos: Por mais que nossa resposta à pergunta - De onde vieram os seres humanos - seja importante para compreendermos quem são e o que são os seres humanos, ela não nos diz tudo que precisamos saber. Ainda precisamos saber o que foi que Deus fez surgir quando criou a humanidade. Se investigarmos a descrição bíblica da humanidade, vamos descobrir que as pessoas hoje estão, na realidade, numa condição anormal. O verdadeiro ser humano não é o que encontramos na sociedade humana. O verdadeiro homem é o ser que surgiu da mão de Deus, intocado pelo pecado e pela queda. Na plena acepção da palavra, os únicos seres humanos verdadeiros são Adão e Eva, antes da queda e Jesus. Todos os outros são exemplares deformados, distorcidos, corrompidos da humanidade. Portanto é necessário olhar para os seres humanos em seu estado original e para Cristo a fim de avaliarmos corretamente o que significa ser humano. O que caracteriza os seres humanos do resto da criação é que os mesmos foram feitos a imagem e semelhança de Deus.

155 A imagem de Deus nos Seres Humanos: O conceito é crucial, pois é a imagem de Deus que nos faz humanos. 1.A imagem de Deus é universal em toda a raça humana. 2.Não se perdeu em conseqüência do pecado, ou especificamente na queda. 3.Está presente em todos na mesma quantidade. 4.A imagem é algo localizado na própria natureza dos seres humanos, na maneira pela qual são formados. Ela diz respeito ao que somos, não ao que temos ou fazemos.

156 5. A imagem diz respeito aos elementos que, na constituição dos seres humanos permite-lhes o cumprimento de seu destino. A imagem consiste nas aptidões da personalidade que fazem com que cada ser humano seja, como Deus, capaz de interagir com outras pessoas, pensar e refletir, e possuir livre arbítrio. A criação divino tinha propósitos definidos. Os homens deviam conhecer amar e obedecer a Deus. Deviam viver em harmonia uns com os outros. Somos mais plenamente humanos quando somos ativos nesses relacionamentos exercemos essa função, pois estamos cumprindo nosso telos, o propósito de Deus para nós. Mas esses fatos são conseqüências ou aplicações da imagem. A imagem em si é aquele conjunto de qualidades de Deus que, refletidas nos seres humanos, tornam possíveis os relacionamentos e o exercício do domínio.

157 A intenção de Deus é que um senso semelhante de comunhão, obediência e amor caracterizem nosso relacionamento com Deus e que os seres humanos estejam ligados uns aos outros pelo amor. Somos completamente humanos apenas quando manifestamos essas características Jesus mostrou a verdadeira imagem de Deus: a. Tinha perfeita comunhão com o pai b. Ele obedeceu perfeitamente a vontade do pai. c. Jesus sempre demonstrou um grande amor pelos seres humanos.

158 A criação do homem a imagem de Deus é direcionado a alguma coisa que acontece entre Deus e o ser humano.

159 A imagem de Deus permite a humanidade refletir as atitudes de Deus quando ela administra a Sua criação, isto oposto a nos dar autoridade autônoma de agir como Deus. É neste contexto fundamental de relacionamento que a humanidade é mandada a dominar, subjugar (Gn 1:28) cuidar e trabalhar no Éden (Gn 2:15) Estes mandamentos são dados antes da queda, antes de Adão conhecer o mal. Adão vivia em total harmonia com seu meio-ambiente.

160 Quando Adão e Eva foram colocados no Éden o mundo era perfeito. Sem morte, sem dor, sem lágrimas, sem fome, sem conflitos entre os gêneros. De acordo com Ap 21:4-34 nós vamos voltar a este estado quando Cristo retornar e vamos morar com ele no Novo Céu e na Nova Terra.

161 A tragédia do pecado destruiu a boa ordem da criação. A desobediência (Gn 3:6) trouxe fratricídio (4:8), bigamia (4:19) e assassinato (4:23ss). A graça de Deus que luta contra o pecado para preservar o sentido original da boa criação divina, triunfará ao fim, plenamente, em uma nova criação, ainda melhor que a primeira. Is 65:17-20 – 66:22 Mas o que deve acontecer neste meio tempo? Como deveríamos viver agora? O que a Bíblia diz sobre isto.

162 Se alguém está em Cristo, é nova criatura: as cousas antigas já passaram; eis que todas as coisas se fizeram novas. (2 Co 5:17). Aqui surgem as frases idênticas de Is 65:17 e Ap 21:1,4. O cristão regenerado é nova criação, não somente porque é agora um indivíduo transformado por Cristo, mas também, e mais profundamente porque nasceu já é nova criação que Cristo trouxe e trará ao final da história. Por esta mesma razão, para Tiago, os que nasceram pela Palavra são chamados a ser primícias de suas criaturas (Tg 1:18). Em Cristo Deus recapitula a primeira criação.

163 Porque Deus nos deu a Bíblia? Testemunho da ação dele no mundo Nos mostrar quem é o ser humano e do que o mesmo é capaz de fazer e do que não consegue fazer (como salvar a si mesmo) Mostrar suas tentativas para se aproximar de nós. Mostrar quem ele é e sua intervenção na história da humanidade Mostrar o caminho para a salvação, o caminho de volta para ele e para uma plenitude de vida, vida em abundância.

164 Para entender a História da Salvação revelada nas Escrituras não é possível fazê-lo com versículos isolados. Tem-se que levar em consideração o todo, ter uma visão global de Gênesis a Apocalipse.

165 Muitas igrejas partem do pressuposto que a missão da igreja é chegar ao fim dos tempos com o maior número de cristãos possíveis. Esta teoria faz uma leitura da missão da igreja a partir do fim, de Apocalipse, sem levar em consideração o começo da história da humanidade e o decorrer da história revelada nas escrituras como base para a missão da igreja.

166 A Bíblia começa com as mesmas palavras que ela termina: Ge 1:1 e Ap 21:14. A mensagem da Bíblia é a longa marcha desde a primeira criação até a outra criação nova e perfeita, e nessa marcha se realiza o plano divino da salvação. Para surpresa nossa, a história da Bíblia não começa na terra para terminar no céu, porém começa nesta terra para chegar à terra nova que há de nos dar o Criador. Entendemos assim que, sem uma adequada teologia da Criação, não podendo haver uma teologia realmente bíblica da Missão da Igreja.

167 ABRAÃO Porém, diante da história de pecado, des-graça e maldição que prevalece em Gênesis 4-11, Deus inicia com Abraão uma nova história, de graça e benção (Gn 12:13). A Abraão e Sara Deus promete criar por graça uma nova nação (produto, não de Babel, mas de Javé). Essa nação, tirada do meio das nações, voltará a elas para ser-lhes benção. (Gn 12:2-3; 18:17ss...) Benção = Bem-estar. Benção é shalom, é vida (Dt 30:19,20), e vida abundante, em todas as dimensões e relações.

168 Gn 50:19,20 Esta é a mensagem conclusiva de Gênesis: o povo de Deus começou a servir de benção às nações, como instrumento de Deus para preservar a vida entre os povos. E isto será parte integrante, para sempre, da natureza e da vocação do Povo de Deus. Quando Israel deixa de ser benção para os demais, Javé a denuncia (Zc 8:13 – Jr 4:4; 26:6) e promete um novo povo que será benção entre as nações (Zc 2:11; 8:13; Ez 36:23). Então as demais nações participarão também da vocação do Povo de Deus, Is 19:24ss.

169 Esta linha de pensamento também é proeminente no Novo Testamento: Mt 3:9 – O Deus de Abraão, Isaque e Jacó não é Deus de mortos e sim de vivos. Mt 22:32; Mc 12:26ss – É Deus de ressurreição Lc 16:22 – Lázaro encontrou repouso no seio de Abraão. Mt 8:11-13; Lc 13:23-30 – Gentios estarão no grande banquete com Abraão, no Reino de Deus, enquanto os Judeus incrédulos, excluídos, rangerão os dentes. Tanto Maria (Lc 1:55) e Zacarias (1:73) vêem o nascimento do Messias como cumprimento da promessa a Abraão. (At 3:20-26)

170 Várias passagens neotestamentárias dão uma interpretação cristológica à história de Abraão. O grande discurso sobre a luz do mundo dedica uma ampla passagem a Abraão - João 8: Os que rejeitam a Cristo não podem ser verdadeiros filhos de Abraão, pois Abraão alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se (8:56).

171 Essa benção às nações, que Deus prometeu a Abraão e que Cristo realizou com sua morte, cumpre-se cabalmente no Apocalipse. Ap1:5 - 12:5 - Cristo é o soberano dos reis da terra 22:3 – na nova Jerusalém nunca haverá qualquer maldição. 14:6 – (Mt 24:14) O evangelho será pregado a cada nação, e tribo e língua e povo 5:9 – (7:9) e os remidos de toda tribo, língua, povo e nação adorarão ao Senhor. Ap 21: 24-22:5 -

172 CONCLUSÃO Se pretendemos compreender o evangelho e a missão da igreja conforme a Escritura toda, de Gênesis até Apocalipse, teremos que entendê-lo clara e objetivamente como benção às nações. Benção espiritual, por fé na morte de Cristo, evidentemente. Benção pessoal, ao conhecer pessoalmente a Cristo, com certeza.

173 Mas também, benção física e material, no verdadeiro sentido hebraico de benção. O pecado é maldição, mas o evangelho é benção. Os que foram tocados pela graça de Deus, proclamam e procuram o bem (bem-dizem) para as pessoas e nações, para fazer que se conserve muita gente em vida. (Gn 50:20) Cristo tomou sobre si a maldição do pecado, para que a benção de Abraão, em toda a sua realidade concreta e integral, chegasse às nações.

174 Ser cristão, redimido pela graça do Senhor, significa nunca se cansar de fazer o bem: por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos da família da fé. (Gl 6:9ss) 1 Jo 2:29; 3:7, 10, Tg 4:17 Ser cristão, redimido por Cristo, é, por definição, ser um ativista do bem.

175 Evangelizar é chamar as pessoas a se entregarem a Cristo para o perdão dos seus pecados – e para se incorporarem com Cristo no projeto divino de ser benção às nações. Afinal de contas, evangelho escatologia e ética são inseparáveis. Por seus frutos os conhecereis, disse o Senhor: tive fome e me destes de comer, entrai na posse do reino que vos está preparado. (Mt 25:34ss). Nós somos salvos pela fé: não pela fé sem obras, mas pela fé que atua com amor (Gl 5:6).

176 Ele defendeu a causa do pobre e do necessitado, e, assim tudo corria bem. Não é isso que significa conhecer-me? Jer 22:16 N.V.I.

177 JESUS Lucas 4:14-30 – Inauguração do Ministério de Jesus Lucas 4:31-44 – Marcos 1:21-38 O povo de Judá estava a 700 anos esperando o Messias prometido. (Jr 33:14-16). O messias que iria instalar o reino de Deus na terra e acabar com todo o sofrimento. Isto era assunto em pauta nas sinagogas todos os sábados.

178 E muito embora não tivessem o Google, eles tinham toda a informação necessária nos escritos dos profetas. Eles sabiam de cor quais seriam os sinais da sua chegada (Is 61:1-2) e como seria seu domínio (Dn 7:13-14). Não é por nada que quando Jesus começa a ensinar eles ficaram maravilhados. Quando ele mostra sua autoridade sobre os espíritos do mal, eles ficaram boquiabertos. Parece que finalmente está acontecendo.

179 Quem é este homem? Será ele o messias prometido? O mais intrigante para mim é que mesmo com toda a informação, com todas as provas que Jesus deixou e com toda a sua autoridade, no final o povo de Israel ainda não conseguiu vê-lo. Só informação não é o suficiente. É necessária a presença do Espírito Santo, o único que pode abrir nossos olhos para que possamos ver o messias. Hoje temos toda a informação, todo o ensino e a presença do Espírito Santo dentro de nós. Mas será que temos tempo e paciência para ver?

180 Marcos 1:21-32 Todos ficaram maravilhados com o seu ensino, porque lhes ensinava como alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei. (v.22)

181 O que Jesus ensinou que deixou aquele povo tão maravilhado? A diferença entre Jesus e os outros escribas não estava no tema, mas na maneira como ele os tratava. No lugar de ensinar teorias sobre Deus e seus propósitos Jesus mostrou em situações concretas a bondade de Deus (Lc15:1-10). No lugar de fazer especulações sobre o reino de Deus, Jesus anuncia a proximidade dele (Mc 1:15) e a necessidade de fé na vida pessoal. No lugar de ensinar a Lei como uma lista de mandamentos a serem cumpridos, Jesus simplesmente ensina as pessoas a segui-lo e a fazerem aos outros o que querem que eles lhes façam (Mt 7:12).

182 Jesus ensinava as pessoas a viverem o seu dia-a-dia como servos de Deus e ele mesmo colocava em prática os sinais da chegada do reino de Deus. Somente o messias poderia ensinar desta forma e com tal autoridade como o profeta Daniel deixa claro na sua visão em 7: Esta passagem deve ser lida como revelação do messias para o povo da época e para nós hoje. É um testemunho da sua autoridade e poder. Assim como o povo do primeiro século, também somos convidados a abrir os olhos e vê-lo. E ao vê-lo decidir se vamos aceitar o seu testemunho ou esperar por um outro.

183 As notícias a seu respeito de espalharam rapidamente por toda a região da Galiléia.( v28)

184 O povo de Israel estava em crise e sofrendo sob o domínio de Roma e clamava a Deus para que cumprisse suas promessas e enviasse o messias. É neste cenário que Jesus apareceu anunciando que as promessas estavam cumpridas e que o reino de Deus estava próximo. Você já parou para pensar o que teria acontecido com o testemunho de Jesus se ele não tivesse mostrado com ações a chegada do reino de Deus? A proclamação do messias e do reino de Deus é sempre feita através de palavras e ações. Estes dois elementos são chaves na proclamação do evangelho de Jesus.

185 Marcos 1:29-32 Ao anoitecer, depois do pôr-do-sol, o povo levou a Jesus todos os doentes e os endemoninhados.(v.32)

186 Muitos cristãos gostam de procurar pelos sinais dos fins dos tempos. E não sem razão, Jesus nos alertou para ficarmos atentos aos mesmos. Ontem mesmo li que na Inglaterra uma clínica de aborto foi autorizada a fazer propaganda na televisão. Pensei, isto sim é um sinal dos fins dos tempos. Mas tenho a triste impressão que muitos de nós sabem identificar os sinais do fim mas não os sinais da presença do Reino de Deus em nós e entre nós. Eu até arrisco dizer que muitos não sabem quais são os sinais que devem procurar. Você sabe?

187 É muito comum pensarmos que estes sinais são vida de oração, a presença no culto, o jejum entre outros. Certamente estas são coisas que Jesus aprova e sinais de alguém que anda com Deus. Mas Jesus deixou sinais ao curar os enfermos, os leprosos, os cegos, ao expulsar os demônios, dar comida aos famintos e ao pregar as boas novas aos pobres (Lc 4:18-19). Todos sinais de vidas restauradas.

188 Já percebestes que os sinais do fim dos tempos são sempre de morte? O Reino de Deus é um reino de vida e vida em abundância. Tudo que promove vida é um sinal deste reino. Jesus além de ser o criador da vida, também é o seu restaurador eterno. E ele garantiu aqueles que o amam poder sobre a morte e poder para serem promotores dos sinais do reino através da presença do Espírito Santo (At. 1:8).

189 Aqueles que dizem ser seguidores e testemunhas de Cristo sempre serão promotores da vida. Eu desafio você a procurar e promover sinais de vida onde quer que você esteja. Se alguém tiver fome, dá-lhe de comer, se tiver sede, dá-lhe de beber, se estiver com frio o vista, se for marginalizado o acolha, se estiver doente leva-o ao médico, se estiver deprimido seja seu amigo. (Mt 25:31-46). Que o Senhor faça de nós promotores de vida e que os sinais do Reino de Deus sejam visíveis em nossas vidas e em nossas ações.


Carregar ppt "MISSÃO INTEGRAL Aliança Bíblica - 2010. Ementa. O objetivo dessa matéria é oferecer uma reflexão bíblica visando definir com clareza a missão integral."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google