A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A literatura na sala de aula. Direito à literatura raramente é visto como um direito humano. No entanto, a experiência do imaginário é um bem indispensável.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A literatura na sala de aula. Direito à literatura raramente é visto como um direito humano. No entanto, a experiência do imaginário é um bem indispensável."— Transcrição da apresentação:

1 A literatura na sala de aula

2 Direito à literatura raramente é visto como um direito humano. No entanto, a experiência do imaginário é um bem indispensável à vida e a literatura é um instrumento indispensável de humanização. Direito à literatura raramente é visto como um direito humano. No entanto, a experiência do imaginário é um bem indispensável à vida e a literatura é um instrumento indispensável de humanização. O livre e amplo acesso à leitura, entendida como leitura literária é uma condição para a conquista de uma plena democracia cultural. O livre e amplo acesso à leitura, entendida como leitura literária é uma condição para a conquista de uma plena democracia cultural. O acesso à literatura, em LPT, será pela porta da frente: pelo contato direto do aluno com obras literárias selecionadas, (...) desenvolvendo, para cada obra a ser lida, um conjunto de atividades articuladas em um pequeno projeto cultural. O acesso à literatura, em LPT, será pela porta da frente: pelo contato direto do aluno com obras literárias selecionadas, (...) desenvolvendo, para cada obra a ser lida, um conjunto de atividades articuladas em um pequeno projeto cultural.

3 Liberdade do leitor Nem cabresto, nem abandono Nem cabresto, nem abandono A singularidade do texto literário pressupõe e exige a liberdade do leitor, que começa por se manifestar na sua disponibilidade para o texto....a autonomia dos nossos jovens só se desenvolverá em meio à liberdade; mas em interação com os outros e com o professor, em um movimento cooperativo incessante, por meio do qual é possível formar-se uma comunidade leitora.

4 Não-escolarização da cultura A cultura na escola deve se manifestar como cultura e não apenas como atividade curricular A cultura na escola deve se manifestar como cultura e não apenas como atividade curricular Projeto cultural: é um conjunto de atividades orientadas por objetivos comuns e organizadas para a elaboração de um produto final. Trata-se, assim, de um tipo de organização temporária, na qual se criam várias oportunidades de ação coletiva: escolher, decidir, planejar, partilhar, cooperar, buscar recursos e realizar. Esses procedimentos permitem e exigem a construção de conhecimentos e competências pessoais, colaborando para o desenvolvimento da autonomia, da solidariedade e da liderança. Projeto cultural: é um conjunto de atividades orientadas por objetivos comuns e organizadas para a elaboração de um produto final. Trata-se, assim, de um tipo de organização temporária, na qual se criam várias oportunidades de ação coletiva: escolher, decidir, planejar, partilhar, cooperar, buscar recursos e realizar. Esses procedimentos permitem e exigem a construção de conhecimentos e competências pessoais, colaborando para o desenvolvimento da autonomia, da solidariedade e da liderança.

5 Por que livro? A rigor, o texto literário pode estar em qualquer suporte (...) Entretanto, em culturas letradas como a nossa, o contato com a literatura, assim como a experiência de leitura que ela pode proporcionar, estão intimamente associados ao livro. A rigor, o texto literário pode estar em qualquer suporte (...) Entretanto, em culturas letradas como a nossa, o contato com a literatura, assim como a experiência de leitura que ela pode proporcionar, estão intimamente associados ao livro.

6 O acervo de LPT: 5ª e 6ª série Feira de versos: cordel – Vários – Cordel Feira de versos: cordel – Vários – Cordel Entre a espada e a rosa - Marina Colassanti – Conto Entre a espada e a rosa - Marina Colassanti – Conto Para querer bem - Manuel Bandeira - Poema Para querer bem - Manuel Bandeira - Poema Lendas da África - Júlio Emílio Brás - Lenda Lendas da África - Júlio Emílio Brás - Lenda Auto da compadecida – Suassuna- Texto teatral Auto da compadecida – Suassuna- Texto teatral O senhor do bom nome - Ilan Brenman – Mito O senhor do bom nome - Ilan Brenman – Mito Indez - Bartolomeu C. Queiróz – Romance Indez - Bartolomeu C. Queiróz – Romance Fábulas – Esopo – Fábula Fábulas – Esopo – Fábula Lendas do Japão - Sylvia Manzano – Lenda Lendas do Japão - Sylvia Manzano – Lenda Chão de vento - Flora Figueiredo - Poema Chão de vento - Flora Figueiredo - Poema

7 O acervo de LPT: 7ª e 8ª série Nova antologia poética – Vinícius Moraes – Poema Nova antologia poética – Vinícius Moraes – Poema Dom Quixote – Miguel de Cervantes - Romance Dom Quixote – Miguel de Cervantes - Romance Dom Quixote – Caco Galhardo - HQ Dom Quixote – Caco Galhardo - HQ Poemas rupestres – Manoel de Barros - Poema Poemas rupestres – Manoel de Barros - Poema A farsa de Inês Pereira – Gil Vicente- Texto teatral A farsa de Inês Pereira – Gil Vicente- Texto teatral Histórias de mistério – Lygia Fagundes Telles – Conto Histórias de mistério – Lygia Fagundes Telles – Conto O aprendiz de feiticeiro – Mário Quintana - Poema O aprendiz de feiticeiro – Mário Quintana - Poema Contos – Murilo Rubião - Conto Contos – Murilo Rubião - Conto Clássicos do sobrenatural – Vários - Conto Clássicos do sobrenatural – Vários - Conto Contos de horror, medo – Vários - Conto Contos de horror, medo – Vários - Conto

8 Vídeos de apoio Serão vídeos de apoio, com a leitura dramática feita por jovens atores profissionais, das peças teatrais, dos versos de cordel e dos poemas de Mário Quintana e Manoel de Barros, produzidos especialmente para o Projeto, além de outros vídeos da TV Escola. Serão vídeos de apoio, com a leitura dramática feita por jovens atores profissionais, das peças teatrais, dos versos de cordel e dos poemas de Mário Quintana e Manoel de Barros, produzidos especialmente para o Projeto, além de outros vídeos da TV Escola.

9 Organização das oficinas Impressões: descobrindo o livro Impressões: descobrindo o livro Leitura: um mergulho no texto Leitura: um mergulho no texto Releitura: uma retomada da experiência de leitura Releitura: uma retomada da experiência de leitura Avaliação Avaliação

10 No âmbito do Projeto LPT será possível, junto com os alunos: ter um acesso particular ao mundo do livro e a obras literárias de referência do repertório brasileiro e universal; ter um acesso particular ao mundo do livro e a obras literárias de referência do repertório brasileiro e universal; estabelecer um contato sistemático com um determinado gênero literário; estabelecer um contato sistemático com um determinado gênero literário; criar um contexto de trabalho a partir do qual será possível fixar objetivos plausíveis para as atividades de leitura e de escrita; criar um contexto de trabalho a partir do qual será possível fixar objetivos plausíveis para as atividades de leitura e de escrita; ler na íntegra, sob a mediação do professor e com a ajuda das orientações que constam do material, a obra proposta – parte dela, na própria sala de aula; ler na íntegra, sob a mediação do professor e com a ajuda das orientações que constam do material, a obra proposta – parte dela, na própria sala de aula;

11 reconhecer, ao longo das atividades de exploração do texto, procedimentos e recursos característicos do texto literário; reconhecer, ao longo das atividades de exploração do texto, procedimentos e recursos característicos do texto literário; exercitar diferentes modos de ler, associados aos gêneros em jogo; exercitar diferentes modos de ler, associados aos gêneros em jogo; produzir textos de diferentes gêneros, a propósito das obras lidas; produzir textos de diferentes gêneros, a propósito das obras lidas; promover diferentes práticas de letramento literário, capazes de envolver os alunos e a comunidade escolar como um todo aí incluídos os parentes de alunos e professores, vizinhos da escola etc. promover diferentes práticas de letramento literário, capazes de envolver os alunos e a comunidade escolar como um todo aí incluídos os parentes de alunos e professores, vizinhos da escola etc.

12 A gestão das aulas de LPT na escola 1. Alimentando o Projeto Eventos periódicos para divulgar o projeto Eventos periódicos para divulgar o projeto Alunos como protagonistas Alunos como protagonistas Encontros com autores de livros Encontros com autores de livros Outras atividades Outras atividades

13 2. O professor de LPT Características Características 3. Os livros nas aulas de LPT O acervo O acervo Como organizar os livros Como organizar os livros Acesso aos livros: arranjos possíveis Acesso aos livros: arranjos possíveis O espaço O espaço O tempo O tempo

14 4. O movimento do Projeto Fruição de leitura Fruição de leitura Leitura dirigida Leitura dirigida Empréstimos Empréstimos Circulação de informações Circulação de informações

15 5. Envolvendo a comunidade 6. A coordenação do projeto Planejar e avaliar Planejar e avaliar Registro das atividades Registro das atividades 7. O que cabe aos gestores: Acompanhar Acompanhar Apoiar e estimular Apoiar e estimular Avaliar Avaliar Divulgar Divulgar

16 Importante: Perceber que os dois princípios básicos do Projeto são: a liberdade do leitor e a não- escolarização da cultura. Perceber que os dois princípios básicos do Projeto são: a liberdade do leitor e a não- escolarização da cultura. Dar condições aos professores para que utilizem outros espaços da escola e da comunidade para as atividades de LPT. Dar condições aos professores para que utilizem outros espaços da escola e da comunidade para as atividades de LPT. Mobilizar a comunidade, para assistir e participar dos projetos culturais de LPT. Mobilizar a comunidade, para assistir e participar dos projetos culturais de LPT.


Carregar ppt "A literatura na sala de aula. Direito à literatura raramente é visto como um direito humano. No entanto, a experiência do imaginário é um bem indispensável."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google