A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A visão da Academia sobre a Política de Saúde Mental Vigente no País Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira – Departamento de Psiquiatria da UNIFESP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A visão da Academia sobre a Política de Saúde Mental Vigente no País Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira – Departamento de Psiquiatria da UNIFESP."— Transcrição da apresentação:

1 A visão da Academia sobre a Política de Saúde Mental Vigente no País Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira – Departamento de Psiquiatria da UNIFESP

2 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos Diversificação da rede – ênfase prevenção secundária Exemplo da Dependência Química Lição Italiana

3 Transtorno Mental VS Sofrimento Psíquico

4 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos Diversificação da rede – ênfase prevenção secundária Exemplo da Dependência Química Lição Italiana

5 5 financiamento: Infra-Estrutura país 2005 SUS: 37 bilhões de reais. Saúde mental: 872 milhões Orçamento: 26,7% (US$ 2,66 para US$ 1,95 per capta) Medicação: (0 para 15%) Neurolépticos atípicos : 75% Med. Psi. Andreoli SB, Almeida-Filho N, Martin D, Mateus MD, Mari Jde J. Is psychiatric reform a strategy for reducing the mental health budget? The case of Brazil. Rev Bras Psiquiatr 2007; 29(1):43-6.

6 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos Diversificação da rede – ênfase prevenção secundária Exemplo da Dependência Química Lição Italiana

7 7 Serviço: Infra-Estrutura país Leitos em 41% (54 para 32/ ). Leitos alternativos (1% para 6%). CAPS ( 0,04 para 0,37 por ).

8 Nº de leitos por habitantes Dados de 2006, retirados do Projeto Atlas, da Organização Mundial de Saúde e do MS

9 Acreditamos que a redução de leitos deveria ser conseqüência de uma rede operante, feita de forma cuidadosa e responsável, para que não ocorresse a desassistência que hoje temos. (relatório do MS de Nov/2005) Lei Mas a Lei NÂO determina que se criem mecanismos para FECHAMENTO de Leitos ! Diz que o pac. deve ter atendimento compatível com sua necessidade.

10 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos AMPLIAR O CAPS – Multiplicar o que não funciona

11 Baixa especialização dos cuidados prestados Baixa especialização dos cuidados médicos Cobertura pequena e sem especialização para um grande número de transtornos mentais DepressãoTranstornos Alimentares DistimiaTAB AnsiedadeDemências Fobias Infância + Escolar

12 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos Diversificação da rede – ênfase prevenção secundária Exemplo da Dependência Química Lição Italiana

13 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos Diversificação da rede – ênfase prevenção secundária Exemplo da Dependência Química Lição Italiana

14 AMBULATÓRIOS GERAIS AMBULATÓRIOS DE ESPECIALIDADES UNIDADE COMUNITÁRIA DE SAÚDE MENTAL CADEIAS E PRISÕES UNIDADES PARA MENORES INFRATORES HOSPITAL GERAL PS & ENFERMARIAS HOSPITAL DE ESPECIALIDADES PS & ENFERMARIAS AMBULATÓRIO DE SAÚDE MENTAL HOSPITAL PSIQUIÁTRICO PS & ENFERMARIAS UNIDADE COMUNITÁRIA ÁLCOOL & DROGAS AMBULATÓRIO ESPECIALIZADO ÁLCOOL & DROGAS GRUPOS DE AUTO-AJUDA ENFERMARIAS DE DESINTOXICAÇÃO INTERNAÇÃO PROLONGADA CLÍNICAS DE TRATAMENTO COMUNIDADES TERAPÊUTICAS CENTROS DE EXCELÊNCIA PESQUISA, ENSINO & TRATAMENTO HOSPITAL-DIA SAÚDE MENTAL HOSPITAL-DIA ÁLCOOL & DROGAS ESCOLASEMPRESAS MORADIA ASSISTIDA ÁLCOOL & DROGAS ALBERGUES Ambientes de tratamento posicionados de acordo com o nível de atenção à saúde ao qual estão destinados.

15 Tópicos Transtorno Mental vs Sofrimento Psíquico Redução do investimento em Saúde Mental Redução de leitos psiquiátricos e dos ambulatórios, sem planejamento Adoção dos CAPS sem avaliação do modelo CAPS – baixa resolubilidade, ineficiência e alto custo CAPS – pacientes mais graves não são atendidos Diversificação da rede – ênfase prevenção secundária Exemplo da Dependência Química Lição Italiana

16 Eur Arch Psychiatry Clin Neurosci (2007) SPECIAL ISSUE Giovanni de Girolamo et al The current state of mental health care in Italy: problems, perspectives, and lessons to learn

17 Lições Italianas Diminuição dos leitos públicos, aumento dos privados (54% do total) – No Brasil temos Comunidades Terapêuticas para tratar Dependentes Químicos Diminuição dos leitos deveria ser feita com planejamento e implementação de outros serviços

18 Lições Italianas Os serviços na comunidade são apenas os locais. Não é o tratamento. Existe uma negligência do ingrediente do tratamento. Tratamento Comunitário é mais caro Avaliação e Monitoramento das mudanças - Essencial


Carregar ppt "A visão da Academia sobre a Política de Saúde Mental Vigente no País Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira – Departamento de Psiquiatria da UNIFESP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google