A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Diagnóstico Clínico e Laboratorial SEDT-DIP/HC, CPGCS-MTI/FM, UFMG 20/04/2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Diagnóstico Clínico e Laboratorial SEDT-DIP/HC, CPGCS-MTI/FM, UFMG 20/04/2010."— Transcrição da apresentação:

1 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Diagnóstico Clínico e Laboratorial SEDT-DIP/HC, CPGCS-MTI/FM, UFMG 20/04/2010

2 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 sem banalizar nem superestimar OBJETIVO definir parâmetros que caracterizam a gripe humana pandêmica Clínico; Laboratorial; SRAG.

3 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 O que é: Gripe; Resfriado Comum, Coriza Aguda, Sínd. Gripal; Rinite; Rinite Alérgica; Surto de Síndrome Gripal.

4 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Gripe Infecção vias aéreas pelo vírus influenza humano, aguda e febril, surtos anuais, inverno, muito contagiosa, gravidade variável, envolve vários membros da família; Manifesta-se como: resfriado comum, faringite, traqueobronquite, pneumonia, complicações, favorece outras infecções.

5 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Resfriado comum, coriza aguda, síndrome gripal Doença humana mais comum, vias aéreas superiores, aguda, autolimitada, afebril, com rinorréia, obstrução nasal, dor e prurido orofaríngeo e/ou tosse; Associada vírus: rino (50%), corona (10-15%), adeno, influenza, ECHO, coxsackie, parainfluenza, respiratório sincicial.

6 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Rinite Irritação/inflamação mucosa nasal com aumento secreções, prurido, obstrução, gotejamento posterior; Alérgica; Infecciosa (aguda: vírus, bactéria; crônica: bactéria, fungo, imunodeficiência); Não-alérgica; Outras (Hormonal: gravidez, hipotireoidismo; Fármaco-induzida: AAS, anti-hipertensivos; Alimentar: gustativa, IgE mediada, induzida por conservantes; Atrófica; Mecânica (hipertrofia ossos turbinados, desvio septo, corpo estranho, pólipos).

7 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Rinite alérgica Paroxismos de: espirros; prurido ocular, nasal e palato; rinorréia e obstrução nasal; frequente gotejamento pós-nasal, tosse, irritabilidade, fadiga; ao inalar antígenos transportados pelo ar, mais frequente na primavera.

8 INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Surto Síndrome Gripal (SG) 3 casos de SG em ambiente fechado/restrito, até 5 d após inicio dos sintomas; Presença do vírus Influenza em pelo menos 1 de 3 amostras coletadas; Exclusão: ausência do vírus Influenza nas amostras coletadas.

9 INFLUENZA Epidemiologia Epidemia recorrente, respiratória febril, à cada 1-3 anos, há 400 anos; Com pandemias emergentes de novos vírus em que a população, em geral, não tem imunidade; Desde século 16: 3 pandemias/século, intervalos de anos.

10 INFLUENZA Biologia Proteína envelope: H (hemaglutinina), N (neuraminidase); Mutante A: origem Humana, Suína, Aviária; Existem: aves 15 H e 9 N; humanos 4 H e 2 N; De 144 combinações, importância humana: H1N1, H2N2, H3N2, H5N1; A H1N1: causa mais comum Gripe humana; Variante H1N1 selvagem: ½ Gripes em 2006, baixa patogenicidade.

11 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Morfologia

12 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Sinonímia Influenza A subtipo H1N1, Gripe Suína, Gripe Porcina, Gripe Mexicana, Gripe Norteamericana, Nova Gripe;

13 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Distribuição geográfica inicial

14 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Epidemiologia geral Mundo (191 países): infectados: , mortes: 3.917, BR: SRAG: , confirmados: , H1N1: 9.249, mort.: 0,01 (BA)–2,08% (PR);

15 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

16

17 Contaminação Igual humana, AÉREA, CONTATO DIRETO com infectado, INDIRETO: mão, objeto contaminado; AUSÊNCIA contaminação pelo CONSUMO carne ou produtos suínos cozidos à 70ºC/20min

18 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Como Identificar Incubação: 1-3 d; Contágio: 1 d antes, 10 d após queixas; Mulheres: 52%; Idade: 20-39/60%, 0-19/30%, > 60/10%; MG: mortalidade: 0,12%;

19 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Como Identificar Como GRIPE SAZONAL: febre repentina (elevada), fadiga, dor pelo corpo, tosse, cefaléia, hiperemia conjuntival, rinorréia, náusea; CAUSA MAIS: diarréia e vômitos; TEMPO diagnóstico laboratorial: 3 d; 99,6% LEVE-MODERADA; mais grave em portador de doença crônica prévia;

20 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Caso Suspeito aumento súbito TA > 37,5ºC + tosse ou dor de garganta + 1: cefaléia, mialgia, artralgia, dispnéia, até 10 d após DEIXAR local ou CONTACTAR (cuidou, conviveu, tocou em secreções respiratórias ou fluidos corporais) CASO SUSPEITO;

21 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Caso Confirmado Infecção (H1N1)2009 CONFIRMADA PCR/tempo real: laboratório referência; CASO SUSPEITO com amostra impossível de coletar, ou inviável para diagnóstico laboratorial, e seja CONTATO PRÓXIMO de CASO CONFIRMADO laboratorialmente;

22 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Caso Descartado CASO SUSPEITO sem confirmação laboratorial de (H1N1)2009 em amostra clínica, Influenza sazonal ou outra doença; Coleta de amostra impossível ou inviável, e CONTATO PRÓXIMO de caso laboratorialmente descartado;

23 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Contato Próximo de Caso Suspeito ou Confirmado contatou 1 d ANTES, até 7 (adultos)– 14 d (crianças) APÓS início da queixa, alguém que ESTEVE em LOCAL ENDÊMICO, CUIDOU, CONVIVEU, ENCOSTOU em secreção respiratória de CASO CONFIRMADO ou SUSPEITO.

24 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Cuidado e risco especial GRAVIDEZ, PNEUMOPATIA, < 2 ANOS, ADULTOS JOVENS, IMUNOSSUPRESSÃO (hematológica; imunomodulador, quimio/corticoterapia; SIDA; neoplasia), CARDIOPATIA, DIABETES MELLITUS, METABOLOPATIAS, HEPATOPATIAS, NEFROPATIA, SOBREPESO grau III, DOENÇAS NEUROMUSCULARES

25 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Complicações mais freqüentes Bronquite aguda, Pneumonia viral e bacteriana (4-5 d após início da gripe); Alterações ECG, Miocardite, Pericardite; Miosite, Mioglobinúria/IRA; Encefalite/encefalopatia (1ª sem da gripe); Mielite transversa, Guillain-Barré; Otite média; Toxemia; Parotidite.

26 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

27

28

29

30

31 SRAG pacientes Internação por PNM (38%): 821/2155; Óbito (5-58%): 100/821 (devido à IH); Faixa etária (87%): 5-59 anos; Co-morbidade (50%): HAS, asma, apnéia sono obstrutiva; Intervalo início queixas-admissão hospitalar: 4-25 d;

32 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 SRAG Doença respiratória aguda por dist. V/Q; Temperatura corpórea > 38ºC; Tosse e dispnéia, com ou sem dor de garganta ou queixas gastrointestinais;

33 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 SRAG alerta agravamento pelo menos 1 Agravamento febre, mialgia, tosse, FR > 25; Altera consciência, sonolência, confusão; Desidratação; Convulsão; Batimento asa nariz; tiragem, cornagem; PAD 120; Tax. > 38ºC persistente 3-5 d; Leucocitose, leucopenia ou neutrofilia; Sat. O 2 < 94%; Rx tórax: infiltrado intersticial localizado ou difuso ou área de condensação;

34 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Critério diagnóstico LPA/SRAG criança (4 parâmetros) Início agudo de dificuldade respiratória; Hipoxemia não responsiva O 2 : SRAG e LPA PaO 2 /FiO e 300; Rx tórax: infiltrado bilateral à radiografia; Ausência evidência HA esquerda; FR: até 2 meses: > 60; > 2 meses e 50; 1-4 anos: > 40; > 4 anos: > 30;

35 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 SRAG Insuficiência respiratória (APACHE II): intubação/VM: 60% - 24 h iniciais após internação; SAT O 2 : 71% sem O 2 ; VM: PEFP > 16 cmH 2 O, 7-30 d (sobrevive), 4-17 d (óbito); PNM associada VM: A. baumanii, Achromobacter xylosoxidans, S. aureus meticilina-resistente, E. coli; Antibioticoterapia prévia: 66%;

36 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 SRAG FOM (33%): norepinefrina (50%), corticoterapia (33%), IRenalA: 90% óbito, SCIVD ou complicações neurológicas: nenhum paciente; DHL (50%) creatininaquinase (66%): > 1000 UI/L; Linfocitopenia: 61%;

37 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 SRAG Rx tórax (100%): opacidades alveolares, predominantemente basais, lineares, reticulares, nodulares; Miosite Fisiopatologia: lesão alveolar difusa, membrana hialina espessa, proliferação fibroblástica intensa; pelo vírus e superprodução de citocinas

38 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Evolução Gripe Influenza não-complicada Completo restabelecimento; Sem necessidade de internação hospitalar; Resolução em 7 d; Tosse, mal estar, lassidão podem persistir por semanas;

39 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Diagnóstico Diferencial SG Nasofaringite (resfriado comum), faringite, amigdalite, laringite, traqueíte, laringotraqueíte, infecção vias aéreas superiores múltiplas; SRAG Infecções viróticas (Respiratório Sincisial, Coxsackie, Citomegálico), pneumonia bacteriana, tuberculose, neoplasias pulmonares (primarias ou metastáticas);

40 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Diagnóstico Laboratorial Indicada na SRAG com internação hospitalar, e surtos de SG em comunidades fechadas; Coletar secreção via aérea alta; de preferência 3-5º d após início queixas; Técnica: RCP

41 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Diagnóstico gravidade Hemograma; Uremia, creatinemia; TGO, TGP; Rx tórax PA e perfil; Sat. pulso (se < 92%, pH e gás arterial); ECG; Depende gravidade: glicemia, ionograma, DHL, creatininafosfoquinase, lactato (venoso), RNI, TTPa, proteína C reativa; hemo, uro, outras culturas; TC tórax (evitar na gravidez, se possível – RNM na gestação sem risco).

42 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Diagnóstico gravidade acometimento pulmonar CURB-65 Contato: confusão mental (escala mental máximo 8 ou nova desorientação); U: uremia > 7 mmol/L; R: FR 30; B: PAS e PAD máximo 90 e 60 mmHg; I: mínimo 65 anos. Infiltrado pulmonar Rx: tratar como PNM grave; PNM viral primária ou CURB : tratar em CTI

43 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Prevenção IMUNOBIOLÓGICO: Porcino: não PROTEGE humanos; Humano Sazonal: POUCA/SEM proteção; Específica: 15 d, 90%;

44 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Prevenção CUIDADO COM DOENTE: Permanecer em casa, evitar trabalho, escola, ambientes com muitas pessoas; Cobrir boca/nariz com pano ao falar, tossir, espirrar; Evitar tocar olhos, boca, nariz; Evitar pó, fumaça, substância afeta respiração; Retornar ao normal após 24 h assintomático.

45 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Prevenção Higiene regular, controle aerossól: Não compartilhar alimento, copo, prato, cobertor; Manter ambientes arejados, ensolarados; Manter limpos: objetos de uso comum; Procurar médico diante de: febre alta repentina, tosse, cefaléia, mialgia, artralgia;

46 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Prevenção Hábito higiene regular, controle aerossól: Evitar exposição mudança brusca temp. e contaminantes ambientais (pó, fumaça); Lavar mãos frequentemente (água e sabão); Não fumar: lugares fechados, próximo de crianças e idosos enfermos; Manter 3 m distância pessoas com infecção aérea; Não saudar com beijos, aperto de mão;

47 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 Tratamento Cuidados gerais, Dieta sem restrições, hipercalórica, normoprotéica, Hidratação vias aéreas, VO, nebulização, vaporização, Antitérmico, analgésico, Antiviral: Oseltamivir e Zanamivir, Suporte ventilatório, metabólico se necessário;

48 INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009 E PARA 2010? Comportamento de nova onda, Disponibilidade de imunobiológico, Possibilidade de resistência ao antiviral.


Carregar ppt "INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Diagnóstico Clínico e Laboratorial SEDT-DIP/HC, CPGCS-MTI/FM, UFMG 20/04/2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google