A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Comprovação de que determinado órgão empreendedor que se utiliza do meio ambiente para produzir está em conformidade com a Lei do Meio Ambiente n°6938/81,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Comprovação de que determinado órgão empreendedor que se utiliza do meio ambiente para produzir está em conformidade com a Lei do Meio Ambiente n°6938/81,"— Transcrição da apresentação:

1

2 1

3 Comprovação de que determinado órgão empreendedor que se utiliza do meio ambiente para produzir está em conformidade com a Lei do Meio Ambiente n°6938/81, deixando-o na melhor condição possível a fim de obter um desenvolvimento sustentável. CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL 2

4 VANTAGENS DA CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Melhor imagem junto a clientes e consumidores; Maior qualidade do produto; Adotada como estratégia de marketing, como uma oportunidade de mercado para diferenciar-se dos concorrentes; Contribui para inserção da marca em novos nichos de mercado com alta exigência ambiental; 3

5 CERTIFICAÇÃO ISO 14001: MUNDO 1 JAPÃO: UK: ALEMANHA: SUÉCIA: EUA: ESPANHA: TAIWAN: CHINA: CORÉIA: TAILÂNDIA: ÍNDIA: BRASIL ARGENTINA: JAPÃO: UK: ALEMANHA: SUÉCIA: EUA: ESPANHA: TAIWAN: CHINA: CORÉIA: TAILÂNDIA: ÍNDIA: BRASIL ARGENTINA: 145 FONTE: ISO (10 TH cycle); ISO WORLD 4

6 ISO 14001: BRASIL - CERTIFICADORAS FONTE: INMETRO 5

7 Segundo a ISO, em seu documento The ISO Survey of ISO 9000 and ISO certificates, 2002, até dezembro de 2002, existiam certificados emitidos em todo mundo, distribuídos em 118 países. 6

8 7

9 8

10 9

11 Passado - Até o início da década de 90 as questões ambientais no país eram tratadas com regulamentação técnica – padrões de qualidade e limites de emissões a serem seguidos. Presente - Hoje a tendência é a utilização da proteção ambiental como fator de diferenciação de produtos, processos e serviços entre empresas, ou mesmo, entre países. GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL 10

12 É definida como sendo um conjunto de políticas, programas e práticas administrativas e operacionais que levam em conta a saúde e a segurança das pessoas e a proteção do meio ambiente, incluindo-se todas as fases do ciclo de vida de um produto. A gestão ambiental empresarial, objeto da ISO , está essencialmente voltada para organizações, ou seja, companhias, corporações, firmas, empresas ou instituições. GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL 11

13 ISO - ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA NORMALIZAÇÃO ISO (International Organization for Standartization/Organização Internacional para Normalização) – é uma ONG internacional, com sede em Genebra na Suíça. Tem por objetivo estabelecer normas que representem e traduzam o consenso dos diferentes países do mundo. Participam da ISO entidades de normalização representando cerca de 95% da produção industrial do mundo. O Brasil participa da ISO através da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. 12

14 NBR-ISO – GESTÃO AMBIENTAL É um conjunto de normas técnicas referentes a métodos e análises, que possibilitam CERTIFICAR que: determinado PRODUTO - seu carro, seu inseticida, o papel que você usa, entre outros - quando sua PRODUÇÃO, sua DISTRIBUIÇÃO e DESCARTE e/ou a ORGANIZAÇÃO que o produziu, utilizando um PROCESSO GERENCIAL E TÉCNICO que: não proporcionam, ou reduzem ao mínimo, os danos ambientais; estejam de acordo com a LEGISLAÇÃO AMBIENTAL 13

15 Crescentes pressões das comunidades de diferentes países Preocupação com a proteção ao meio ambiente Surgiram várias padronizações regionais e nacionais com respeito à Gestão e Rotulagem Ambiental (Globalização): BS-7750 Inglaterra Norma BS-7750 sobre Gestão Ambiental. Canadá, a Canadian Standards Association, normalizou um modelo próprio de Gestão Ambiental. C.E.E. - Comunidade Econômica Européia, formulou normas para rotulagem, gestão e auditoria ambiental. Países como EUA, Alemanha e Japão criaram programas nacionais de rotulagem ambiental. POR QUE A SÉRIE ISO FOI CRIADA ? 14

16 ISO GESTÃO AMBIENTAL A série ISO pode ser resumida, para gestão ambiental, em seis grupos de normas divididos em dois grandes blocos, um direcionado para o produto outro para a organização. Avaliação da Organização: Sistema de Gestão Ambiental; Auditoria Ambiental; Avaliação do Desempenho Ambiental. Avaliação do produto : Rotulagem Ambiental; Análise do ciclo de vida; Aspectos Ambientais de Normas de Produtos. 15

17 ORGANIZAÇÃO DE SÉRIE NBR-ISO

18 Conjunto de normas da série ISO publicadas pela ABNT NBR ISO/ Sistemas de Gestão Ambiental NBR ISO/ SGA – Diretrizes gerais sobre princípios e técnicas de apoio NBR ISO/ Gestão Ambiental – Avaliação ambiental de locais e organizações NBR ISO/ Diretrizes para auditorias de sistemas de gestão ambiental NBR ISO/ Rótulos e declarações ambientais – princípios gerais NBR ISO/ Rótulos e declarações ambientais – Rotul. Ambiental – Tipo II NBR ISO/ Rótulos e declarações ambientais – Rotul. Ambiental - Tipo I – princípios e procedimentos NBR ISO/ Gestão Ambiental – Avaliação de desempenho ambiental – diretrizes NBR ISO/ Gestão Ambiental – Avaliação do ciclo de vida (ACV) – Princípios e estrutura NBR ISO/ Gestão Ambiental – ACV – Definição de objetivo, escopo e análise de inventário NBR ISO/ Gestão Ambiental – ACV – avaliação do impacto do ciclo de Vida NBR ISO/ Gestão Ambiental – Vocabulário Fonte: página na web do CB38 – Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental ABNT 17

19 1. SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL – ISO O Sistema da Gestão Ambiental é o conjunto de responsabilidades organizacionais, procedimentos, processos e meios que adotam para a implantação da uma política ambiental em determinada empresa ou unidade produtiva. Um SGA é a sistematização da gestão ambiental por uma organização determinada. É o método empregado para levar uma organização a atingir e manter-se em funcionamento de acordo com as normas estabelecidas, bem como para alcançar os objetivos definidos pela em sua política ambiental 18

20 VANTAGENS DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL Melhora no desempenho ambiental; Redução do consumo de recursos energéticos; Redução nos custos em geral; Otimização do processo produtivo; Melhora as relações indústria/governo; Entre outras; 19

21 IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL A família de normas ambientais tem como eixo central a norma ISO , que estabelece os requisitos necessários para a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA). E tem como objetivo conduzir a organização dentro de um SGA certificável, estruturando e integrando à atividade geral de gestão, especificando os requisitos que deve apresentar e que sejam aplicáveis a qualquer tipo e tamanho de organização. 20

22 21

23 De um modo bastante simplificado, o SGA deve cumprir requisitos quanto a: Política ambiental Planejamento Implementação e operação Verificação e ação corretiva Revisão pela gerência 22

24 BREVE HISTÓRICO – AUDITORIA AMBIENTAL Década de 70 – Indústrias químicas dos Estados Unidos Auditoria compulsória 1972 – Indústria de petróleo Década de 80 – melhoria do desempenho ambiental de empresas européias Atualmente a auditoria é voluntária 2. AUDITORIA AMBIENTAL - ISO 14010, ISO e ISO » » » » » ISO

25 BRASIL BREVE HISTÓRICO – AUDITORIA AMBIENTAL NO BRASIL Década de 80 – exigência das sedes multinacionais 1989 – Constituição do Estado do Rio de Janeiro Início da década de 90 – leis brasileiras de AA Atualmente várias empresas adotam AA voluntárias. EX: Shell, Petrobras, Companhia Vale do rio Doce. 24

26 A norma ISO estabelece o seguinte conceito de auditoria ambiental: Há que identificar os problemas para que estes possam ser resolvidos Ajuda uma empresa a antecipar o dano ambiental e desta forma prevenir que ele aconteça Auditoria ambiental é o processo sistemático e documentado de verificação, executado para obter e avaliar, de forma objetiva, evidências de auditoria para determinar se as atividades, eventos, sistema de gestão e condições ambientais especificados ou as informações relacionadas a estes estão em conformidade com os critérios de auditoria, e para comunicar os resultados deste processo ao cliente. 25

27 Modelo de gestão empresarial Questão ambiental nas relações de comércio internacional e mercado interno Desenvolvi mento sustentável AUDITORIA AMBIENTAL 26

28 MELHORA A IMAGEM PÚBLICA AUMENTA A CONSCIENTIZAÇÃO E O ENTENDIMENTO DO RISCO REDUZ A EXPOSIÇÃO DOS EMPREGADOS E DA COMUNIDADE AOS IMPACTOS AMBIENTAIS MELHORA A CONDIÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO REDUZ A OCORRÊNCIA DE PENALIZAÇÕES REDUZ CUSTOS ATRAVÉS DE UMA OPERAÇÃO EFICIENTE E SEGURA POR QUE AUDITAR ? AUDITORIA AMBIENTAL 27

29 OBJETIVOS DA AUDITORIA AMBIENTAL Verificar conformidade com normas Externas (locais, nacionais, internacionais) e internas Identificar problemas relacionados com as operações e processos, reduzindo os seus riscos Formular uma política e estratégia ambiental os resultados de uma AA podem ser utilizados para formular, rever ou atualizar a política ambiental de uma empresa Medir impactes ambientais associados a cada processo e causados nos meios receptores (ar, água, solos e saúde pública) 28

30 OBJETIVOS DA AUDITORIA AMBIENTAL Avaliar o desempenho ambiental da empresa comparar com as melhores práticas Confirmar a eficácia de um sistema de gestão ambiental Fornecer uma base de dados que suporte as ações corretiva e planos futuros detectando áreas possíveis de intervenção Comunicar ao efetuar um relatório dos resultados, a empresa pode comunicar a parte interessada o seu desempenho ambiental, o que permite melhorar a sua imagem 29

31 VANTAGENS DAS AAS Identificação e registro das conformidades e das não conformidades. Melhoria da imagem da empresa. Assessoramento à alocação de recursos (financeiro, tecnológico e humano). Prioridade às atividades de controle de poluição. Avaliação dos riscos ambientais. Verificação da operação da atividade. Avaliação da conformidade com o gerenciamento das atividades. Garantia da geração de menos resíduos. Obtenção de economia de custos. Produção e organização de informações ambientais consistentes e atualizadas do desempenho ambiental da empresa. Facilidade na comparação e intercâmbio de informações entre as unidades da empresa. 30

32 DESVANTAGENS DAS AAS Necessidade de recursos adicionais para implementar o programa de AA. Possibilidade de incorrer em dispêndio inesperado e expressivo de recursos para atender às não conformidades. Indicação de falsa sensação de segurança sobre os riscos ambientais. Possibilidade de pressões de órgãos ambientais e organizações não-governamentais – ONGs. 31

33 Categorias de AuditoriasDescrição dos objetivos De conformidadeVerificar a conformidade da organização em relação aos requisitos legais aplicáveis. De desperdícios e de emissõesAvaliar perdas e seus impactos econômicos. Pós-acidenteAvaliar perdas e seus impactos econômicos. De fornecedorAvaliar o fornecedor com relação a critérios ambientais estabelecidos pelo cliente (efetivo ou potencial). De SGAVerificar a conformidade do SGA com os requisitos da norma ou do modelo adotado e a conformidade com a política ambiental da organização. TIPOS DE AUDITORIA 32

34 Categorias de AuditoriasDescrição dos objetivos De desempenho ambientalVerificar o desempenho ambiental de organizações, instalações ou equipamentos em relação aos objetivos e metas estabelecidos. De descomissionamentoAvaliar as conseqüências ambientais decorrentes da desativação de uma atividade PontuaisOtimizar a gestão de recursos e melhorar a eficiência do processo e, conseqüentemente, minimizar a geração de resíduos, o uso de energia ou de outros insumos. De certificaçãoAvaliar a conformidade da empresa com princípios estabelecidos nas normas pelas quais a empresa pretende se certificar. Relacionada a atividade de segurosVerificar riscos pela indústria de seguros. TIPOS DE AUDITORIA 33

35 3. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL Uma Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA) é um processo de gestão interna à empresa, constituindo-se em ferramenta destinada em prover a gestão da empresa com informações reais e mensuráveis em relação a uma base e/ou critérios estabelecidos, que mostrarão se, ao longo do tempo, o desempenho ambiental da empresa está indo ao encontro desses parâmetros. 34

36 ÁREAS DE AVALIAÇÃO/INDICADORES Sistemas de gestão: implantação de políticas e de programas, conformidades,desempenho financeiro, relações com a comunidade. Sistema operacional: quantidade de materiais utilizados no processo; quantidade de energia utilizada nos processos; serviços de suporte às operações da empresa; infra-estrutura e equipamentos utilizados pela empresa; fornecedores e clientes; produtos; serviços executados pela empresa; resíduos da produção; emissões. Meio ambiente: ar; água; solo; fauna; flora; seres humanos; comunidade; estética; etc. 35

37 O que é: A rotulagem ambiental da série ISO é a certificação de produtos adequados ao uso, que apresentam menor impacto no meio ambiente em relação a produtos comparáveis disponíveis no mercado. Objetivo: Promover a melhoria da Qualidade Ambiental de produtos e processos mediante a mobilização das forças de mercado pela conscientização de consumidores e produtores. 4. ROTULAGEM AMBIENTAL 36

38 ROTULAGEM AMBIENTAL Primeiras Iniciativas: Alemanha (1977) - Blue Angel. Certificou mais de 3000 produtos Canadá (1988) - Environmental Choice. Certificou detergentes, fraldas, material de construção, embalagens comerciais... Japão (1989) - Eco-Mark. Certificou detergente, tintas, baterias, pesticidas, artigos eletrônicos, óleos lubrificantes... Características: abordagem inicial "Simples". grande número de Famílias de Produtos. dirigidos para produtos de consumo. 37

39 NORMAS DE SGA DA ABNT 38

40 ROTULAGEM TIPO I – NBR ISO 14024: PROGRAMA SELO VERDE Estabelece os princípios e procedimentos para o desenvolvimento de programas de rotulagem ambiental, incluindo a seleção, critérios ambientais e características funcionais dos produtos, e para avaliar e demonstrar sua conformidade. Também estabelece os procedimentos de certificação para a concessão do rótulo. 39

41 ROTULAGEM TIPO II – NBR ISO 14021: AUTO-DECLARAÇÕES AMBIENTAIS Especifica os requisitos para auto-declarações ambientais, incluindo textos, símbolos e gráficos, no que se refere aos produtos. Termos selecionados em declarações ambientais e fornece qualificações para seu uso. Descreve uma metodologia de avaliação e verificação geral para auto-declarações ambientais e métodos específicos de avaliação e verificação para as declarações selecionadas nesta Norma. Símbolos para identificação de produtos recicláveis. 40

42 ROTULAGEM TIPO III – ISO 14025: INCLUI AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA Ainda está sendo elaborada no âmbito da ISO. Tem alto grau de complexidade devido á inclusão da ferramenta Avaliação do Ciclo de Vida. Existe um longo caminho para que este tipo de rotulagem ganhe o mercado. Os rótulos Tipo III são similares a etiquetas sobre valores nutritivos, indicando, por exemplo, recursos empregados (água, fibra de madeira, combustíveis fósseis, entre outros) e cargas de emissões (gases de efeito estufa, acidificação, ozônio ao nível do solo, entre outros). 41

43 PONTOS BÁSICOS A RESSALTAR SOBRE ROTULAGEM AMBIENTAL difere da Certificação convencional de produtos que adotam Normas (requisitos mínimos de qualidade ) é efetuada em relação a critérios bem definidos difere das Etiquetas de Advertência (Ex.. cigarros) ou Etiquetas Informativas (Ex.. Simbologia de Reciclável) é um mecanismo de informação ao consumidor é um instrumento de Marketing para as Empresas 42

44 ROTULAGEM AMBIENTAL NO BRASIL (Selo Verde) ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS FÓRUM NACIONAL DE NORMALIZAÇÃO ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO

45 5. CICLO DE VIDA DO PRODUTO DESNV.DE PROCESSOS MATERIAS- PRIMAS PROCES. DE PRODUÇÃO EMBALAGENS DISTRIBUIÇÃO CONSUMO DO PRODUTO DISPOSIÇÃO FINAL MARKETING 44


Carregar ppt "1 Comprovação de que determinado órgão empreendedor que se utiliza do meio ambiente para produzir está em conformidade com a Lei do Meio Ambiente n°6938/81,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google